Enciclopédia Arquivo7 no MEGA

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

FOGO EM ISRAEL – O DIA DA REDENÇÃO ESTÁ CHEGANDO


O significado profético do maior incêndio em Israel, desde seu renascimento em 1948.

A primeira semana de dezembro de 2010 trouxe terror a Israel, mas não da maneira tradicional. Desta vez, um incêndio de proporções apocalípticas, que durou mais de 24 horas, deixou o país em estado de alerta máximo. Como se sabe, num país pequeno como Israel (menor que Sergipe, o menor Estado do Brasil), um incêndio do tipo que ocorreu poderia ter acabado com tudo. E isso é inquietante.

Israel é um país diferente de qualquer outro, pois é um país profético. Isso significa que, qualquer coisa que aconteça por lá (qualquer coisa mesmo!), nos leva para dentro das páginas da Bíblia.

Se Israel não existisse, a credibilidade da Bíblia seria abaixo de zero. Mas, pelo fato de Israel continuar existindo temos A PROVA das afirmações bíblicas, A PROVA da Existência de Deus (mais detalhes sobre essa afirmação, veja o estudo em slide, ISRAEL – O RELÓGIO DE DEUS, em 3 partes, disponível na seção de downloads do site Arquivo7).

Um incêndio em qualquer outro país do mundo só seria profeticamente significativo pelo fato de estar relacionado, de forma geral, com a destruição do meio ambiente, e, conseqüentemente, com o Apocalipse. Mas, em Israel é outra coisa. Em Israel, é ALTAMENTE significativo, do ponto de vista bíblico-profético.

Pra começar, em que parte do país aconteceu mesmo? No Monte Carmelo. Sim, na mesma região onde, nos tempos bíblicos, o profeta Elias desafiou os profetas de Baal e Aserá, e o desafio envolveu FOGO DO CÉU (1 Reis 18). Falando no profeta Elias...

No capítulo 19 de 1 Reis, o profeta sofre de um repentino medo e se esconde numa caverna. Ficou tão depressivo que pediu a morte. O homem forte, que desafiou 850 profetas falsos, de repente sentiu-se acuado, devido a voz ameaçadora de uma mulher, Jezabel. Alguns eventos interessantes ocorreram quando o profeta se escondeu na caverna em Horebe.

“Levantou-se, pois, e comeu e bebeu; e com a força desse alimento caminhou quarenta dias e quarenta noites até Horebe, o monte de Deus.
Ali entrou numa caverna, onde passou a noite. E eis que lhe veio a palavra do Senhor, dizendo: Que fazes aqui, Elias?
Respondeu ele: Tenho sido muito zeloso pelo Senhor Deus dos exércitos; porque os filhos de Israel deixaram o teu pacto, derrubaram os teus altares, e mataram os teus profetas à espada; e eu, somente eu, fiquei, e buscam a minha vida para ma tirarem.
Ao que Deus lhe disse: Vem cá fora, e põe-te no monte perante o Senhor: E eis que o Senhor passou; e um grande e forte vento fendia os montes e despedaçava as penhas diante do Senhor, porém o Senhor não estava no vento;
E depois do vento um terremoto, porém o Senhor não estava no terremoto;
E depois do terremoto um fogo, porém o Senhor não estava no fogo; e ainda depois do fogo uma voz mansa e delicada.
E ao ouvi-la, Elias cobriu o rosto com a capa e, saindo, pôs-se à entrada da caverna. E eis que lhe veio uma voz, que dizia: Que fazes aqui, Elias?”
(1 Reis 19.8-13).

Antes da manifestação do Senhor, três eventos da natureza ocorreram – e cada um nos lembra dos futuros acontecimentos apocalípticos que abalarão não somente Israel, mas o mundo todo. Em outras palavras: ANTES DO RETORNO DE JESUS PARA ISRAEL, acontecerá o seguinte:

1 – UM GRANDE E FORTE VENTO – “E eis que o Senhor passou; e um grande e forte vento fendia os montes e despedaçava as penhas diante do Senhor, porém o Senhor não estava no vento;”

“... e as estrelas do céu caíram sobre a terra, como quando a figueira, sacudida por um vento forte, deixa cair os seus figos verdes.” (Apocalipse 6.13). Nos tempos finais, fortes tempestades irão abalar o mundo. Apocalipse 7.1 fala de quatro ventos destruidores (tornados?) que soprarão sobre toda a terra. Uma das conseqüências desse tipo de fenômeno são as tsunamis, que estão cada vez mais familiares em nossos dias. Exatamente como Jesus falou:

“... e sobre a terra haverá angústia das nações em perplexidade pelo bramido do mar e das ondas.” (Lucas 21.25).

2 – TERREMOTO – “E depois do vento um terremoto, porém o Senhor não estava no terremoto;”

Grandes terremotos estão na agenda de Deus para os tempos finais. O profeta Isaias diz que terra irá “cambalear como um bêbado e balançar como uma rede de dormir” (Isaias 24.19-20). Apocalipse 16, no derramar da última das 7 taças da ira de Deus, apresenta o maior terremoto da história.

3 - FOGO – “E depois do terremoto um fogo, porém o Senhor não estava no fogo;”
O último evento citado, o fogo, tem relação exata com a chegada de Jesus para salvar Israel. Lemos no profeta Joel aquilo que é realidade hoje em Israel, mas, por outro lado, é apenas uma sombra do que ainda virá.

“A ti clamo, ó Senhor; porque o fogo consumiu os pastos do deserto, e a chama abrasou todas as árvores do campo. Até os animais do campo suspiram por ti; porque as correntes d'água se secaram, e o fogo consumiu os pastos do deserto.” (Joel 1.19-20).

“E mostrarei prodígios no céu e na terra, sangue e fogo, e colunas de fumaça. O sol se converterá em trevas, e a lua em sangue, antes que venha o grande e terrível dia do Senhor.” (Joel 2.30-31)

Em quais circunstâncias O SENHOR salvará Israel?

“E a luz da lua será como a luz do sol, e a luz do sol sete vezes maior, como a luz de sete dias, no dia em que o Senhor atar a contusão do seu povo, e curar a chaga da sua ferida.” (Isaias 30.26).

Portanto, o Dia da Redenção de Israel será muito quente. Israel estará cercado por todas as nações, à beira da aniquilação. Mas O SENHOR virá na hora certa (Zacarias 14).

Certamente o recente incêndio em Israel (o maior na história recente do país) fez muita gente pensar nas profecias.

“... e ainda depois do fogo uma voz mansa e delicada.” (1 Reis 19.12).

Depois do FORTE VENTO, TERREMOTO E FOGO, O SENHOR se manifesta para Elias, por meio de uma voz mansa e suave. Às vezes podemos até pensar que Deus está na tempestade, terremoto ou fogo (e muitas vezes Ele realmente está). Porém, em muitas ocasiões Ele se manifesta somente depois da tempestade, na calmaria, no silêncio absoluto. Nas profecias, o mar agitado significa GUERRA (Isaias 57.20, Daniel 7.1,2), e as águas paradas (mar de vidro) representa a PAZ (Apocalipse 4.6).

UM INCÊNDIO COM MUITOS DETALHES PROFÉTICOS

Em Isaias 29, Deus alerta que visitará Jerusalém com:

“... trovões, e com terremotos, e grande ruído, como tufão, e tempestade, e labareda de fogo consumidor.” (Isaias 29.6).

Alguns detalhes chamam a atenção:

- O incêndio aconteceu justamente na região do Carmelo, o que nos leva imediatamente a pensar no profeta Elias, que esteve intimamente relacionado com esse monte. Exatamente Elias, conhecido como “o profeta do fogo”, e cuja experiência na caverna também envolveu fogo.

- 24 horas após o inicio do incêndio e todas as estatísticas divulgadas pela imprensa mundial falavam em “mais de 40 mortos” ou “42 mortos”.

As palavras “ISRAELI”, “FIRE” e "42 DEAD", respectivamente, ISRAEL, FOGO E 42 MORTOS, apareceram (no dia 06/12/2010) em 57.600 páginas no Google. Em português, as palavras ISRAEL, INCÊNDIO E 42 MORTOS aparecem juntas em 13.900 páginas no Google.
Mesmo que subam o número de vítimas, o número 42, relacionado a tragédia, já foi citado na imprensa de forma exaustiva. Por que estou dando tanto destaque a esse número?

Bem, os números 40 e 42 fazem parte do grupo dos números proféticos e estão relacionados a grandes eventos bíblicos, passados e futuros.

O número 40 está relacionado, na Bíblia, com provação ou teste divino.

- Em relação ao Dilúvio, choveu 40 dias e 40 noites (Gn 7.4,12 e 17).

- O povo de Israel passou 40 anos no deserto, conforme o número de 40 dias em que os enviados espiaram a terra (Nm 14.34).

- Quem era culpado de promover contenda recebia 40 açoites (Dt 25.3).

- Moisés passou 40 dias no monte falando com Deus, e em jejum (Êx 24.18).

- Também Elias e Jesus Cristo passaram 40 dias sem comer (1 Rs 19.8; Mt 4.2).

- A vida de Moisés teve três períodos de 40 anos (At 7.23,30 e36).
- Saul, Davi e Salomão reinaram 40 anos cada um.

- Nínive teve um prazo de 40 dias para se arrepender com a pregação de Jonas (Jn 3.4).

- Jesus, depois de ressuscitado, apresentou-se aos discípulos durante 40 dias (At 1.3).

Quanto ao número 42...

Está biblicamente relacionado com: CONFLITO, PERSEGUIÇÃO, TEMPO DE ESPERA ANTES DA BÊNÇÃO.

O número 42 é citado 8 vezes na Bíblia, quase sempre relacionado a coisas negativas, e uma dessas citações tem relação com o profeta Elias. Em 2 Reis 2.24, após o Arrebatamento de Elias, seu sucessor Eliseu, é ridicularizado por alguns jovens.
Eliseu amaldiçoou os irreverentes e, repentinamente, duas ursas surgiram dos bosques e mataram 42 daqueles jovens.

Após sair do Egito e antes de entrar em Canaã, o povo de Israel acampou 42 vezes, em 42 lugares diferentes.

Na verdade, a viagem do povo israelita até à Terra Prometida era para durar somente 11 dias, mas acabou durando 40 longos anos. Por quê?

Esses 42 estágios de Israel não foram acidentais, mas planejados. O povo teve que peregrinar 40 anos pelo grande deserto até chegar ao descanso na terra de Canaã. É claro que esses 40 anos não foram somente de sofrimentos. Houve muitos momentos de alegria e festas.

Todo esse sofrimento e lutas fazia parte do programa educativo de Deus, a fim de que o povo aprendesse algumas lições positivas. Não há aprendizagem sem disciplina. Isso é uma lei bíblica. Israel pode ter visto esses anos de provação como um fracasso, mas Deus via diferente. Ele mesmo revela em Deuteronômio 1.31: “Como também no deserto, onde vistes que o Senhor vosso Deus nele VOS LEVOU, COMO UM HOMEM LEVA A SEU FILHO, por todo o caminho que andastes”.

Deuteronômio 8.2-5: “E te lembrarás de todo o caminho pelo qual o Senhor teu Deus tem te conduzido durante estes quarenta anos no deserto, a fim de te humilhar e te provar, para saber o que estava no teu coração, se guardarias ou não os seus mandamentos. Sim, ele te humilhou, e te deixou ter fome, e te sustentou com o maná, que nem tu nem teus pais conhecíeis; para te dar a entender que o homem não vive só de pão, mas de tudo o que sai da boca do Senhor, disso vive o homem. Não se envelheceram as tuas vestes sobre ti, nem se inchou o teu pé, nestes quarenta anos. Saberás, pois, no teu coração que, como um homem corrige a seu filho, assim te corrige o Senhor teu Deus.”

As jornadas começaram após a Páscoa (que aconteceu no dia 14, do primeiro mês); 14 vezes no deserto o povo murmurou contra Deus. As primeiras 14 estações aconteceram antes do dia em que Deus ordenou que Israel perambulasse pelo deserto 40 anos, por causa da incredulidade deles, quando tiveram medo de entrar em Canaã (Números 13.26; Deuteronômio 1.46 e 2.1).

TEMPO DE ESPERA E LUTAS

- 42 estações até à Terra Prometida
- 42 gerações até a chegada do Messias (Mateus 1.º)
- 42 meses de tribulação até Jesus voltar (Apocalipse 13).

Atualmente, Israel está em tempo de espera. O Messias está chegando. Mas antes que Israel possa ouvir a VOZ MANSA E SUAVE do Salvador, enfrentará tempos de crises, VENTOS, TERREMOTOS E FOGO!

“E o Senhor brama de Sião, e de Jerusalém faz ouvir a sua voz; os céus e a terra tremem, mas o Senhor é o refúgio do seu povo, e a fortaleza dos filhos de Israel.” (Joel 3.16).

“Prepara-te, ó Israel, para te encontrares com o teu Deus.” (Amós 4.12)

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

O REINO QUE DURARÁ ETERNAMENTE


O significado profético da atual crise na Grécia ameaçando o equilíbrio da União Européia.

O rei Nabucodonosor teve, há 2.500 anos, um sonho misterioso, que perturbou todo o império babilônico (Daniel, capítulo 2). Ele viu uma grande estátua, com cabeça de ouro, peitos e braços de prata, quadris de bronze, pernas de ferro, e pés de ferro misturado com barro. Enquanto ele olhava, uma pedra caiu do céu, atingiu a estátua nos pés e a esmigalhou toda. Todos os sábios foram chamados, mas somente um (Daniel, um jovem israelita) conseguiu dar a interpretação do sonho (isso só foi possível porque O DEUS QUE ESTÁ NO CONTROLE DE TUDO revelou toda a verdade).

Conforme a interpretação do profeta Daniel, cada parte da estátua representaria um império mundial que viria, um após o outro, até o fim dos tempos, ou seja, até o tempo da implantação do Reino de Cristo na terra.

Esta é uma das profecias mais interessantes e impressionantes da Bíblia. A História mundial tem sido testemunha do fiel cumprimento dessa profecia. A grande estátua vista em sonhos pelo rei Nabucodonosor simboliza o “TEMPO DOS GENTIOS” (Lucas 21.24), ou seja, o tempo em que as nações irão dominar o mundo, pisar Jerusalém e subjugar os judeus até que O Messias retorne dos céus.

Desde o ano 587 a.C., Jerusalém tem sido pisada pelos Gentios. Em 1967, com a Guerra dos 6 Dias, Israel recuperou Jerusalém – digamos que 99%, pois o Monte do Templo, exatamente o local mais sagrado de Israel, continua ocupado com a Mesquita de Omar, e, conseqüentemente, sob o controle dos árabes. As profecias bíblicas deixam claro que o Templo será reconstruído. Para Israel ele só pode ser reconstruído no local do antigo, que atualmente é ocupado com a mesquita árabe. Quem vai resolver esse abacaxi?

Bem, o Tempo dos Gentios durará da cabeça da estátua (simbolizando Babilônia) até os dedos dos pés (representando o último império mundial a dominar o mundo).
Vejamos, em resumo, os 7 PERÍODOS MUNDIAIS revelados na estátua.

1.º TEMPO – CABEÇA DE OURO - O IMPÉRIO BABILÔNICO

No ano 606 a.C., Babilônia tornou-se uma potência mundial, dominando todas as nações do planeta. Nabucodonosor tornou-se um soberano temido no mundo inteiro. De acordo com Daniel a cabeça da estátua (que era de OURO), representava o IMPÉRIO BABILÔNICO. Nunca houve depois um outro império tão rico e cheio de esplendor.

2.º TEMPO – OS PEITOS E BRAÇOS DE PRATA - O IMPÉRIO MEDO-PERSA

No ano 539 a.C., dois reinos aliados (os Medos e os Persas) destruíram a rica Babilônia, e tornaram-se a nova potência mundial. O cumprimento da profecia foi (mais uma vez) perfeito! Veja só: dois reinos, encaixando-se perfeitamente com os dois braços de prata da estátua. O 2.º TEMPO DAS NAÇÕES ESTAVA CUMPRIDO!

3.º TEMPO – O VENTRE E QUADRIS DE BRONZE - O IMPÉRIO GREGO

No ano 333 a.C., um jovem guerreiro, Alexandre Magno, avançou para o Oriente conquistando reinos e nações numa rapidez assustadora. Destruiu o Império Medo-Persa e colocou a Grécia como a nova potência mundial. Começava o 3.º TEMPO DAS NAÇÕES. Isto foi simbolizado no ventre de bronze da estátua. A profecia continuava sendo cumprida fielmente.

4.º TEMPO – AS PERNAS DE FERRO - O IMPÉRIO ROMANO

Então, no ano 63. a.C. uma nova potência, cruel, forte, assustadora, passou a dominar o mundo. O Império Romano, simbolizado nas pernas de ferro da estátua. Foi justamente no reinado romano que nasceu Jesus, O Salvador do Mundo, e foi justamente Roma que crucificou o Filho de Deus. O profeta disse que esse 4.º império seria forte como ferro. Roma cumpriu o 4.º TEMPO DAS NAÇÕES. Mas a História Mundial ainda iria prosseguir.

5.º TEMPO – UM REINO DIVIDIDO

Como aconteceu o 5.º TEMPO DAS NAÇÕES? Daniel disse que o 4.º reino seria um REINO DIVIDIDO. O Império Romano foi simbolizado em duas pernas, certo? Pois esse simbolismo bíblico é perfeito! Roma foi fundada por dois irmãos (Rômulo e Remo), e mais tarde, no ano 395 depois de Cristo, uma terrível crise provocou a divisão do Império Romano em duas partes, bem documentada na História. Surgiu então o Império Romano do Oriente, com a capital Constantinopla, e o Império Romano do Ocidente, com a capital Roma. DOIS REINOS, DUAS PERNAS! Um fato bem comprovado pela História.

a) DIVISÃO POLITICA

Como as pernas são a parte mais longa do corpo (contando com as coxas), ESSA DIVISÃO ENTRE ORIENTE E OCIDENTE HAVERIA DE DURAR SÉCULOS. De acordo com o profeta, uma parte desse Império dividido se tornaria fraco como barro, embora a outra continuasse forte como ferro. No ano 476 d.C., o Império Romano Ocidental, não suportando as tremendas crises políticas e militares (principalmente as ocasionadas pelas invasões dos bárbaros), desabou (tornou-se barro, na linguagem profética), mas a outra perna continuou forte. No ano 1453, o Império Romano Oriental caiu (você já ouviu falar da famosa queda de Constantinopla?), e uma potência religiosa surgiu no Ocidente. Essa potência religiosa foi originada da crise que a Igreja de Cristo enfrentou na Idade Média, e os líderes cristãos elegeram um líder que fosse ao mesmo tempo um cabeça político e religioso do mundo, formando assim aquele que ficou conhecido como Sacro Império Romano Germânico, sob Carlos Magno, mas não durou muito.

b) DIVISÃO TAMBÉM RELIGIOSA

Então surgiu o império dos Papas, dominando os reis europeus e ditando as regras da História. A Igreja Cristã (que já estava bastante mundana, desde os tempos do imperador Constantino) tornou-se cada vez pior, deixando sua função exclusivamente espiritual, para assumir o poder político e econômico das nações. Essa foi a maior desgraça do Cristianismo.

Um pouco antes dessa época a Igreja Cristã passara a se chamar oficialmente de Igreja Católica Apostólica Romana, por ter a sede na cidade de Roma. De certa forma, o império romano continuava vivo (desta vez, somente no aspecto religioso). Mas a profecia falava de DUAS PERNAS, e, portanto, esse novo império religioso também teria que ser um reino dividido! A Igreja Romana dividiu-se em duas partes: A ocidental continuou com o mesmo nome, mas a Oriental passou a ser chamar Igreja Ortodoxa, uma divisão que existe até hoje. A Igreja Romana do Ocidente continuou forte (FERRO), mas a Ortodoxa sempre foi fraca (BARRO). Para o mundo só existe uma Igreja Católica (a do Ocidente). Quase ninguém fala da Ortodoxa.

c) UMA DIVISÃO MUITO LONGA

Como as pernas são a parte mais longa do corpo, esse reino dividido marcaria a face do mundo ainda durante muito tempo. A DIVISÃO POLITICA E RELIGIOSA PERSISTIU ATÉ O FINAL DO SÉCULO XX – Mesmo não existindo mais o Império do Oriente e o do Ocidente, o mundo continuou dividido, e essa divisão recebeu novo nome: Bloco Oriental (dominado pelo COMUNISMO e pela DITADURA), e bloco Ocidental (dominado pelo CAPITALISMO e pela DEMOCRACIA). A perna direita da estátua passou a ser dominada pelos Estados Unidos e pela democracia (o BARRO), e a perna esquerda tornou-se controlada pela União Soviética (Rússia e aliados) e pelo totalitarismo (duro como FERRO). A interpretação de Daniel era perfeita. Não por acaso, esse Bloco Oriental era conhecido como CORTINA DE FERRO. Você se lembra disso?

d) DUAS PERNAS – DOIS BLOCOS DE PODER

1 - O BLOCO DO OCIDENTE -

Quando o Império Romano se fragmentou, sua cultura já estava espalhada pelo mundo todo, e assim, quando caiu o Império do Ocidente (a perna direita da Estátua, olhando para um atlas moderno), sua estrutura migrou para a França, até que o imperador alemão Oto I venceu os francos em 962 e estabeleceu o Sacro Império Romano Germânico. Embora Carlos Magno seja considerado o primeiro Sacro Imperador Romano, coroado em 25 de Dezembro de 800, a linha contínua de imperadores começou apenas com Oto I, o Grande, em 962.

Então os imperadores da Alemanha passaram a ser chamados KAISER (palavra alemã para CÉSAR). Mais tarde o Ocidente seria liderado pelos Estados Unidos, e onde havia o antigo Império Romano Ocidental passou a se existir o chamado BLOCO OCIDENTAL (Europa e América do Norte).

2 - O BLOCO DO ORIENTE

Com a queda de Constantinopla em 1453 (perna esquerda da Estátua), os governantes romanos fugiram para a Rússia. Penetraram no governo local e logo introduziram ali o estilo de governo romano. Os novos líderes russos passaram a ser chamar CZAR (palavra russa para CÉSAR). Mais tarde a Rússia tornou-se comunista, e o Império Romano do Oriente tornou-se o chamado BLOCO ORIENTAL.

e) CONFLITO ENTRE AS DUAS PERNAS

Durante quase todo o século XX houve conflitos e disputas entre os dois blocos de poder. As guerras na Coreia, Vietnã, Camboja, Afeganistão e outras, eram, na verdade, disputas entre os dois blocos de poder, Estados Unidos e Rússia. Nos conflitos no Oriente Médio, O Bloco do Ocidente geralmente apoiava Israel, enquanto que Bloco Oriental (comunista) ficava do lado dos árabes.

Dois reinos em conflito: Quem chegará primeiro ao espaço: americanos ou russos?
Quem primeiro pisará na lua? Quem construirá a primeira bomba atômica? Quem possui mais ogivas nucleares, mais mísseis intercontinentais? Quem possui os melhores cientistas? Quem vai dominar o mundo?

Mas a profecia apontava para uma mistura bem no final do Tempo dos Gentios.

6.º TEMPO – OS PÉS E DEDOS DE FERRO MISTURADO COM BARRO - O ÚLTIMO IMPÉRIO MUNDIAL HUMANO

1) O TEMPO DA MISTURA CHEGOU!

A UNIÃO FAZ A FORÇA - Conforme estava predito, um dia o ferro se misturaria com o barro. Em outras palavras: HAVERIA UMA MISTURA CONTRÁRIA A NATUREZA. Em nossa época (a partir dos anos 90), o ferro da economia socialista-comunista enfraqueceu (tornou-se barro) e a economia norte-americana e européia tornou-se forte (tornou-se ferro). Atualmente está havendo uma fusão de blocos políticos e econômicos no mundo todo, e as fronteiras entre Oriente e Ocidente não existem mais. Países fracos (BARRO) e fortes (FERRO) estão firmando aliança. Rússia (Perna Esquerda) e Estados Unidos (Perna Direita) fazem conferências e firmam acordos políticos e econômicos. Estamos nos aproximando do clímax da história mundial.

Quem diria que um dia americanos e russos fossem se sentar na mesma mesma? Quem diria que um dia Rússia e Estados Unidos fossem concordar em alguma coisa? Mas atualmente, em nome da globalização e da Nova Ordem Mundial, os grandes líderes do Oriente e do Ocidente estão pensando a mesma coisa. E com isso chegamos àquele ponto da profecia, conforme citado em Apocalipse 17.12-13:

"Os dez chifres que viste são dez reis, os quais ainda não receberam o reino, mas receberão autoridade, como reis, por uma hora, juntamente com a besta. Estes têm um mesmo intento, e entregarão o seu poder e autoridade à besta."

Vejam bem: Os 10 chifres da Besta (correspondentes aos 10 dedos da Estátua) são 10 reis que, no final dos tempos, terão UM MESMO INTENTO e entregarão seu poder e autoridade à Besta (o Anticristo). Parece que estamos chegando lá.

2) MISTURA TAMBÉM NO MUNDO RELIGIOSO

O falecido Papa João Paulo II viajou muito procurando reconciliar entre si tanto os líderes políticos quanto os religiosos. Por meio dele houve a aproximação entre a Igreja Romana do Ocidente com a do Oriente (Ortodoxa), e por meio dele houve a aproximação dos países antagônicos (Rússia e Estados Unidos, etc.). Atualmente, o Movimento Ecumênico (grandemente apoiado pelo Vaticano) tem aproximado diferentes religiões, com o fim de formar uma Religião Única Mundial. Na ONU já se fala da Organização das Religiões Unidas.

Nunca se viajou tanto de um continente para outro. Através dos meios de comunicação cada vez mais avançados (Internet, por exemplo), e maior facilidade de se viajar de um lugar para outro, com rapidez, segurança e conforto, os povos do Oriente tem se integrado cada vez mais com os do Ocidente. Antigamente o Oriente ficava no fim do mundo, hoje é nosso vizinho mais próximo.

3) PODEM ATÉ SE MISTURAR, MAS JAMAIS IRÃO SE LIGAR!

O profeta Daniel foi claro: "Quanto ao que viste do ferro misturado com barro de lodo, misturar-se-ão pelo casamento; mas não se ligarão um ao outro, assim como o ferro não se mistura com o barro." (Daniel 2.43).

"NÃO SE LIGARÃO UM AO OUTRO". Experimente misturar ferro com barro. Jogue muito barro sobre uma barra de ferro e depois bata com um martelo. A barra de ferro ficará limpa. Podem se misturar, mas não se ligar. A profecia deixa claro que, apesar das tentativas de se querer implantar um novo império que domine o mundo todo, ISSO NUNCA MAIS IRÁ ACONTECER! Ou seja, após o Império Romano, só existe um reino que dominará o mundo todo: O REINO DE CRISTO!

É contra a natureza misturar ferro e barro (disse o profeta Daniel), da mesma forma que é contra a natureza unir Islamismo e Cristianismo (ambos têm livros sagrados diferentes, adoram deuses diferentes e têm visões espirituais diferentes). É contra a natureza unir Cristianismo e Budismo (os Budistas nem mesmo crêem em um deus). Mas quem pode negar que essa TENTATIVA FRUSTRADA DE MISTURA TEM ACONTECIDO HOJE COM UMA FREQUÊNCIA CADA VEZ MAIOR?

4) E A UNIÃO EUROPÉIA?

Após descrever a seqüência dos impérios mundiais (Babilônia, Media-Pérsia, Grécia e Roma), o profeta Daniel declara que o mundo ficaria dividido em dois reinos até o final dos tempos. Quando chegasse o fim dos dias, os dois reinos tentariam se unir, formando uma organização de 10 reinos ou 10 blocos de poder. Mas essa união (ainda que breve) seria um fracasso. Então, nos dias desses reis, O DEUS DOS CÉUS LEVANTARÁ UM REINO QUE NÃO SERÁ JAMAIS DESTRUIDO – O REINO DE CRISTO!

Exatamente em nosso tempo, na mesma época em que os judeus voltaram para sua antiga pátria (cumprindo centenas de profecias), foram dados os primeiros passos para a “Restauração do Império Romano”, ou seja, a EUROPA TORNANDO-SE NOVAMENTE UM IMPÉRIO MUNDIAL (com duração menor que 7 anos, segundo as profecias).
Mas algo está impedindo (ou retardando) o restabelecimento desse império.
Acredito que, enquanto o Anticristo não assumir o poder mundial, a Europa não pode consumar sua unificação.

Os 10 chifres da Besta (que sairão da mesma área do antigo Império Romano, segundo Daniel 7.24), VÃO RECEBER AUTORIDADE COMO REIS APENAS POR UMA HORA (Apocalipse 17.12). Não sei quanto tempo esta “UMA HORA” significa, mas tudo indica que é pouco tempo (pelo menos, 7 anos).

Mas eles só vão receber autoridade como reis “JUNTAMENTE COM A BESTA” (Apocalipse 17.12). Portanto, enquanto a Besta não chega, toda tentativa de se implantar um império mundial fracassará.

5) "NÃO SE LIGARÃO, POIS O FERRO NÃO SE MISTURA COM O BARRO"

Após a divisão e queda do Império Romano, muitos líderes tentaram ressuscitá-lo. De Carlos Magno, passando por Napoleão Bonaparte, chegando em Hítler (que desejava reunificar a Europa e dizia que seu reino duraria mil anos). Mas é impossível que haja um novo império mundial, capaz de dominar o mundo inteiro, tal como Babilônia, Pérsia, Grécia e Roma. O Anticristo vai tentar fazer isso, mas (apesar de lograr êxito no inicio), vai fracassar de forma vergonhosa e catastrófica.

Enquanto o Anticristo não aparecer, a União Européia não conseguirá resolver seus conflitos internos. No passado, o Império Romano (pernas de ferro da Estátua) não surgiu enquanto o Grego não saiu de cena (ventre de Bronze).

Justamente a Grécia, em nosso dias, está impedindo a consolidação do “Novo Império Romano”. É só olharmos as manchetes desta semana (1.ª semana de novembro de 2010).

6) MAS EM BREVE, OS 10 DEDOS (ORIENTE E OCIDENTE) GOVERNARÃO O MUNDO!

Os 10 dedos da estátua formarão um novo reino, com um só propósito (conforme fala Apocalipse, capítulos 13 e 17, os 10 chifres da Besta), mas esse reino será um fracasso. Será a última tentativa do homem de fazer a coisa certa, antes do Reino de Deus ser implantado na terra. Essa mistura fracassada de ferro e barro (Oriente e Ocidente) já está acontecendo em nossos dias, como provamos anteriormente. Basta prestar atenção ao noticiário. Líderes mundiais viajam de um lugar para outro, todos falam em Globalização. Em que ponto da estátua nos encontramos atualmente?

JUSTAMENTE NOS PÉS (TENTATIVAS DE MISTURAS)! Repito: Nossa época é a época dos PÉS da Estátua! LOGO CHEGAREMOS AOS TEMPOS DOS DEDOS (A UNIÃO CONSOLIDADA ENTRE ORIENTE E OCIDENTE, LIDERADA PELO ANTICRISTO). Então, exatamente nesse tempo, vai acontecer o inimaginável!

7) O REINO DOS PÉS

De onde saiu o Império Romano? De Roma, da Itália, todos sabem disso. Olhem para o mapa da Itália. Não precisamos forçar a imaginação para vermos O FORMATO DE UM PÉ (OU UMA GRANDE BOTA). Muitas vezes, quando alguém se refere à Itália costuma usar a expressão "BOTA ITALIANA". Seria apenas por acaso que os povos que foram simbolizados nas profecias como PERNAS E PÉS de uma estátua, vieram de um país cujo mapa tem a forma de uma perna e pé?

7.º TEMPO – A PEDRA DO CÉU - O ESTABELECIMENTO DO REINO DE DEUS!

Lembram-se que Nabucodonosor viu, em seu sonho, uma Pedra vindo do céu e atingindo a Estátua nos pés? O que ela representa? O Reino de Deus, através de Jesus Cristo, que será implantado em breve, cuja capital será Jerusalém. Em várias partes da Bíblia Jesus é comparado a uma rocha, uma pedra para edificação e proteção do seu povo, mas também para destruição dos seus inimigos.

“A PEDRA QUE OS CONSTRUTORES REJEITARAM, ESSA VEIO A SER A PRINCIPAL PEDRA ANGULAR...TODO O QUE CAIR SOBRE ESTA PEDRA FICARÁ EM PEDAÇOS; E AQUELE SOBRE QUEM ELA CAIR FICARÁ REDUZIDO A PÓ” – Mt 21.42,44.

“Seja conhecido de vós todos, e de todo o povo de Israel, que em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, aquele a quem vós crucificastes e a quem Deus ressuscitou dentre os mortos, nesse nome está este aqui, são diante de vós. Ele é a pedra que foi rejeitada por vós, os edificadores, a qual foi posta como pedra angular. E em nenhum outro há salvação; porque debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, em que devamos ser salvos.” (Atos 4.10-12)

O rei Nabucodonosor viu Essa Pedra em seu sonho. A Pedra caia do céu, atingia a grande estátua nos pés e transformava tudo em pó. Isto representa a Segunda Vinda de Cristo para estabelecer o Seu Reino na terra, após julgar e destruir seus inimigos. Chocante, não é? Mas há uma pergunta que é importantíssima para nós hoje:

a) QUANDO, AFINAL, ESSA PEDRA CAIRÁ DO CÉU?

Daniel responde com grande clareza:

“Mas, NOS DIAS DESSES REIS, o Deus do céu suscitará um reino que não será jamais destruído; nem passará a soberania deste reino a outro povo; mas esmiuçará e consumirá todos esses reinos, e subsistirá para sempre”. (Daniel 2.44).
Quando mesmo? NOS DIAS DESSES REIS. Isto é, na época da unificação desse reino dividido, no tempo de formação desse último império, em outras palavras: EM NOSSA PRÓPRIA ÉPOCA!!! O NOSSO TEMPO É A FORMAÇÃO DO REINO DOS DEDOS DA ESTÁTUA. ISTO JÁ ESTÁ ACONTECENDO. AGORA SÓ FALTA A PEDRA!

b) "NOS DIAS DESSES REIS..."

Não na época de Babilônia, Pérsia, Grécia, Roma, divisão do Império Romano, mas, nos dias das tentativas de unificação, NOS DIAS DESSES REIS (10 DEDOS).

Atualmente, há dois grupos de pessoas na terra, diante dessa profecia: aquele que faz parte da Estátua e do mundo dela e aquele que faz parte da Pedra. Como assim?

01 – O GRUPO DA ESTÁTUA – É frio e sem vida (tal qual ela), e é também decadente (a estátua começou com a cabeça de ouro, mas terminou em pés de barro). A profecia diz que os “homens maus e impostores irão de mal a pior, enganando e sendo enganados”. (2 Tm 3.13). Você faz parte deste grupo?

02 – O GRUPO DA PEDRA – Pedro escreveu: “Se é que já provastes que o Senhor é bom; e, chegando-vos para ele, pedra viva, rejeitada, na verdade, pelos homens, mas, para com Deus eleita e preciosa, vós também, quais pedras vivas, sois edificados como casa espiritual para serdes sacerdócio santo, a fim de oferecerdes sacrifícios espirituais, aceitáveis a Deus por Jesus Cristo.Por isso, na Escritura se diz: Eis que ponho em Sião uma principal pedra angular, eleita e preciosa; e quem nela crer não será confundido.” (I Pedro 2.3-6). Você faz parte deste grupo?

A profecia de Daniel afirma: “Então foi juntamente esmiuçado o ferro, o barro, o bronze, a prata e o ouro, os quais se fizeram como a pragana das eiras no estio, e o vento os levou, e não se podia achar nenhum vestígio deles; a pedra, porém, que feriu a estátua se tornou uma grande montanha, e encheu toda a terra. (Daniel 2.35).” Os reinos do mundo (e todos os seus súditos) serão destruídos e soprados para muito longe, porém o reino da Pedra (e seus súditos) encherão a terra e reinarão para sempre.

Você já fez a sua escolha?

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

OS 7 CÍRCULOS DAS PROFECIAS EM CUMPRIMENTO



Existem, pelos menos, 7 áreas onde a profecia bíblica está se cumprindo, e que podemos comprovar diariamente no noticiário. Não é possível comentarmos cada tópico num espaço tão pequeno, por isso apenas citaremos os eventos bíblicos proféticos com as respectivas referências bíblicas. Cada tema citado já foi estudado detalhadamente nos muitos artigos e slides publicados no site do Arquivo7 (www.arquivosete.webs.com) e neste blog.

01 – ÁREA AMBIENTAL - O homem acabando com o planeta – Apocalipse 11.18; Isaias 24.4-6; Oséias 4.1-3.
a) Terremotos – Lucas 21.11; Isaías 24.19-20
b) Tempestades, Tsunamis – Lucas 21.25-26
c) Buraco na Camada de Ozônio, Calor Abrasador – Apocalipse 16.8-9; Isaías 30.26
d) Fome – Lucas 21.11; Apocalipse 6.8
e) Pestes – Lucas 21.11; Apocalipse 6.8; 16.2
f) Escassez de água potável – Joel 1.20; Apocalipse 11.6; 16.6
g) Extinção dos animais – Oséias 4.1-3.

02 – ÁREA TECNOLÓGICA
a) Comunicações – Mateus 24.14; Apocalipse 14.6,7; Apocalipse 11.10-12; Eclesiastes 10.20; Salmos 147.15
b) A marca da Besta – Tecnologia do Controle Total - Apocalipse 13.16,17
c) A imagem da Besta – Tecnologia da robótica, imagem virtual, holográfica, etc. - Apocalipse 13.15
d) Armas de destruição em massa – Mateus 24.21,22; Zacarias 14.12; Apocalipse 9.13-18; 13.13; 2 Pedro 3.10
e) Armas nucleares no Oriente Médio – Zacarias 14.12; Apocalipse 9.13-18
f) Fissão Nuclear – o homem descobre os segredos dos átomos – 2 Pedro 3.10
g) O tempo de guerrear a partir das nuvens chegou! – Ezequiel 38.9,16,19,20; Isaias 34.4-5; Joel 2.30-31; Apocalipse 16.17,18.

03 – ÁREA MORAL
a) Escalada da Violência – Mateus 24.37; Gênesis 6.11; Oséias 4.1-3
b) Vida humana valendo nada – Gênesis 4.23; Mateus 24.37; Oséias 4.1-3.
c) Exaltação do Homossexualismo – Lucas 17.28,30; Gênesis 13.13; Romanos 1.24-28
d) Desprezo pelo Casamento - 1 Timóteo 4.1-3
e) Prostituição – Apocalipse 9.21
f) Juventude rebelde – 1 Timóteo 3.1-2; Mateus 10.21
g) “Não me arrependo de nada na vida” – Apocalipse 9.20-21; 16.9,11.

04 – ÁREA POLÍTICA
a) Unidade global, Globalização – Apocalipse 17.13
b) Luta pela paz – 1 Tessalonicenses 5.3
c) Restauração do Império Romano – Apocalipse 13 e 17; Daniel 2 e 7
d) Preparando o palco para os 10 blocos de poder – Apocalipse 13 e 17
e) Clamor mundial por um homem forte – Apocalipse 13
f) Decadência e Corrupção desenfreada – Daniel 2 – ouro, prata, bronze, ferro, barro.
g) Flerte da Política com a Religião – Apocalipse 13.

05 – ÁREA ASTRONÔMICA
a) A ameaça dos asteróides e meteoros – Apocalipse 8.8; 6.13
b) Sinais no sol – Lucas 21.25
c) Sinais na lua – Lucas 21.25
d) Sinais nas estrelas – Guerra nas estrelas - Lucas 21.25; Isaias 34.4-5; Joel 2.30-31
e) Abalos nos poderes dos céus – Lucas 21.25-26; Apocalipse 6.13-14; Joel 2.30-31
f) Exploração Espacial – Fuga para as estrelas - Amós 9.2; Obadias 4; Lucas 21.11
g) O Fenômeno OVNI – Lucas 21.11; 2 Tessalonicenses 2.

06 – ÁREA RELIGIOSA
a) Unidade religiosa – Apocalipse 17
b) Avivamento da doutrina babilônica – Apocalipse 17
c) Apostasia e Rejeição às Doutrinas Fundamentais do Cristianismo – 1 Timóteo 4.1; 2 Timóteo 4.3-4
d) Falsos Cristos e Falsos Profetas– Mateus 24.4-5, 23-24
e) Falsos Milagres – 2 Tessalonicenses 2.9-10; Apocalipse 13.13
f) Fascínio pelos demônios, Satanismo – 1 Timóteo 4.1; Apocalipse 13.4; 9.20
g) Pregação Mundial do Evangelho – Mateus 24.14

07 – ORIENTE MÉDIO
a) Restauração e fortalecimento de Israel, depois de “dois dias” – Ezequiel 37; Oséias 6.1-3
b) Jerusalém, cálice de tontear e pedra pesada – Zacarias 12 e 14
c) A crise crescente – Isaias 29; Jeremias 30
d) Os conflitos no Iraque – Jeremias 50 e 51; Isaias 13; Apocalipse 9.13-18
e) A aliança árabe-islâmica contra Israel – Salmo 83; Ezequiel 38 e 39
f) A ameaça iraniana – Ezequiel 38
g) Falsa paz e terrorismo – Jeremias 8.11,15

É só folhearmos (ou assistirmos) o jornal do dia e - querendo ou não - seremos levados a nos lembrar das profecias bíblicas.

"Portanto dize-lhes: Assim diz o Senhor Deus: Não será mais adiada nenhuma das minhas palavras, mas a palavra que falei se cumprirá, diz o Senhor Deus."
(Ezequiel 12.28)

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

OS 7 DESENHOS PROFÉTICOS DO QUEBRA-CABEÇA DOS TEMPOS FINAIS


O ex-presidente de Israel Chaim Herzog disse uma vez: “A Bíblia apresenta uma proporção de forças em uma dada situação política no final dos tempos, a qual, se lida no contexto de hoje, começa realmente a parecer familiar.”

Os 20 séculos da Era Cristã testemunharam o surgimento de muitos movimentos afirmando que o fim do mundo estava próximo (alguns até ousaram marcar a data exata), criando expectativas e frustrações. O que levava certos líderes ou movimentos a criar tais expectativas? Alguns eventos políticos (ou cósmicos) que pareciam possuir uma relação com as profecias bíblicas.

O que essas pessoas ignoravam (e muitos continuam ignorando) é que não são apenas um, dois ou sete indícios que evidenciam a chegada do “fim dos dias”, mas O PACOTE COMPLETO de todos os sinais ocorrendo AO MESMO TEMPO.

Por exemplo: Quando aconteceu o grande terremoto em Lisboa, no ano de 1755, o impacto na vida das pessoas foi tão grande que quase todos ficaram convictos de que O RETORNO DE CRISTO estava às portas.

Mas quase todos ignoravam que Cristo só poderia retornar quando as profecias estivessem se cumprindo no seu PACOTE COMPLETO. Por mais que alguém forçasse ou espiritualizasse certas passagens bíblicas, muitas coisas não faziam o menor sentido.

As profecias bíblicas falam com clareza sobre uma época da Humanidade conhecida como “FIM DOS DIAS”. Uma série de acontecimentos terá que ocorrer dentro desse período AO MESMO TEMPO. Podemos comparar isso a um grande quebra-cabeças, constituído por 7 desenhos especiais. Cada desenho é formado por várias peças que precisam se encaixar de forma perfeita a fim de que o desenho seja completamente visualizado.

Se deixarmos os detalhes de lado e olharmos para as profecias bíblicas, sem ideias preconcebidas, veremos de forma límpida:

01 – A RESTAURAÇÃO DE ISRAEL – O povo judeu tem que estar novamente em sua terra antes que Cristo volte.

Todos os profetas (de Moisés a Malaquias) falam que o povo de Israel será expulso de sua terra e para ela voltará antes do Retorno do Messias. Veja, por exemplo, os capítulos 36 e 37 de Ezequiel.

- O DESENHO PROFÉTICO ESTÁ PRESTES A SER CONCLUÍDO – Pois em 14 de maio de 1948 aconteceu a Independência do novo Estado de Israel e os judeus retornaram de mais de 120 países.

02 – JERUSALÉM, A PEDRA PESADA – Jerusalém tem que se tornar um problema mundial, alvo da atenção de todas as nações. E tem que estar novamente nas mãos dos judeus.

Zacarias, capítulos 12 e 14, mostra que todas as nações do mundo tentarão destruir Jerusalém – mas serão gravemente feridos por ela.

- O DESENHO PROFÉTICO ESTÁ PRESTES A SER CONCLUÍDO – Pois é fato que a Organização das Nações Unidas tem gastado mais tempo e mais reuniões com Jerusalém do que com qualquer outra cidade do mundo.

03 – A ALIANÇA ÁRABE – Os árabes, divididos durante séculos, precisam estar em comum acordo na luta contra um inimigo comum – Israel.

O salmo 83 mostra uma incomum aliança entre todas as tribos árabes tendo como único objetivo “APAGAR ISRAEL DO MAPA”. Quando falam das grandes guerras que Israel terá que travar ao retornar à sua pátria, os profetas sempre citam nações árabes, e povos ao redor de Israel, como os primeiros a empunhar as armas contra o “inimigo sionista”. Basta uma olhada superficial em Joel 3, Zacarias 12, 14, Ezequiel 38 e 39, etc.

- O DESENHO PROFÉTICO ESTÁ PRESTES A SER CONCLUÍDO – Pois desde o renascimento de Israel em 1948, muitas nações árabes se uniram no firme propósito de acabarem com o inimigo judeu. Nos anos 40 a 70 o Egito liderou essa aliança e sofreu pesadas derrotas (como o profeta Isaias descreveu no capítulo 19). Atualmente, com o crescimento da religião islâmica, a coisa tem ficado cada vez pior para Israel. O atual governo do Irã não esconde sua enorme vontade de “varrer Israel do mapa”, e é interessante que, na lista dos primeiros países a avançarem contra Israel no FIM DOS DIAS, o profeta Ezequiel cita exatamente A PÉRSIA (nome antigo do Irã – veja Ezequiel 38.5).

04 – A NOVA ORDEM MUNDIAL – As nações do Oriente e Ocidente precisam formar uma aliança mundial, ter o mesmo pensamento e clamar por um líder mundial.

A Bíblia fala de um império mundial nos tempos finais, formado por reis que terão “UM SÓ PENSAMENTO” (Apocalipse 17.13), e entregarão seu poder e autoridade a um líder mundial, chamado “A BESTA” (Apocalipse 13 e 17). Esse império mundial é revelado em Apocalipse 18 como um grande império econômico global.

- O DESENHO PROFÉTICO ESTÁ PRESTES A SER CONCLUÍDO – Pois, nunca antes na história da Humanidade, o mundo esteve tão envolvido com o “PROJETO GLOBALIZAÇÃO”, objetivando unir países, economia e poderio militar. Há alguns anos existia o G7 (grupo dos 7 países mais ricos do mundo), que depois se tornou G8, etc.
A tendência atual é unir o mundo, começando por pequenos e grandes blocos econômicos. Atualmente (além da União Européia, MERCOSUL, BRIC, etc.,) temos:

- O G10 – Fundado em 1964, reúne (atualmente) representantes de 11 economias desenvolvidas.

- O G15 – Criado em 1989, é composto dos países da América do Norte, América do Sul, África e Ásia, com um objetivo em comum, o crescimento e a prosperidade. Atualmente contém 18 membros.

- O G20 – É um grupo formado pelos ministros de finanças e chefes dos bancos centrais das 19 maiores economias do mundo mais a União Européia. Foi criado em 1999, após as sucessivas crises financeiras da década de 1990.

05 – OPERAÇÃO: DESTRUIR O PLANETA – Tem que existir uma ameaça real de destruição total do planeta, criando “expectativa de terror” entre as nações. A vida humana precisa estar por um fio, deixando claro que só haverá esperança se a salvação vier de FORA.

Alguns capítulos de Apocalipse (6, 8, 9, 16) mostram uma destruição global tão acelerada que só não exterminará a humanidade porque haverá uma INTERVENÇÃO DOS CÉUS NO TEMPO EXATO!

- O DESENHO PROFÉTICO ESTÁ PRESTES A SER CONCLUÍDO – Pois atualmente todos temem essa destruição global. Todos: cientistas, religiosos, ateus. Além dos fatores relacionados à natureza revoltada (terremotos, tufões, tsunamis), temos ainda o problema nuclear. Todas as armas nucleares existentes na terra são suficientes para destruir mais de 40 planetas iguais ao nosso.

E lembre-se: 100 anos atrás não existiam armas nucleares! 100 anos atrás era impossível entendermos certas profecias bíblicas que falam de destruição global por meio de fogo, fumaça e enxofre (Apocalipse 9.13-18). O DESENHO ESTÁ CADA VEZ MAIS CLARO!!!

06 – MORALIDADE COMO NOS TEMPOS DE NOÉ E LÓ – A situação moral da humanidade tem que estar no mesmo nível da época de Noé (terra cheia de corrupção e violência – Gênesis 6), e da época de Ló em Sodoma (quando especialmente o homossexualismo era exaltado e servia como padrão da sociedade – Gênesis 19).

- O DESENHO PROFÉTICO ESTÁ PRESTES A SER CONCLUÍDO – Pois basta uma olhada superficial em nosso mundo para vermos todos os dias todos os elementos imorais presentes (em toda sua plenitude) nos tempos de Noé e Ló. Por exemplo: alguém lembra de alguma época em que o clamor pelos direitos dos homossexuais foi tão freqüente e escancarado como hoje?

07 – OPERAÇÃO BABILÔNIA – As crenças pagãs da antiga Babilônia tem que estar novamente na moda, ao mesmo tempo em que o mundo ansiará pela união de todas as religiões e as doutrinas cristãs serão desprezadas.

As profecias mostram que a religião do “fim dos dias” será uma mistura de paganismo, demonismo e idolatria (os mesmos elementos da antiga religião babilônica). Em Apocalipse 17, a religião dos tempos finais é simbolizada por uma Prostituta montada numa fera. Essa mulher é chamada “BABILÔNIA, A GRANDE”.

Existem outras dezenas de profecias mostrando que o Cristianismo do fim dos dias será marcado pelo afastamento dos princípios bíblicos, e que as pessoas vão preferir acreditar em fábulas do que na verdade (veja 1 Timóteo 4.1-3, e 2 Timóteo 4.1-4, só para citar dois exemplos).

- O DESENHO PROFÉTICO ESTÁ PRESTES A SER CONCLUÍDO – Pois em nossos dias está avançando tanto a busca da humanidade por experiências espirituais anticristãs (contato com os mortos, reencarnação, espiritismo, etc.), como a decadência do Cristianismo, com igrejas cheias de escândalos financeiros, rituais bizarros, analfabetismo bíblico, desprezo às doutrinas fundamentais do Cristianismo, etc.

Se compararmos a situação atual do planeta terra com as profecias bíblicas, a coisa é realmente muito familiar, como disse o ex-presidente de Israel, citado no inicio deste texto.

Qualquer pessoa, com um pingo de inteligência e sem ideias preconcebidas, ao dar uma olhada nas profecias bíblicas – ainda que superficialmente – irá visualizar esses 7 “desenhos proféticos”.

E qualquer pessoa, ainda que analfabeta, ao dar uma superficial olhada no noticiário e em seu mundo ao redor, perceberá os traços dos “7 desenhos proféticos”.
Conseqüentemente, se existe uma ÉPOCA PROPÍCIA para o cumprimento daquilo que a Bíblia chama de “FIM DOS DIAS”, o nosso tempo é um ótimo candidato.

“E haverá sinais no sol, na lua e nas estrelas; e sobre a terra haverá angústia das nações em perplexidade pelo bramido do mar e das ondas. Os homens desfalecerão de terror, e pela expectação das coisas que sobrevirão ao mundo; porquanto os poderes do céu serão abalados. Então verão vir o Filho do homem em uma nuvem, com poder e grande glória. Ora, quando essas coisas começarem a acontecer, exultai e levantai as vossas cabeças, porque a vossa redenção se aproxima.” (Palavras de Jesus em Lucas 21.25-28).

sábado, 11 de setembro de 2010

É VERDADE QUE O PROFETA DANIEL VIU A DESTRUIÇÃO DAS TORRES GÊMEAS?


NOSTRADAMUS, O PROFETA ENGANADOR E ENGANADO

Logo que o mundo foi surpreendido pelos ataques terroristas, alguns “especialistas” espalharam pela Internet e os outros meios de comunicação uma profecia atribuída ao famoso profeta francês Nostradamus. Dizia assim: “NA CIDADE DE DEUS HAVERÁ UM GRANDE ESTRONDO / DOIS IRMÃOS SERÃO ESTRAÇALHADOS PELO CAOS / ENQUANTO A FORTALEZA SOFRER, O GRANDE LÍDER SUCUMBIRÁ / A TERCEIRA GRANDE GUERRA COMEÇARÁ QUANDO A GRANDE CIDADE QUEIMAR”.

Na verdade, nem Nostradamus escreveu essa pretensa profecia. Foi tudo uma brincadeira inventada por algum maluco desocupado. O link seguinte esclarece bem isso: http://epoca.globo.com/edic/20010924/especial11a.htm, 11/09/2010).

Os sites de Nostradamus continuam campeões de "audiência". Sempre que ocorre uma reviravolta mundial, as pessoas correm para as profecias do vidente francês. Poucas consultam a Bíblia (a única fonte de confiança). Por que? Porque a Palavra de Deus revela o estado decadente do coração humano e exige dele uma escolha. Ela mostra que tudo de ruim que acontece no mundo é causado pelo pecado, a rebelião do homem contra Deus. Já os escritos de Nostradamus não falam de nenhum compromisso moral que a humanidade precisa assumir para escapar da destruição iminente. É fácil entender porque eles são mais procurados do que a Bíblia.

Porém, o ponto mais importante é: Todos os profetas da Bíblia falaram da SEGUNDA VINDA DE JESUS CRISTO! Todas as profecias apontam para esse evento, que será O MAIOR ACONTECIMENTO DO FUTURO. Mas, estranhamente, Nostradamus se cala a respeito desse tema tão importante. No futuro descrito por Nostradamus há somente destruição e miséria (claro, ele fala de uma ERA DOURADA no final da história do homem, mas logo depois O MUNDO SE ACABA). No futuro revelado na Bíblia há esperança para aqueles que aguardam a vinda de Jesus. Com certeza as duas fontes não podem estar certas ao mesmo tempo. Qual delas você escolhe?

UMA INTERPRETAÇÃO APRESSADA E EQUIVOCADA

Logo que as torres caíram, muitas pessoas correram a procurar se havia na Bíblia alguma profecia sobre os atentados, mas ignoraram – pelo menos - três coisas:

01 – As profecias bíblicas foram escritas não para matar a curiosidade humana, mas para mostrar o cumprimento do Plano de Salvação elaborado por Deus antes da fundação do mundo;

02 – As profecias bíblicas não se preocupam simplesmente em descrever os acontecimentos futuros, mas procuram, principalmente, mostrar a razão deles acontecerem. Elas mostram os bastidores da crise mundial e não somente a crise.

03 – As profecias bíblicas só existem porque Deus está interessado na salvação da humanidade, e o futuro revelado mostra o que acontecerá com os que aceitaram essa salvação e aqueles que a rejeitaram.

Apesar disso, alguém passou a espalhar pelos meios de comunicação que no capítulo 8 do profeta Daniel estava descrito aquilo que tinha acontecido no dia 11 de Setembro de 2001 nos Estados Unidos da América. Será verdade?

Vamos examinar essa profecia.

“Daniel 8
3 - LEVANTEI OS OLHOS, E OLHEI, E EIS QUE ESTAVA EM PÉ DIANTE DO RIO UM CARNEIRO, QUE TINHA DOIS CHIFRES; E OS DOIS CHIFRES ERAM ALTOS; MAS UM ERA MAIS ALTO DO QUE O OUTRO, E O MAIS ALTO SUBIU POR ÚLTIMO.

4 - VI QUE O CARNEIRO DAVA MARRADAS PARA O OCIDENTE, E PARA O NORTE E PARA O SUL; E NENHUM DOS ANIMAIS LHE PODIA RESISTIR, NEM HAVIA QUEM PUDESSE LIVRAR-SE DO SEU PODER; ELE, PORÉM, FAZIA CONFORME A SUA VONTADE, E SE ENGRANDECIA.

5 - E, ESTANDO EU CONSIDERANDO, EIS QUE UM BODE VINHA DO OCIDENTE SOBRE A FACE DE TODA A TERRA, MAS SEM TOCAR NO CHÃO; E AQUELE BODE TINHA UM CHIFRE NOTÁVEL ENTRE OS OLHOS.

6 - E DIRIGIU-SE AO CARNEIRO QUE TINHA OS DOIS CHIFRES, AO QUAL EU TINHA VISTO EM PÉ DIANTE DO RIO, E CORREU CONTRA ELE NO FUROR DA SUA FORÇA.

7 - VI-O CHEGAR PERTO DO CARNEIRO; E, MOVIDO DE CÓLERA CONTRA ELE, O FERIU, E LHE QUEBROU OS DOIS CHIFRES; NÃO HAVIA FORÇA NO CARNEIRO PARA LHE RESISTIR, E O BODE O LANÇOU POR TERRA, E O PISOU AOS PÉS; TAMBÉM NÃO HAVIA QUEM PUDESSE LIVRAR O CARNEIRO DO SEU PODER.

8 - O BODE, POIS, SE ENGRANDECEU SOBREMANEIRA; E ESTANDO ELE FORTE, AQUELE GRANDE CHIFRE FOI QUEBRADO, E NO SEU LUGAR OUTROS QUATRO TAMBÉM NOTÁVEIS NASCERAM PARA OS QUATRO VENTOS DO CÉU.

9 - AINDA DE UM DELES SAIU UM CHIFRE PEQUENO, O QUAL CRESCEU MUITO PARA O SUL, E PARA O ORIENTE, E PARA A TERRA FORMOSA;

10 - E SE ENGRANDECEU ATÉ O EXÉRCITO DO CÉU; E LANÇOU POR TERRA ALGUMAS DAS ESTRELAS DESSE EXÉRCITO, E AS PISOU.

11 - SIM, ELE SE ENGRANDECEU ATÉ O PRÍNCIPE DO EXÉRCITO; E LHE TIROU O HOLOCAUSTO CONTÍNUO, E O LUGAR DO SEU SANTUÁRIO FOI DEITADO ABAIXO.

12 - E O EXÉRCITO LHE FOI ENTREGUE, JUNTAMENTE COM O HOLOCAUSTO CONTÍNUO, POR CAUSA DA TRANSGRESSÃO; LANÇOU A VERDADE POR TERRA; E FEZ O QUE ERA DO SEU AGRADO, E PROSPEROU.”

Vejamos agora alguns pontos que nos levam a refletir:

“...E OLHEI, E EIS QUE ESTAVA EM PÉ DIANTE DO RIO UM CARNEIRO,...”

Nova York, a cidade atacada, é atravessada pelo RIO HUDSON.

“...QUE TINHA DOIS CHIFRES; E OS DOIS CHIFRES ERAM ALTOS; MAS UM ERA MAIS ALTO DO QUE O OUTRO, E O MAIS ALTO SUBIU POR ÚLTIMO.”

Não parece uma descrição das torres do World Trade Center? Uma é até um pouco mais alta do que a outra.

“...E NENHUM DOS ANIMAIS LHE PODIA RESISTIR, NEM HAVIA QUEM PUDESSE LIVRAR-SE DO SEU PODER; ELE, PORÉM, FAZIA CONFORME A SUA VONTADE, E SE ENGRANDECIA.”

Não parece descrever aqui uma superpotência igual aos Estados Unidos, que ninguém é capaz de enfrentar?

“...E, ESTANDO EU CONSIDERANDO, EIS QUE UM BODE VINHA DO OCIDENTE SOBRE A FACE DE TODA A TERRA, MAS SEM TOCAR NO CHÃO; ...” Não parece descrever um avião?

“...VI-O CHEGAR PERTO DO CARNEIRO; E, MOVIDO DE CÓLERA CONTRA ELE, O FERIU, E LHE QUEBROU OS DOIS CHIFRES; NÃO HAVIA FORÇA NO CARNEIRO PARA LHE RESISTIR, E O BODE O LANÇOU POR TERRA, E O PISOU AOS PÉS;...” Não parece mostrar os aviões destruindo as duas torres?

“... TAMBÉM NÃO HAVIA QUEM PUDESSE LIVRAR O CARNEIRO DO SEU PODER”. Não parece descrever a impotência dos serviços de segurança?

Sim, parece que o profeta Daniel viu tudo aquilo que aconteceu no dia 11 de Setembro de 2001, não?

Parece, mas a verdade é outra.

A INTERPRETAÇÃO CORRETA DA PROFECIA

O primeiro erro de interpretação coloca o carneiro como símbolo dos Estados Unidos e o bode como o inimigo islâmico, quando, na verdade, o carneiro encontra-se NO ORIENTE, e o bode no OCIDENTE. Se os EUA estivessem envolvidos nessa profecia seriam representados pelo bode (que vem do Ocidente) e não pelo carneiro (que está no Oriente).

O anjo explicou ao profeta:

“AQUELE CARNEIRO QUE VISTE, O QUAL TINHA DOIS CHIFRES, SÃO ESTES OS REIS DA MÉDIA E DA PÉRSIA.
MAS O BODE PELUDO É O REI DA GRÉCIA; E O GRANDE CHIFRE QUE TINHA ENTRE OS OLHOS É O PRIMEIRO REI.” (Daniel 8.20-21).

No ano 333 a.C. (uns 100 anos depois de Daniel), os gregos, sob o comando do jovem Alexandre Magno, invadiram a Ásia, destruindo o Império dos Medos e Persas (os dois chifres) e passando a dominar o mundo. Aconteceu exatamente como Daniel vira em sua visão profética.

Alguns anos mais tarde, Alexandre morreu de febre na Babilônia muito novo ainda (33 anos). Como não tinha um herdeiro que pudesse assumir o comando, houve uma crise e seus quatro generais dividiram o império grego em quatro reinos:

01- Cassandro ficou com a Macedônia;
02- Lisímaco reinou na Ásia Menor (atual Turquia);
03- Ptolomeu I reinou no Egito;
04- E Seleuco liderou a Síria e o restante do Oriente próximo.

Lembra-se da profecia citada anteriormente?

“O BODE (= império Grego), POIS, SE ENGRANDECEU SOBREMANEIRA; E ESTANDO ELE FORTE, AQUELE GRANDE CHIFRE (= Alexandre Magno) FOI QUEBRADO, E NO SEU LUGAR OUTROS QUATRO (= quatro generais) TAMBÉM NOTÁVEIS NASCERAM PARA OS QUATRO VENTOS DO CÉU”. (Daniel 8.8).

Poderíamos ainda citar outros detalhes, evidenciando o cumprimento histórico do restante da profecia, mas fugiria ao tema deste artigo. Os interessados encontrarão por aí muitos livros a respeito do assunto.

MAS DANIEL 8 POSSUI ALGUMA RELAÇÃO COM OS ACONTECIMENTOS ATUAIS?

Bem, muitas vezes as profecias bíblicas possuem vários cumprimentos parciais até o chamado fim dos tempos, quando passa a se cumprir na sua totalidade. Outras vezes, o que aconteceu no passado foi apenas um tipo, uma sombra do que acontecerá futuramente. Mais detalhes, leia o texto “AS AMOSTRAS GRÁTIS DO APOCALIPSE”, disponível em http://arquivosete.webs.com/estasemananaprofecia.htm.

Muitos detalhes de Daniel 8 se cumpriram (na invasão de Alexandre Magno ao Oriente), entretanto, ainda há algumas (muitas?) coisas para o futuro.

Observe o que o anjo disse ao profeta:

“VEIO, POIS, PERTO DE ONDE EU ESTAVA; E VINDO ELE, FIQUEI AMEDRONTADO, E CAÍ COM O ROSTO EM TERRA. MAS ELE ME DISSE: ENTENDE, FILHO DO HOMEM, POIS ESTA VISÃO SE REFERE AO TEMPO DO FIM.
ORA, ENQUANTO ELE FALAVA COMIGO, CAÍ NUM PROFUNDO SONO, COM O ROSTO EM TERRA; ELE, PORÉM, ME TOCOU, E ME PÔS EM PÉ.
E DISSE: EIS QUE TE FAREI SABER O QUE HÁ DE ACONTECER NO ÚLTIMO TEMPO DA IRA; POIS ISSO PERTENCE AO DETERMINADO TEMPO DO FIM.” (Daniel 8.17-19). (É claro que os grifos não fazem parte do original).

A Bíblia fala do surgimento de um poderoso império na mesma área do Império Romano, ou seja, no continente europeu. Esse futuro império mundial terá um líder que será capaz de unir o mundo todo, com uma só bandeira, uma só moeda, uma só religião e um só pensamento. Esse líder é chamado pelos profetas de a Besta, o Anticristo, o homem do pecado, etc. (Ver Apocalipse 13; I João 4; 2 Tessalonicenses 2).

Bem, esse império ocidental tomará dos Estados Unidos a liderança e o poder no mundo. Inicialmente, ele sofrerá uma forte resistência do Oriente (certamente dos países islâmicos), mas conseguirá dominar a todos. E então, o mundo todo se encurvará a esse grande líder como um deus. (Nos muitos textos do Arquivo7 já publicados, existem vários estudos sobre isso).

No futuro cumprimento de Daniel 8, o bode não será mais o representante do império grego, mas de todo o império ocidental (A UNIÃO EUROPÉIA, como potência mundial). Atualmente, os Estados Unidos fazem o papel do bode (por enquanto!).

E o carneiro? É interessante que no passado, o carneiro foi o império Medo-Persa, e atualmente a região outrora ocupada pelo citado império abrange o Iraque, o Irã (seu antigo nome é Pérsia), uma parte do Afeganistão e todos os países em torno do Golfo Pérsico. Em palavras claras: Hoje, o carneiro é o mundo islâmico, encabeçado pelo Irã.

Você percebe como a profecia é clara?

Se houver uma guerra do mundo Ocidental contra o Islamismo (Oriente) – e as profecias indicam que haverá – teremos novamente O BODE CONTRA O CARNEIRO, e desta vez, será o cumprimento final.

Sobre o significado profético do atentado às torres do World Trade Center, leiam o texto “11 de setembro de 2001 – Relação com as Profecias Bíblicas, ou apenas coincidências?” publicado no site Arquivo7, na seção ESTA SEMANA NA PROFECIA. O endereço é: www.arquivosete.webs.com.

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

A PERIGOSA LUA NOVA DE SETEMBRO


A RELAÇÃO ENTRE ROSH HASHANÁ, O ATAQUE TERRORISTA AO WTC E O JULGAMENTO FINAL

“Hoje (quarta-feira) à noite se inicia Rosh Hashaná – o novo ano judaico. Esta data, 1o de Tishrei, foi o sexto dia da Criação, quando D’us criou Adão, o primeiro homem, e Eva, a primeira mulher. Rosh Hashaná é celebrado em todo o mundo, inclusive em Israel, nos primeiros dois dias do mês de Tishrei. Em Rosh Hashaná, D’us decreta o destino de todos os seres vivos para o ano que acaba de se iniciar. Portanto, na primeira noite de Rosh Hashaná, desejamos uns aos outros, ‘Leshana Tovah Tekatev Vitechatem’: ‘Que você seja inscrito e selado para um bom ano’.” (http://www.morasha.com.br/ 08-09-2010)

Na semana em que os judeus comemoram o inicio do Novo Ano, os americanos e o mundo relembram o terrível atentado de 11 de setembro de 2001. Ambos os acontecimentos são proféticos, isto é, possuem relações com as profecias bíblicas.

Das 7 Festas Proféticas de Israel (instituídas em Levítico 23), a 5.ª festa (das Trombetas) acontece sempre no inicio do Ano Novo Judaico. Vejamos algo mais sobre essa misteriosa festa.

As trombetas eram feitas de um chifre de carneiro. Esta festa era comemorada no sétimo mês, o mês de Etanim (I Rs.8:2), que mais tarde passou a chamar-se mês de Tishri, e corresponde a setembro ou outubro.

a) Atualmente esta festa é denominada Rosh Hashanah = Ano Novo, pois assinala o início do ano civil. Da mesma forma que o sétimo dia é santificado pelo descanso e pela adoração, assim também o sétimo mês do ano é santificado por três festas: Trombetas, Dia da Expiação e Tabernáculos. A Festa das Trombetas era um dia de descanso solene, no qual as trombetas eram tocadas a fim de reunir Israel (Nm.10:10).

b) Essa 5.ª festa é certamente a mais misteriosa de todas as sete. Enquanto nas outras são explicados os motivos e objetivos, o mesmo não ocorre com essa 5.ª festa. Por quê? Ela é a primeira do último grupo, e esse último grupo (o terceiro) é o GRUPO DOS ACONTECIMENTOS FINAIS. Portanto, a festa das Trombetas está ligada aos acontecimentos do fim dos tempos!

c) Ela é sempre comemorada no dia da lua nova, quando a noite é escura (em contraste com a Páscoa e a dos Tabernáculos, que sempre caem na lua cheia). Deus não revela a razão dessa festa, diz apenas para o povo de Israel se reunir para o descanso solene. Somente mais tarde, por meio dos profetas, O SENHOR começa a dar pistas sobre o significado dessa 5.ª festa.

d) A palavra "trombeta", em hebraico é Shofar. O Shofar é um chifre, preparado para o uso como um instrumento musical. Contudo, é mais para fazer ruído do que propriamente música. Seu som é descrito como: "áspero, agudo e ruidoso." É feito de chifre de CORDEIRO, CABRA SELVAGEM, ANTÍLOPE, KUDU AFRICANO, ou GAZELLE - Nunca de uma vaca ou de um boi porque as vacas não eram referência sacrifical dos animais. O chifre preferido é o curvado.

e) PARA OS HEBREUS, O CHIFRE ERA SÍMBOLO DE PODER. Não somente poder físico (Deut. 33:17), mas também do poder santo - O altar de bronze era decorado com 4 chifres (Êxodo 27:1; 30:2). “O Senhor é o "chifre" (= força) da nossa salvação" - 2 Samuel 22:3, Salmos 18:2.

f) De acordo com a tradição judaica, o Shofar, é tocado na Festa das Trombetas, além das trombetas de prata (Veja Números 10:1-10). As trombetas de prata poderiam produzir uma variedade das notas, mas o Shofar produz somente um som que é a explosão da perfuração.

g) A Festa das Trombetas é um dia de alegria e de grande regozijo, mas tem também uma nota de solenidade. Por quê? Por causa dos eventos de agitação da terra que ocorrerão imediatamente antes do retorno de Cristo. A festa das trombetas ocorre no sétimo mês, e as profecias indicam que os acontecimentos finais começarão com a abertura de um livro selado com 7 selos (Apocalipse 6), seguidos por uma série de julgamentos derramados por 7 trombetas e depois 7 taças. O número 7 significa também conclusão de um período, de uma história, de uma era.

h) Deus mandou Moisés fazer duas trombetas de prata e deviam ser usadas: "para convocar a congregação e para a partida dos arraiais" Também deveriam ser tocadas quando fossem sair para pelejar contra os inimigos, então Deus se lembraria deles e os livraria dos inimigos (Números 10:2-3;9). Também deveriam ser tocadas em dias de celebração, de alegria, nas solenidades, e no início de cada mês, e ainda quando houvesse sacrifício no holocausto. (Números 10:10). Mas havia também uma outra trombeta que deveria soar na festa das trombetas, e deveria ser uma trombeta especial feita de chifre, chamada "Shofar".

i) O Shofar fala do REAJUNTAMENTO DO POVO DE ISRAEL. As profecias indicam que Jesus voltará depois que o povo de Israel tiver sido juntado e levado de volta à sua antiga pátria – e isso começou acontecer em 14 de maio de 1948! Vivemos hoje no pleno cumprimento profético dessa festa, pois milhares de judeus continuam retornando para a terra de Israel. Os profetas costumam relacionar o reajuntamento de Israel com as trombetas. "Naquele dia se tocará uma grande trombeta, e os que andavam perdidos pela terra da Assíria, e os que forem desterrados para a terra do Egito tornarão a vir, e adorarão ao Senhor no monte santo em Jerusalém." (Isaías 27:13)

j) Mas a segunda parte dessa festa fala de outro ajuntamento de pessoas. O apóstolo Paulo revela o segredo em I Coríntios 15.51-52: “EIS AQUI VOS DIGO UM MISTÉRIO: NEM TODOS DORMIREMOS MAS TODOS SEREMOS TRANSFORMADOS, NUM MOMENTO, NUM ABRIR E FECHAR DE OLHOS, AO SOM DA ÚLTIMA TROMBETA; PORQUE A TROMBETA SOARÁ, E OS MORTOS SERÃO RESSUSCITADOS INCORRUPTÍVEIS, E NÓS SEREMOS TRANSFORMADOS.” As profecias dizem que um dia O Senhor Jesus retornará e levará os Cristãos para o Céu, arrancando-os da terra, repentinamente e de forma espetacular. Isso é chamado pelos estudiosos de ARREBATAMENTO. Observe que Paulo fala de TROMBETA e fala de MISTÉRIO.

k) Se a festa de Pentecostes simboliza a missão dos Cristãos na terra, dominados pelo Espírito Santo, as Trombetas representam o FIM DA MISSÃO, O MOMENTO FINAL, A ÚLTIMA VIAGEM. E acontecerá na noite de lua nova, isto é, quando a noite espiritual da humanidade for bem escura. Por isso está escrito: “MAS À MEIA-NOITE OUVIU-SE UM GRITO: EIS O NOIVO! SAI AO SEU ENCONTRO!” (Mateus 25.6).

l) O shofar é usado também como um alarme da guerra: "Tocai a trombeta (shofar) em Sião, e dai voz de rebate no meu santo monte; perturbem-se todos os moradores da terra, porque o dia do Senhor vem, já está próximo."(Joel 2:1)

Como Jeremias reagiu quando ouviu o som do shofar? "Ah! meu coração! meu coração! Eu me contorço em dores. Oh! as paredes do meu coração! Meu coração se agita! Não posso calar-me, porque ouves, ó minha alma, o som da trombeta (shofar), o alarido de guerra" (Jeremias 4:19). Jeremias ficou cheio de medo com o som do shofar retinindo como alarme para guerra, significando que a morte e a destruição estavam próximas. É este aviso da guerra que dá à festa das trombetas um toque de seriedade e de solenidade! Após a partida dos Cristãos para o Céu, o Anticristo dominará o planeta terra durante 7 anos, causando o maior terror que este mundo já viu.

Relembrando que essa Festa cheia de significados ligados aos Tempos Finais será comemorada nestes próximos dois dias (9 e 10 de setembro, começando às 18:00 horas de hoje, 08 de setembro de 2010).

E a relação com o World Trade Center?

Se existem acontecimentos especialmente dramáticos e relacionados às profecias bíblicas, o ataque terrorista de setembro de 2001 foi um deles.

O século XXI foi inaugurado de maneira horrenda, levando a Humanidade a uma nova era, denominada por alguns de “era do terror”. E esse ataque aconteceu por causa da crise árabe-israelense, ou seja, devido ao apoio americano a Israel – e com isso entramos novamente nas páginas bíblicas sobre as profecias finais.

A coisa fica ainda mais interessante ao constatarmos que as Torres Gêmeas foram derrubadas justamente uma semana antes da soleníssima Festa das Trombetas em Israel (que, em 2001, aconteceu em 18 de setembro). Coincidências?

Enquanto o mundo estava num clima de terror, os judeus comemoravam a “festa do julgamento”.

Neste ano, o dia do World Trade Center ocorre NA MESMA semana da Festa das Trombetas, e por isso é impossível não lembrarmos das relações proféticas.
Quando os profetas falam da chegada do futuro Dia do SENHOR, três elementos são freqüentemente citados: TROMBETAS, TREVAS E TORRES. Vejamos:

“Sobre todo monte alto, e todo outeiro elevado haverá ribeiros e correntes de águas, no dia da grande matança, quando caírem as torres. (...) Eis que o nome do Senhor vem de longe ardendo na sua ira, e com densa nuvem de fumaça; os seus lábios estão cheios de indignação, e a sua língua é como um fogo consumidor;...” (Isaias 30.25,27).

“O grande dia do Senhor está perto; sim, está perto, e se apressa muito; ei-la, amarga é a voz do dia do Senhor; clama ali o homem poderoso. Aquele dia é dia de indignação, dia de tribulação e de angústia, dia de alvoroço e de assolação, dia de trevas e de escuridão, dia de nuvens e de densas trevas, dia de trombeta e de alarido contra as cidades fortificadas e contra as torres altas.” (Sofonias 1.14-16).

“Tocai a trombeta em Sião, e dai o alarma no meu santo monte. Tremam todos os moradores da terra, porque vem vindo o dia do Senhor; já está perto; dia de trevas e de escuridão, dia de nuvens e de negrume!...” (Joel 2.1-2).

Não sabemos quando realmente começarão os juízos apocalípticos. Mas, se Jesus morreu durante a Páscoa, ressuscitou durante a Festa das Primícias e Sua Igreja foi inaugurada na Festa de Pentecostes, não seria de admirar se os grandes acontecimentos apocalípticos estourassem justamente no 7.º mês do calendário religioso de Israel, durante as três últimas festas, a começar pela Festa das Trombetas.

“Prepara-te, ó Israel, para te encontrares com o Teu Deus!” (Amós 4.12).

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

TEMPOS PROFÉTICOS CALCULADOS – PARTE 3



É POSSÍVEL SABERMOS QUE O 6.º MILÊNIO JÁ PASSOU, MAS QUE O 7.º NINGUÉM SABE QUANDO COMEÇA?

Esta é a última parte de nossa mensagem sobre os cálculos dos tempos proféticos. Para entendê-la melhor, leia antes as duas primeiras partes.

Pelos dados numéricos citados na Bíblia é possível calcularmos 6.000 anos da história do homem, desde Adão até o inicio do nosso século. Como na Bíblia os tempos são divididos em ciclos de setes, imaginamos acontecimentos proféticos especiais dentro do 7.º Milênio. Na nossa contagem, este 7.º Milênio desde Adão teria começado em 2001, o que coincidiria com acontecimentos de grandes impactos (como os ataques terroristas aos Estados Unidos, a guerra ao terror, etc.). Mas existem alguns princípios bíblicos que não podem ser ignorados.

É POSSÍVEL QUE ESTEJAMOS NO INTERVALO, TRANSIÇÃO OU PONTE ENTRE O 6.º E O 7.º MILÊNIO?

OU ESTA IDEIA SERIA PURAMENTE IMAGINAÇÃO FÉRTIL?

Relembrando um pouco das operações fundamentais da Matemática Bíblica, sabemos que o número 6 simboliza o homem sem Deus, enquanto que 7 representa o homem + Deus.
Biblicamente existe um abismo, uma separação entre os dois (homem incrédulo e homem convertido, ou seja, entre 6 e 7), da mesma forma que existe uma separação entre a Criação e o Criador, entre o homem e Deus.

“... mas as vossas iniqüidades fazem separação entre vós e o vosso Deus;” (Isaias 59.2)

Em toda a Bíblia, vemos em muitas coleções de setes, um misterioso intervalo entre 6 e 7.

- 6 DIAS DA CRIAÇÃO SÃO NARRADOS NO CAPÍTULO 1.º DE GÊNESIS – O 7.º SÓ É NARRADO NO CAPÍTULO 2.

- 6 SELOS SÃO ABERTOS ININTERRUPTAMENTE (Apocalipse, capítulo 6) – MAS O 7.º SELO SÓ É ABERTO NO CAPÍTULO 8.

- 6 TROMBETAS SÃO TOCADAS ININTERRUPTAMENTE (Apocalipse 8 e 9), MAS A 7.ª SÓ NO CAPÍTULO 11.

- 6 TAÇAS DA IRA DE DEUS SÃO DERRAMADAS SOBRE A TERRA – ANTES DA 7.ª HÁ UM PARÊNTESIS, UM AVISO DA VINDA DO SENHOR COMO UM LADRÃO – Apocalipse 16.

- AS 7 ABERTURAS DO LIVRO DO APOCALIPSE

1.ª Uma porta aberta no céu - Ap 4.1
2.ª Os 7 selos - 6.1
3.ª O poço do abismo - 9.1
4.ª O Santuário de Deus - 11.19
5.ª O Santuário do Tabernáculo do Testemunho - 15.5
6.ª Os céus - 19.11
7.º Os livros - 20.12

Mas observe que, enquanto as 6 primeiras aberturas ocorreram antes do Retorno de Cristo, a 7.ª só ocorre no Julgamento Final, ou seja, 1000 anos depois da 6.ª.

- DEUS DECRETOU, NOS DIAS DO PROFETA DANIEL, QUE HAVERIAM 70 SEMANAS ANTES DA PURIFICAÇÃO FINAL DE ISRAEL.

“Setenta semanas estão decretadas sobre o teu povo, e sobre a tua santa cidade, para fazer cessar a transgressão, para dar fim aos pecados, e para expiar a iniqüidade, e trazer a justiça eterna, e selar a visão e a profecia, e para ungir o santíssimo.” (Daniel 9.24)

Mas, como sabemos, 69 semanas de anos, ou seja, 483 anos, se cumpriram até a morte de Jesus. A última foi suspensa até Jesus voltar do Céu para restaurar Israel (o espaço é pequeno para explicarmos profecia tão complexa, mas leia uma explicação minuciosa em nosso livro “POR QUE DEUS FEZ O MUNDO EM 6 DIAS, QUANDO PODERIA TER FEITO NUM SEGUNDO SÓ?”, disponível no site Arquivo7).

Bem, o fato é que, entre a 69.ª semana e a 70.ª tem havido um intervalo de mais de 2000 anos (o tempo da Igreja).

Mais um exemplo: AS 7 PROVAÇÕES DA HUMANIDADE – 7 DISPENSAÇÕES

A Bíblia mostra a história mundial dividida em 7 tempos de provas, chamados pelos estudiosos de:

1.º TEMPO DA INOCÊNCIA - O homem antes do pecado – Gênesis 2.
2.º TEMPO DA CONSCIÊNCIA – O homem expulso do jardim do Éden – Gênesis 3.
3.º TEMPO DO GOVERNO HUMANO – O homem e a rebelião de Babel – Gênesis 11.
4.º TEMPO DOS PATRIARCAS – Começou com a Chamada de Abraão – Gênesis 12.
5.º TEMPO DA LEI – Começou com a entrega da Lei no Monte Sinai – Êxodo 20.
6.º TEMPO DA GRAÇA – Começou com a inauguração da Igreja Cristã no Dia de Pentecostes – Atos 2. É O TEMPO ATUAL, A NOSSA ÉPOCA.
7.º TEMPO DO REINO – Futuro, quando Jesus governará a terra.

Bem, não houve nenhum intervalo nos 6 primeiros tempos, mas existe um, especial, chamado de GRANDE TRIBULAÇÃO, o tempo do reino do Anticristo. E fica exatamente entre o 6.º e o 7.º tempo.

Outro exemplo: Noé viveu 9 séculos, ou seja, 950 anos.
Mas, exatamente entre o 6.º e o 7.º século de sua vida, houve uma grande reviravolta – o Dilúvio.

Existem tantos exemplos bíblicos, mas vamos concluir com somente mais um.

A Bíblia mostra 7 impérios mundiais oprimindo o povo de Israel. Seis deles já passaram: Egito, Assíria, Babilônia, Pérsia, Grécia, e Roma. Falta o do Anticristo, que será uma espécie de Império Romano restaurado.

O interessante é que entre o 6.º e o 7.º império já existe um espaço de mais de 1000 anos. Alguém ainda tem alguma dúvida sobre esse misterioso intervalo entre 6 e 7?

Mesmo que tenham se passado mais de 6.000 anos entre os dias de Adão e o nosso, uma coisa é incontestável: Existe o tempo do homem e o tempo de Deus!

“O Espírito do Senhor está sobre mim, porquanto me ungiu para anunciar boas novas aos pobres; enviou-me para proclamar libertação aos cativos, e restauração da vista aos cegos, para pôr em liberdade os oprimidos, e para proclamar o ano aceitável do Senhor.” (Lucas 4.18)

Quando Jesus leu o livro do profeta Isaias (capítulo 61), não completou o parágrafo, mas “... E fechando o livro...” (Lucas 4.20). Por que?

Porque naquela época (e hoje), o tempo é DA GRAÇA DE DEUS, O TEMPO ACEITÁVEL DO SENHOR, O TEMPO DO HOMEM. Mas um dia, veremos a parte final da profecia que Jesus deixou de ler:

“... e o dia da vingança do nosso Deus;” (Isaias 61.2)

Portanto, hoje é como se estivéssemos vivendo no intervalo entre O TEMPO DO HOMEM E O TEMPO DE DEUS. Melhor dizendo: É como se o tempo normal do jogo tivesse acabado (45 minutos), mas o Supremo Juiz concedeu alguns minutos de acréscimos. E nenhum de nós sabemos quantos minutos foram acrescentados.

Lembre-se: No tempo de Noé, A ARCA ESTAVA PRONTA, NOÉ E SUA FAMILIA ESTAVAM PRONTOS, MAS...

“Porque, passados ainda sete dias, farei chover sobre a terra...” (Gênesis 7.4)

NOS DIAS DE NOÉ OS ACRÉSCIMOS FORAM DE 7 DIAS... MAS A HUMANIDADE NÃO APROVEITOU A OPORTUNIDADE.

QUANTO TEMPO DE ACRÉSCIMOS O SUPREMO JUIZ DARÁ À HUMANIDADE ANTES DO APITO FINAL?

“O Senhor não retarda a sua promessa, ainda que alguns a têm por tardia; porém é longânimo para convosco, não querendo que ninguém se perca, senão que todos venham a arrepender-se.” (2 Pedro 3.9)

TEMPOS PROFÉTICOS CALCULADOS – PARTE 2


OS TEMPOS DE ISRAEL E OS TEMPOS DA IGREJA

Muitos acontecimentos bíblicos (sempre ligados a Israel) estão relacionados a datas e tempos determinados.

- Cativeiro de Israel no Egito – 400 anos (Gn 15.13)
- Cativeiro de Israel na Babilônia – 70 anos (Dn 9.2)
- Tempo em que o Messias iria aparecer na terra para morrer – 483 anos desde a reconstrução de Jerusalém (Daniel 9.24-27)

Outros acontecimentos proféticos também envolvem datas, mas existem muitas controvérsias sobre o assunto:

- 2.300 tardes e manhãs até a purificação do Santuário - Daniel 8.14.
- 1.290 dias até o fim da abominação desoladora – Daniel 12.11.
- 1.335 dias de espera até a redenção final – Daniel 12.12
- 390 anos para o fim da iniqüidade de Israel; e
- 40 anos para o fim da iniqüidade de Judá – Ezequiel 4.4-6.

Todas essas datas referem-se a Israel e nenhuma a Igreja Cristã.

Pela cronologia bíblica, temos (até agora) 6.000 da história do homem, desde Adão. Mas, mesmo que soubéssemos os cálculos exatos, ou que tivéssemos certeza de que houve exatos 6.000 anos de Adão ao ano 2001, seria impossível sabermos a data do Retorno de Cristo. A seguir vamos demonstrar porque, apesar de acreditarmos que o 6.º Milênio da história humana (desde Adão) já passou, é impossível sabermos quando começará o 7.º.

Que história é essa? O 7.º Milênio não vem logo após o 6.º? No nosso modo de contar, sim. Mas, as contagens de Deus (apesar de exatas) são misteriosas.
Creio que a confusão (nossa em compreendermos as coisas) se deve a duas verdades bíblicas:

1.º Quando se trata de Israel, Deus sempre revela os tempos calculados (400 anos, 70 anos, 490 anos, etc.);

2.º Quando se trata da Igreja Cristã, não há data nenhuma, nenhum número. É um mistério. Na verdade, quando Paulo trata do assunto Igreja, costuma citar a palavra mistério.

“... e demonstrar a todos qual seja a dispensação do mistério que desde os séculos esteve oculto em Deus, que tudo criou, para que agora seja manifestada, por meio da igreja, aos principados e potestades nas regiões celestes...” (Efésios 3.9,10)

“Grande é este mistério, mas eu falo em referência a Cristo e à igreja.” (Efésios 5.32)

Ao tratar com Israel, Deus calcula os tempos. Com a Igreja, não (pelo menos, não são revelados).

Como em nossa época Deus está agindo por meio dos dois povos (Igreja e Israel – pois Israel está de volta à sua terra), os tempos voltaram a ser calculados e ao mesmo tempo não. Isso é loucura?

No capítulo 4 do seu livro, o profeta Ezequiel passa por uma estranha encenação.

“Tu também deita-te sobre o teu lado esquerdo, e põe sobre ele a iniqüidade da casa de Israel; conforme o número dos dias em que te deitares sobre ele, levarás a sua iniqüidade. Pois eu fixei os anos da sua iniqüidade, para que eles te sejam contados em dias, trezentos e noventa dias; assim levarás a iniqüidade da casa de Israel. E quando tiveres cumprido estes dias, deitar-te-ás sobre o teu lado direito, e levarás a iniqüidade da casa de Judá; quarenta dias te dei, cada dia por um ano.” (Ezequiel 4.4-6)

Dois números são apresentados (40 e 390), que, somados, resultam em 430. Como devem ser interpretados? Devem ser calculados a partir de que data? Certamente esse número está, de alguma forma, relacionado com o atual retorno de Israel. Mas como?

Os profetas não podiam ter uma visão matemática exata da data do atual retorno de Israel, porque existia um novo povo, que não poderia ter o tempo revelado, a Igreja. Porém, números de anos foram revelados aos profetas. Tendo dedicado boa parte de minha vida a estudar esses números, continuo sem entender muitas coisas... preste bem atenção. Eu disse: SEM ENTENDER MUITAS COISAS, pois ALGUMAS COISAS ESTÃO COMEÇANDO A FICAR CLARAS. Vejamos:

390 + 40 = 430, e 430 não é um número qualquer, mas:

- Exatamente o tempo em que Israel viveu no Egito.

“Ora, o tempo que os filhos de Israel moraram no Egito foi de quatrocentos e trinta anos.” (Êxodo 12.40)

Não existe aqui contradição com o que Deus falou a Abraão em Gênesis 15.13. Israel morou no Egito 430 anos, mas “... será afligida por quatrocentos anos” (Gn 15.13);

O futuro retorno de Israel é comparado à sua antiga saída do Egito:

“Portanto, eis que dias vêm, diz o Senhor, em que não se dirá mais: Vive o Senhor: que fez subir os filhos de Israel da terra do Egito;
mas sim: Vive o Senhor, que fez subir os filhos de Israel da terra do norte, e de todas as terras para onde os tinha lançado; porque eu os farei voltar à sua terra, que dei a seus pais.”
(Jeremias 16.14-15)

EM QUE ANO EZEQUIEL TEVE ESSAS REVELAÇÕES?

“No quinto dia do mês, já no quinto ano do cativeiro do rei Joaquim, veio expressamente a palavra do Senhor a Ezequiel, filho de Buzi, o sacerdote, na terra dos caldeus, junto ao rio Quebar; e ali esteve sobre ele a mão do Senhor.” (Ezequiel 1.2,3).

Se o profeta especificou, da forma mais clara possível, o ano exato de suas visões, temos aqui um ponto de partida.

O 5.° ANO DO CATIVEIRO DO REI JOAQUIM EQUIVALE A QUE DATA HISTÓRICA?

“Cinco anos depois de chegar na Babilônia (1.2), veio-lhe a chamada ao ministério profético (592 a.C.)...”
“Capítulos 1 a 24 contêm as profecias de quatro anos e meio, desde a chamada do profeta no quinto ano do seu exílio (592 a.C.) ao começo do sitio de Jerusalém no nono ano (588 a.C.).”
Notas extraídas da Bíblia Explicada, publicada pela CPAD)

“No quinto ano. I. e., 592 a.C.”
Comentário sobre Ezequiel 1.2, na Bíblia Anotada, de Charles Ryrie

“Ezequiel, filho de Buzi (q.v.), foi deportado para a Babilônia, quase certamente com Joaquim, em 597 a. C. (...) Cinco anos mais tarde recebeu sua chamada como profeta (Ez 1:2), possivelmente com a idade de trinta anos...”

597 – 5 = 592

A nota acima foi extraída do tópico sobre o profeta Ezequiel, segundo o Novo Dicionário da Bíblia, editado por J. D. Douglas, edições Vida Nova, São Paulo, 1962.

“A maioria dos especialistas datam o Livro de Ezequiel por volta da primeira metade do século VI a.C. O profeta foi um dos cativos deportados para a Babilônia em 597 a.C., 11 anos antes da queda de Jerusalém. Seu papel como profeta e líder espiritual remonta a 592 a.C. e seus conhecimentos dos ritos do Templo indicam que era sacerdote antes do exílio.”
Nota extraída da Enciclopédia Microsoft® Encarta®.
© 1993-2001.

CONCLUSÃO – A grande maioria dos estudiosos concorda que Ezequiel teve suas primeiras visões e profecias no ano 592 a.C., que equivale ao 5.° ano do cativeiro do rei Joaquim.

Com essas informações em mente, vamos executar algumas operações matemáticas simples:
Ezequiel teve a visão no ano 592 a.C.

- Contando 390 anos, partindo dessa data, chegamos ao ano 203 a.C.
NADA DE ESPECIAL ACONTECEU NESSE ANO E ISRAEL CONTINUOU DOMINADO PELAS NAÇÕES

- Contando 40 anos a partir de 203 a.C., chegaremos ao ano 163 a.C.
NADA DE ESPECIAL ACONTECEU NESSE ANO E ISRAEL CONTINUOU DOMINADO PELAS NAÇÕES

- Contando 390 anos a partir de 163 a.C., chegaremos ao ano 228 d.C.
NADA DE ESPECIAL ACONTECEU NESSE ANO E ISRAEL CONTINUOU DOMINADO PELAS NAÇÕES

- Contando 40 anos a partir de 228 d.C., chegaremos ao ano 268 d.C.
NADA DE ESPECIAL ACONTECEU NESSE ANO E ISRAEL CONTINUOU DOMINADO PELAS NAÇÕES

- Contando 390 anos a partir de 268 d.C., chegaremos ao ano 658 d.C.
NADA DE ESPECIAL ACONTECEU NESSE ANO E ISRAEL CONTINUOU DOMINADO PELAS NAÇÕES

- Contando 40 anos a partir de 658 d.C., chegaremos ao ano 698 d.C.
NADA DE ESPECIAL ACONTECEU NESSE ANO E ISRAEL CONTINUOU DOMINADO PELAS NAÇÕES

- Contando 390 anos a partir de 698 d.C., chegaremos ao ano 1088 d.C.
NADA DE ESPECIAL ACONTECEU NESSE ANO E ISRAEL CONTINUOU DOMINADO PELAS NAÇÕES

- Contando 40 anos a partir de 1088 d.C., chegaremos ao ano 1128 d.C.
NADA DE ESPECIAL ACONTECEU NESSE ANO E ISRAEL CONTINUOU DOMINADO PELAS NAÇÕES

- Contando 390 anos a partir de 1128 d.C., chegaremos ao ano 1518 d.C.
- NADA DE ESPECIAL ACONTECEU NESSE ANO E ISRAEL CONTINUOU DOMINADO PELAS NAÇÕES

- Contando 40 anos a partir de 1518 d.C., chegaremos ao ano 1558 d.C.
NADA DE ESPECIAL ACONTECEU NESSE ANO E ISRAEL CONTINUOU DOMINADO PELAS NAÇÕES

- Contando 390 anos a partir de 1558 d.C., chegaremos ao ano 1948 d.C.
NADA DE ESPECIAL ACONT... Calma aí!

1948 foi o ano em que, após 25 séculos, ISRAEL RENASCEU COMO NAÇÃO!!!

PARTINDO DO ANO EM QUE EZEQUIEL TEVE SUAS PRIMEIRAS VISÕES (592 a.C.), CONTANDO ALTERNADAMENTE 390 E 40 ANOS, CHEGAMOS AO ANO DE 1948.

Será que este cálculo é apenas uma grande coincidência?

Não houve nenhuma manipulação numérica. Simplesmente somamos 390 + 40 + 390 + 40 + 390 + 40 + 390 + 40 + 390 + 40 + 390... E chegamos ao número 1948, o ano profético mais importante da nossa época.

(mais detalhes sobre estes cálculos, veja o estudo em slide, A EXATIDÃO MATEMÁTICA DA BÍBLIA, disponível no site Arquivo7)

Observamos aqui, que, mesmo com esses dados numéricos disponíveis, é impossível visualizar uma data futura. Os tempos relacionados a Israel são revelados, os da Igreja não. E, portanto, se você ouvir de alguém que descobriu a data do Retorno de Cristo (ou do Arrebatamento), leve o sujeito para o hospício (na melhor das hipóteses).

“Então verão vir o Filho do homem em uma nuvem, com poder e grande glória.
Ora, quando essas coisas começarem a acontecer, exultai e levantai as vossas cabeças, porque a vossa redenção se aproxima.”
Lucas 21.27-28

TEMPOS PROFÉTICOS CALCULADOS – PARTE 1


ESSA HISTÓRIA DE 7.º MILÊNIO DESDE ADÃO... TENTATIVA DE SE CALCULAR A DATA DO APOCALIPSE?

Uma das afirmações mais conhecidas do Arquivo7 é que “ESTAMOS VIVENDO NO 7.º MILÊNIO DESDE ADÃO”. Quando citamos eventos bíblicos e falamos em datas, uma luz vermelha se acende na mente dos estudiosos que “têm os pés no chão” e “espírito de Bereano” (Atos 17.11).

Mas, quem já leu, pelo menos, 90% dos textos relativos às pesquisas do Arquivo7 (já publicados na internet), é incapaz de apontar um parágrafo onde afirmamos que “o mundo vai acabar nesta ou naquela data”, ou que JESUS VAI VOLTAR NESTE OU NAQUELE MÊS OU ANO. Esses pensamentos não estão publicados em lugar nenhum. Quando conheci certos fatos envolvendo os números na Bíblia e observei que, dos tempos de Adão (não da Criação do mundo) até os dias atuais, se passaram aproximadamente 6.000 anos, fiquei na expectativa de grandes acontecimentos proféticos em nossa época.

Quando as torres do World Trade Center foram derrubadas em 11 de setembro de 2001 e o mundo entrou numa fase de GUERRA AO TERROR (e tudo relacionado aos árabes e a Israel), é claro que meu coração bateu mais forte ao constatar que estávamos no inicio do 7.º Milênio desde os tempos de Adão – ainda que não exato, mas aproximado.

Como as coisas têm piorado desde então (crise ambiental, tsunamis, terremotos violentos, crise no Oriente Médio, ameaça terrorista, ameaça nuclear, etc.) é difícil imaginar que ainda teremos 100 ou 1000 anos pela frente antes de Jesus voltar.

Mas minhas convicções (para estar na expectativa de eventos extraordinários nesta época) estão fundamentadas não em jogos numéricos, mas nos seguintes fatos:

- Todas as profecias bíblicas giram em torno de dois temas: O Messias Jesus e o povo de Israel;

- Grande porcentagem das profecias bíblicas fala da Dispersão e Retorno dos judeus à sua pátria no fim dos tempos;

- A dispersão (chamada Diáspora) dos judeus durou 1878 anos (do ano 70 da Era Cristã ao ano 1948);

- Agora eles estão de volta e o Estado de Israel é uma pequena potência que assombra o mundo (com sua criatividade, tecnologia e educação);

De todos os profetas que falaram sobre o Retorno dos judeus, Oséias foi um dos poucos que declarou até a data. Mas não esperem uma data exata, pois Jesus desautorizou esse tipo de especulação (Mateus 24.36; Atos 1.6-7);

Quando Israel foi para o cativeiro no Egito, Deus declarou a data do retorno deles (Gênesis 15.13); quando foram para o cativeiro na Babilônia, Deus declarou a data da volta deles (Daniel 9.2). Se a data do retorno dos judeus foi declarada todas as vezes em que eles foram expulsos de sua terra, por que não na sua última expulsão?
Como o último retorno deles (o atual) está relacionado ao tempo da Igreja Cristã na terra, e o tempo desta não é contado em lugar nenhum da Bíblia, é compreensível que desta vez as datas estejam camufladas.

Deixe-me explicar melhor: Deus sempre calcula os tempos envolvendo Israel, mas nunca os tempos envolvendo a Igreja Cristã. É por causa da Igreja que não podemos calcular a data do Retorno de Cristo. Isso é tão claro que, durante os dias da Grande Tribulação (quando acreditamos que a Igreja Cristã não estará na terra) os tempos são novamente calculados. Quando os profetas falam desse período futuro citam quantidades tais como: 1260 dias, 42 meses, 1335 dias, 1290 dias, etc.

Mas, de uma forma misteriosa, as profecias dão indicações para o futuro envolvendo Israel e apontam para certas datas, ainda que aproximadas.

Oséias 6.1-2: “Vinde, e tornemos para o Senhor, porque ele despedaçou e nos sarará; fez a ferida, e no-la atará. Depois de dois dias nos ressuscitará: ao terceiro dia nos levantará, e viveremos diante dele.”

Sem manipulações e fantasias, o texto claro e limpo deixa evidente que:

- Essas palavras têm relação com os judeus e não com os cristãos ou nações.

- Está claramente falando de uma ferida (feita por Deus) e sarada (por Ele). Os profetas falam várias vezes dessa FERIDA QUE SERÁ CURADA POR DEUS, próximo ao chamado DIA DO SENHOR.

“E a luz da lua será como a luz do sol, e a luz do sol sete vezes maior, como a luz de sete dias, no dia em que o Senhor atar a contusão do seu povo, e curar a chaga da sua ferida.” (Isaias 30.26).

- “Depois de dois dias nos ressuscitará.” É mais claro que a luz do sol que NUNCA a ferida de Israel foi curada depois de DOIS DIAS, mas na verdade, já dura mais de DOIS MIL ANOS. Portanto, o profeta não pode estar falando de DOIS DIAS literais.

- Se lembrarmos que existem duas referências bíblicas mostrando que para Deus “1000 ANOS é igual a 1 DIA” (Salmo 90.4; 2 Pedro 3.8), seria forçar o texto interpretarmos que “DEPOIS DE DOIS DIAS” significa “DEPOIS DE DOIS MIL ANOS”?

Bem, o fato é que, DOIS MIL ANOS depois de sua dispersão, os judeus estão de volta à sua Pátria – e os profetas afirmam que o primeiro passo para a RESTAURAÇÃO DA FERIDA DE ISRAEL (= Sua conversão diante de Deus) é o RETORNO À ANTIGA PÁTRIA!

Não existem fundamentos bíblicos para sabermos quando exatamente o mundo foi criado por Deus (se existem eu desconheço). Também não sei quanto tempo Adão esteve dentro do jardim do Éden. O que sei é que, se calcularmos os tempos, pela idade de Adão (fora do Paraíso), usando os dados numéricos encontrados na Bíblia, concluiremos que:

- De Adão a Abraão, 2000 anos (aproximadamente, é claro);

- De Abraão ao Nascimento de Jesus, mais 2000 anos (aproximados);

- De Adão a Jesus, 4000 anos (pelos dados bíblicos é quase impossível que tenham sido 3000 ou 5000 anos).

- Do Nascimento de Jesus até agora, 2000 anos (também aproximados, para mais ou para menos, pois existem controvérsias sobre o ano exato em que Jesus nasceu. Mas nenhuma diferença de anos superior – ou inferior - a 10 anos, pelos cálculos mais conhecidos dos historiadores).

- Portanto, é fácil concluir: 6000 anos de Adão aos dias atuais. Mas, como os tempos da Igreja Cristã nunca são calculados na Bíblia, podemos até afirmar que já se passaram 6.000 anos desde Adão (ou 6 dias diante de Deus), porém os tempos exatos são conhecidos apenas por Deus e com isso toda tentativa de se saber a data exata dos eventos futuros é impossível.

Em resumo, pelos cálculos humanos, estamos vivendo no inicio do 3.º Milênio desde Cristo, e 7.º desde Adão, mas a data exata do 7.º Milênio profético só Deus sabe... e não acredito que Ele vá revelar pra alguém antes que Jesus volte.

“Até a cegonha no céu conhece os seus tempos determinados; e a rola, a andorinha, e o grou observam o tempo da sua arribação; mas o meu povo não conhece a ordenança do Senhor.” (Jeremias 8.7)

terça-feira, 31 de agosto de 2010

A LEI DOS SETES E AS PROFECIAS - PARTE 2



Exemplo 2 – AS 7 PROFETISAS

A história da Igreja Cristã na terra é dividida em 7 períodos em muitas passagens da Bíblia. O exemplo mais conhecido é o das 7 Igrejas do Apocalipse. Também existe uma relação com as 7 parábolas do capítulo 13 de Mateus (Existem vários textos publicados no site do Arquivo7 sobre este tema). Bem, existem outras coleções de setes na Bíblia que apontam para as mesmas profecias. Ao todo, dentro das Sagradas Escrituras, exatamente 7 mulheres são chamadas de profetisas. Suas histórias contém características que lembram as características das 7 igrejas apocalípticas.

01 – MIRIAM – Ex 15.20 – É digno de nota que, em sua história, ela começou bem sua carreira de fé, mas depois esfriou – tal como a 1.ª Igreja do Apocalipse – Éfeso;

02 – DÉBORA – Jz 4.4 – Viveu em época de guerra – Esmirna padeceu sob as perseguições romanas;

03 – HULDA – 2 Rs 22.14 – Em seu tempo, Israel passava por uma grande frieza espiritual, até que houve um poderoso despertamento – na Igreja de Pérgamo a situação estava do mesmo jeito;

04 – NOADIAS – Neemias 6.14 – Foi uma profetisa inimiga, que tentou impedir a reconstrução de Jerusalém, no tempo de Neemias – Coincidentemente na igreja de Tiatira havia uma mulher (Jezabel) que tentava atrapalhar a obra de Deus;

05 – ESPOSA DE ISAIAS – Is 8.3 – É significativo que ela não seja mencionada pelo nome e que Isaías foi o profeta que mais falou do REMANESCENTE, isto é, um grupo de fiéis, que não se deixou corromper em meio a apostasia de Israel. Na Igreja em Sardes, Jesus fala dos poucos fiéis, o remanescente que não se deixou corromper – essa época profética da Igreja coincide exatamente com o período da Idade Média, que culminou com a Reforma Protestante, conforme explicado no estudo sobre as 7 parábolas proféticas.

06 – ANA – Lc 2.36 – Representa a Igreja avivada, que espera a manifestação de Jesus – e realmente Ana contemplou Jesus na Sua 1.ª Vinda – Um paralelo impressionante com a 6.ª Igreja do Apocalipse, Filadélfia, que recebeu a promessa de Jesus de ser guardada da ira vindoura;

07 – JEZABEL – Ap 2.20 – Impressionantemente a 7.ª mulher chamada de profetisa na Bíblia é uma mulher mundana, que se diz cristã – a mesma característica da 7.ª Igreja, Laodicéia. Tudo isso seriam apenas coincidências?

Exemplo 3 – SETE ANIMAIS EM CONFLITO NO FIM DOS DIAS

No livro do profeta Daniel se fala de muitos animais, mas todos eles se resumem em quatro impérios mundiais. Ao todo, nas profecias só existem 7 animais de destaque que entrarão em conflito no fim dos dias.

01 – um leão com asas – o império babilônico – Daniel 7; Não por acaso, o Iraque (descendente do reino babilônico) voltou a ser assunto freqüente nos noticiários do dia a dia, e em 1991 lançou 40 mísseis contra Israel (40, um número profético, que na Bíblia significa PROVAÇÃO);

02 – um urso (Daniel 7) – o império medo-persa, atualmente conhecido como IRÃ, outro país que tem sido noticia freqüente nos jornais e seu atual presidente, o maluco Mahmoud Ahmadinejad vive vociferando na mídia ameaçando apagar Israel do mapa;

03 – um leopardo com 4 cabeças (Daniel 7) – o império grego; A Grécia é um país sem expressão em nossos dias, mas assim como o Iraque e o Irã voltaram a dar sinais de vida (especialmente contra Israel), devemos esperar o mesmo da Grécia.

04 – um animal terrível de 7 cabeças e 10 chifres (Daniel 7; Apocalipse 13) – o império romano (e também o Anticristo); isso mesmo. Esse 4.º animal representa ao mesmo tempo um império e seu diabólico imperador. As profecias indicam a restauração do antigo império romano, e em nossos dias, os mesmos países que formavam um país único na época da 1.ª Vinda de Cristo, voltaram a se unir, formando a União Européia. Coincidência?

05 – um monstro que saiu da terra (Apocalipse 13.11) – um enganador líder religioso chamado de Falso Profeta, que se levantará nos últimos dias, como o sacerdote do Anticristo.

06 – um dragão vermelho com 7 cabeças (Apocalipse 12) – Este é o próprio Satanás, o verdadeiro chefe por trás de todos os 5 animais anteriores; mas depois dele vem alguém muito mais poderoso, o 7.º animal do Apocalipse!

07 – O Cordeiro! Em todo o livro do Apocalipse é citado um Cordeiro que irá vencer e destruir todos os animais citados anteriormente. Esse Cordeiro é o Próprio Rei dos reis e Senhor dos senhores, JESUS CRISTO (Apocalipse 5.5). A história avança para seu clímax.

Exemplo 4 – SETE MULHERES ESTÉREIS

Em Isaias 54.1, o profeta compara o povo de Deus com uma mulher estéril, que não podia ter filhos, mas agora está pulando de alegria porque tem muitos filhos. Seria por acaso que em toda a Bíblia são mencionadas 7 mulheres que sofriam por causa de sua esterilidade e que foram curadas pelo SENHOR? Se o povo de Deus é comparado a uma mulher estéril, seria imaginação demais ver nessas 7 mulheres outra profecia das 7 igrejas do Apocalipse? Vejamos.

01 – SARA (Gn 11.30) – Começou bem sua carreira de fé, mas depois esfriou. Olha a principal característica de Éfeso novamente.

02 – REBECA (Gn 25.21) – Em seu ventre havia duas nações em conflito – joio e trigo. Aqui lembramos da 2.ª parábola profética que fala de dois tipos de pessoas dentro do reino de Deus. E na Igreja de Esmirna falsos judeus estavam tentando sabotar a obra de Deus.

03 – RAQUEL (Gn 29.31) – “Ora, tendo Labão ido tosquiar as suas ovelhas, Raquel furtou os ídolos que pertenciam a seu pai” (Gn 31.19). Na história de Sara e Rebeca não se fala de ídolos, mas na de Raquel sim. Nas cartas às igrejas de Éfeso e Esmirna não se toca no tema idolatria, mas em Pérgamo...

Carta à Igreja de Pérgamo – “...entretanto, algumas coisas tenho contra ti; porque tens aí os que seguem a doutrina de Balaão, o qual ensinava Balaque a lançar tropeços diante dos filhos de Israel, introduzindo-os a comerem das coisas sacrificadas a ídolos e a se prostituírem” (Apocalipse 2.14).

“Então disse Jacó à sua família, e a todos os que com ele estavam: Lançai fora os deuses estranhos que há no meio de vós, e purificai-vos e mudai as vossas vestes. (...) Entregaram, pois, a Jacó todos os deuses estranhos, que tinham nas mãos, e as arrecadas que pendiam das suas orelhas; e Jacó os escondeu debaixo do carvalho que está junto a Siquém.” (Gênesis 35.2-4).

04 – A MÃE DE SANSÃO – Jz 13.2-3 - Seu filho foi derrotado, iludido por uma prostituta. Exatamente na 4.ª Igreja, Tiatira, se fala de uma sedutora mulher, Jezabel, que estava perturbando o povo de Deus com sua prostituição e havia derrubado muitos fiéis. Dalila representa a sedutora meretriz de Apocalipse 17, uma igreja falsa, anticristã e sedutora, que derrubará muitos cristãos nos tempos finais.

05 – ANA – I Sm 1.2 – A mãe de Samuel viveu numa época de crise espiritual em Israel, onde está escrito que a palavra de Deus era escassa naqueles dias (I Samuel 3). Ana era uma remanescente – Tal qual os sobreviventes na Igreja de Sardes.

06 – A SUNAMITA – 2 Rs 4.14 – Se estas 7 mulheres têm alguma coisa a ver com as 7 igrejas, a 6.ª tem que ter algo relacionado à 6.ª igreja (Filadélfia, a Igreja que tem a promessa do Arrebatamento). E realmente os paralelos são impressionantes.

O filho dessa mulher morreu e ressuscitou, e na sua época três ressurreições aconteceram. Em seu tempo viveram os profetas Elias e Eliseu. E o mais interessante: Em seus dias aconteceu o Arrebatamento de Elias. Que indicação profética poderia ser mais clara?

07 – ISABEL – Lc 1.7 – A mãe de João Batista. Em sua época, Jesus veio, havia poucos fiéis (Ana, Simeão, etc.), e um desses (João Batista) foi decapitado.

Nos últimos dias serão poucos os cristãos fiéis, sofrerão perseguições terríveis e muitos serão até decapitados (Ap 20.4). Tudo se encaixa perfeitamente.

Exemplo 5 – SETE PESSOAS CHAMADAS POR DEUS COM A REPETIÇÃO DOS SEUS NOMES

Em toda a Bíblia existem somente 7 exemplos de pessoas que foram chamadas por Deus com a repetição dos seus nomes. Por que 7?

SÃO 4 NO ANTIGO TESTAMENTO

01 - Abraão (Gn 22.11);
02 - Jacó (Gn 46.2);
03 - Moisés (Ex 3.4);
04 - Samuel (I Sm 3.10).

E 3 NO NOVO TESTAMENTO (a divisão de 7 em 3 e 4).

05 - Marta (Lc 10.41);
06 - Simão Pedro (Lc 22.31);
07 - e Saulo de Tarso (At 9.4).

Essa divisão já chama a atenção, pois os quatro do Antigo Testamento refletem muito bem a história passada de Israel, assim como os 3 do Novo Testamento refletem a história atual e futura. Vejamos.

NO ANTIGO TESTAMENTO

01 - Abraão (Gn 22.11) – O inicio da caminhada de Israel com Deus;
02 - Jacó (Gn 46.2) – Os altos e baixos da vida espiritual de Israel;
03 - Moisés (Ex 3.4) – A relação de Israel com a Lei, chamado para ser um exemplo para as nações;
04 - Samuel (I Sm 3.10) – Israel avivado diante de Deus.

E o que aconteceu com Israel no Novo Testamento? Rejeitou Jesus, foi expulso de sua terra e futuramente terá um encontro dramático com Jesus. Será que podemos ver isso nos três últimos personagens que foram chamados com a repetição dos seus nomes? (Detalhe: No Novo Testamento os três foram chamados por JESUS).

NO NOVO TESTAMENTO

05 - Marta (Lc 10.41) – Aqui aparecem duas mulheres: uma (Maria) está sedenta pelos ensinamentos de Jesus, a outra (Marta) faz pouco caso. Exatamente o que aconteceu na história profética real. Israel rejeitou a mensagem de Jesus, e os Gentios a aceitaram. Em outras palavras: Israel (Marta) fez pouco caso da Palavra de Deus, enquanto que a Igreja (Maria) estava sedenta de conhecer mais. Quem pode negar esse paralelismo profético?

06 - Simão Pedro (Lc 22.31) – Negou Jesus três vezes, e depois, arrependido voltou para o Mestre. Exatamente a situação atual de Israel. Depois de ter rejeitado Jesus e passado por várias aflições, tornará para Deus, num futuro muito breve.

Existe um outro detalhe profético nessa história.

“Nesse instante o galo cantou pela segunda vez. E Pedro lembrou-se da palavra que lhe dissera Jesus: Antes que o galo cante duas vezes, três vezes me negarás. E caindo em si, começou a chorar.” (Marcos 14.72)

Os judeus dividiam a noite em quatro vigílias (6, 9, meia-noite, 3 e 6 da manhã). A 3.ª vigília era chamada de cantar do galo.

“Vigiai, pois; porque não sabeis quando virá o senhor da casa; se à tarde, se à meia-noite, se ao cantar do galo, se pela manhã;” (Marcos 13.35)

Existe uma palavra de Jesus sobre Sua Segunda Vinda relacionada com as vigílias da noite, em Lucas 12.36,38:

“... e sede semelhantes a homens que esperam o seu senhor, quando houver de voltar das bodas, para que, quando vier e bater, logo possam abrir-lhe. (...) Quer venha na segunda vigília, quer na terceira, bem-aventurados serão eles, se assim os achar.”

Quando Ele virá? Na segunda ou na terceira vigília. A harmonia das profecias é impressionante.

Entre a segunda e a terceira vigília fica a meia-noite. Ele virá à meia-noite (Mateus 25.6), exatamente entre a segunda e terceira vigília (claro que isso é uma linguagem simbólica, não significando que Ele virá literalmente à meia-noite, embora isso também seja possível).

Mais uma revelação. De acordo com o Salmo 90.4, mil anos aos olhos de Deus é equivalente a uma vigília da noite.
Recapitulando:

- Um cantar do galo = uma vigília.
- Uma vigília = 1000 anos

Logicamente, dois cantar do galo = duas vigílias = 2.000 anos. Não inventamos isso, simplesmente seguimos os significados que a própria Bíblia dá às coisas.

Qual a conclusão final? Aquilo que já mostramos anteriormente, ou seja, de acordo com o profeta Oséias (cap. 6.1-3), a restauração de Israel acontecerá DEPOIS DE DOIS DIAS. Uma coisa é incontestável: atualmente, após quase 2000 anos Israel está de volta à sua terra, o que, de acordo com Ezequiel 36 é o primeiro passo para sua restauração espiritual.

07 - e Saulo (At 9.4) – Este teve que cair por terra para poder reconhecer que Jesus é o verdadeiro Messias. Simboliza claramente a conversão de Israel quando Jesus voltar, em grande poder e glória (Zacarias 12).

Exemplo 6 – JOSÉ E AS 7 VACAS DO EGITO

No livro do profeta Isaias Deus declara que conhece o fim desde o principio (Isaias 46.9-10; 48.3). Todas as histórias reais do livro de Gênesis se parecem exatamente com certos acontecimentos que ocorreram na História milhares de anos depois, relacionados ao Plano de Deus. Vejamos um exemplo na história de José, que é ao mesmo uma fantástica profecia para o futuro.

• Tal como Jesus, José foi odiado pelos próprios irmãos – Gênesis 37.4; João 7.5; 15.24.
• José foi vendido por 20 moedas; Jesus foi vendido por 30 – Gênesis 37.28; Mateus 26.
• Rúben procurou impedir que José fosse morto; a mulher de Pilatos fez o mesmo com Jesus – Gênesis 37.21; Mateus 27.19.
• Judá propôs a venda de José; o mesmo fez Judas com Jesus (ambos os nomes (=Judá e Judas) tem o mesmo significado, e José e Jesus vem da mesma raiz hebraica)– Gênesis 37.28; Mateus 26.15.
• José foi vendido para Potifar, um oficial egípcio, o qual no inicio o tratou bem, depois o abandonou na prisão; Jesus foi entregue a Pilatos, o qual no inicio queria soltá-lo, depois O abandonou para ser crucificado – Gênesis 39; Lucas 23.
• Ambos (José e Jesus) foram tentados, e venceram – Gênesis 39; Mateus 4.
• Na prisão, José tinha dois colegas: um foi solto, o outro foi enforcado; Na cruz, Jesus estava entre dois ladrões: um foi salvo, o outro se perdeu – Gênesis 40; Lucas 23.
• Com 30 anos, José se tornou governador do Egito; com 30 anos, Jesus começou a pregar – Gênesis 41.46; Lucas 3.23.
• José, rejeitado pelos irmãos, foi aceito pelos egípcios; Jesus, rejeitado pelos irmãos judeus, foi mais tarde aceito pelos Gentios (=nações não israelitas).
• Rejeitado pelos irmãos, José ganha uma noiva no Egito; rejeitado pelos judeus Jesus ganha uma noiva (a Igreja, formada por judeus, mas principalmente gentios).

OS ACONTECIMENTOS FUTUROS

Da mesma forma, o futuro (= A 2.ª Vinda de Jesus Cristo) foi profetizado na história de José.

a) Depois que os irmãos haviam rejeitado a José, sofreram muito. Sendo provados, se aproximaram de José, porém não o reconheceram (Gênesis 42.8). Os judeus que rejeitaram a Jesus sofreram terrivelmente (Lucas 21.24 – a História fala das terríveis perseguições, especialmente as promovidas pela Inquisição da Igreja de Roma e o Holocausto promovido pelos nazistas). A maioria dos judeus já retornou para a sua terra, mas ainda não reconheceram a Jesus (Romanos 11.25).

b) Quando José se fez conhecer aos seus irmãos, eles então se reconciliaram com ele (Gênesis 45.4,15; 50.17-18). Quando Jesus, após a Grande Tribulação, voltar em grande poder e glória, os judeus O reconhecerão como o seu Messias, o qual eles mesmos crucificaram (Zacarias 12.10). Eles então se arrependerão com grande choro e serão salvos num só dia (Isaias 65.18,19; 66.8; Romanos 11.26).

Realmente, Deus conhece o “fim desde o princípio”.

E as 7 vacas? No capítulo 41 de Gênesis mostra que José se tornou o governador do Egito após decifrar o misterioso sonho do Faraó. O poderoso soberano egípcio havia sonhado com 7 espigas mirradas comendo 7 espigas cheias e logo depois (outro sonho), aparecem 7 vacas gordas sendo comidas por 7 vacas magras. Esquisito, não? O homem de Deus explicou que haveria de vir sobre o Egito 7 anos de fartura (as 7 vacas gordas e as 7 espigas cheias). Mas em seguida haveria 7 anos de fome e seca (as 7 vacas magras e as 7 espigas mirradas). Ele mostrou ao Faraó a melhor maneira de vencer as dificuldades e o soberano achou a idéia tão brilhante que o nomeou governador do Egito.

Qual a importância desses 7 anos na profecia? É que os profetas ensinam que Israel irá se reconciliar com Deus após 7 anos de tribulação (miséria, guerra e fome), e os irmãos de José se reconciliaram com ele justamente no período dos 7 anos de fome.

Portanto, novamente uma história dando ênfase ao número 7 e ao mesmo tempo apontando para o futuro. Conhecendo esses fatos é impossível não pensar seriamente na possibilidade de realmente existir um Deus e que a Bíblia é a Sua revelação à Humanidade.

Exemplo 7 – AS 7 PALAVRAS DA CRUZ

É mundialmente conhecido que, enquanto estava crucificado Jesus falou 7 vezes. Será possível que exista uma ligação com as profecias? Particularmente, estudando a Bíblia nesses últimos 18 anos, tenho aprendido que não existe nela nada por acaso, ou seja: nada que esteja ali simplesmente para ocupar espaço.

O número 7 é profético e sempre aparece em situações especiais na Bíblia. Jesus falou exatamente 7 vezes quando estava crucificado e suas palavras se encaixam, na ordem certa, com os eventos do calendário profético de Deus. Jesus falou 3 vezes antes das trevas cobrirem a terra e 4 vezes durante as trevas. Suas primeiras 3 frases tem a ver com o tempo da Igreja na terra, o tempo da Graça de Deus. As 4 últimas frases estão ligadas ao futuro.

01 – QUANDO SUAS MÃOS TOCARAM O MADEIRO, DISSE:

PAI, PERDOA-LHES, PORQUE NÃO SABEM O QUE FAZEM” – Lucas 23.34
Quando mãos humanas tocaram a árvore do Paraíso, começou a tragédia humana, mas Jesus veio para remover essa maldição.

02 – “HOJE, ESTARÁS COMIGO NO PARAISO” – A porta aberta – Lucas 23.43 – É a oportunidade hoje para quem quiser se reconciliar com Deus.

03 – “MULHER, EIS AI TEU FILHO... EIS TUA MÃE...” – João 19.26-27 – Embora essas palavras tenham sido mal interpretadas durante séculos, não há nenhuma prova bíblica de que Jesus estivesse nomeando sua mãe como mãe da Humanidade. Ele estava simplesmente deixando ela aos cuidados do apóstolo João (seu melhor amigo), já que seus irmãos (nessa época) eram (ainda) incrédulos (João 7). Mas essas palavras também possuem um claro significado profético. Assim como João teria agora uma nova família (cuidaria de Maria como se fosse sua mãe), com a morte de Cristo, Deus criou na terra uma nova família chamada Igreja (formada de Judeus + Qualquer um dentre as nações). É O TEMPO ATUAL, quando pessoas de todas as nacionalidades e raças estão se convertendo a Cristo e fazendo parte de uma nova família, que irá morar no Céu.

Cabe observar ainda que, se Jesus estava aqui consagrando Maria como a mãe da Humanidade, como insistem vários teólogos católicos, certamente Ele teria dito: “EIS AÍ A VOSSA MÃE”, já que, ao redor da cruz, estavam não somente João, mas muitas mulheres.

Logo após Jesus deixar sua mãe aos cuidados de João, as trevas caíram sobre a terra. Profeticamente, depois de formada a nova família (quando a Igreja estiver completa), as trevas cairão sobre a terra (será o tempo do reinado do Anticristo de acordo com as claras profecias da Bíblia).

04 – “DEUS MEU! DEUS MEU! POR QUE ME DESAMPARASTE?” – Mateus 27.46-47 – Depois da saída da Igreja da terra, o mundo experimentará o sabor da ira de Deus, o Espírito Santo se afastará da Humanidade e começará o tempo mais angustiante da terra (2 Tess 2; Apocalipse 12.12).

05 – “TENHO SEDE!” – João 19.28 - Por ter rejeitado Jesus, a humanidade terá sede! – Amós 8.11-13. Em Apocalipse 16, o calor do sol aumenta fortemente (7 vezes mais como disse o profeta Isaías, no capítulo 30 do seu livro), e as águas dos rios tornam-se em sangue.

06 – “ESTÁ CONSUMADO!” – João 19.30 – Representa o Final da tribulação, que coincide com o derramar da 7.ª taça do Apocalipse, quando uma voz do céu gritará: “ESTÁ FEITO!” – Apocalipse 16.17.

07 – “PAI, EM TUAS MÃOS ENTREGO O MEU ESPÍRITO” – Lucas 23.46 - Quando todas as coisas estiverem sujeitas Ao Senhor Jesus, Ele entregará Ao Pai todas as coisas restauradas.

“Então virá o fim, quando tiver entregado o reino a Deus, ao Pai, e quando houver aniquilado todo o império, e toda a potestade e força. Porque convém que Ele reine até que haja posto a todos os inimigos debaixo de seus pés. Ora, o último inimigo que há de ser aniquilado é a morte.”
I Corintios 15.24-26.