O BÁSICO PARA VOCÊ ENTENDER O ARQUIVO 7

O BÁSICO PARA VOCÊ ENTENDER O ARQUIVO 7
Tudo que você precisa saber para entender a principal linha de investigação do Arquivo7 - O BÁSICO SOBRE MATEMÁTICA BÍBLICA, SEGUNDO A TESE ARQUIVO 7.

CALCULANDO A VERDADE - A INSPIRAÇÃO DIVINA DA BÍBLIA PROVADA PELA MATEMÁTICA

 

Uma introdução à Matemática Bíblica defendida no Arquivo7, numa exposição bem didática, ideal para quem está entrando em contato com essa tese pela primeira vez ou deseja apresentá-la a algum amigo. 

O "cânon" bíblico está fechado, com 66 livros e 1.189 capítulos, e, neste livro, apresentamos a evidência matemática como prova. 

"Investigue tudo, acredite apenas no que for provado verdadeiro" (paráfrase de 1 Tessalonicenses 5.21)

Adquira esta obra por meio das seguintes opções:

1 - LIVRO DIGITAL - Leia através do aplicativo Kindle em seu celular, tablet, Kindle e computador. Clique neste link: 

https://amzn.to/3gwP0sA

2 - LIVRO FÍSICO (isto é, impresso) - Adquira a partir deste link:

https://loja.uiclap.com/titulo/ua9006/

sexta-feira, 28 de janeiro de 2022

POR QUE ESSAS SIMETRIAS BÍBLICO-MATEMÁTICAS NÃO SERIAM APENAS MERAS CURIOSIDADES BÍBLICAS?

Curiosidades são informações interessantes (e muitas vezes incríveis) mas que, no geral, não significam nada de relevante. Aliás, curiosidades são, muitas vezes, consideradas apenas um conhecimento descartável, sem nenhuma utilidade, servindo apenas para entretenimento intelectual. Se os padrões matemáticos propagados neste site e na Enciclopédia Arquivo7 forem apenas meras curiosidades, não existem razões para levá-los a sério. Curiosidades numéricas podem ser encontradas em qualquer lugar, em qualquer obra, em qualquer livro. 

MAS, PORÉM, ENTRETANTO, TODAVIA, CONTUDO, NO ENTANTO, NÃO OBSTANTE,... 

Dos muitos fatores que descartam os padrões numéricos na Bíblia como mera curiosidades, quero destacar somente três: 

1 – Mais de 300 padrões em apenas uma frase de 7 palavras e 28 letras. 

Sim. A primeira frase da Bíblia, a mais importante sobre a origem do Universo, no hebraico original está recheada de padrões matemáticos – MAIS DE 300 catalogados até agora. Tendo em conta que a maioria desses padrões envolvem números grandes demais para terem sido trabalhados numa época tão remota (cerca de 1500 anos antes de Cristo); e ainda fazem uso de um sistema alfa numérico que – e isso é altamente importante – só seria inventado cerca de 1200 anos depois; é demasiadamente complicado que tais padrões tenham sido elaborados pela limitada mente humana. 

2 – Centenas de padrões arraigados na estrutura dos livros e capítulos bíblicos – e não enfatizando números diferentes, mas exatamente os mesmos que são celebridades nos padrões de Gênesis 1.1. 

É estarrecedora, por exemplo, a quantidade de simetrias que apontam para as posições dos capítulos 37 e 73 da Bíblia. Claramente, isso está muito além de serem meras curiosidades numéricas. 

3 – O colossal destaque dado, no texto aberto, aos números 3 e 7. 

Todas as histórias bíblicas, do Gênesis ao Apocalipse, estão recheadas de exemplos em que os números 3 e 7 são destacados de forma gritante. Com certeza, isso não é mero capricho dos escritores, mas devem significar alguma coisa. 

Agora uma pergunta especialmente para os cristãos, que creem na Bíblia como a inspirada Palavra de Deus: Se esses padrões não significam nada, por que a Bíblia está, literalmente, recheada deles? 

E esta se dirige aos que ainda não creem: Como é que essa “tonelada” de padrões matemáticos foi inserida na Bíblia, já que este livro foi elaborado em épocas antiquíssimas, sem a privilegiada tecnologia da informática que temos hoje? Por exemplo, desafie o maior gênio matemático da nossa época a elaborar uma frase com apenas a terça parte da metade dos padrões que existem em Gênesis 1.1, e você constatará que a coisa não é tão simples! 

EM BUSCA DOS CRÍTICOS 

As pesquisas matemáticas do Arquivo7 estão há mais de 10 anos na internet. O atual site está no ar desde janeiro de 2009, portanto, há 12 anos. Entretanto, antes eu tinha alguns blogs em outras plataformas que, infelizmente, acabaram saindo do ar. 

Bem, mas nestes últimos 12 anos, nenhum crítico da Matemática Bíblica teve coragem para se manifestar aqui. Eu adoraria isso, pois é sempre bom a gente ouvir o outro lado, pois pode fortalecer a nossa tese e prova-la como verdadeira – ou derrubá-la de vez, provando-a como falsa. Mas esses críticos, se houverem, não se manifestam. Alguém poderia alegar que, como meu site não é popular, é normal ninguém aparecer para criticar. Essa alegação não se sustenta, pois existem vários comentários neste site, e alguns criticam minha visão da profecia bíblica. 

Sim, críticos da minha interpretação da Profecia Bíblica aparecem de vez em quando, porém, sobre a Matemática Bíblica, nada. Ou esses críticos têm um desprezo tão grande a essa temática que nem ao menos se dignam a tentar contestá-la... ou não possuem argumentos capazes de contestá-la. 

Na verdade, um dos raros “argumentos” que alguém postou contra mim por aí (não nos comentários do meu site, mas no site dele) foi este: 

“De uns anos para cá, percebi que o Moacir Júnior se tornou mais fanático do que era antes sobre a Bíblia. Passou a idolatrar a Bíblia, achando que até sua divisão em capítulos e versículos é inspirada por Deus. Ele deixou de lado o tema central que é o estudo do enigma do número sete, e passou a divulgar estudos sobre numerologia bíblica ou gematria cabalística evangélica. O rapaz se tornou um grande idólatra da Bíblia. A letra o matou. Ele também nunca abandou [sic] a velha teologia enlatada, ensinada nas igrejas evangélicas até os dias de hoje. E ele segue idolatrando a Bíblia, publicando estudos sobre numerologia. Mas não chega a nenhuma conclusão relevante, exceto a de que a Bíblia é toda inspirada por Deus, desde o primeiro versículo do livro de Gênesis. Ele trabalha com a numerologia baseada no alfabeto grego e hebraico, a mesma utilizada pelos cabalistas esotéricos.” 

Ele ainda me ofertou um versículo bíblico: 

“Para o Moacir Júnior só cabem as palavras que Jesus falou para os fariseus e doutores da Lei de Moisés, que examinavam as Escrituras, pensando encontrar nelas a vida eterna, mas não queriam aceitá-lo. 

‘Vocês, fariseus, escribas e doutores da Lei, examinam em vão as Escrituras, pensando encontrar nelas a vida eterna – apesar de elas darem testemunho de mim –, mas não querem vir a mim para terem vida’ (João 5:39-40).” 

https://miquels777.wordpress.com/2020/02/29/como-descobri-o-segredo-dos-santos-anjos-atraves-do-enigma-do-numero-sete-7/ 

Bem, ele me chamou de idólatra várias vezes, mas não apresentou uma única contestação à minha tese (especialmente sobre as simetrias na divisão da Bíblia em capítulos). 

De vez em quando eu procuro relaxar a mente, caçando críticas às minhas teses bíblico-matemáticas. Mas é como procurar agulhas... nas escaldantes areias do deserto do Saara. 

Também fico incentivando alguns amigos a compartilharem as teses do Arquivo7 com seus amigos céticos, colocando-me à inteira disposição para ouvir e responder a qualquer crítica que me enviarem. Infelizmente, quase ninguém se manifesta. 

Moacir Junior – moacir37junior@gmail.comwww.arquivo7.com.br

 

sexta-feira, 21 de janeiro de 2022

A MARAVILHOSA SIMETRIA DO CANDELABRO – Parte 6

Nas partes anteriores deste artigo (publicadas em 2020, procure lê-las primeiro, antes desta), observamos que existe o seguinte esquema no candelabro do Tabernáculo: 

·       1ª haste: 9 elementos (3 copos, 3 botões e 3 flores);

·       2ª haste: 9 elementos (3 copos, 3 botões e 3 flores);

·       3ª haste: 9 elementos (3 copos, 3 botões e 3 flores);

·       4ª haste: 12 elementos (4 copos, 4 botões e 4 flores);

·       5ª haste: 9 elementos (3 copos, 3 botões e 3 flores);

·       6ª haste: 9 elementos (3 copos, 3 botões e 3 flores);

·       7ª haste: 9 elementos (3 copos, 3 botões e 3 flores); 

Ao todo, temos 22 grupos de 3, que até podemos visualizar assim: 

3,3,3,3,3,3,3,3,3,3,3,3,3,3,3,3,3,3,3,3,3,3 

          Tendo em vista que o maior capítulo bíblico possui 3 dígitos (os 150 capítulos dos Salmos), para harmonizar todas as casas decimais dos números usados nas simetrias envolvendo os itens do candelabro, o número acima ficou assim: 

003.003.003.003.003.003.003.003.003.003.003.003.003.003.003.003.003.003.003.003.003.003 

          Por fim, temos ainda um terceiro grupo de números, originados dos itens do candelabro, que é escrito assim: 

027.012.027 

Temos aí os totais dos itens nos referenciais esquerdo, centro e direito (observe a imagem que encabeça o artigo, para melhor entendimento). 

          Bom, após essas explicações necessárias, atente agora para os seguintes números: 

1ª OPERAÇÃO: 37 elevado a 73: 

3011104700937353238603237541531375343444201655270788531783697471044984243073342239158015955057079636461132367224197 

2ª OPERAÇÃO: 73 elevado a 37: 

876891427553566594100617867320358818569086571684042656865573091384553 

3ª OPERAÇÃO: (37 elevado a 73) + (73 elevado a 37): 

3011104700937353238603237541531375343444201656147679959337264065145602110393701057727102526741122293326705458608750 

          UMA OPERAÇÃO CLARA E UM RESULTADO INCRIVELMENTE INESPERADO 

          Temos a seguir três grupos de números não inventados do nada: 

1º grupo – A soma de 37^73 + 73^37 

3011104700937353238603237541531375343444201656147679959337264065145602110393701057727102526741122293326705458608750 

          2º grupo: Um número formado a partir dos 22 grupos de 3 elementos do Candelabro: 

003.003.003.003.003.003.003.003.003.003.003.003.003.003.003.003.003.003.003.003.003.003 

          3º grupo: 3 números – Um número igual ao número de itens do candelabro, por total nos 3 referenciais: esquerdo, centro e direito: 

027.012.027 

O fato sem sombras de dúvidas, e sem contestação é que: 

1 – Se dividirmos o número do primeiro grupo pelo número do segundo, como não é uma divisão exata, teremos como sobra: 

1280658585386469934536415959732287027085603974989991470981586219 

2 – Se dividirmos esse resultado pelo número do terceiro grupo, como também não é uma divisão exata, teremos outra sobra: 

3152126 

3 – E, se dividirmos esse resultado pela quantidade de capítulos da Bíblia (1.189), não sendo também uma divisão exata, haverá outra sobra: 87!!! 

Ou seja, exatamente o número de ordem de Êxodo 37!!! 

          Pare tudo e atente para esta descoberta. Temos os seguintes fatos ou coincidências espetaculares: 

          1 – Um grupo de números (significativamente relacionados com 37 e 73, dois dos números-chave da Matemática Bíblica), quando submetidos à simetria do candelabro, nos levam, inevitavelmente, a um dos raros capítulos 37 da Bíblia! 

          2 – E o capítulo 37 que aparece não é um qualquer, mas exatamente Êxodo 37, o mais significativo dos 7 capítulos 37, como já demonstramos em muitos artigos e Apêndices da Enciclopédia Arquivo7. 

          3 – Sim, justamente Êxodo 37, que destaca como um dos seus temas, o candelabro! 

          É muito difícil (eu diria impossível) que tudo isso seja simplesmente mero acaso. E se foi planejado as implicações são colossais, pois evidencia que o cânon bíblico está completo com 66 livros e 1.189 capítulos. E mais ainda: pela complexidade da coisa, essa simetria evidencia também que, quem quer que tenha arquitetado tudo isso, possui uma inteligência extraordinária, extraterrena, sobrenatural, divina. 

          Estou plenamente consciente de que a conclusão acima é altamente polêmica. Mas, conhecendo as outras mais de 300 simetrias bíblico-matemáticas, não vejo como chegar a outra conclusão. 

"As palavras do SENHOR são palavras puras, como prata refinada em fornalha de barro, purificada sete vezes." (Salmos 12.6) 

"Lâmpada para os meus pés é tua palavra, e luz para o meu caminho." (Salmos 119.105) 

Moacir Junior – moacir37junior@gmail.comwww.arquivo7.com.br

sexta-feira, 14 de janeiro de 2022

POR QUE A MATEMÁTICA BÍBLICA É UM PROJETO DIVINO E NÃO UMA MERA CURIOSIDADE BÍBLICA?


         Todas as simetrias matemáticas que temos estudado e coletado na Enciclopédia Arquivo7 só podem ser uma das duas coisas: 

1 – MERA COINCIDÊNCIA – Ou seja, que todos os padrões não passam de puro acaso, sem qualquer significado. 

2 – PROJETO – Em outras palavras, alguém arquitetou cada padrão matemático encontrado na estrutura da Bíblia. 

Essas duas opções são auto excludentes, isto é, só podemos aceitar uma das duas, nunca as duas. Se escolhermos a opção 1, não precisamos buscar nenhuma explicação ou significado profundo. Devemos encarar as simetrias encontradas apenas como curiosidades. 

Por outro lado, se a opção 2 for provada verdadeira, teremos outras duas alternativas a escolher: 

1 – PROJETO HUMANO – Ou seja, seres humanos altamente inteligentes, arquitetaram e executaram todo a matemática entranhada nas Sagradas Escrituras. 

2 – PROJETO NÃO HUMANO – Se as evidências apontarem a impossibilidade humana no projeto, teremos, logicamente, que apelar para a interferência não humana, isto é, extraterrena. 

E aí teríamos outras duas opções: 

1 – ORIGEM ALIENÍGENA – Isto é, raças não humanas, altamente inteligentes e avançadas, inspiraram a Bíblia e arquitetaram os padrões matemáticos encontrados nas Sagradas Escrituras. 

2 – ORIGEM DIVINA – Aqui chegaríamos à alternativa final, corroborada pela própria Bíblia: QUE EXISTE UM DEUS, QUE CRIOU O UNIVERSO E INSPIROU OS HOMENS A ESCREVEREM A BÍBLIA! 

Bem, as alegações reveladas na Enciclopédia Arquivo7 defendem justamente esta ABORDAGEM DA INSPIRAÇÃO DIVINA! 

Neste artigo pretendemos apresentar as evidências que nos levam a essa inusitada conclusão. 

1 – MERA COINCIDÊNCIA? 

Os fatos: A primeira frase da Bíblia, Gênesis 1.1, tem, no original hebraico, 7 palavras e 28 letras. Nessa curta frase, convertida em valores numéricos, podemos apresentar mais de 300 padrões matemáticos. Através da Lei das Probabilidades, podemos constatar que é impossível que um número tão alto de padrões tenha sido fruto de felizes coincidências ou extraordinários alinhamentos de eventos fortuitos e acasos espetaculares. 

2 – PROJETO? 

Mesmo programado, um computador certamente teria dificuldades em plagiar esses 300 padrões de Gênesis 1.1. Aliás, o ser humano é que teria que programar o computador e, portanto, iria se deparar com uma barreira impossível de superar. Se, porém, um computador pudesse pensar por si mesmo, e tendo uma inteligência matemática além da imaginação, talvez, quem sabe, pudesse reproduzir os padrões de Gênesis 1.1. Sabemos que um computador é capaz de fazer milhões de cálculos por segundos, algo inimaginável mesmo para o ser humano mais genial do mundo. 

Sendo assim, procurando por trilhões de combinações, uma, digamos, inteligência artificial, poderia, com razoável facilidade, criar uma frase recheada de padrões matemáticos igual à Gênesis 1.1 – e nesse caso, estaria provando que a inteligência humana não seria capaz de tal façanha. O que nos levaria, inevitavelmente, para um das duas supostas origens da Matemática Bíblica: ALIENÍGENA ou DIVINA. O que já seria suficiente para colocar a Bíblia numa categoria extraordinária e superior. 

          Na Enciclopédia Arquivo7 temos, literalmente, CENTENAS de exemplos para apreciação e julgamento dos céticos. Como o que apresentaremos a seguir, apenas para que os leitores tenham uma pálida ideia da tese defendida aqui. 

OITO CAPÍTULOS EM 8 POSIÇÕES ESTRATEGICAMENTE ESPECIAIS 

Em toda a Bíblia, em seus 1.189 capítulos, existem somente 8 capítulos de números 37 ou 73 (na verdade, 7 capítulos 37 e um 73), que são: Gênesis 37, Êxodo 37, Jó 37, Salmos 37, Salmos 73, Isaías 37, Jeremias 37 e Ezequiel 37. 

Quais as chances de um número coincidir com um desses 8 capítulos especiais? Logicamente, são 8 chances em 1189. 

Ou seja: Pense num número qualquer. Você tem 8 chances em 1.189 de que seu número vá coincidir com o número de ordem de um dos 8 capítulos especiais. Entretanto, para complicar um pouco a coisa, pense num número que seja capaz de possuir as seguintes quatro características: 

Característica 1 – Que seja formado somente pelos números 3, 7, 37 e 73, permitindo-se o zero. Essa parte é muito fácil. 

Característica 2 – Que coincida com um dos 8 capítulos especiais; 

Característica 3 – Que lido ao contrário também coincida com um desses 8 capítulos especiais; 

Característica 4 – E quando dividido por um número formado pelo número de ordem dos dois capítulos com os quais coincidiu, coincida com um terceiro capítulo dos 8 especiais. 

Digamos que seu número escolhido tenha sido 307037073. Ele cumpre o requisito 1? Sim. E os outros três? 

Característica 2 – Coincide com Neemias, capítulo 1º, portanto, NÃO PASSA NESTE ITEM; 

Característica 3 – Coincide com o Salmo 25 que também NÃO PASSA NESTE ÍTEM; 

Característica 4 – E quando dividido pelos números de ordem de Neemias 1 (414) e do Salmo 25 (503), formando um número só, isto é, 414503, coincidirá com Jó 33, portanto, REPROVADO também neste item. 

Conclusão: o número 307037073 só passou em um dos itens (o primeiro), porque é muito fácil escolhermos um número formado por 3, 7, 37 e 73. 

AGORA CONHEÇA UM NÚMERO QUE PASSA NOS QUATRO TESTES ACIMA: 

003000700000000000000000000000000000370000000000000000000000000000000000073

Característica 1 – APROVADO; 

Característica 2 – Coincide com Jeremias 37 – APROVADO; 

Característica 3 – Coincide com Jó 37 – APROVADO; 

Característica 4 – Coincide com Êxodo 37 – APROVADO! 

É impressionante!!! 

E vejam bem! Essa sequência não foi inventada do nada. Os números 3, 7, 37 e 73 estão exatamente onde sempre estiveram em qualquer época da História e sempre estarão, eternamente (e isso é fascinante). Isto é, temos no numerozão acima, uma sequência de números de 1 a 73, com os zeros ocupando os espaços dos números que não são iguais a 3, 7, 37 e 73. 

Como é que essa simetria foi arquitetada? Será que os homens que dividiram a Bíblia em capítulos a elaboraram de tal forma para que fosse gerada a coincidência que vimos acima? Se tal foi o caso, tente imaginar como é que puderam realizar essa proeza. Será que primeiro pensaram no numerozão (formado por 3,7, 37 e 73) e com base nele, fizeram uns cálculos para descobrirem em que posição deveriam colocar certos capítulos 37? Pense como isso seria extremamente complicado. Até porque a posição desses capítulos deveria gerar outras CENTENAS de coincidências (como as divulgadas na Enciclopédia Arquivo7). Aí o projeto seria humanamente impossível. 

Conclusão: Podemos apresentar 300 padrões matemáticos ocultos em Gênesis 1.1, envolvendo os números 3, 7, 37 e 73. E podemos apresentar outros 300 padrões (do mesmo tipo de Gênesis 1.1) desta vez ocultos na estrutura da Bíblia, na sua divisão em capítulos. 

Todos evidenciam, sem sombras de dúvidas, que a Bíblia tem origem extraterrena, divina. Que os céticos fiquem à vontade para (tentarem) derrubar esta tese! 

"Folgo com a tua palavra, como aquele que acha um grande despojo." (Salmos 119.162). 

Moacir Junior – moacir37junior@gmail.comwww.arquivo7.com.br

 

sexta-feira, 7 de janeiro de 2022

O DESAFIO DO BERESHIT

 

UMA SIMETRIA MATEMÁTICA INÉDITA NA PRIMEIRA PALAVRA DA BÍBLIA

Para um dos primeiros artigos deste novo ano, é bem significativo que a gente comece pela primeira palavra do primeiro versículo do primeiro capítulo do primeiro livro da Bíblia. No original hebraico, essa palavra contém 6 letras e as letras usadas tinham, no alfabeto mais primitivo, os seguintes símbolos: 

1ª letra – Bet – valor numérico: 2 – símbolo: CASA

2ª letra – Resh – valor numérico: 200 – símbolo: CABEÇA

3ª letra – Alef – valor numérico: 1 – símbolo: BOI

4ª letra – Shin – valor numérico: 300 – símbolo: DENTE

5ª letra – Yod – valor numérico: 10 – símbolo: MÃO

6ª letra – Tau – valor numérico: 400 – símbolo: SINAL 

Um detalhe curioso, que exploraremos outro dia, é que a segunda palavra da Bíblia, BARA (traduzida como “CRIOU”), está dentro da primeira palavra, nas três primeiras letras. Em outras palavras: a primeira metade da palavra traduzida em nossa língua como “NO PRINCÍPIO” é exatamente igual à segunda palavra, traduzida como “CRIOU”. 

Bem, iremos agora explorar, mais detidamente, o valor numérico dessa palavra inicial. 

O valor numérico da primeira palavra da Bíblia, isto é, 913, não tem atração nenhuma à primeira vista. Seus fatores primos (11 e 83) não são significativos dentro da Matemática Bíblica. Se os padrões matemáticos ocultos em Gênesis 1.1 fossem um projeto humano, certamente os articuladores não teriam começado com um valor tão insignificante. Contudo, dentro dos padrões matemáticos descobertos nesse primeiro versículo da Bíblia, o 913 se revela como tendo uma importância fundamental. Sem ele, toda a simetria que temos descoberto desaba. 

Hoje revelaremos mais uma evidência provando que o número 913 foi, digamos, predestinado para estar no grupo das 7 primeiras palavras da Bíblia. Vamos trabalhar agora com duas das quatro celebridades da Matemática Bíblica, 37 e 73. 

Usando 37 e 73, temos duas combinações possíveis numa operação de potências: 

1ª OPERAÇÃO: 37 elevado a 73: 

3011104700937353238603237541531375343444201655270788531783697471044984243073342239158015955057079636461132367224197 

2ª OPERAÇÃO: 73 elevado a 37: 

876891427553566594100617867320358818569086571684042656865573091384553 

Agora divida o primeiro valor pelo segundo e, como não é uma divisão exata, teremos um resto de: 

319824450205760542245258224664549998179841022098960130485906383195222 

Por fim, divida este resto por 2701 (o valor de Gênesis 1.1, que tem como fatores primos justamente 37 e 73). Como esta divisão também não é exata, teremos outra sobra, de exatamente: 913. 

Em síntese: 37^73 dividido por 73^37, dividido por 37x73, tem como resto final 913. 

Era de se esperar que o resultado fosse igual a algum número múltiplo ou de 37 ou de 73, mas deu 913, que não possui nenhuma conexão matemática com os fatores primos de Gênesis 1.1. Sim, 913 não possui nenhuma relação matemática com 37 ou 73, entretanto, faz parte do conjunto das 7 palavras de Gênesis 1.1 (que, somente quando juntas, se tornam múltiplas de 37 e 73), e isso é impressionante. 

OUTRA CONEXÃO INTRIGANTE 

Se dividirmos o número 2200001300010400 (formado pelos valores da 1ª palavra bíblica) por 2701 (o valor da primeira frase bíblica), teremos, como resto, novamente 913!!! 

Se alterarmos a ordem de alguma dessas letras (por exemplo, trocando de lugares a primeira com a última letra) será que o resultado é o mesmo? Não! 

400200001300010002 dividido por 2701, tem como resto 876. 

Como poderemos formar 720 números diferentes com 6 valores, certamente existem outras combinações que resultem em 913. Teríamos que testar os 720 exemplos pra descobrir, o que não é necessário. O fato dos valores da palavra BERESHIT, divididos pelo total de Gênesis 1.1 resultar no próprio valor, já é outra coincidência espetacular. 

Precisamos enfatizar isso: matematicamente falando, o número 913 não possui nenhuma ligação direta com 2701, 37 ou 73. Nenhuma ligação aparente, mas, quando entra em cena a Matemática Bíblica, somos surpreendidos por vários padrões. Por exemplo, o que veremos a seguir (que não é inédito, mas já foi revelado num dos capítulos da Enciclopédia Arquivo7): 

A SOMA DO CENTRO DOS NÚMEROS TRIANGULARES 

Observe o belo arranjo numérico abaixo. 

1

2        3

4        5        6

7        8        9        10

11      12      13      14      15

16      17      18      19      20      21

22      23      24      25      26      27      28

29      30      31      32      33      34      35      36

37      38      39      40      41      42      43      44      45

46      47      48      49      50      51      52      53      54      55

56      57      58      59      60      61      62      63      64      65      66

67      68      69      70      71      72      73      74      75      76      77      78

79      80      81      82      83      84      85      86      87      88      89      90      91

92      93      94      95      96      97      98      99      100    101    102    103    104          105 

Temos os primeiros 14 números triangulares (os números que ficam no final de cada linha, isto é, 1, 3, 6, 10, 15, etc.). Observe que são 7 linhas pares e 7 ímpares. Somente nas ímpares teremos, obviamente, um número central. 

Destaque todos os números centrais (das linhas ímpares) e teremos: 1,5,13,25,41,61 e 85. A soma total deles é igual a 231. Portanto, quando falarmos aqui de SOMA DO CENTRO DOS NÚMEROS TRIANGULARES, você já sabe o que queremos dizer. A questão que devemos responder agora é: QUAL A PRIMEIRA SOMA DO CENTRO DE UMA SEQUÊNCIA DE NÚMEROS TRIANGULARES, QUE É MÚLTIPLA DE 913? 

Por incrível que pareça, vamos encontrar o 913 pela primeira vez somente a partir do triangular de 73, que é 2701 (que também é múltiplo de 37). 

Ou seja, dentro dos primeiros 73 números triangulares somente 37 possuem um centro (isto é, que pertencem às linhas ímpares), e a soma desses 37 centros é igual a: 

1+5+13+25+41+61+85+113+145+181+221+265+313+365+421+481+545+613+685+761+841+925+1013+1105+1201+1301+1405+1513+1625+1741+1861+1985+2113+2245+2381+2521+2665 = 33781 

Que pode ser também visualizado como 37 x 913!!! 

Mais uma vez: é como se o 913, apesar de não possuir nenhuma conexão direta com os 37 e 73, tivesse sido predestinado para estar na primeira frase da Bíblia que possui o valor total justamente de 37 x 73!!! Ou isso foi projetado ou é uma tremenda coincidência! 

"A tua palavra é a verdade desde o princípio, e cada um dos teus juízos dura para sempre." (Salmos 119.160) 

Moacir Junior – moacir37junior@gmail.comwww.arquivo7.com.br

 


sábado, 1 de janeiro de 2022

AN INTRODUCTION TO BIBLICAL MATHEMATICS IN THE STRUCTURE OF BIBLICAL CHAPTERS

  

AN INTRODUCTION TO BIBLICAL MATHEMATICS IN THE STRUCTURE OF BIBLICAL CHAPTERS 

By Moacir Junior 

If the 28 facts below are actually facts (ie true), then there is some pretty interesting and surprising math in the structure of the Bible. 

1 – The numbers 3 and 7 are the CENTRAL numbers of the Bible, and the two books that are right in the CENTER of the Bible (Micah and Nahum) have, respectively, 7 and 3 chapters! 

2- Only one book in the Bible has 7 chapters and is exactly in the CENTER of the Bible. 

3 – The first book, whose number of chapters is an exact multiple of 3, is precisely the THIRD, that is, LEVITIC, with 27 chapters (3 x 3 x 3). 

4 – And the first book, whose number of chapters is an exact multiple of 7, is precisely the SEVENTH, that is, JUDGES, with 21 chapters (7 + 7 + 7). 

5 – In the entire Bible, only 7 books have, each one, 3 chapters.

 

29

3

Joel

33

7

Micah

34

3

Nahum

35

3

Habakkuk

36

3

Zephaniah

53

3

2 Thessalonians

56

3

Titus

61

3

2 Peter

 6 – The sum total of your ORDER numbers is equal to a HEXAGONAL STAR NUMBER, made up of only digits 3 and 7, ie 337.

 

29

3

Joel

33

7

Micah

34

3

Nahum

35

3

Habakkuk

36

3

Zephaniah

53

3

2 Thessalonians

56

3

Titus

61

3

2 Peter

337*

 

 

 *A rare hexagonal star number made up of only digits 3 and 7.