O BÁSICO PARA VOCÊ ENTENDER O ARQUIVO 7

O BÁSICO PARA VOCÊ ENTENDER O ARQUIVO 7
Tudo que você precisa saber para entender a principal linha de investigação do Arquivo7 - O BÁSICO SOBRE MATEMÁTICA BÍBLICA, SEGUNDO A TESE ARQUIVO 7.

CALCULANDO A VERDADE - A INSPIRAÇÃO DIVINA DA BÍBLIA PROVADA PELA MATEMÁTICA

 

Uma introdução à Matemática Bíblica defendida no Arquivo7, numa exposição bem didática, ideal para quem está entrando em contato com essa tese pela primeira vez ou deseja apresentá-la a algum amigo. 

O "cânon" bíblico está fechado, com 66 livros e 1.189 capítulos, e, neste livro, apresentamos a evidência matemática como prova. 

"Investigue tudo, acredite apenas no que for provado verdadeiro" (paráfrase de 1 Tessalonicenses 5.21)

Adquira esta obra por meio das seguintes opções:

1 - LIVRO DIGITAL - Leia através do aplicativo Kindle em seu celular, tablet, Kindle e computador. Clique neste link: 

https://amzn.to/3gwP0sA

2 - LIVRO FÍSICO (isto é, impresso) - Adquira a partir deste link:

https://loja.uiclap.com/titulo/ua9006/

domingo, 28 de julho de 2019

APRESENTANDO O ARGUMENTO DA MATEMÁTICA BÍBLICA – 2ª versão


1 – A Bíblia é uma coleção de livros, escritos durantes 1.500 anos por cerca de 40 autores diferentes, em diferentes épocas, diferentes lugares, e de diferentes profissões;

2 – Ela passou por três principais fases:

1ª – ELABORAÇÃO DOS LIVROS – Durante 1.500 anos;

2ª – O CÂNON – A seleção e organização didática dos livros – Primeiros três séculos da Era Cristã, por pessoas que NÃO CONHECERAM os autores originais;

3ª – A CLASSIFICAÇÃO em capítulos e versículos – Na Idade Média, por pessoas que NÃO CONHECERAM os responsáveis pelo CÂNON.

3 – Existem centenas de padrões matemáticos na classificação dos capítulos da Bíblia, envolvendo os MESMOS NÚMEROS-CHAVE dos padrões matemáticos da primeira frase do Gênesis, no original hebraico;

4 – Pela Lei das Probabilidades, é impossível que esses padrões matemáticos tenham aparecido por mero acaso. Alguém os colocou lá;

5 – Mas os números envolvidos nesses padrões são tão grandes que somente em avançadas calculadoras modernas foi possível calculá-los;

6 – Sendo assim, a premissa 5 torna impossível a participação humana na elaboração desses padrões;

CONCLUSÃO – Portanto, só Alguém, tipo Deus, seria capaz de elaborar tais padrões.

Cada uma das premissas acima são evidenciadas e demonstradas na Enciclopédia Arquivo7. Para alguém provar que a conclusão é falsa, primeiro tem que provar que, pelo menos, uma das alternativas acima é falsa. Alguém quer tentar?

Mais detalhes sobre a tese defendida, veja na Enciclopédia Arquivo7, totalmente disponível para download, em PDF ou PowerPoint. Clique aqui para acessar os links com os arquivos:


Moacir R. S. Junior – morganne777@hotmail.com

domingo, 21 de julho de 2019

APRESENTANDO O ARGUMENTO DA MATEMÁTICA BÍBLICA – 1ª versão


1 – A Bíblia foi escrita em duas línguas alfa numéricas;

2 – Se convertermos a primeira frase da Bíblia em números, mais de 100 padrões matemáticos surgirão;

3 – Entretanto, pela Lei das Probabilidades, é impossível que esses padrões sejam mera obra do acaso – alguém deve ter incluído eles lá, de propósito;

4 – Mas a conversão das letras hebraicas em valores numéricos só aconteceu cerca de 1200 anos APÓS a elaboração do livro do Gênesis;

5 – Portanto, o autor humano do Gênesis não tinha como elaborar todos os intricados padrões matemáticos do primeiro versículo, sem conhecer o valor das letras;

6 – Mas se Deus existe e, por definição, é um Ser Presciente e Onisciente, saberia, com certeza, antes de o mundo existir, quais valores seriam um dia atribuídos (pelos homens) às letras hebraicas;

CONCLUSÃO - Logo, somente Deus pode ter inspirado a primeira frase da Bíblia, com suas centenas de padrões matemáticos.

Cada uma das premissas acima são evidenciadas e demonstradas na Enciclopédia Arquivo7. Para alguém provar que a conclusão é falsa, primeiro tem que provar que, pelo menos, uma das alternativas acima é falsa. Alguém quer tentar?

Mais detalhes sobre a tese defendida, veja na Enciclopédia Arquivo7, totalmente disponível para download, em PDF ou PowerPoint. Clique aqui para acessar os links com os arquivos:


Moacir R. S. Junior – morganne777@hotmail.com

domingo, 14 de julho de 2019

PROFECIA BÍBLICA – O CÉTICO SEM SAÍDA


As maiores profecias da Bíblia envolvem 3 círculos ou 3 campos de cumprimentos.

1 - Profecias sobre as Nações

O círculo maior, mais amplo, envolve dezenas de nações, tais como: Egito, Assíria, Babilônia, Pérsia, Grécia, Roma, Turquia, etc. São povos demais, com detalhes demais, que desafiam quaisquer probabilidades matemáticas.

2 - Profecias sobre Israel

O círculo médio, mais estreito, trata exclusivamente de uma nação, Israel, com detalhes chocantes a respeito do futuro desse povo – e tais detalhes têm se cumprido na História, até os nossos dias, de forma surpreendente.

3 - Profecias sobre o Messias

O círculo menor, bem mais estreito, envolve as profecias a respeito do Messias, muito mais impressionantes e detalhadas do que os círculos anteriores. Os detalhes proféticos cumpridos na vida de Jesus de Nazaré desafiam todas as probabilidades matemáticas de terem acontecidos por mero acaso.

Implicações desses 3 círculos

O cético não tem saída. Inicialmente, ele teria que contestar o 1º círculo (Nações), porém, são mais de 50 detalhes proféticos que podem ser relacionados com profecias específicas, a respeito de diversos povos citados na Bíblia; depois, teria que contestar o 2º círculo (Israel), uma tarefa ainda mais difícil; por último, precisa contestar o 3º círculo (o Messias), uma tarefa impossível.

A Teoria das Probabilidades deixa claro que, quanto maior o número de dados, mais improvável se torna a adivinhação, até alcançar o ponto do impossível.

Por si mesmo, nenhum ser humano possui o dom (ou capacidade) de acertar 100% um conjunto tão grande de detalhes a respeito de alguém do futuro. Mas os profetas de Israel alegavam receber suas revelações de uma Entidade Superior, a qual se declarava a Única capaz de prever o futuro.

“... diz o Senhor... diz o Rei de Jacó ... mostrai-nos as coisas futuras. Anunciai-nos as coisas que ainda hão de vir, para que saibamos que sois deuses;...”(Isaías 41.21-23)

As revelações e visões do futuro, dadas aos profetas de Israel, fazem o impossível se tornar possível, e provam, sem sombras de dúvidas, que o Deus deles É DEUS!
          
Mais detalhes sobre a tese defendida acima, veja na Enciclopédia Arquivo7, totalmente disponível para download, em PDF ou PowerPoint. Clique aqui para acessar os links com os arquivos


Moacir R. S. Junior – morganne777@hotmail.com

domingo, 7 de julho de 2019

COM A MATEMÁTICA BÍBLICA, SEMPRE TEREMOS UM XEQUE MATE CONTRA OS CÉTICOS


Xeque Mate?

Xeque mate é uma jogada do xadrez que representa o final da partida. Nesta situação, o rei não pode ser coberto por nenhuma outra peça nem mover-se para nenhuma outra casa sem ser tomado por uma peça do adversário.

No xadrez, quando acontece apenas o "xeque", o rei está ameaçado, mas ainda pode escapar. No entanto, quando ocorre o xeque mate, o rei está encurralado e por isso o jogo chegou ao fim.

Dentre as centenas de evidências matemáticas que temos apresentado no Arquivo7, algumas são muito complexas, outras mais simples. Em algumas um cético pode até alegar que forçamos a coincidência porque os cálculos não são tão impressionantes assim. Mas a qualidade da maioria é inquestionável. E, especialmente para aqueles que não acreditam que a divisão da Bíblia em capítulos tenha alguma coisa de sobrenatural, certas coincidências são perturbadoras, pois evidenciam a existência de uma direção única, uma mente única, harmonizando todos os livros.

Quando o cético se vê na obrigação de explicar como certos padrões são capazes de harmonizar uma biblioteca de 66 livros, escritos em épocas diferentes, por pessoas diferentes, em lugares diferentes, ele fica sem saída. Igual ao rei do xadrez que não tem mais o que fazer, está cercado de todos os lados, qualquer movimento e só apressará a derrota.

Primeiramente, é bom que fiquem claros os seguintes fatos:

1 – Os números 3 e 7 são os mais significativos e frequentes nos eventos bíblicos. Só para que se tenham uma leve ideia, os dois dias mais importantes e frequentes na Bíblia são o 3º e o 7º;

2 – A maior parte da Bíblia foi escrita na língua hebraica, inclusive o livro de Gênesis.

3 – O antigo alfabeto hebraico era alfa numérico, isto é, suas letras possuíam valores numéricos.

4 – Mas as letras hebraicas só foram numeradas cerca de 200 anos antes de Cristo.

Georges Ifrah, em sua imortal obra  "HISTÓRIA UNIVERSAL DOS ALGARISMOS - A inteligência dos homens contada pelos números e pelo cálculo”, cita evidências históricas e arqueológicas de que a conversão das letras hebraicas em números (pelos padrões usados em nossa investigação) só foi acontecer por volta do século II ou III antes de Cristo.

5 – Quando a primeira frase da Bíblia foi escrita, o alfabeto hebraico ainda não era alfa numérico.

A maioria dos estudiosos, mesmo não concordando em alguns detalhes, acredita que as primeiras palavras da Bíblia (incluindo os 5 primeiros livros, O PENTATEUCO), foram escritas por volta de 1400 a 1500 anos antes de Cristo – portanto, pelo menos uns 1200 anos antes do alfabeto ser numerado para fins matemáticos.

6 – Quando convertida em números, a primeira frase da Bíblia (Gênesis 1.1) revela interessantes e complexos padrões matemáticos. Temos citado, exaustivamente, centenas de exemplos na Enciclopédia Arquivo7.

7 - Considerando o espaço de tempo entre a redação do Gênesis e a conversão das letras hebraicas em números, torna-se humanamente impossível que os tais padrões numéricos tenham sido obra humana. Podemos facilmente provar isso, através da Lei das Probabilidades.

Façamos agora uma singela experiência, fácil de ser elaborada, envolve cálculos simples, mas o resultado é, mais uma vez, chocante.

E inicialmente, só relembrando que as três palavras principais de Gênesis 1.1 (DEUS, CÉUS e TERRA), possuem, juntas, o significativo e belo valor 777. E relembrando também que, na linha do tempo da Matemática, 777 é o primeiro número onde se encontram, pela primeira vez, como fatores, os números 3, 7 e 37.

Em outras palavras: 3 x 7 x 37 = 777

Vamos agora à experiência.

1º passo – Façamos uma lista com 2701 linhas (2701 é o valor numérico de Gênesis 1.1);

2º passo – Façamos uma coluna, com 2701 linhas, e nela vamos colocar os 28 valores de Gênesis 1.1 (das 28 letras), repetindo até chegar à linha 2701;

3º passo – Façamos uma segunda coluna com todos os 66 livros da Bíblia (com suas respectivas quantidades de capítulos), repetindo até a linha 2701;

4º passo – Agora, vamos elaborar uma terceira coluna, desta vez com a lista de todos os 1.189 capítulos da Bíblia, desde Gênesis 1, repetindo até a linha 2701;

Neste ponto da experiência, lembremos que existe somente um livro bíblico com 7 capítulos no total (Miquéias), que fica bem no centro da Bíblia. Na verdade, como 66 (quantidade de livros bíblicos) é um número par, isto significa que o centro deve conter dois livros (Miquéias, com 7 capítulos e Naum, com 3 capítulos – veja só! 7 e 3).

5º passo – Vamos selecionar somente as linhas onde coincidam Miquéias ou Naum (coluna 2) com capítulos bíblicos iguais a 3 ou 7 (coluna 3);

6º passo – No final, destaque todos os valores da coluna 1 (a coluna dos 28 valores de Gênesis 1.1);

7º passo – Calcule o valor total da coluna 1.

Por incrível que pareça, o resultado será 777!!!

Como esta experiência envolve muitas tabelas, não foi possível reproduzi-las aqui. Entretanto, você vai encontrar todos os detalhes (com todas as tabelas) no capítulo 325 da Enciclopédia Arquivo7, intitulado: “777 - OUTRO XEQUE MATE”.

Um resultado surpreendente!

Passo a passo, seguimos uma lógica bem clara, relacionada diretamente à essência das nossas pesquisas. A lista, com 2701 linhas, não foi por acaso, mas com base no valor numérico da frase bíblica mais importante sobre a origem do Universo.

Depois de preenchermos as 2701 linhas com 3 colunas diferentes (valores das 28 letras de Gênesis 1.1, 66 livros bíblicos e seus 1189 capítulos), separamos, no final, somente as linhas onde os números dos capítulos individuais fossem iguais a 3 ou 7, e paralelos aos livros de Miquéias ou Naum – E RESTARAM SOMENTE 6 LINHAS!!!

O resultado final foi tão chocante, que apaguei tudo e refiz os cálculos do zero, conferindo item por item, capítulo por capítulo. Várias vezes.

Mas não encontrei nenhum erro na experiência.

Em 2701 (37 x 73) linhas somente em 6 situações os capítulos da Bíblia relacionados aos números 3 e 7 coincidem com os livros de Miquéias e Naum (os livros CENTRAIS da Bíblia, que possuem, 7 e 3 capítulos, respectivamente);

Aí, numa jogada final, todos os valores (retirados das 28 letras de Gênesis 1.1), que se encontram NAS MESMAS 6 LINHAS DO ALINHAMENTO RARO DOS NÚMEROS 3 E 7, levam, inevitavelmente, ao incrível e surpreendente valor que representa a HARMONIA UNIVERSAL, nosso velho amigo 777!!!

Para que esses fatos provoquem um impacto ainda maior, considere as próximas informações.

1 ) Moisés escreveu o Gênesis (e o restante do Pentateuco) em cerca de 1470 a.C;

2) Os gregos introduziram a numeração em seu alfabeto por volta de 600 a.C;

3) O Cânon do Antigo Testamento foi completado por volta de 430 a.C. - originalmente, como uma coleção de 24 livros;

4) A Septuaginta (uma tradução grega do Antigo Testamento) começou em torno de 285 a.C. - livros maiores sendo divididos (por exemplo, “Reis” se tornando  “1 Reis” e “2 Reis”, e assim por diante), fazendo com que os originais 24 livros se tornem 39. Praticamente todas as Bíblias cristãs passaram a seguir o esquema da Septuaginta;

5) A numeração alfabética hebraica (como o modelo dos gregos) foi introduzida por volta de 200 a.C;

6) O Cânon do Novo Testamento  foi compilado por volta de 170 d. C., e completado um pouco mais tarde, com os livros de Hebreus, Tiago e III João;

7) No ano 363 d.C., o Concílio de Laodicéia afirmou que apenas o Antigo Testamento e os 27 livros do Novo Testamento deveriam ser lidos nas igrejas; posteriormente, os Conselhos de Hipona (393 d.C.) e Cartago (397 d.C.) também afirmaram os mesmos 27 livros como divinamente inspirados.

Fonte: http://www.whatabeginning.com/BBooks/EyeOpener/P.htm

ANÁLISE

1 - Se a Bíblia tivesse sido elaborada de uma só vez, numa mesma época, por um grupo de pessoas em comum acordo;

2 – Que isso acontecesse na mesma época da conversão das letras do alfabeto em números;

3 – E ainda: que os mesmos autores ainda tivessem o trabalho de dividir tudo em capítulos e versículos, com o total controle sobre a ordem dos livros;

CONCLUSÃO: Com todos esses fatores operando conjuntamente, ainda seria bastante complicado a criação e elaboração de todos os esquemas matemáticos que temos estudado até aqui.

ENTRETANTO:

1 – Se a Bíblia foi escrita num longo período de 1500 anos, por diferentes autores, vivendo em lugares, tempos e condições diferentes, em línguas e culturas diversas;

2 – Se a conversão das letras em números aconteceu em outro tempo, cerca de 1200 depois de escrito o livro do Gênesis;

3 – Se a divisão em capítulos e versículos só veio a ocorrer centenas de anos mais tarde;

Bem, É IMPOSSÍVEL que os autores dos primeiros livros da Bíblia tenham tido condições de criarem todos os padrões matemáticos que temos investigado. Repito: É IMPOSSÍVEL!

As evidências são claras, exatas, arrasadoras. E só a Bíblia possui esse tipo de evidência, com esse alto grau de qualidade. Diante de tudo isso só nos resta dizer uma palavra:

XEQUE MATE!!!

“Como é profunda a riqueza, a sabedoria e a ciência de Deus! Como são insondáveis as suas decisões, e como são impenetráveis seus caminhos!”
(Romanos 11.33, versão católica)



Moacir R. S. Junior – morganne777@hotmail.com