O BÁSICO PARA VOCÊ ENTENDER O ARQUIVO 7

O BÁSICO PARA VOCÊ ENTENDER O ARQUIVO 7
Tudo que você precisa saber para entender a principal linha de investigação do Arquivo7 - O BÁSICO SOBRE MATEMÁTICA BÍBLICA, SEGUNDO A TESE ARQUIVO 7.

sábado, 21 de novembro de 2020

A ESSÊNCIA DA TESE ARQUIVO7 EM 7 ARGUMENTOS – O BÁSICO PARA VOCÊ ENTENDER A PRINCIPAL INVESTIGAÇÃO DO ARQUIVO7

De vez em quando me deparo com a necessidade de explicar, resumidamente, a principal tese do Arquivo7, para alguém que está tendo contato com essas pesquisas pela primeira vez. Como a quantidade de estudos disponíveis é descomunal (não estou exagerando, são cerca de 52.000 páginas, meus amigos), sempre fico sem saber por onde começar. Já tentei elaborar alguns arquivos pra resolver esse problema, mas sempre achei que faltou alguma coisa ou não alcancei o objetivo. Então, recentemente, elaborei um trabalho (disponível no Apêndice 45) que me deixou satisfeito. Acredito que, finalmente, dá pra alguém ter uma ideia (mesmo que básica) sobre a principal investigação do Arquivo7. 

O trabalho original, em PDF, é todo ilustrado, com imagens, tabelas e gráficos, que facilita bastante a compreensão. A seguir, vou transcrever o conteúdo desse estudo (sintetizado é claro!) até onde for possível. Se você, que conhece pouco ou nada sobre o Arquivo7, conseguir compreender os 7 argumentos que irei citar, então terei alcançado meu objetivo. 

1º ARGUMENTO: OS DOIS NÚMEROS “QUERIDINHOS” DA HUMANIDADE SÃO 3 E 7 

EVIDÊNCIA 1 - Em 2014, o jornalista britânico Alex Bellos, publicou uma enquete tentando saber qual o número favorito das pessoas. O resultado foi publicado em seu site em 08 de abril de 2014. Cerca de 30.000 pessoas responderam à pergunta. Não havia uma seleção de números para alguém escolher, a pessoa podia citar qualquer número (um milhão, por exemplo). Mas, no final, quem ficou nos primeiros e segundos lugares? 7 e 3!!! 

EVIDÊNCIA 2 - Em sua famosa obra “OS NÚMEROS GOVERNAM O MUNDO”, o grande matemático e escritor brasileiro MALBA TAHAN dedicou mais capítulos aos números 3 e 7 do que a qualquer outro número. 

EVIDÊNCIA 3 - Na literatura (e no cinema) existem muitos mais títulos envolvendo os números 3 e 7 do que qualquer outro número. Uma pesquisa básica é suficiente para nos dar uma dimensão disso. 

2º ARGUMENTO: OS DOIS NÚMEROS “QUERIDINHOS” DE DEUS SÃO 3 E 7 

EVIDÊNCIA 1 - Em toda a Bíblia é claramente visível o fato de que o número 7 está presente quase que em todas as páginas, citado explicitamente (7 dias, 7 cordeiros, 7 filhas de Jetro, etc.) ou implicitamente (Deus fala 7 vezes com Noé, fala 7 vezes com Abraão na Terra Prometida, se encontra 7 vezes com Jacó, Adão e Eva falam 7 vezes, etc.). 

EVIDÊNCIA 2 - Em toda a Bíblia é claramente visível o fato de que o número 3 TAMBÉM está presente quase que em todas as páginas, citado explicitamente (3 filhos de Noé, 3 filhas de Jó, 3 dias, 3 noites, 3 homens, 3 anjos, 3 medidas, 3 rebanhos, 3 copos, etc.) ou implicitamente (3 vezes o rio Jordão é partido, 3 apóstolos acompanharam Jesus em 3 ocasiões especiais, 3 filhos de Levi, 3 amigos de Jó, 3 maestros de Davi, 3 livros de Salomão, 3 companheiros de Daniel, etc.). 

EVIDÊNCIA 3 - Em todos os dias citados na Bíblia, nenhum aparece mais do que o 3º e o 7º dia, como prova uma pesquisa básica em qualquer versão da Bíblia. 

3º ARGUMENTO: 3 E 7 SÃO “ALMAS GÊMEAS” NA MATEMÁTICA 

As evidências sobre isso são inumeráveis. Somente para que você tenha uma pálida ideia: 

EVIDÊNCIA 1 - O cubo de todo número terminado em 3, SEMPRE gerará um número terminado em 7. 

3x3x3 = 27

13x13x13 = 2197

23x23x23 = 12167

33x33x33 = 35937

43x43x43 = 79507

53x53x53 = 148877

63x63x63 = 250047

73x73x73 = 389017

83x83x83 = 571787

93x93x93 = 804357 

E o cubo de todo número terminado em 7, SEMPRE gerará um número terminado em 3. 

7x7x7 = 343

17x17x17 = 4913

27x27x27 = 19683

37x37x37 = 50653

47x47x47 = 103823

57x57x57 = 185193

67x67x67 = 300763

77x77x77 = 456533

87x87x87 = 658503

97x97x97 = 912673 

EVIDÊNCIA 2 - Se submetidos às 4 operações básicas, 3 e 7 conduzem a um número formado por eles mesmos. 

3 + 7 = 10

7 - 3 = 4

3 x 7 = 21

7 / 3 = 2,333... 

Total: 37,333333... 

Pra deixar bem claro: Nenhuma outra dupla numérica é capaz disso! 

EVIDÊNCIA 3 - A união de 3 e 7 gera um singular número PRIMO (número que só divide, de forma exata, por ele mesmo e por 1). Sim, um dos números mais interessantes do Universo: 37. Algumas razões: 

1 – 37 é um número primo;

2 – O inverso dele, 73, também é um número primo;

3 – Cada um dos seus dígitos, isoladamente, são primos (3 e 7);

4 – O 12º número primo é 37;

5 – O 21º número primo é 73;

6 – 37 x 73 = 2701; por sua vez, 2701 + 1072 (seu inverso) = 3773;

7 – 3773 é a mesma coisa que 7 x 7 x 77. 

4º ARGUMENTO: A 1ª FRASE DA BÍBLIA ESTÁ RECHEADA DE PADRÕES ENVOLVENDO OS NÚMEROS 3, 7, 37 E 73 

Tese defendida no Arquivo7: A primeira frase da Bíblia é singular, inimitável, com uma estrutura matemática impossível de ser reproduzida em qualquer outra frase, sem paralelos na literatura mundial. A primeira frase bíblica não pode ter sido mera criação humana. Com base em que fazemos uma alegação tão ousada? 

Como as línguas originais da Bíblia (hebraico e grego) são línguas alfa-numéricas, toda palavra tem um valor numérico. O padrão matemático que existe nas primeiras palavras da Bíblia é estarrecedor. 

A primeira frase da Bíblia (em Gênesis 1.1) contém, no original hebraico, somente 7 palavras e 28 letras. Sim, e somente nessa pequena frase podemos encontrar mais de 300 padrões matemáticos. A quantidade e complexidade deles evidencia claramente a impossibilidade de terem sido elaborados pela limitada mente humana. 

E ainda resta o fato de que esses padrões estão inseridos num texto escrito cerca de 1500 anos antes de Cristo, numa época primitiva e tecnologicamente limitada, se comparada à nossa. 

5º ARGUMENTO: A ESTRUTURA DOS CAPITULOS BÍBLICOS ESTÁ RECHEADA DE PADRÕES NUMÉRICOS ENVOLVENDO 37 E 73 

Os mesmos números-chave que aparecem no original hebraico da primeira frase da Bíblia (em centenas de padrões, isto é, 37 e 73), também aparecem, de forma impressionante, nas divisões da Bíblia em capítulos. Das CENTENAS de evidências já descobertas, vejamos somente os seguintes exemplos: 

Considere os fatos: 

1 – Na Bíblia toda, somente 7 livros contém capítulo de número 37 (Gênesis, Êxodo, Jó, Salmos, Isaías, Jeremias e Ezequiel); 

2 – Os 7 livros pertencem a 3 grupos diferentes: Lei, Poesia e Profecia. Somente um livro possui um capítulo 37 e um capítulo 73 (Salmos) e fica bem no meio dos 7, como a lâmpada CENTRAL do candelabro; 

3 – A soma dos números de ordens dos livros do grupo 1 é igual a 3 (Gênesis, 1º livro + Êxodo, 2º livro); 

4 – A soma dos números de ordens dos livros do grupo 2 é igual a 37 (Jó, 18º livro + Salmos, 19º livro); 

5 – A soma dos números de ordens dos livros do grupo 3 é exatamente igual a 73 (Isaías, 23º livro + Jeremias, 24º livro + Ezequiel, 26º livro); 

Até aqui todas essas coincidências, por mais complexas que sejam, podem muito bem terem sido arquitetadas por pessoas com uma inteligência altamente brilhante. Poderiam ser artimanhas do senhor Langton (o cara que dividiu a Bíblia em capítulos, por volta do ano 1227). 

Entretanto, ninguém (ser humano) seria capaz de elaborar a próxima coincidência: 

6 – A Bíblia toda contém 1.189 capítulos. Agora guarde as próximas informações: 

a) Contando (a partir do 1º capítulo) até Gênesis 37, iremos parar no 37º capítulo bíblico; 

b) Contando (a partir do 1º capítulo) até Êxodo 37, iremos parar no 87º capítulo bíblico; 

c) Contando (a partir do 1º capítulo) até Jó 37, iremos parar no 473º capítulo bíblico; 

d) Contando (a partir do 1º capítulo) até o Salmo 37, iremos parar no 515º capítulo bíblico; 

e) Contando (a partir do 1º capítulo) até o Salmo 73, iremos parar no 551º capítulo bíblico; 

f) Contando (a partir do 1º capítulo) até Isaías 37, iremos parar no 716º capítulo bíblico; 

g) Contando (a partir do 1º capítulo) até Jeremias 37, iremos parar no 782º capítulo bíblico; 

h) E contando (a partir do 1º capítulo) até Ezequiel 37, iremos parar no 839º capítulo bíblico; 

i) Juntando os 8 capítulos por seus números de ordem, podemos formar o seguinte numerozão: 

037.087.473.515.551.716.782.839 

Quer saber como se lê essa coisa colossal? Trinta e sete SEXTILHÕES, oitenta e sete QUINTILHÕES, quatrocentos e setenta e três QUATRILHÕES, quinhentos e quinze TRILHÕES, quinhentos e cinquenta e um BILHÕES, setecentos e dezesseis MILHÕES, setecentos e oitenta e dois MIL e oitocentos e trinta e nove. 

E agora, eis a mágica: 

Imagine os 1.189 capítulos bíblicos formando um círculo, uma roleta. Agora, se você contar, a partir do 1º capítulo bíblico (isto é, Gênesis 1) até chegar ao capítulo equivalente a 037.087.473.515.551.716.782.839, por mais absurdo e incrível que pareça, você irá parar exatamente no capítulo 37 de Êxodo!!! Ou seja: exatamente um dos 7 capítulos 37 da Bíblia!!! 

ESTA CONTAGEM É IMPOSSÍVEL PARA O SER HUMANO, pois: 

a) Mesmo se você contasse 3 números por segundos, sem parar (e sem dormir), dentro de um ano teria contado somente até 94.608.000 (94 MILHÕES e 608 MIL); 

b) Pra chegar até o numerozão (de 37 SEXTILHÕES), sabe quantos anos você teria que viver, contando sem parar (mesmo sendo 3 números por segundos)? 

1.176.036.070.381.523 (1 QUATRILHÃO, 176 TRILHÕES, 036 BILHÕES, 070 MILHÕES, 381 MIL E 523) ANOS!!! 

Em outras palavras: a coincidência apresentada acima é simplesmente impossível para a limitada mente humana arquitetar. 

6º ARGUMENTO: A 1ª FRASE DA BÍBLIA NÃO PODE TER SIDO ELABORADA PELO HOMEM, SEM A AJUDA DIVINA! 

EXPLICANDO ESTE ARGUMENTO: 

1 – A Bíblia foi escrita em duas línguas alfa numéricas, isto é, que possuíam valores numéricos (hebraico e grego); 

2 – Se convertermos a primeira frase da Bíblia em números, mais de 300 padrões matemáticos surgirão; 

3 – Entretanto, pela Lei das Probabilidades, é impossível que esses padrões sejam mera obra do acaso – alguém deve ter incluído eles lá, de propósito; 

4 – Mas a conversão das letras hebraicas em valores numéricos só aconteceu cerca de 1200 anos APÓS a elaboração do livro do Gênesis; 

5 – Portanto, o autor humano do Gênesis não tinha como elaborar todos os intricados padrões matemáticos do primeiro versículo, sem conhecer o valor das letras; 

6 – Mas se Deus existe e, por definição, é um Ser Presciente e Onisciente, saberia, com certeza, antes de o mundo existir, quais valores seriam um dia atribuídos (pelos homens) às letras hebraicas; 

CONCLUSÃO: Logo, somente Deus pode ter inspirado a primeira frase da Bíblia, com suas centenas de padrões matemáticos. 

Cada uma das 6 premissas acima são evidenciadas e demonstradas na Enciclopédia Arquivo7. Para alguém provar que a conclusão é falsa, primeiro tem que provar que, pelo menos, uma das alternativas apresentadas é falsa. Alguém quer tentar? 

7º ARGUMENTO: A DIVISÃO DA BÍBLIA EM CAPÍTULOS NÃO PODE TER SIDO ARQUITETADA PELO HOMEM SEM A AJUDA DIVINA! 

EXPLICANDO ESTE ARGUMENTO: 

1 – A Bíblia é uma coleção de livros, escritos durante 1.500 anos por cerca de 40 autores diferentes, em diferentes épocas, diferentes lugares, e de diferentes profissões; 

2 – Ela passou por três principais fases: 

a) – ELABORAÇÃO DOS LIVROS – Durante 1.500 anos; 

b) – O CÂNON – A seleção e organização didática dos livros – Primeiros três séculos da Era Cristã, por pessoas que NÃO CONHECERAM os autores originais; 

c) – A CLASSIFICAÇÃO em capítulos e versículos – Na Idade Média, por pessoas que NÃO CONHECERAM os responsáveis pelo CÂNON. 

3 – Existem centenas de padrões matemáticos na classificação dos capítulos da Bíblia, envolvendo os MESMOS NÚMEROS-CHAVE dos padrões matemáticos da primeira frase do Gênesis, no original hebraico; 

4 – Pela Lei das Probabilidades, é impossível que esses padrões matemáticos tenham aparecido por mero acaso. Alguém os colocou lá; 

5 – Mas os números envolvidos nesses padrões são tão grandes que somente em avançadas calculadoras modernas foi possível calculá-los; 

6 – Sendo assim, a premissa 5 torna impossível a participação humana na elaboração desses padrões, sem uma ajuda sobrenatural; 

CONCLUSÃO: Portanto, só Alguém, tipo Deus, seria capaz de elaborar tais padrões. 

Cada uma das 6 premissas acima são evidenciadas e demonstradas na Enciclopédia Arquivo7. Para alguém provar que a conclusão é falsa, primeiro tem que provar que, pelo menos, uma das alternativas apresentadas é falsa. Alguém quer tentar? 

PRA QUE SERVE ESSA MATEMÁTICA BÍBLICA, AFINAL? 

Principalmente para duas coisas (que, diga-se de passagem, SÃO IMPORTANTÍSSIMAS E ESSENCIAIS para a existência do Cristianismo):

1º - Para provar a INSPIRAÇÃO DIVINA da Bíblia, pois as simetrias matemáticas nela contidas NÃO PODEM ser meras artimanhas humanas (pelos argumentos apresentados); 

2º - Para provar que A BÍBLIA ESTÁ COMPLETA, com 66 livros e 1.189 capítulos. Qualquer alteração (um livro a mais ou a menos, ou numa posição diferente, ou um capítulo a mais ou a menos) E TODAS AS SIMETRIAS QUE APRESENTAMOS AQUI SERIAM DESTRUÍDAS! 

          Os detalhes de todos estes argumentos são explicados melhor no Apêndice 45 da Enciclopédia Arquivo7 (para baixa-lo, ou visualizá-lo online, clique neste link:

 https://drive.google.com/file/d/1ZyyuiA2PqBn70yMfFOyAGn6qBgHpuPIc/view). 

Moacir Junior – morganne777@hotmail.com 


Nenhum comentário:

Postar um comentário