O BÁSICO PARA VOCÊ ENTENDER O ARQUIVO 7

O BÁSICO PARA VOCÊ ENTENDER O ARQUIVO 7
Tudo que você precisa saber para entender a principal linha de investigação do Arquivo7 - O BÁSICO SOBRE MATEMÁTICA BÍBLICA, SEGUNDO A TESE ARQUIVO 7.

quinta-feira, 17 de junho de 2021

LIVRO “CALCULANDO A VERDADE”, na Amazon.com

SERÁ QUE DEUS USOU A CIÊNCIA MAIS PERFEITA DO UNIVERSO PARA AUTENTICAR A SUA PALAVRA? Se Deus existe e inspirou a Bíblia não teria deixado uma autenticação clara, profunda o suficiente para atrair a atenção dos acadêmicos, mas simples o bastante para ser compreendida pelos leigos? Essa autenticação ou mensagem teria que ser formulada numa linguagem universal, capaz de ser entendida por qualquer pessoa, em qualquer cultura. Que tal a matemática?

A Bíblia foi escrita num longo período de 1.500 anos, por cerca de 40 diferentes autores, vivendo em lugares, tempos e condições diferentes, em línguas e culturas diversas; a conversão das letras em números aconteceu em outro tempo, cerca de 1.200 anos depois da elaboração do livro do Gênesis; e a divisão em capítulos e versículos só veio a ocorrer centenas de anos mais tarde. Entretanto, existe um alinhamento improvável de números, conectando estes três eventos e gerando surpreendentes padrões matemáticos, como se tudo fosse obra de um só autor. Como isso foi possível? Quem colocou esses padrões matemáticos na Bíblia? E qual a sua intenção? Este livro procura responder essas e outras questões, fundamentado em evidências intrigantes que merecem ser ouvidas.

Clique no link abaixo para comprar o livro.

https://amzn.to/3gwP0sA

segunda-feira, 14 de junho de 2021

AQUILO QUE É INQUESTIONÁVEL, INEGÁVEL, ACIMA DE QUALQUER SOMBRA DE DÚVIDA – Parte 2 de 2

 

Como eu já disse algumas vezes dentro da Enciclopédia Arquivo7, existem, pelo menos, dois tipos de simetrias com as quais costumamos trabalhar: 

          1 – Simetrias que são interessantes, mas podem ser questionadas. Isto não significa que estejam erradas, mas que são baseadas em eventos ou coisas que podem ser questionadas pelos críticos. Por exemplo, se eu descubro uma simetria me baseando no significado de uma certa palavra hebraica e a tradução de tal palavra for controversa. Nesse caso, mesmo que a tradução escolhida por mim seja a mais popularmente aceita pelos estudiosos, o crítico vai alegar que a outra tradução é que é a correta, e que invalida os meus cálculos. No artigo anterior, citei um exemplo desse tipo de simetria. 

          2 – Simetrias retiradas de coisas 100% exatas, fundamentadas em fatos inquestionáveis. As coisas e eventos sobre os quais este tipo de simetria se baseia, são inegáveis, inquestionáveis, acima de qualquer sombra de dúvida. Já revelamos centenas de exemplos na Enciclopédia Arquivo7 e em vários artigos publicados neste site. Mas o próximo exemplo é inédito. 

Primeiro, anote que 7.777.777 é o único número formado exclusivamente por 7 algarismos 7. 

Agora, elabore uma tabela com 7.777.777 linhas e as seguintes colunas: 

Coluna 1 – Numerada de 1 a 7.777.777; 

Coluna 2 – Todos os 1.189 capítulos da Bíblia, a partir de Gênesis 1; 

Coluna 3 – Todos os 66 livros da Bíblia, representados pelo seu total de capítulos; 

A sua missão agora é selecionar todas as linhas que cumprem os seguintes critérios: 

1 – Que todos os números da coluna 1 (números de ordem) contenham somente dígitos 3 e 7 (o ZERO é permitido, senão só teríamos 37 e 73); 

2 – Que todos os números da coluna 1 sejam múltiplos exatos ou de 3 ou de 7 ou de 37; 

3 – Que todos os livros (coluna 3) contenham somente 3 ou 7 capítulos; 

Observe que deixamos a coluna 2 (capítulos bíblicos de fora). 

Bem, após a filtragem feita, restaram somente as 29 linhas, que você pode ver na tabela da imagem que encabeça este artigo.

           Atenção! Se as regras acima foram cumpridas 100%, a tabela apresentada aqui expressa a verdade pura e simples, nada mais além disso. Em outras palavras: ninguém encontrará qualquer erro nessa tabela. E tem mais: num conjunto de 7.777.777 números, por mais que você seja rígido e atencioso, poderá cometer algum erro de cálculo. ENTRETANTO, SE A TABELA ACIMA FOR ELABORADA COM A AJUDA DO COMPUTADOR, AS CHANCES DE HAVEREM ERROS É ZERO, PORQUE O COMPUTADOR, EM MATÉRIA DE CÁLCULOS, É INFALÍVEL! 

          Bem, vamos ao passo final: Calcule a soma total da coluna 2 e você terá, inevitavelmente, 737!!! 

Alguns fatos fascinantes: 

1 – Entre 1 e 7.777.777 existem somente 1.932 números que contêm, exclusivamente, os algarismos 3 e 7 (e o ZERO, obviamente); 

2 – E desses 1.932, somente 839 são múltiplos de 3 ou de 7 ou de 37;

 3 – Desses 839, apenas 29 coincidem com livros que só possuem 3 ou 7 capítulos.

 E no final, descobrimos que a soma total dos capítulos (da coluna 2) contêm somente dígitos 3 e 7, ou seja: 737!!!

          Este é um exemplo de simetria infalível, pois é baseada em dados infalíveis, absolutos. Se houvesse somente este exemplo, por mais incrível que seja, poderíamos descartar como uma extraordinária coincidência, nada além disso. ENTRETANTO, NO ARQUIVO7 TEMOS CENTENAS DE OUTROS EXEMPLOS! Aí o argumento da “mera coincidência” não vale nada. O que você acha? 

Em tempo: Os detalhes da elaboração da simetria revelada aqui, você encontra no APÊNDICE 59 da Enciclopédia Arquivo7, intitulado: "AQUILO QUE É INQUESTIONÁVEL..."

Moacir Junior – morganne777@hotmail.comwww.arquivo7.com.br

segunda-feira, 7 de junho de 2021

AQUILO QUE É INQUESTIONÁVEL, INEGÁVEL, ACIMA DE QUALQUER SOMBRA DE DÚVIDA – Parte 1 de 2

 


Dentro do texto bíblico, o maior número, formado exclusivamente pelo dígito 7, aparece apenas uma vez, em Gênesis 5.31:  “E foram todos os dias de Lameque setecentos e setenta e sete anos, e morreu.” 

Em toda a Bíblia, o maior capítulo com o maior número de dígitos 7 é o Salmo 77!!! 

Agora, deixando de lado a óbvia conexão matemática entre 77 e 777, atente para os seguintes fatos: 

Fato 1 – Todos os livros da Bíblia onde podemos encontrar (uma ou várias vezes) as expressões “TRÊS VEZES” ou “SETE VEZES”, são os seguintes:

Nº de ordem

Livro

Total de capítulos

1

Gênesis

50

2

Êxodo

40

3

Levítico

27

4

Números

36

5

Deuteronômio

34

6

Josué

24

7

Juízes

21

9

1 Samuel

31

11

1 Reis

22

12

2 Reis

25

14

2 Crônicas

36

18

42

19

Salmos

150

20

Provérbios

31

23

Isaías

66

27

Daniel

12

40

Mateus

28

41

Marcos

16

42

Lucas

24

43

João

21

44

Atos

28

47

2 Coríntios

13


Fato 2 – A soma total da coluna 3 é 777!!! Um múltiplo de 3, 7 e 37, ao mesmo tempo. 

          Fato 3 – A soma total da coluna 1 é 438, um múltiplo de 3 e de 73!!! 

          Temos, portanto uma coincidência bem interessante que, tratada isoladamente, poderia ser apenas uma coincidência. Entretanto, quando consideramos o conjunto dos fatos, essa coincidência torna-se SIGNIFICATIVA! Os detalhes da simetria apresentada podem ser encontrados no capítulo 319 da Enciclopédia Arquivo7, intitulado: “777 – XEQUE MATE”. 

          Não é fácil encontrarmos qualquer conjunto de coisas aleatórias cujo total seja 777, isto é, o encontro de 3, 7 e 37, três dos números mais importantes da Bíblia. Sim, não é fácil, porém, não é impossível. Agora a coisa fica ainda mais complexa quando esse total 777 vem de uma seleção bem significativa. No caso, somente os livros onde podemos encontrar, com certeza, as expressões “três vezes” e “sete vezes”, não necessariamente as duas no mesmo livro. 

          Procure, por exemplo, por aí, algum conjunto de livros e selecione somente os livros onde contenha as expressões “três vezes” e “sete vezes”; depois calcule o total dos capítulos deles. Muito provavelmente, você obterá um total que seja múltiplo de 3, pois um a cada três números é múltiplo de 3. Ou dizendo de outra forma: A TERÇA PARTE DOS NÚMEROS DO UNIVERSO É MÚLTIPLA EXATA DE 3!!! 

          Em suma, você terá as seguintes chances, com o seu total de capítulos: 

          Uma chance em três de que o total seja múltiplo de 3;

          Uma chance em sete de que o total seja múltiplo 7;

          Uma chance em 37 de que o total seja múltiplo de 37;

          Uma chance em 777 de que o total seja múltiplo de 3, 7 e 37, AO MESMO TEMPO. 

          Digamos que você tenha, milagrosamente, encontrado um livro, formado por vários livros (tipo a Bíblia) cujo total de capítulos de cada livro em que apareça as expressões “três vezes” e “sete vezes”, seja 777. Qual a chance da soma total dos números de ordem desses livros ser exatamente igual a um múltiplo de 73? 

          Ou seja, a soma total dos capítulos é um múltiplo exato de 37 e a soma total dos números de ordem desses livros é múltipla total de 73.  

          Mas digamos que você realmente tenha conseguido essa proeza. Não sei como, mas você encontrou por aí um livrão (contendo vários livros) que, submetidos ao teste acima, foram aprovados. 

          Espera aí que tem um teste ainda mais rígido. Pegue todos os 66 livros da Bíblia, representados por seus respectivos totais de capítulos e transforme num número só.

Temos aqui todos os 66 livros bíblicos com seus respectivos totais de capítulos:

Nº de ordem Livro Total de capítulos

1 Gênesis 50

2 Êxodo 40

3 Levítico 27

4 Números 36

5 Deuteronômio 34

6 Josué 24

7 Juízes 21

8 Rute 4

9 1 Samuel 31

10 2 Samuel 24

11 1 Reis 22

12 2 Reis 25

13 1 Crônicas 29

14 2 Crônicas 36

15 Esdras 10

16 Neemias 13

17 Ester 10

18 42

19 Salmos 150

20 Provérbios 31

21 Eclesiastes 12

22 Cantares 8

23 Isaías 66

24 Jeremias 52

25 Lamentações 5

26 Ezequiel 48

27 Daniel 12

28 Oséias 14

29 Joel 3

30 Amós 9

31 Obadias 1

32 Jonas 4

33 Miquéias 7

34 Naum 3

35 Habacuque 3

36 Sofonias 3

37 Ageu 2

38 Zacarias 14

39 Malaquias 4

40 Mateus 28

41 Marcos 16

42 Lucas 24

43 João 21

44 Atos 28

45 Romanos 16

46 1 Coríntios 16

47 2 Coríntios 13

48 Gálatas 6

49 Efésios 6

50 Filipenses 4

51 Colossenses 4

52 1 Tessalonicenses 5

53 2 Tessalonicenses 3

54 1 Timóteo 6

55 2 Timóteo 4

56 Tito 3

57 Filemon 1

58 Hebreus 13

59 Tiago 5

60 1 Pedro 5

61 2 Pedro 3

62 1 João 5

63 2 João 1

64 3 João 1

65 Judas 1

66 Apocalipse 22

Transformando esses capítulos num número só, teremos: 

050.040.027.036.034.024.021.004.031.024.022.025.029.036.010.013.010.042.150.031.012.008.066.052.005.048.012.014.003.009.001.004.007.003.003.003.002.014.004.028.016.024.021.028.016.016.013.006.006.004.004.005.003.006.004.003.001.013.005.005.003.005.001.001.001.022  

          Agora transforme num número único todos os totais de capítulos SOMENTE DOS LIVROS QUE CONTENHAM AS EXPRESSÕES “TRÊS VEZES” E “SETE VEZES”, como mostrado na tabela mais acima. 

050.040.027.036.034.024.021.031.022.025.036.042.150.031.066.012.028.016.024.021.028.013 

          Pronto! Agora divida o 1º numerozão pelo 2º, e como não é uma divisão exata, haverá um resto igual a: 

21.527.645.031.421.041.206.890.204.655.630.192.603.322.188.266.603.310.630.120.378.632 

          Por último divida este resto por 1.189 (total de capítulos da Bíblia) e, novamente como não é uma divisão exata, teremos um resto, 555. 

          Agora procure saber qual é o 555º capítulo da Bíblia e descobrirá que É O ÚNICO DE NÚMERO 77 (O SALMO 77)!!! 

          Em outras palavras: o numerozão (formado por todos os 66 livros da Bíblia) contado dentro de um número formado exclusivamente pelos livros que contém as expressões “três vezes” ou “sete vezes” (cuja soma total dos capítulos é 777), terminará no único capítulo de número 77!!! 

          São coincidências demais para serem somente coincidências, e são complexas demais para terem sido elaboradas pela mente humana, você não acha? 

          De que forma alguém poderia contestar a simetria apresentada, sem apelar para o argumento das meras coincidências? Isto é, existiria algum erro nos cálculos ou nas tabelas apresentadas? 

          Como eu já disse algumas vezes dentro da Enciclopédia Arquivo7, existem, pelo menos, dois tipos de simetrias com as quais costumamos trabalhar: 

          1 – Simetrias que são interessantes, mas podem ser questionadas. Isto não significa que estejam erradas, mas que são baseadas em eventos ou coisas que podem ser questionadas pelos críticos. Por exemplo, se eu descubro uma simetria me baseando no significado de uma certa palavra hebraica e a tradução de tal palavra for controversa. Nesse caso, mesmo que a tradução escolhida por mim seja a mais popularmente aceita pelos estudiosos, o crítico vai alegar que a outra tradução é que é a correta, e que invalida os meus cálculos. 

          Ou se eu descubro uma simetria baseada na quantidade de vezes em que certa palavra aparece na Bíblia, em vários livros, sendo um deles, o Evangelho de João. Entretanto, o crítico pode descobrir, em alguma versão não muito conhecida, algum exemplo em que o Evangelho de João NÃO CITA A TAL PALAVRA NENHUMA VEZ! Mesmo que a versão usada por ele não seja considerada de confiança pelos especialistas, o crítico se agarrará a ela com força, a fim de invalidar a minha tese. A simetria que apresentei hoje faz parte dessa categoria. Por exemplo, a expressão “três vezes” aparece somente uma vez no livro de Jó (Jó 33:29). 

          Aí quando damos uma olhada em algumas versões, percebemos que, embora a maioria use a tal expressão, contudo, isto não é unanimidade: 

(ACF)  Eis que tudo isto é obra de Deus, duas e três vezes para com o homem,

(ARA)  Eis que tudo isto é obra de Deus, duas e três vezes para com o homem,

(ARC)  Eis que tudo isto é obra de Deus, duas e três vezes para com o homem,

(CATOLICA) Veja! Deus faz tudo isso duas e até três vezes em favor do homem,

(NTLH)  “Deus faz tudo isso com a gente e faz várias vezes.

(NVI)  "Deus faz dessas coisas ao homem, duas ou três vezes,

(PJFA)  Eis que tudo isto Deus faz duas e três vezes para com o homem,

(VIVA) Sim, Deus faz essas coisas acontecerem na vida do homem, em alguns casos duas ou três vezes,

(Vulgata latina) ecce haec omnia operatur Deus tribus vicibus [três vezes] per singulos

(LXX, a SEPTUAGINTA, famosa tradução do Antigo Testamento hebraico para o grego, em cerca de 2 séculos antes de Cristo):  ιδου παντα ταυτα εργαται ο ισχυρος οδους τρεις [TRÊS] μετα ανδρος 

Algumas versões internacionais: 

New Living Translation

“Yes, God does these things again and again for people.” [tradução automática: Sim, Deus faz essas coisas repetidamente pelas pessoas] 

English Standard Version

“Behold, God does all these things, twice, three times, with a man," [tradução automática: Eis que Deus faz todas essas coisas, duas, três vezes, com um homem] 

Berean Study Bible

“Behold, all these things God does to a man, two or even three times,” [tradução automática: Veja, todas essas coisas que Deus faz ao homem, duas ou até três vezes] 

King James Bible

“Lo, all these things worketh God oftentimes with man,” [tradução automática: Vejam, todas essas coisas operam Deus muitas vezes com o homem] 

New King James Version

“Behold, God works all these things, Twice, in fact, three times with a man,” [tradução automática: Eis que Deus opera todas essas coisas, duas vezes, na verdade, três vezes com um homem] 

New American Standard Bible

“Behold, God does all these things for a man two or three times,” [tradução automática: Eis que Deus faz todas essas coisas por um homem duas ou três vezes] 

Fica claro que a maioria das versões concordam com a tradução “duas ou três vezes”. 

Mas o que diz o original hebraico? A palavra que aparece é שָׁל֣וֹשׁ, que os dicionários e léxicos traduzem como “três vezes”, entre outras expressões relacionadas ao número 3. Na verdade, são duas palavras que aparecem lado a lado: פַּעֲמַ֖יִם שָׁל֣וֹשׁ. Esta segunda palavra, em hebraico, significa “DUAS VEZES”. Portanto, a maioria das traduções é coerente quando traduz por “DUAS OU TRÊS VEZES”. 

Sendo assim, a simetria matemática apresentada mais acima está correta, porém, como envolve traduções controversas, não faz parte do tipo que eu gosto de propagar. 

          2 – Simetrias retiradas de coisas 100% exatas, fundamentadas em fatos inquestionáveis. As coisas e eventos sobre os quais este tipo de simetria se baseia, são inegáveis, inquestionáveis, acima de qualquer sombra de dúvida. Já revelamos centenas de exemplos na Enciclopédia Arquivo7 e em vários artigos publicados neste site. Mas o próximo exemplo é inédito. 

Moacir Junior – morganne777@hotmail.comwww.arquivo7.com.br

sexta-feira, 28 de maio de 2021

TRÊS PRINCIPIOS BÁSICOS SOBRE AS PROFECIAS BÍBLICAS

 

1.º Princípio - A PROFECIA BÍBLICA SE APRESENTA DE TRÊS FORMAS: LITERAL, SIMBÓLICA E TIPOLÓGICA 

a)    Literal - Significa exatamente aquilo que o texto diz. 

          Se os judeus foram expulsos de sua terra literalmente, eles retornarão literalmente (Ez 36.24). 

          b) Simbólica - Quando a mensagem é transmitida por meio de símbolos.         

Um símbolo bíblico só pode significar aquilo que a Bíblia diz que ele significa. Exemplos: Ap 13.1, 17.12,13. 

          c) Tipológica - Teologicamente, um TIPO é alguém ou um acontecimento do passado que prefigura alguém ou um evento do futuro. 

          - O tipo é a profecia (Gn 22.6)

          - O antítipo é o cumprimento da profecia (Jo 19.17)

          - Um dos exemplos mais recheados de tipos é a história de José (de Gênesis 37 a 50). Nela podemos visualizar claramente a história de Jesus (especialmente Sua morte e Ressurreição) e a história de Israel (passado, presente e futuro). Veja, por exemplo, o capítulo 248 da Enciclopédia Arquivo7, intitulado: “JOSÉ - UMA AMOSTRA GRÁTIS DE JESUS”. 

Quando consideramos a Tipologia, TODA A BÍBLIA TORNA-SE PROFECIA 

          Sim. Primeiro, faça um estudo básico sobre as profecias bíblicas e depois dê uma olhada em algumas histórias (literais) da Bíblia. Ao reler cada história, pela “lupa da profecia”, você passará a ver os eventos com outros olhos, e perceberá que: todas as histórias reais da Bíblia são, ao mesmo tempo, reflexos dos acontecimentos futuros. 

          Veja, por exemplo, o cenário envolvendo Jesus, Jairo e a mulher do fluxo de sangue (Marcos 5; Lucas 8.). Primeiro, chama a atenção que: 

          A mulher do fluxo de sangue sofria há 12 anos – e a filha de Jairo tinha 12 anos de idade. Ou seja, a filha de Jairo nasceu no mesmo ano em que a mulher adoeceu. Quando constatamos que o número 12 é profético, isto é, muito significativo nas profecias, é fácil suspeitar que ele não entrou nessa história por mero acaso ou apenas para preencher espaço.         

          Veja os detalhes proféticos dessa história no capítulo 141 da Enciclopédia Arquivo7, intitulado: “AS AMOSTRAS GRÁTIS DO ARREBATAMENTO”. 

          O isolamento profético de Israel em três exemplos do passado – Mc 5.40 

          a) O isolamento de Jacó – Gn 32

          b) O isolamento de José e seus irmãos – Gn 45

          c) A mulher adúltera – Jo 8 

          O futuro isolamento de Israel – Zacarias 12 e 14. 

          Uma advertência: todos os “tipos proféticos” tem que estar em concordância com a profecia literal. Isto é, nenhuma profecia pode ser deduzida de uma história literal sem que haja claramente um exemplo na profecia literal. 

          Exemplo: Não é porque Jácó ficou sozinho ao se encontrar com Deus (Gênesis 32) que isto terá que acontecer com a nação de Israel; mas as profecias literais (Zacarias 12 e 14, por exemplo) deixam claro que, quando chegar o tempo de se reconciliar com seu Messias, Israel ficará isolado mundialmente (todos contra ele). E este fato parece se refletir, simbolicamente, em muitas histórias da Bíblia. 

“... mostrai-nos as coisas futuras. Anunciai-nos as coisas que ainda hão de vir, para que saibamos que sois deuses; ...” (Isaías 41.22,23) 

2.º Princípio – GERALMENTE HÁ UMA “AMOSTRA GRÁTIS” 

          As profecias bíblicas costumam apresentar pré-cumprimentos, ou seja, um cumprimento parcial de algo que terá de acontecer futuramente. Isto é, uma “amostra grátis” das coisas que ainda irão acontecer. Vejamos, resumidamente, alguns exemplos: 

         a) O Dia do Senhor ANTES do Dia do Senhor. Quando os profetas anunciavam a chegada do fim para Israel (Ezequiel 7), isso indicava a invasão iminente de uma poderosa nação inimiga, mas ao mesmo tempo apontava para a pior angústia de Israel no fim dos tempos (Sofonias 1). 

         b) A destruição da Babilônia de Nabucodonosor foi ao mesmo tempo uma “amostra grátis” da destruição da futura Babilônia anticristã – Isaias 13; Jeremias 50 e 51; Apocalipse 18. É fácil deduzir isto pois a Babilônia do passado foi destruída por apenas duas nações aliadas (Medos e Persas), mas a futura será destruída por uma “multidão” de nações, de várias partes da terra. 

         c) Antes da 1.ª Vinda de Jesus, muitos homens santos parecidos com Ele (Moisés, Elias, João Batista, etc.) andaram na terra. Muita gente perguntou para João Batista: “ES TU O MESSIAS?” (João 1.19-21). Eles eram, por assim dizer, uma AMOSTRA GRÁTIS DE JESUS. A Bíblia chama isso de “SOMBRAS DAS COISAS FUTURAS” (Colossenses 2.16-17). 

         d) Antes da vinda do verdadeiro Anticristo, muitos Anticristos irão se levantar (1 João 2.18): A História comprova que a lista é grande: Nero, Napoleão, Stalin, Hitler, Saddam Hussein, Osama Bin Laden, etc.        

         e) O derramamento PARCIAL (Atos 2 “derramarei DO meu Espírito”) e TOTAL do Espírito (“derramarei O meu Espírito” Joel 2.28). É fácil constatarmos que atualmente o Espírito de Deus está sendo derramado sobre uma pequena parte da Humanidade, pois o mundo vive no maligno; entretanto, quando Jesus estabelecer Seu Reino na Terra, “TODA a Terra se encherá do conhecimento do SENHOR” (Isaías 11.9; Habacuque 2.14). 

         f) Isaias 53.4 e a Cura Divina. Se Jesus já carregou as nossas enfermidades, por que então ainda adoecemos? Uma resposta simples, mas não simplória, é que, na cruz Jesus já GARANTIU a cura total do nosso corpo (inclusive a vitória final sobre a morte), porém, a EFETIVAÇÃO dessa operação ainda não aconteceu. Mais detalhes, veja o capítulo 195 da Enciclopédia Arquivo7, intitulado “OPERAÇÃO QUIASMA - O FUTURO ESTÁ NO PASSADO - Parte 2”. 

         g) Quando a Igreja Cristã age realmente como a Agência de Deus na terra, restaurando os perdidos, curando os enfermos, sarando as almas, e edificando o mundo, está, por assim dizer, dando uma AMOSTRA GRÁTIS do que será o futuro Reino de Deus na terra, quando Jesus voltar. 

POR QUE A PALAVRA DE DEUS É ATUAL EM CADA ÉPOCA? 

         Na época de João já havia “muitos Anticristos” (1 João 2.18), o espírito dele já soprava (1 João 4.1), o “mistério da iniqüidade” já operava (2 Tessalonicenses 2.7) e já havia uma ameaçadora “Babilônia” (1 Pedro 5.13). Ou seja: Cada época tem o seu Anticristo, a sua Babilônia, e um povo de Deus sendo perseguido.        

          Um pensamento que resume e explica tudo o que vimos aqui pertence ao famoso filósofo Lord Bacon, que disse: 

          “As profecias divinas floresceram e germinaram realizações ao longo de muitas épocas, embora a altura ou plenitude delas possa pertencer a certa época."  

"E temos, mui firme, a palavra dos profetas, à qual bem fazeis em estar atentos, como a uma luz que alumia em lugar escuro, até que o dia amanheça, e a estrela da alva apareça em vossos corações." 2 Pedro 1:19 

3.º Princípio - GERALMENTE HÁ UM CUMPRIMENTO ESPIRITUAL ANTES DO CUMPRIMENTO LITERAL 

          a) Na 1.ª Vinda de Jesus, Ele trouxe libertação ESPIRITUAL para Israel; na 2.ª Vinda Ele trará libertação ESPIRITUAL e FÍSICA para Israel.

         b) Atualmente os cristãos estão (espiritualmente) assentados com Cristo nas regiões celestiais (Efésios 2.6); futuramente estaremos com Ele, assentados em tronos, no futuro reino (Apocalipse 3.21).

         c) A redenção começa com a transformação do nosso HOMEM INTERIOR (Efésios 2.1,5); No Arrebatamento e Ressurreição, será também transformado nosso HOMEM EXTERIOR (1 Coríntios 15.51-54).

         d) Atualmente muitas estrelas (homens de Deus) estão (espiritualmente) caindo do firmamento (Daniel 12.3; 1 Coríntios 10.12); na Tribulação futura, as estrelas (ou seja, meteoros) cairão (literalmente) dos Céus (Apocalipse 6.13).

         e) Atualmente, o “espírito do Anticristo” já opera; futuramente, o Anticristo estará na terra fisicamente (1 João 4.1; 2 Tessalonicenses 2).

         f) Atualmente Jesus está conosco em Espírito (Mateus 28.20); futuramente estará conosco em Pessoa física (Apocalipse 21.3).

         g) Primeiro foi estabelecido o Reino espiritual do Messias na Terra (por meio da Igreja); futuramente Seu Reino literal será estabelecido na Terra (por meio da Igreja e Israel). 

          Por desconhecerem esses princípios, muitos estudiosos das profecias causam confusão por misturarem o literal com o metafórico ou converterem o figurado em literal e vice versa. Ou pior: Alguns até afirmam que certas profecias, ainda futuras, JÁ SE CUMPRIRAM TOTALMENTE NO PASSADO (Mateus 24, Apocalipse 6 a 18, etc.). 

          Um estudioso certa vez declarou, acertadamente: “Uma profecia não totalmente cumprida no passado, certamente terá cumprimento pleno no futuro”. (Arthur E. Blomfield). 

Mais sobre este assunto, veja o capítulo 63 da Enciclopédia Arquivo7, intitulado: "SETE PRINCÍPIOS SOBRE AS PROFECIAS BÍBLICAS"          

          Lembre-se: Mais importante do que simplesmente conhecer os acontecimentos futuros, é saber como interpretá-los. 

“Até a cegonha no céu conhece os seus tempos determinados; e a rola, a andorinha, e o grou observam o tempo da sua arribação; mas o meu povo não conhece a ordenança do Senhor.” (Jeremias 8.7) 

Moacir Junior – morganne777@hotmail.comwww.arquivo7.com.br