Enciclopédia Arquivo7 no MEGA

quarta-feira, 21 de setembro de 2016

A ARTE DA MATEMÁGICA

A arte de surpreender usando a beleza e a mágica da Matemática - Um novo capítulo do nosso “livrão” virtual

É fato que a Matemática não é uma ciência popular (especialmente no Brasil). Também é fato que o mundo só funciona porque a Matemática existe – portanto, quer queiramos ou não, ela é essencial, extremamente necessária, fundamental para a existência e equilíbrio do Universo. Ela transcende até mesmo as leis da Física. Ou seja, a Matemática não depende da Física, porém, a Física depende da Matemática. Com tamanha importância pode se dizer que desprezar essa fabulosa ciência dos números é irracional.

Você sabe o que é um MatemáGico?

Como a palavra sugere, é uma espécie de matemático misturado com mágico. Como a Matemática é uma ciência que fascina, surpreende e encanta, não é incomum ser comparada com a arte mágica.

Mas atenção! Quando falo “mágica” não estou me referindo a bruxaria, feitiçaria ou coisas do tipo (que são supostas interferências na natureza por meio de poderes sobrenaturais).

A palavra “mágica” possui vários significados, dependendo do contexto. Mas é comumente relacionada a coisas que encantam e surpreendem. Coisas aparentemente impossíveis.

O fato é que todos esses adjetivos (surpreendente, encantador, fascinante, incrível, extraordinário, fantástico, esplêndido, etc.) se aplicam à Matemática e aos números.

Quem lida com esses “seres” (números) se surpreende a cada descoberta ou revelação. Existem algumas pessoas que usam os números e a Matemática da mesma forma que um artista no palco (um ilusionista) faz uso de truques mágicos. Esse tipo de “mago dos números” é popularmente conhecido como MATEMÁGICO.

E o que seria um MatemáGico Bíblico?

quarta-feira, 14 de setembro de 2016

14 PALAVRAS QUE DESAFIAM ATEUS E MUÇULMANOS


Um novo capítulo do nosso “livrão” virtual

Se uma bomba nuclear for lançada sobre Paris, provavelmente explodirá e arrasará tudo ao seu redor;

Se uma bomba nuclear for lançada sobre Moscou, provavelmente explodirá e arrasará tudo ao seu redor;

Se uma bomba nuclear for lançada sobre Nova York, provavelmente explodirá e arrasará tudo ao seu redor;

Se uma bomba nuclear for lançada sobre Londres, provavelmente explodirá e arrasará tudo ao seu redor;

Se uma bomba nuclear for lançada sobre Washington, provavelmente explodirá e arrasará tudo ao seu redor;

Se uma bomba nuclear for lançada sobre Bagdá, provavelmente explodirá e arrasará tudo ao seu redor;

Se uma bomba nuclear for lançada sobre Pequim, provavelmente explodirá e arrasará tudo ao seu redor;

Se uma bomba nuclear for lançada sobre Roma, provavelmente explodirá e arrasará tudo ao seu redor;

Se uma bomba nuclear for lançada sobre Jerusalém, com toda certeza, NÃO explodirá.

Como é que podemos fazer uma afirmação tão ousada como esta? Com base em que?

Das 3 promessas seguintes, quais tenho condições de cumpri-las?

1 - Vou plantar uma árvore
2 - Vou garantir que ela nasça
3 - Vou garantir que ela nunca seja arrancada

1 - Vou plantar uma árvore - Apesar de não ter certeza de estar vivo daqui a um minuto, são grandes as chances de que eu tenha condições de cumprir esta promessa.

Status: ALTAMENTE PROVÁVEL

2 - Vou garantir que ela nasça - Apesar de não ter certeza de estar vivo daqui a um minuto, são grandes as chances de que eu tenha condições de cumprir esta promessa, pois posso trabalhar o solo, tornando-o propício.
Status: ALTAMENTE PROVÁVEL

3 - Vou garantir que ela nunca seja arrancada - Posso até ter contribuído para que a árvore nascesse, posso tê-la ajudado a crescer, se desenvolver, etc., porém é IMPOSSÍVEL cumprir qualquer garantia de NUNCA deixar que alguém a arranque.

Status: IMPOSSÍVEL

Em estudos anteriores, provamos ser impossível que os judeus tenham conspirado e manipulado as profecias bíblicas para que se cumprissem neles. Mas vamos imaginar (numa remotíssima possibilidade) que os judeus tenham realmente manipulado o cumprimento das profecias. Digamos que, de alguma forma, eles conseguiram garantir o NASCIMENTO e o CRESCIMENTO da árvore.

Em outras palavras:

Esses judeus espertalhões conseguiram fazer com que a árvore nascesse (isto é, conseguiram RETORNAR para a sua antiga pátria); conseguiram fazer a árvore se desenvolver - isto é, por meio de judeus inteligentes, vindo de várias nações, fizeram com que o Estado de Israel se tornasse uma pequena potência, admirada (e invejada) internacionalmente.

Porém, quando chegou a vez da 3ª promessa...

De repente, se viram cercados de milhares de ferozes inimigos, muito mais numerosos, muito mais bem armados, muito mais fortes...

QUE CONDIÇÕES TERIAM DE SEMPRE VENCEREM TODOS OS ATAQUES PARA GARANTIR QUE A ÁRVORE NUNCA MAIS SERÁ ARRANCADA? Evidentemente, NENHUMA! Mas se a ÁRVORE ISRAEL nunca mais foi arrancada, apesar das muitas tentativas, então:

Parece bem evidente que ALGO ou ALGUÉM MAIOR está garantindo que a árvore não seja mais arrancada.

Quem mais a não ser DEUS?

Mais detalhes, clique aqui: ENCICLOPÉDIA ARQUIVO 7 - CALCULANDO A VERDADE e você será direcionado a uma página contendo todos os estudos em slides já publicados (29.000 páginas). Daí é só escolher o estudo e fazer o download para o seu computador.

Também disponível no formato PDF: 
http://sdrv.ms/1a28Cw8

O número (e o título) deste novo estudo é: 230 – 14 PALAVRAS QUE DESAFIAM ATEUS E MUÇULMANOS.

 Qualquer sugestão, crítica ou questionamento, escreva-me.


Moacir R. S. Junior – morganne777@hotmail.com

quarta-feira, 7 de setembro de 2016

ISRAEL – UMA PEDRA NO SAPATO DOS INCRÉDULOS


Um novo capítulo do nosso “livrão” virtual

Imagine o seguinte diálogo entre um cristão e um ateu:

– Prove-me que Deus existe!
- Jesus de Nazaré!
- Pois me prove que Jesus existiu?
- A Bíblia!
- Então, prove-me que a Bíblia é a verdade!
- O cumprimento das profecias.
- Muito bem. Então me dê apenas um exemplo do cumprimento das profecias.
- Israel!

         O popular escritor e apologista cristão Dave Hunt escreveu:

“Cerca de 30% da Bíblia são dedicados à profecia. Esse fato confirma a importância do que tem se tornado um assunto negligenciado. Em contraste marcante, a profecia está completamente ausente no Corão, nos Vedas hindus, no Baghavad Gita, no Ramayana, nas palavras de Buda e Confúcio, no Livro de Mórmon, ou quaisquer outros escritos das religiões mundiais.”

O fato estarrecedor para os céticos é que existem centenas de profecias bíblicas que “coincidem”, em detalhes, com a história judaica, no decorrer dos séculos. A linguagem é tão clara e os fatos históricos tão evidentes que só podemos visualizar as seguintes hipóteses (ou possibilidades):

Hipótese 1 – Quem acredita nessas profecias, manipula as palavras para que se encaixem com os acontecimentos históricos.

Por que essa hipótese é falsa?

1º - As palavras são muito claras e geralmente devem ser entendidas de forma literal. Quando comparados os fatos com a literalidade do texto, não existe espaço para manipulações;

2º - É difícil imaginar um povo se entregando, voluntariamente à destruição, somente para cumprir profecias (por exemplo, que judeu desejaria que o Holocausto acontecesse?).

Hipótese 2 – Essas profecias são meras adivinhações, que coincidem com alguns acontecimentos aqui e ali.

Por que essa hipótese é falsa?

1º - Uma meia dúzia de profecias até que poderiam ser reputadas como mera adivinhação, mas acontece que existe um pacotão delas;

2º - Estatisticamente, um volume muito grande de coincidências não pode ser considerado mera coincidência.

Hipótese 3 – Essas profecias são de origem extraterrena, sobrenatural, divina...

As evidências indicam que esta é a única hipótese que faz sentido. A quantidade de profecias a respeito de Israel (e que se enquadram com a trajetória histórica desse povo) é grande demais para ser ignorada ou reputada como mera coincidência. Alguém já disse uma vez que, se somente uma profecia for provada verdadeira, Deus deve existir.

Quando Deus desafia os falsos deuses a predizerem o futuro (Isaías 41.20-23), é porque PROFECIA NENHUMA pode ser produzida por homens ou falsos deuses, mas somente pelo ÚNICO DEUS VERDADEIRO. Tá, esta é uma afirmação típica de “crentes”, mas desafio você a provar que ela é falsa.

Mais detalhes, clique aqui: ENCICLOPÉDIA ARQUIVO 7 - CALCULANDO A VERDADE e você será direcionado a uma página contendo todos os estudos em slides já publicados (29.000 páginas). Daí é só escolher o estudo e fazer o download para o seu computador.

Também disponível no formato PDF: 
http://sdrv.ms/1a28Cw8

O número (e o título) deste novo estudo é: 229 – ISRAEL, UMA PEDRA NO SAPATO DOS INCRÉDULOS.


Qualquer sugestão, crítica ou questionamento, escreva-me.


Moacir R. S. Junior – morganne777@hotmail.com

domingo, 28 de agosto de 2016

CONFERÊNCIAS ARQUIVO 7 – CALCULANDO A VERDADE

Oferecemos três tipos de conferências ou seminários (para igrejas, escolas, clubes, e onde mais tiver gente).

Duração: Geralmente dois dias, sábado e domingo, podendo, em alguns casos, acontecer a abertura na sexta-feira.

CATEGORIA 1 – PROFECIA BÍBLICA

Público: Todos (adolescentes, jovens e adultos).

Descrição: Uma análise detalhada das profecias bíblicas, envolvendo a Igreja Cristã, Israel e as Nações.

Temas abordados:

1 – Profecias específicas sobre Israel

2 – Profecias específicas sobre a Igreja Cristã

3 – Profecias específicas sobre as Nações

Características especiais: A abordagem apresentada tem como diferencial a demonstração da conexão entre Números, Matemática e Profecia. Ou seja, em nossos estudos, enfatizamos a MATEMÁTICA DA PROFECIA – e isso não tem nada a ver com marcações de datas exatas sobre o Retorno de Cristo.

CATEGORIA 2 – APOLOGÉTICA

Público: Todos (adolescentes, jovens e adultos).

Descrição: Aprendendo as técnicas clássicas de defesa da Fé Cristã.

Principais temas abordados:

1 – As Leis básicas da Lógica

2 – Aprendendo a identificar falsos argumentos e mentiras

3 – Regras básicas de interpretação de textos, com ênfase na interpretação da Bíblia

Características especiais: Muitos seminários e conferências sobre Apologética costumam enfatizar o estudo das doutrinas falsas, preparando os cristãos para defenderem as doutrinas verdadeiras. A nossa abordagem parte do seguinte princípio: “A MELHOR ESTRATÉGIA PARA IDENTIFICARMOS UMA MENTIRA É CONHECERMOS BEM A VERDADE”.

CATEGORIA 3 – MATEMÁGICA BÍBLICA

Público: Todos (adolescentes, jovens e adultos – mais especialmente para estudantes, do Ensino Fundamental, Médio e Superior).

Descrição: O Projeto MATEMÁGICA BÍBLICA foi desenvolvido visando, especialmente, três objetivos:

1 – Mostrar que a Matemática é uma ciência bela, altamente interessante, espetacular, mágica, perfeita, e que o bom funcionamento do nosso Universo depende da perfeição dela;

2 – Reconciliar as pessoas com a Matemática, desmistificando a péssima fama dada a ela (sempre fazendo parte da lista dos nossos piores pesadelos) por culpa do sistema de ensino predominante em nosso país;

3 – Aproximar as pessoas da Bíblia, demonstrando que este milenar livro é muito mais do que um livro religioso. Mas, além disso, é uma preciosa enciclopédia de sabedoria, filosofia, cultura inteligente e ciência. Ou seja, queremos desmistificar a falsa ideia popular de que a Bíblia emburrece, demonstrando que, pelo contrário, quem estuda a Bíblia torna-se mais culto e mais preparado para lidar com os diversos problemas da vida.

Principais temas abordados:

1 – Alma Gêmea Matemática – a dupla numérica mais incrível do Universo

2 – A Medida Perfeita

3 – Deus, os Números e o Universo

Características especiais: Este não é um estudo direcionado para quem ama Matemática, mas mui especialmente para aqueles que tem trauma, antipatia, horror à Matemática, ou seja, 90% da Humanidade. A forma como o estudo é apresentado não é exatamente de acordo com o modelo tradicional: conceitos, explicações, perguntas e respostas. Mas, sim, como uma espécie de show, onde os números são os atores principais, a Matemática é a trilha sonora e o palestrante, apenas o diretor, que conduz o espetáculo.

“O meu povo está sendo destruído, porque lhe falta o conhecimento... Conheçamos, e prossigamos em conhecer ao Senhor;... Pois misericórdia quero, e não sacrifícios; e o conhecimento de Deus, mais do que os holocaustos.” (Oséias 4.6, 6.3,6)

Moacir R. S. Junior – Contato: morganne777@hotmail.com ou: 

https://www.facebook.com/moacir.junior.31


Site principal: www.arquivo7.com.br

UM DETETIVE INVESTIGA A BÍBLIA – Parte 6


Como os Magos souberam o tempo exato do Nascimento de Jesus? - Um novo capítulo do nosso “livrão” virtual

Muitos pensam que a coisa aconteceu assim:

Um certo dia, lá no Oriente, três reis (chamados magos) estavam tranquilos em suas casas, aí apareceu uma estranha estrela, com a inscrição "NASCEU UM REI". Rapidamente, eles arrumaram suas malas e, seguindo a estrela (como uma espécie de GPS), foram parar em Belém, onde Jesus nasceu.

Mas, na realidade, a história foi um pouquinho (ou bastante) diferente. Pra começar, as evidências indicam que os tais magos tiveram conhecimento da data aproximada do Nascimento de Jesus, muito tempo antes da tal estrela aparecer nos céus. E eles NÃO ERAM REIS.

Nenhuma outra personalidade da História teve a vida descrita séculos antes do seu nascimento – só Jesus de Nazaré!

A 1.ª Vinda de Cristo, Seu Ministério, Morte e Ressurreição foram preditas, em detalhes, centenas de anos antes de acontecer. Uma pesquisa básica nos profetas do Antigo Testamento seria suficiente para responder às seguintes perguntas:

1 – Quem?

O Messias tinha que ser:
a) Da descendência de Abraão;
b) Da tribo de Judá;
c) Da linhagem de Davi;
d) Tanto Deus quanto homem;
e) Operador de milagres - os cegos, surdos, mudos e aleijados serão curados por Ele (Isaías 35.5,6);

2 – Onde?

f) Terá que nascer numa cidadezinha chamada Belém (Miquéias 5.2);
g) Nascerá de uma virgem (Isaías 7.14) – da semente da mulher, e não de um homem (Gênesis 3.15);
h) Na Sua Vinda, crianças serão assassinadas em Belém (Jeremias 31.15);
i) Morará na região da Galileia (Isaias 9.1,2).

domingo, 21 de agosto de 2016

A APOSTA DA PROFECIA NA ROLETA DO APOCALIPSE


SE JESUS AINDA NÃO TIVER VOLTADO daqui a 30 anos, eu já sei os nomes de alguns países que aparecerão nas manchetes internacionais dos jornais do ano 2046... - Um novo capítulo do nosso “livrão” virtual

Vamos imaginar o seguinte: Na data de hoje, 30 de junho de 2016, eu escrevo 8 nomes de países, escondo a mensagem numa garrafa, e a enterro por aí...

2000 anos depois, em 30 de junho de 4016, alguém encontra a garrafa... e, espantado, lê o seguinte: "Procure o jornal de hoje, e veja suas manchetes internacionais,..."

A mensagem continua:

"... eu aposto que alguns destes países (talvez a maioria) aparecem nessas manchetes..."

Aí a pessoa fica estarrecida ao comprovar que, boa parte dos 8 países da lista é citada na mesma página do jornal... e quase desmaia ao ver a data em que a mensagem misteriosa foi escrita: 30/06/2016, ou seja: 2000 ANOS ATRÁS!!!

A pessoa está perplexa!                      

Apesar do mundo dela (em 4016) ter cerca de 200 países; da página de notícias ter espaço para apenas 20 manchetes diferentes; ainda assim, a mensagem misteriosa cita apenas 8 países E TODOS APARECEM ENTRE AS 20 MANCHETES!!! COMO É QUE ALGUÉM PODE TER ADIVINHADO ISSO 2000 ANOS ANTES?

Bem, este é o tema do nosso novo estudo. Se você assistir ao noticiário internacional do dia, provavelmente irá deparar, nas manchetes, com alguns destes países: ISRAEL, EGITO, SÍRIA, IRAQUE, IRÃ, GRÉCIA, ITÁLIA e TURQUIA.

É claro que nos dias atuais, esses países são verdadeiras celebridades nos noticiários e apostar que eles continuarão aparecendo nas manchetes daqui a dois, três ou dez anos é apostar baseando-se no óbvio. Mas, e se essa aposta tiver sido feita há 2000 anos atrás?

Mais detalhes, clique aqui: ENCICLOPÉDIA ARQUIVO 7 - CALCULANDO A VERDADE e você será direcionado a uma página contendo todos os estudos em slides já publicados (29.000 páginas). Daí é só escolher o estudo e fazer o download para o seu computador.

Também disponível no formato PDF: 
http://sdrv.ms/1a28Cw8

O número (e o título) deste novo estudo é 227 – A APOSTA DA PROFECIA NA ROLETA DO APOCALIPSE
  
Qualquer sugestão, crítica ou questionamento, escreva-me.


Moacir R. S. Junior – morganne777@hotmail.com

domingo, 14 de agosto de 2016

UM CABRA QUE CONTINUA MERECENDO UMA BOA TACA

A FALÁCIA do Bolsa Família - Um novo capítulo do nosso “livrão” virtual

Ainda sobre o tema FALÁCIAS, apresentamos agora uma espécie de continuação de um trabalho publicado há um bom tempo (número 138), intitulado “UM CABRA BOM DE TACA” – Se nunca o viu, é aconselhável que o veja primeiro antes deste atual estudo.

Agora imagine o seguinte debate:

CANDIDATO 1 - Se eleito, vou dar continuidade ao Bolsa Família. (...) o fato é que existem pessoas recebendo o benefício, que não tem o perfil para estarem no programa, pois possuem alguma renda superior. Vamos fazer uma faxina sobre isso, e dar uma chance para quem realmente precisa.

CANDIDATO 2 - Meu adversário disse que vai fazer uma faxina no Bolsa Família. Vocês o ouviram afirmando isso. Isso significa que ele vai fazer uma limpeza, ou seja, tirar todo mundo. Em outras palavras: vai acabar com o programa que tem beneficiado tantas famílias carentes.

Que FALÁCIA está explícita na fala do candidato 2?

A FALÁCIA DO ESPANTALHO

O candidato 1 claramente prometeu dar continuidade ao Bolsa Família (argumento X, principal), destacando que muita gente carente não tem chances porque quem não precisa, está ocupando a vaga de quem realmente precisa. E que vai dar um jeito nisso, fazendo a tal faxina (argumento Z, secundário). O candidato 2 resolveu enfatizar apenas a parte que fala da “faxina” (argumento Z), induzindo os eleitores a acreditarem que o candidato adversário vai acabar com o Bolsa Família (ou seja, transformou o argumento secundário no argumento principal).

Mas, na fala do distinto (e pilantra) candidato 2, temos a revelação de uma nova espécie de falácia, talvez a falácia mais mortal, capaz de arruinar, repentinamente, a carreira de qualquer político.

Este novo estudo contém duas divisões: a primeira é uma espécie de avaliação do que você já aprendeu. Usando exemplos políticos (ah, esses políticos brasileiros são uma fonte riquíssima de falácias), você será desafiado a dizer qual tipo de falácia está sendo usada no discurso apresentado.

A segunda divisão do estudo vai enfatizar a falácia mais usada nesses agitados tempos políticos em que estamos vivendo no Brasil. Na verdade, em todos os estudos sobre falácias que podemos encontrar por aí (especialmente na Internet), você provavelmente não verá nenhuma falácia intitulada “FALÁCIA DO BOLSA FAMÍLIA”.

Mas tenho dezenas de razões para provar que essa falácia existe e que tem sido utilizada exaustivamente nos últimos 13 anos na política brasileira. Mas como é que ela funciona mesmo?

Mais detalhes, veja nosso novo estudo. Acesse este link ENCICLOPÉDIA ARQUIVO 7 - CALCULANDO A VERDADE e você será direcionado a uma página contendo todos os estudos em slides já publicados (cerca de 27.000 páginas). Daí é só escolher o estudo e fazer o download para o seu computador.

Também disponível no formato PDF: 
http://sdrv.ms/1a28Cw8

O número (e o título) deste novo estudo é: “226 - UM CABRA QUE CONTINUA MERECENDO UMA BOA TACA”.

Qualquer sugestão, crítica ou questionamento, escreva-me.

Moacir R. S. Junior – morganne777@hotmail.com

domingo, 7 de agosto de 2016

PROJETO JUDAS 22 – Detonando as Dúvidas – parte 6

Campo de Batalha: a Mente – sem medo de enfrentar o contraditório - Um novo capítulo do nosso “livrão” virtual

O que você faria se, de repente, fosse confrontado com a seguinte acusação:

“Os cristãos são estúpidos e ilógicos. Portanto, o Cristianismo não pode ser verdadeiro.”
???!!!

Diante de tal acusação pouco adianta usar versículos bíblicos – o acusador iria ridicularizar qualquer citação bíblica feita pelo cristão. Como fazer agora?

William Lane Craig, um dos maiores apologetas cristãos da atualidade, deu o seguinte conselho:

“Algo fácil que podemos fazer é aprender a formular questões. Greg Kouhl recomenda fazermos duas perguntas aos descrentes:”

“1. O que você quer dizer com isso?”

“2. Que razões você tem para pensar isso?”

“É incrível como essas duas simples perguntas são capazes de embaralhar as pessoas! Por exemplo, pergunte ao descrente o que ele quer dizer quando diz que não acredita em Deus - ele é ateu ou agnóstico? (Prepare-se para explicar a diferença para ele!). O que quer que ele diga, pergunte-o, ‘Que razões você tem para pensar isso?’ Muitas pessoas sequer entendem o que querem dizer com suas afirmações, e provavelmente a maioria não tem boas razões para elas. Enquanto você estiver fazendo perguntas, você não está fazendo afirmação nenhuma, portanto não tem que provar nada. Deixe o ônus da prova com os descrentes.” (Fonte: http://www.reasonablefaith.org/portuguese/tantos-ateus-taeo-pouco-tempo).

Diante da acusação exposta anteriormente, uma resposta seria:

"Deixe-me ver se eu entendi: seu argumento é que

1. Cristãos são estúpidos e ilógicos.

2. Portanto, o Cristianismo não é verdadeiro.

Agora me explique como (2) se segue logicamente de (1)?"

Neste novo estudo mostramos mais uma vez a necessidade do cristão conhecer e fazer bom uso das Leis da Lógica, pois: se um argumento é falso, é fácil demais identificarmos como tal, usando somente as leis básicas da Lógica.

Precisamos acabar com a falsa idéia de que Fé Cristã e Lógica não se combinam. Esta é uma das principais razões de termos elaborado essa série de estudos intitulada “PROJETO JUDAS 22 – DETONANDO AS DÚVIDAS”. Pare de perder tempo e se prepare para o combate.

“... pois as armas da nossa milícia não são carnais, mas poderosas em Deus, para demolição de fortalezas; derribando raciocínios e todo baluarte que se ergue contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo pensamento à obediência a Cristo;...”  (2 Coríntios 10.4,5)

Mais detalhes, veja nosso novo estudo. Acesse este link ENCICLOPÉDIA ARQUIVO 7 - CALCULANDO A VERDADE e você será direcionado a uma página contendo todos os estudos em slides já publicados (cerca de 27.000 páginas). Daí é só escolher o estudo e fazer o download para o seu computador.

Também disponível no formato PDF: 
http://sdrv.ms/1a28Cw8

O número (e o título) deste novo estudo é: “225 – PROJETO JUDAS 22 – Detonando as Dúvidas – Parte 5”.

Qualquer sugestão, crítica ou questionamento, escreva-me.

Moacir R. S. Junior – morganne777@hotmail.com

quinta-feira, 28 de julho de 2016

PROJETO JUDAS 22 – Detonando as Dúvidas – parte 5

Pequeno Curso sobre FALÁCIAS, com o professor Dr. Disgrota - Um novo capítulo do nosso “livrão” virtual
Dando prosseguimento ao assunto iniciado no capítulo anterior, este novo estudo, na verdade, é uma síntese bem humorada das falácias mais conhecidas. Dentre os muitos exemplos apresentados existem vários inspirados no momento atual (situação política do Brasil), pois é evidente que, em meio a tantos debates e discussões, as FALÁCIAS têm aparecido aqui e ali com uma freqüência incomum.

Exemplo 1 - A FALÁCIA DO ESPANTALHO

Descrição: Eu defendo a posição X; meu adversário não consegue contestar X; então transforma X em Z, um argumento que não tem nada a ver. Por fim, ataca o argumento Z, como se fosse o X.

Exemplo: Como é você tem coragem de defender o IMPEACHMENT (argumento X)? Não podemos abrir mão da DEMOCRACIA (argumento Z), pois isto custou muito caro aos brasileiros. Sem a DEMOCRACIA, voltaremos a ser uma ditadura.

A fraude intelectual: Observe que o contestador não apresenta argumentos para refutar o IMPEACHMENT defendido por mim. Ele me trata como alguém que é contrário à DEMOCRACIA. Assim, é logicamente mais fácil defender a importância da democracia do que apresentar razões que invalidem a tese do impeachment. Em resumo: Ao invés do autor do argumento refutar a posição defendida por uma pessoa, ele atribui uma OUTRA POSIÇÃO àquela pessoa (mais fácil de ser refutada) e então apresenta argumentos contrários a ela.

Exemplo 2 - A FALÁCIA DA MISERICÓDIA (AD MISERICORDIAM)

Descrição: Também conhecida como FALÁCIA DA PIEDADE. Acontece quando alguém apela para as virtudes ou estado emocional a fim de tentar provar um argumento.
Exemplos:
1 - “A Polícia Federal e a oposição deveriam deixar o ex-presidente Lula em paz. Nenhum presidente fez o que ele fez. Nenhum ajudou tanto os pobres.”
2 - Sarney tem história suficiente para que não seja tratado como uma pessoa comum”, disse Lula (em 2009), diante de uma série de denúncias envolvendo o (então) presidente do Senado José Sarney.
A fraude intelectual: Nenhuma boa ação pode apagar um crime. Se alguém comete algum crime tem que pagar por ele, não importando a quantidade de boas ações que praticou na vida. Será que Sarney tem “história suficiente” que lhe dê o direito de cometer crimes quando quiser? É claro que não!

Exemplo 3 - A FALÁCIA DA VERDADE OMITIDA

Descrição: O argumentador apresenta uma verdade, mas omite outra (que está relacionada à primeira). A omissão de parte da história pode levar a uma compreensão errada da história.
Exemplos: – Dilma lutou contra a DITADURA. Portanto, ela lutou em favor da DEMOCRACIA.
Contra-argumento: o argumentador apresenta uma dualidade clara (DITADURA versus DEMOCRACIA), mas omite dados importantes. Primeiro, mal intencionado, ele não específica o tipo de ditadura (pois existem várias: religiosas, militar, etc.).
E ISSO IMPORTA? O importante não é que ela lutou CONTRA a DITADURA? Não, tolinho. O “saliente” do argumentador omitiu um dado ainda mais importante, aliás, extremamente importante: DILMA LUTOU PELA IMPLANTAÇÃO DO REGIME COMUNISTA NO BRASIL. Assim, ela simplesmente queria substituir uma ditadura pela outra.
Portanto, ela NÃO lutou contra a ditadura, a favor da democracia. É verdade que ela lutou contra a DITADURA MILITAR. Porém, se ela e seus companheiros tivessem tido êxito, hoje, provavelmente, o Brasil seria COMUNISTA.
A fraude intelectual: Muitas vezes em seus discursos, o ex-presidente Lula declarou diante da multidão: “Enquanto vocês ainda não eram nem nascidos, essa brava mulher lutava pela nossa liberdade”.
 Para conhecer mais exemplos, veja nosso novo estudo. Acesse este link ENCICLOPÉDIA ARQUIVO 7 - CALCULANDO A VERDADE e você será direcionado a uma página contendo todos os estudos em slides já publicados (cerca de 27.000 páginas). Daí é só escolher o estudo e fazer o download para o seu computador.

Também disponível no formato PDF: 
http://sdrv.ms/1a28Cw8

O número (e o título) deste novo estudo é: “224 – PROJETO JUDAS 22 – Detonando as Dúvidas – Parte 5”.

Qualquer sugestão, crítica ou questionamento, escreva-me.

Moacir R. S. Junior – morganne777@hotmail.com