Enciclopédia Arquivo7 no MEGA

terça-feira, 21 de março de 2017

PROJETO MATEMÁGICA BÍBLICA – O 4º Show

Os números governam o mundo; e Deus governa os números - Um novo capítulo da nossa Enciclopédia virtual

Se você se deparasse, de repente, com as duplas numéricas abaixo, seria capaz de explicar a conexão entre elas?

Qual a conexão entre:

·        7 e 13?
·        19 e 37?
·        37 e 73?
·        61 e 121?

Para aqueles acostumados com os estudos do Arquivo7, está bem claro que as duplas numéricas acima representam números hexagonais e estrelares hexagonais, respectivamente.  E cada um com o seu par matemático.

Isto é, o número estrelar hexagonal 13 tem como centro o hexagonal 7; o 37 tem o 19, o 73 possui como centro o 37; o 121 tem o 61, etc.

O fascinante da Matemática é que essas verdades são universais e eternas. Ou seja: 37 SEMPRE será o “coração”, isto é, o hexágono central do número estrelar hexagonal 73.

Agora, procure a ESPIRAL DOS NÚMEROS e faça a seguinte experiência: procure pelo quadrado do estrelar hexagonal 13. Você vai descobrir que ele (169) está localizado exatamente no 7º
 quarteirão da ESPIRAL DOS NÚMEROS. E daí? Ora, o quadrado do estrelar hexagonal 13 fica no quarteirão 7, que é o hexágono central de 13. Coincidência?

Não. É uma verdade matemática, pois:

·        O quadrado do estrelar hexagonal 37 (isto é, 1369) está justamente no 19º quarteirão (lembre-se: 19 é o centro hexagonal de 37);
·        O quadrado do estrelar hexagonal 73 (isto é, 5329) está no quarteirão 37, e este é o hexágono central de 73;
·        O quadrado do estrelar hexagonal 121 (isto é, 14.641), está no quarteirão 61, e este é o hexágono central de 121;
·        Etc.

Existe uma lógica matemática por trás disso e essa lógica gera uma simetria fascinante.

A simetria da Matemática deveria ser mais valorizada e estudada pela Humanidade. E essa simetria conectada com a Bíblia deveria causar um impacto positivo entre os estudiosos.

Nesta 4ª parte do Projeto Matemágica Bíblica, selecionamos outros 28 fatos bíblico-numéricos surpreendentes, provando que existe algo mais neste Universo, além do que possa imaginar os nossos mais profundos pensamentos.

Mais detalhes sobre o Projeto Matemágica Bíblica – o 4º show, acesse este link (ENCICLOPÉDIA ARQUIVO 7) e você será direcionado a uma página contendo todos os estudos em slides já publicados (cerca de 33.000 páginas). Daí é só escolher o estudo e fazer o download para o seu computador.

Também disponível no formato PDF: 
http://sdrv.ms/1a28Cw8

O número (e o título) deste novo estudo é: “255 – PROJETO MATEMÁGICA BÍBLICA - O 4º Show”

Qualquer sugestão, crítica ou questionamento, escreva-me.
Moacir R. S. Junior – morganne777@hotmail.com


terça-feira, 14 de março de 2017

PROJETO MATEMÁGICA BÍBLICA – O 3º Show

Deus, os Números e o Universo - Um novo capítulo da nossa Enciclopédia virtual

Mais 28 fatos bíblico-numéricos extraordinários, provando que as histórias bíblicas não podem ser meramente invenções humanas. O jeito como os números formam padrões e simetrias, harmonizando fatos bíblicos e doutrinas, merece uma investigação séria e profunda.

Alegar que tudo são meras coincidências é uma desculpa intelectual simplista, fraca, preguiçosa e desonesta. Avalie, por exemplo, os fatos numéricos abaixo (que não estão incluídos no presente estudo em slides):

Se você escolhe, ao acaso, cinco números grandes (formados por 3 ou 4 algarismos), quais as chances da média deles ser exatamente igual a um dos números?

Exemplo 1 – Imaginemos os números 560, 781, 1001, 1056 e 2045.

Agora, vamos somar: 560 + 781 + 1001 + 1056 + 2045 = 5443

Agora, vamos calcular a média, ou seja, 5443 dividido por 5: 1.088,60 (não é nenhum dos cinco números).

Exemplo 2 – Agora imaginemos os números 490, 1260, 1290, 1335 e 2300.

Somando tudo: 490 + 1260 + 1290 + 1335 + 2300 = 6675

A média deles é: 6675 / 5 = 1335 (exatamente um dos números da soma).

O primeiro exemplo, escolhido aleatoriamente por mim, não gerou um resultado significativo. Mas o segundo exemplo é impressionante. E os tais números não foram tirados de um lugar qualquer, mas da Bíblia. E aqui alguém poderia objetar:

“É claro! Você tirou esses números da Bíblia, mas isso não prova simetria nenhuma, pois a Bíblia cita muitos números e você pode muito bem ter escolhido os números certos, entre centenas de exemplos”.

Porém, essa objeção cai por terra quando consideramos que:

1 – Os cinco números foram tirados de apenas um e mesmo contexto, um cenário profético, citado em dois livros, Daniel e Apocalipse;
2 – Ou seja, os cinco números aparecem em dois livros tematicamente conectados e relacionados aos mesmos eventos.

O que eles significam? Bem, aí você precisa conhecer os outros capítulos da nossa Enciclopédia, para mais detalhes.

Mais detalhes sobre o Projeto Matemágica Bíblia – o 3º show, acesse este link (ENCICLOPÉDIA ARQUIVO 7) e você será direcionado a uma página contendo todos os estudos em slides já publicados (cerca de 33.000 páginas). Daí é só escolher o estudo e fazer o download para o seu computador.

Também disponível no formato PDF: 
http://sdrv.ms/1a28Cw8

O número (e o título) deste novo estudo é: “254 – PROJETO MATEMÁGICA BÍBLICA - O 3º Show”

Qualquer sugestão, crítica ou questionamento, escreva-me.
Moacir R. S. Junior – morganne777@hotmail.com


terça-feira, 7 de março de 2017

PROJETO MATEMÁGICA BÍBLICA – O 2º Show

A Medida Perfeita - Um novo capítulo da nossa Enciclopédia virtual

Neste trabalho são apresentados 28 fatos matemáticos fascinantes envolvendo a Razão Áurea e a Bíblia. A quantidade e qualidade dos fenômenos divulgados estão além da mera coincidência. E se os céticos rejeitarem a interpretação dada a esses fatos, são desafiados a apresentarem uma explicação melhor.

A maioria dos estudiosos cristãos interpreta o Evangelho de Marcos, como o Evangelho de Jesus, se apresentando como o Servo. Esses mesmos estudiosos ensinam que o texto-chave de Marcos está no capítulo 10:

Pois também o Filho do homem não veio para ser servido, mas para servir, e para dar a sua vida em resgate de muitos.” (Marcos 10.45)

Esse é o 418º versículo de Marcos. Ora, se o Evangelho de Marcos possui 678 versículos, divida-se 678 por 418 e teremos 1,622009..., ou seja, bem próximo da Razão Áurea.

Divida-se a quantidade de capítulos de Marcos (16) pelo capítulo do tema central (10), e teremos novamente a Razão Áurea, ou seja: 1,6.

Marcos é o 41º livro da Bíblia. Divida-se 66 (total dos livros bíblicos) por 41 e teremos novamente ela, nossa amiga Razão Áurea, abreviada em 1,6.

Portanto, a Razão Áurea está, biblicamente, relacionada com Jesus no papel de Servo de Deus e da Humanidade.

E falando em Servo, o capítulo 53 de Isaías é universalmente conhecido como o capítulo do SERVO SOFREDOR, uma visão chocante (e antecipada 700 anos antes) do Calvário de Cristo.

Bem, Isaías 53 é o 732º capítulo da Bíblia. Divida-se 1189 (total de capítulos da Bíblia) por 732 e teremos mais uma vez: 1,6 (a Razão Áurea).

Se você se impressionou com esses fatos, precisa ver os 28 citados neste novo estudo.

O Projeto Matemágica Bíblica já foi explicado, em detalhes, na postagem anterior.

Mais detalhes, acesse este link (ENCICLOPÉDIA ARQUIVO 7) e você será direcionado a uma página contendo todos os estudos em slides já publicados (cerca de 33.000 páginas). Daí é só escolher o estudo e fazer o download para o seu computador.

Também disponível no formato PDF: 
http://sdrv.ms/1a28Cw8

O número (e o título) deste novo estudo é: “253 – PROJETO MATEMÁGICA BÍBLICA - O 2º Show”

Qualquer sugestão, crítica ou questionamento, escreva-me.

Moacir R. S. Junior – morganne777@hotmail.com

terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

PROJETO MATEMÁGICA BÍBLICA – O 1º Show


Alma Gêmea Matemática, a dupla numérica mais incrível do Universo - Um novo capítulo da nossa Enciclopédia virtual
O PROJETO MATEMÁGICA BÍBLICA foi desenvolvido visando, especialmente, 3 objetivos:

1 – Mostrar que a Matemática é uma ciência bela, altamente interessante, espetacular, mágica, perfeita, e que o bom funcionamento do nosso Universo depende da perfeição dela;

2 – Reconciliar as pessoas com a Matemática, desmistificando a péssima fama dada a ela (sempre fazendo parte da lista dos nossos piores pesadelos) por culpa do sistema de ensino predominante em nosso país;

3 – Aproximar as pessoas da Bíblia, demonstrando que este milenar livro é muito mais do que um livro religioso. Mas, além disso, é uma preciosa enciclopédia de sabedoria, filosofia, cultura inteligente e ciência. Ou seja, queremos desmistificar a falsa ideia popular de que a Bíblia emburrece, demonstrando que, pelo contrário, quem estuda a Bíblia torna-se mais culto e mais preparado para lidar com os diversos problemas da vida.

Este não é um trabalho direcionado para quem ama Matemática, mas mui especialmente para aqueles que tem trauma, antipatia, horror à Matemática, ou seja, 90% da Humanidade. A forma como o material é apresentado não é exatamente de acordo com o modelo tradicional: conceitos, explicações, perguntas e respostas. Mas, sim, como uma espécie de show, onde os números são os atores principais, a Matemática é a trilha sonora e o palestrante, apenas o diretor, que conduz o espetáculo.

Todos os fatos bíblico-matemáticos, apresentados neste trabalho, já foram exaustivamente estudados nos capítulos anteriores da série ARQUIVO 7 EM SLIDES. E, diferente da maioria dos outros trabalhos, este não é auto-explicativo. Ou seja:

Este material foi elaborado para ser explicado ao vivo, por quem já o conhece. Por quem já está acostumado com as teses do Arquivo7.

Ou seja, por um MatemáGico Bíblico.

Mais detalhes, acesse este link (ENCICLOPÉDIA ARQUIVO 7) e você será direcionado a uma página contendo todos os estudos em slides já publicados (cerca de 33.000 páginas). Daí é só escolher o estudo e fazer o download para o seu computador.

Também disponível no formato PDF: 
http://sdrv.ms/1a28Cw8

O número (e o título) deste novo estudo é: “252 – PROJETO MATEMÁGICA BÍBLICA - O 1º Show”

Qualquer sugestão, crítica ou questionamento, escreva-me.

Moacir R. S. Junior – morganne777@hotmail.com

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

A SIMETRIA DAS 3 RODAS DA BÍBLIA

A prova de que a Bíblia está completa com 66 livros e que cada um está exatamente onde deveria estar - Um novo capítulo da nossa Enciclopédia virtual

Será que a Bíblia está completa com 66 livros? Será que a ORDEM dos livros também foi inspirada por Deus?

O tema deste trabalho já foi discutido, detalhadamente, em capítulos anteriores da Enciclopédia Arquivo7 (caps. 102 a 109). O atual capítulo é apenas uma síntese, com uma abordagem mais didática, elaborado especialmente para uma série de palestras em minha cidade, em celebração ao Dia da Bíblia em dezembro de 2016.

Portanto, caso você queira mais detalhes sobre os temas abordados, veja os capítulos 102 a 109.

Nenhum estudioso cristão questiona que os livros da Bíblia tenham sido divinamente inspirados. Mas muitos deles não acreditam que o mesmo se estende a divisão da Bíblia em capítulos e versículos. Entretanto, alguns fatos são inquestionáveis e merecem sérias considerações:

Fato 1 – O livro do profeta Isaías tem 66 capítulos. As mensagens dos 39 primeiros são surpreendentemente análogas aos temas dos 39 livros do Antigo Testamento. Da mesma forma, os últimos 27 capítulos de Isaías são incrivelmente relacionados às mensagens dos 27 livros do Novo Testamento. Existem até mesmos vários paralelos temáticos entre muitos capítulos de Isaías e os livros bíblicos correspondentes ao mesmo número.

Exemplo: “Eis a voz do que clama: Preparai no deserto o caminho do Senhor; endireitai no ermo uma estrada para o nosso Deus.” (Isaías 40.3). A próxima citação desse texto está justamente no 40º livro da Bíblia, Mateus: “Porque este é o anunciado pelo profeta Isaías, que diz: Voz do que clama no deserto; Preparai o caminho do Senhor, endireitai as suas veredas.” (Mateus 3.3).

Vejam só! Isaías, capítulo 40, citado no 40º livro, Mateus. Se fosse apenas um ou dois casos, poderíamos falar em coincidências. Mas existem dezenas, aliás, centenas de exemplos.

Fato 2 – Algumas palavras-chave sobre a origem do Universo, tais como os verbos “criou” “fez” e expressões como “céus e terra”, são encontradas mais freqüentemente nos livros de Gênesis, Isaías e Romanos, do que em qualquer outro livro bíblico. E daí? Daí que, organizando-se os livros da Bíblia em três grupos, cada um correspondendo às 22 letras do alfabeto hebraico, notamos que Gênesis, Isaías e Romanos estão alinhados no mesmo raio. Outro fato digno de nota é que justamente Isaías começa uma seção na Bíblia, a dos profetas, e Romanos encabeça outra seção, as epístolas. Caso Romanos ou Isaías estivessem numa ordem diferente, essa simetria não existiria.

E assim, como no exemplo do fato 1, existem centenas de exemplos  envolvendo o fato 2. De modo que, pela lei matemática das probabilidades, esses arranjos simétricos não poderiam ter acontecido por mero acaso.

Mas isso tudo poderia ter sido mera invenção humana? Acesse nosso novo estudo e tire as devidas conclusões.

Mais detalhes, acesse este link (ENCICLOPÉDIA ARQUIVO 7) e você será direcionado a uma página contendo todos os estudos em slides já publicados (cerca de 33.000 páginas). Daí é só escolher o estudo e fazer o download para o seu computador.

Também disponível no formato PDF: 
http://sdrv.ms/1a28Cw8

O número (e o título) deste novo estudo é: “251 – A SIMETRIA DAS 3 RODAS DA BÍBLIA”

Qualquer sugestão, crítica ou questionamento, escreva-me.

Moacir R. S. Junior – morganne777@hotmail.com

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

O APOCALIPSE EM GÊNESIS

O Deus que conhece o Fim desde o Princípio - Um novo capítulo da nossa Enciclopédia virtual

Como foi nos dias de Noé...” (Mateus 24.37).

Este é um dos textos mais conhecidos da Bíblia. E é uma das bases da Tipologia Bíblica. Sim, mas o que é isso mesmo?

Bíblica e teologicamente, um TIPO é alguém ou evento do passado que prefigura pessoas ou acontecimentos futuros. Os estudos dedicados a identificar os tipos são chamados, pelos estudiosos, de Tipologia. Existem centenas de exemplos bíblicos. Alguns exemplos:

1 – Quando Abraão foi provado por Deus a sacrificar seu filho Isaque (Gênesis 22): No caso, Abraão é uma figura profética de Deus, o Pai, que oferece seu Único Filho (Jesus) em sacrifício. O cordeiro que foi morto no lugar de Isaque também prefigura Cristo morrendo como substituto dos pecadores;

2 – Eva nasceu depois que Adão foi ferido, da mesma forma que a Igreja (Noiva de Cristo) foi gerada a partir da morte de Jesus;

3 – Um animal foi morto para garantir vestes para Adão e Eva, da mesma forma que Jesus morreu para nos garantir “vestes espirituais” da Salvação (Isaias 61.10);

A Tipologia faz muito uso das alegorias (uma forma de interpretar figuradamente um texto), mas é preciso deixar claras algumas coisas:

1 - Numa interpretação alegórica, nem todos os detalhes devem ser interpretados;

2 - Toda interpretação alegórica deve ter um paralelo com um texto literal;

3 - A interpretação alegórica deve ser fundamentada numa doutrina já existente e baseada em textos claros e literais e jamais uma doutrina deve ser criada com base numa alegoria.

Quando olhamos para as histórias do livro de Gênesis (tendo um conhecimento básico sobre profecias) é impossível não percebermos muitos paralelos com os eventos futuros. O próprio ambiente pré-diluviano é um exemplo clássico. Ninguém pode negar que a Humanidade de hoje é moralmente parecida com a do tempo pré-diluviano. E o próprio Cristo reconheceu isto.

Da mesma forma Jesus também fez comparações com os “DIAS DE LÓ” (Lucas 17.28).

O objetivo deste novo estudo é demonstrar que as histórias narradas no livro de Gênesis possuem incríveis paralelos com os acontecimentos dos Tempos Finais. E a quantidade de paralelos está além daquilo que é considerado mera coincidência.


Mais detalhes, clique aqui: ENCICLOPÉDIA ARQUIVO 7 e você será direcionado a uma página contendo todos os estudos em slides já publicados (cerca de 30.000 páginas). Daí é só escolher o estudo e fazer o download para o seu computador.

Também disponível no formato PDF: 
http://sdrv.ms/1a28Cw8

O número (e o título) deste novo estudo é: 250 – O APOCALIPSE EM GÊNESIS.

* E com este capítulo chegamos a 1/4 de 1000. Veja abaixo a relação completa da COLEÇÃO ARQUIVO 7 EM SLIDES:


terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

ARQUIVO 7 – A ORIGEM – Parte 5

A arte de decifrar Códigos Secretos - Um novo capítulo da nossa Enciclopédia virtual

Desde minha pré-adolescência sou apaixonado por enigmas, charadas, quebra-cabeças e códigos secretos, a tal ponto que cheguei a criar vários tipos.

Pouco a pouco, providencialmente, vários livros ou textos sobre o tema vieram parar em minhas mãos. Aí foi sendo formado aquilo que passou a ser conhecido como Arquivo7.

Essa paixão por enigmas me levaria mais tarde, inevitavelmente, a me deparar com a Bíblia, um livro de natureza humana e divina (tenho centenas de evidências para provar isso).

Aí o Arquivo7 passou da categoria natural para a sobrenatural.

No estudo de hoje, dedicado aos códigos secretos, irei demonstrar como, usando a Lógica Dedutiva, é possível decifrarmos uma mensagem codificada, mesmo sem estarmos de posse da chave. E, como exemplo, usarei um caso real, quando me deparei com uma mensagem codificada há alguns anos.

Mais detalhes, clique aqui: ENCICLOPÉDIA ARQUIVO 7 e você será direcionado a uma página contendo todos os estudos em slides já publicados (cerca de 30.000 páginas). Daí é só escolher o estudo e fazer o download para o seu computador.

Também disponível no formato PDF: 
http://sdrv.ms/1a28Cw8

O número (e o título) deste novo estudo é: 249 – ARQUIVO 7 – A ORIGEM – Parte 5.

Qualquer sugestão, crítica ou questionamento, escreva-me.

Moacir R. S. Junior – morganne777@hotmail.com

sábado, 28 de janeiro de 2017

JOSÉ, UMA “AMOSTRA GRÁTIS” DE JESUS

A beleza da Tipologia Bíblica - Um novo capítulo da nossa Enciclopédia virtual

A Profecia Bíblica se apresenta de três formas:

1 – LITERAL – Significa exatamente aquilo que o texto diz.

Exemplo: “E vos tomarei dentre as nações, e vos congregarei de todas as terras, e vos trarei para a vossa terra.” (Ezequiel 36.24) - Se os judeus foram expulsos de sua terra literalmente, eles retornarão literalmente.

2 – SIMBÓLICA - Quando a mensagem é transmitida por meio de símbolos.

Exemplo: “Então vi subir do mar uma besta que tinha dez chifres e sete cabeças, e sobre os seus chifres dez diademas, e sobre as suas cabeças nomes de blasfêmia.” (Apocalipse 13.1).

Um símbolo bíblico só pode significar aquilo que a Bíblia diz que ele significa.

Os dez chifres que viste são dez reis, os quais ainda não receberam o reino, mas receberão autoridade, como reis, por uma hora, juntamente com a besta.
Estes têm um mesmo intento, e entregarão o seu poder e autoridade à besta..”
Apocalipse 17.12,13

3 – TIPOLÓGICA - Biblicamente, um TIPO é alguém ou um acontecimento do passado que prefigura alguém ou um evento do futuro.

Exemplo: “Tomou, pois, Abraão a lenha do holocausto e a pôs sobre Isaque, seu filho;...”  (Gênesis 22.6) – Isto foi uma figura profética daquilo que aconteceu 2000 anos depois:

Tomaram, pois, a Jesus; e ele, carregando a sua própria cruz, saiu para o lugar chamado Caveira, que em hebraico se chama Gólgota...” (João 19.17)

Quando olhamos para a história de José (Gênesis 37 a 50) facilmente nos impressionamos ao notarmos as dezenas de paralelos com a história de Jesus, tais como: José era o filho amado do pai, odiado pelos irmãos, vendido como escravo, acusado falsamente de crimes, saiu da “sepultura” para o trono (do Egito) e se tornou o Salvador do mundo (da fome que assolava o mundo naquela época).

Neste novo estudo apontamos, pelo menos, 28 paralelos proféticos impressionantes entre José e Jesus. Não dá para negar os fatos e alegar que são somente coincidências.


Mais detalhes, clique aqui: ENCICLOPÉDIA ARQUIVO 7 e você será direcionado a uma página contendo todos os estudos em slides já publicados (cerca de 30.000 páginas). Daí é só escolher o estudo e fazer o download para o seu computador.

Também disponível no formato PDF: 
http://sdrv.ms/1a28Cw8

O número (e o título) deste novo estudo é: 248 – JOSÉ, UMA “AMOSTRA GRÁTIS” DE JESUS.

Qualquer sugestão, crítica ou questionamento, escreva-me.

Moacir R. S. Junior – morganne777@hotmail.com

sábado, 21 de janeiro de 2017

A DIGITAL DO POLEGAR ESQUERDO DE DEUS – Parte 2

É fácil profetizar; o difícil é fazer acontecer - Um novo capítulo da nossa Enciclopédia virtual

Saber com certeza o que acontecerá no futuro não é para qualquer um.

Pense em algum tempo do futuro, pelo menos 200 anos à frente. Invente 28 detalhes específicos a respeito de uma pessoa ou um povo, e anote em algum lugar. Quais as chances matemáticas de você acertar, pelo menos, a TERÇA parte dessas previsões?

Matematicamente falando, é impossível adivinhar, com centenas de anos de antecedência, uma certa quantidade de detalhes a respeito de alguém que ainda irá nascer

Deixando mais claro - Acertar somente 6 números, num pacote de 60 (MEGASSENA) é quase impossível (uma chance em 50.063.860). Agora, você consegue imaginar pelo menos 10 dados específicos sobre uma pessoa (tipo cidade de nascimento, ano e tipo de morte, etc.), com, pelo menos, 300 anos de antecedência?

Analisando as probabilidades - Uma coisa é escolher 6 itens dentro de um pacote com 60 opções (MEGASSENA). Agora, outra coisa é imaginar, do nada, vários itens sem opções para escolher. Por exemplo, como imaginar um tipo de execução que alguém vai inventar daqui a 1000 anos? Como imaginar que uma nação inteira será expulsa de sua terra, vai peregrinar durante certo tempo pelo mundo, depois vai renascer em apenas um dia? Ou seja, algo que nunca aconteceu antes com nenhuma outra nação.

A Lei das Probabilidades deixa claro que, quanto maior o número de dados, mais improvável se torna a adivinhação, até alcançar o ponto do impossível.

Por si mesmo, nenhum ser humano possui o dom (ou capacidade) de acertar 100% um conjunto tão grande de detalhes a respeito de alguém do futuro. Mas os profetas de Israel alegavam receber suas revelações de uma Entidade Superior, a qual se declarava a Única capaz de prever o futuro.

“... diz o Senhor... diz o Rei de Jacó ... mostrai-nos as coisas futuras.  Anunciai-nos as coisas que ainda hão de vir, para que saibamos que sois deuses;...” (Isaías 41.21-23)

Neste novo estudo, usamos (novamente) a Lei das Probabilidades para provarmos que as profecias bíblicas são verdadeiras e de origem sobrenatural. Você duvida?

Mais detalhes, clique aqui: ENCICLOPÉDIA ARQUIVO 7 e você será direcionado a uma página contendo todos os estudos em slides já publicados (cerca de 30.000 páginas). Daí é só escolher o estudo e fazer o download para o seu computador.

Também disponível no formato PDF: 
http://sdrv.ms/1a28Cw8

O número (e o título) deste novo estudo é: 247 – A DIGITAL DO POLEGAR ESQUERDO DE DEUS – Parte 2.

Qualquer sugestão, crítica ou questionamento, escreva-me.

Moacir R. S. Junior – morganne777@hotmail.com