Enciclopédia Arquivo7 no MEGA

segunda-feira, 21 de janeiro de 2019

O ENIGMA DOS 153 PEIXES - UMA VERDADE BÍBLICA TRADUZIDA MATEMATICAMENTE


Como faríamos uma leitura matemática do texto abaixo?

"Para que sejais irrepreensíveis e sinceros, filhos de Deus inculpáveis, no meio de uma geração corrompida e perversa, entre a qual resplandeceis como astros no mundo;"
(Filipenses 2.15)

Fato 1 - O número 666 representa um mundo sem Deus, a "GERAÇÃO CORROMPIDA", que vai adorar a Besta;

Fato 2 - Os filhos de Deus encontram-se NO MEIO dessa geração perversa;

Fato 3 - O número 666 é um número TRIANGULAR, como prova a imagem desta postagem (666 pontinhos);

Fato 4 - Entretanto, NO MEIO, isto é, no CENTRO dessas 666 bolinhas, temos um outro TRIÂNGULO formado por... 153 bolinhas!!!

Fato 5 - O MAR, na linguagem figurada das profecias, simboliza as NAÇÕES, OS POVOS (Apocalipse 13.1; 17.15);

Fato 6 - O número 153 (que também é TRIANGULAR) nos lembra claramente os 153 grandes peixes pescados no primeiro milagre de Jesus, após a Sua Ressurreição (João 21.11). Temos um fato real que simboliza o povo de Deus retirado do MAR DAS NAÇÕES;

Fato 7 - Se Jesus não tivesse ressuscitado, esses 153 peixes não teriam sido pescados. Jesus ressuscitou no dia 17 de Nisan.

A soma de 1 a 17 é...........................153.

Em outras palavras: a quantidade de peixes é exatamente o triangular do dia da Ressurreição.

Explica essa, incréu!!!

Moacir Junior – morganne777@hotmail.com

segunda-feira, 14 de janeiro de 2019

OS NOMES DOS PATRIARCAS BÍBLICOS FORAM MATEMATICAMENTE PLANEJADOS?


Vamos imaginar a seguinte situação:

1 - Você compra 16 laranjas na feira;

2 - Chegando em casa, separa 3 delas, ao acaso, e coloca de enfeite sobre a mesa;

3 - Chupa as outras 13;

4 - Você tem uma mania estranha: de contar as sementes de cada laranja que chupa;

5 - Outra mania estranha sua: calcular os valores das palavras (pelo número de ordem das letras no alfabeto);

6 - Seu nome, por exemplo, tem o valor de 26.

Agora, considere o seguinte:

1 - Das 13 laranjas chupadas nenhuma teve uma quantidade de sementes que coincidisse com 26, isto é, o valor do seu nome;

2 - Mas, no dia em que você resolveu chupar as as 3 laranjas especiais, eis a surpresa: CADA UMA DAS 3 TINHA EXATAMENTE 26 SEMENTES!!!

Quais as chances disso ter acontecido por acaso?

Agora, deixando as suposições de lado, vamos falar de COISAS REAIS:

Fato 1 - Dos muitos filhos que Abraão teve, 2 são destacados na Bíblia (Ismael e Isaque), porém, o mais especial (chamado de FILHO DA PROMESSA), sem dúvidas, foi Isaque;

Fato 2 - Isaque teve dois filhos e o de maior destaque foi Jacó;

Fato 3 - Jacó teve 12 filhos (homens) e o mais especial foi, sem contestação, José;

Fato 4 - Valor numérico do nome Isaque, em hebraico: 208, múltiplo de 26;

Fato 5 - Valor numérico do nome Jacó, em hebraico: 182, múltiplo de 26;

Fato 6 - Valor numérico do nome José, em hebraico: 156, múltiplo de 26;

Fato 7 - A diferença dos valores de Isaque pra Jacó é 26; e de Jacó para José é 26;

Fato 8 - O Nome YHWH (O Santo Nome de Deus revelado na Bíblia) tem o valor numérico de 26;

Fato 9 - NENHUM dos nomes dos outros 13 personagens (filhos de Abraão, Isaque e Jacó), têm o valor múltiplo de 26.

EXPLICA ESSA, INCRÉU!!!

Outras coisas parecidas ou mais surpreendentes você encontra na Enciclopédia Arquivo 7.

Moacir Junior – morganne777@hotmail.com

segunda-feira, 7 de janeiro de 2019

UMA COINCIDÊNCIA SURPREENDENTE COM AS “2.300 TARDES E MANHÃS” DA PROFECIA BÍBLICA


"Depois ouvi um santo que falava; e disse outro santo àquele que falava: Até quando durará a visão do sacrifício contínuo, e da transgressão assoladora, para que sejam entregues o santuário e o exército, a fim de serem pisados? E ele me disse: Até duas mil e trezentas tardes e manhãs; e o santuário será purificado." (Daniel 8.13,14).

Os estudiosos têm muito a dizer sobre esse texto bíblico. Porém, seja lá o que cada um pense, os seguintes fatos não podem ser contestados por ninguém:

Fato 1 - Um dos principais temas da visão de Daniel no capítulo 8 é a guerra entre a Grécia (também chamada de bode) e a Pérsia (também chamada de carneiro). No próprio texto aparecem esses nomes, portanto, não é dedução ou invenção de teólogos;

Fato 2 - Essa guerra aconteceu nos anos 334 a 333 antes de Cristo (e não é uma data controversa. Todos os historiadores que consultei concordam com ela);

Fato 3 - O texto de Daniel também fala das DESOLAÇÕES DE JERUSALÉM e do SANTUÁRIO;

Fato 4 - Em Gênesis 1.5, lemos claramente: "E foi a tarde e a manhã, o dia primeiro". Portanto, "tarde e manhã" é sinônimo de dia; nesse caso, “2.300 tardes e manhãs" pode ser entendido, sem problemas, como "2.300 dias";

Fato 5 - Nos livros proféticos, especialmente em Daniel, muitas vezes "dias" simbolizam "anos" (as 70 semanas de Daniel 9, por exemplo); portanto, não é nenhum "malabarismo (ou truque) teológico" interpretar "2.300 tardes e manhãs" como "2.300 ANOS";

Fato 6 - Contando-se 2.300 anos desde o ano 333 a.C. (guerra entre os gregos e persas), chegaremos, sem sombras de dúvidas, ao ano de 1967;

Fato 7 - Lembrem-se: em 1967 (07 de junho), durante a famosa GUERRA DOS 6 DIAS, JERUSALÉM FOI LIBERTADA, e voltou para as mãos de Israel após 2.500 anos em mãos estrangeiras.

Alguém pode alegar que não tem nada a ver? Pode! Mas terá antes que contestar os 7 fatos acima. Quem se habilita?

* Só uma explicaçãozinha básica: Eu acredito que a profecia bíblica tem um alvo final, mas que, antes disso, realiza pequenos cumprimentos ou "amostras grátis", até chegar ao ponto culminante. Para mim, a conexão de Jerusalém em 1967 com a profecia das "2.300 tardes e manhãs" de forma nenhuma esgota o cumprimento da profecia, mas foi uma espécie de "amostra grátis" ou uma prova para os céticos de plantão da exatidão da Bíblia. E repito: Quem pode contestar, pelo menos, algum dos 7 fatos acima?

*Mais detalhes e outros eventos no mesmo estilo você encontra na Enciclopédia Arquivo7.

Moacir Junior – morganne777@hotmail.com

terça-feira, 1 de janeiro de 2019

JESUS ABRE E FECHA O TEMPO... UMA COINCIDÊNCIA ABSURDA OU UM MARAVILHOSO PROJETO DIVINO


- Prove-me que até a divisão da Bíblia em capítulos foi divinamente inspirada... e de uma forma que seja fácil de se demonstrar, mesmo nas edições modernas da Bíblia.

- Para você o que existe de interessante no número 888?

- Já ouvi dizer que é o valor do nome de Jesus, em grego.

- Exatamente! No grego usado no Novo Testamento, o nome JESUS vale numericamente 888.

- Ok, 888 é o valor do nome de Jesus e daí?

- Você concorda que Jesus é o PRINCÍPIO e o FIM, que abre e fecha o tempo? O começo e o fim do calendário?

- É lógico, é o que a Bíblia ensina claramente, né?

- Vamos fazer a seguinte experiência. Pegue um calendário qualquer, com os 12 meses.

Algum tempo depois.

- Como você deve saber, o calendário bíblico, usado pelos profetas, tinha 360 dias, isto é, 12 meses de 30 dias, cada.

- Sim, eu sei disso também.

- Ok. Digamos que este aqui seja um calendário do tipo. Vamos preenchê-lo da seguinte forma: digamos que cada dia represente um livro da Bíblia.

Exemplo:

Dia 1 - Gênesis
Dia 2 - Êxodo
Dia 3 - Levítico
Etc.

Só que, ao invés de escrevermos o nome do livro, vamos anotar a quantidade de capítulos dele. Isto é, a quantidade de capítulos irá representar o livro.

Exemplo:

Dia 1 = 50 (Gênesis tem 50 capítulos)
Dia 2 = 40
Dia 3 = 27
Etc.

- Entendi. Mas ainda não sei aonde você quer chegar.

- Um pouco de paciência. Como são 66 livros canônicos, quando chegarmos ao dia 66, iremos continuar, reiniciando do Gênesis, e assim, até completarmos os 360 dias do calendário.

- Ok, entendi.

Mais tarde.

- Pronto, os 360 dias estão preenchidos. E agora?

- Agora calcule a soma do primeiro mês.

- Como?

- Faça a soma de todos os capítulos bíblicos ao lado dos 30 dias do primeiro mês.

- Ah, sim.
...
...
...
...
...
...
...

- Que negócio é esse?!!!

- Quanto deu mesmo?

- 888!!!

- Pois é. O valor do nome de Jesus, em grego. Ele é o principio do tempo. Agora calcule a soma de todos os capítulos equivalentes ao mês 12, ou seja, ao último mês.
...
...
...

- Você tá de brincadeira!

- Quanto é o valor do último mês?

- 888...

- Pois é! Jesus abre e fecha o calendário. Ele abre e fecha o tempo. Explica essa, incréu!

- ???!!!

Moacir Junior – morganne777@hotmail.com

sexta-feira, 28 de dezembro de 2018

COMO DEUS CALCULA OS NOSSOS DIAS?


Quais dias da nossa vida são registrados no computador celestial?

"E sucedeu que no ano de quatrocentos e oitenta, depois de saírem os filhos de Israel do Egito, no ano quarto do reinado de Salomão sobre Israel, no mês de Zive (este é o mês segundo), começou a edificar a casa do SENHOR." (1 Reis 6.1) 

No capitulo 6 do livro de I Reis diz claramente que se passaram 480 anos desde que o povo de Israel saiu do Egito até o inicio da construção do Templo por Salomão.

Mas quando lemos o capítulo 13 do livro de Atos e somamos os números citados ali descobrimos que o tempo foi de 573 anos e não 480.

Em Atos 13 o apóstolo Paulo conta um pouco da história de Israel e informa que o povo de Deus, desde que saiu do Egito, passou 40 anos no deserto, mais 450 anos sob o governo dos juízes, e mais 40 anos sob o reinado de Saul. Depois Israel foi governado por Davi (também durante 40 anos). De acordo com 1 Reis 6.1, no quarto ano do seu reinado, Salomão começou a edificar o Templo de Deus. Ou seja, Salomão reinou três anos antes da construção do Templo.

Sendo assim, temos:

40 anos no deserto
+ 450 anos sob os juízes
+ 40 anos do reinado de Saul
+ 40 anos do reinado de Davi
+ 3 anos do reinado de Salomão (antes da construção do Templo)

= 573 anos.

Veja bem! Os dados coletados a partir de Atos 13 (e outras passagens relacionadas) nos levam, inevitavelmente, a conclusão de que o TEMPO ENTRE O ÊXODO E O INICIO DA CONSTRUÇÃO DO TEMPLO POR SALOMÃO foi de 573 anos.

Entretanto, em 1 Reis 6 diz que foram 480 anos! Por que essa diferença de 93 anos?

Existe claramente uma contradição de 93 anos. Quem está certo: o escritor de 1 Reis ou o de Atos? Uma das regras de uma investigação é que DUAS AFIRMAÇÕES CONTRADITÓRIAS NÃO PODEM SER VERDADE AO MESMO TEMPO, A NÃO SER QUE APAREÇA UMA TERCEIRA UNINDO (OU HARMONIZANDO) AS DUAS.

Se a Bíblia é a Palavra de Deus e nela não pode haver contradição, como explicar essa diferença de 93 anos entre as duas contagens? Se somente uma está correta, então isso mostra uma falha na Bíblia; se as duas afirmações estão corretas, então a coisa se complica.

Afinal, quantos anos se passaram da saída de Israel do Egito ao inicio da construção do Templo? 480 ou 573 anos?

Atos 13 nos leva ao número 573 e 1 Reis 6 nos leva ao número 480. É uma grande falha dos escritores da Bíblia? Não pode ser, pois existem evidências mais do que suficientes de que a Bíblia é a Palavra de Deus. E como tal NÃO PODE ERRAR. Então temos de buscar as respostas. A diferença é de 93 anos. Onde estarão? Seria algum erro de tradução?

Dos números citados em Atos 13 os mais suspeitos (maiores que 93) são os 450 anos do tempo dos juízes. E é justamente no livro dos Juízes que encontraremos a resposta do nosso enigma.

Nesse livro, um dos mais tristes da Bíblia, o povo de Israel rebela-se contra Deus várias vezes. Sempre que eles se voltavam para os ídolos, O Senhor os entregava nas mãos de nações pagãs. Então eles se arrependiam, clamavam a Deus e Deus enviava um libertador. Passado algum tempo, tornavam a pecar, eram novamente levados para o cativeiro, se arrependiam, clamavam e Deus enviava um libertador. Esse ciclo se repete muitas vezes. É aqui que começamos a entender os princípios de Deus.

Ou seja, durante 450 anos (período dos juízes), Israel enfrentou algumas crises tão sérias que o fizeram ser escravizado pelas nações durante certo tempo:

Israel passou 8 anos escravizado por Cusã, rei da Mesopotâmia (Juizes 3.8); 18 anos nas mãos de Eglom, rei dos moabitas (Juizes 3.14); 20 anos nas mãos de Jabim, rei de Canaã (Juizes 4.3); 7 anos nas mãos dos midianitas (Juizes 6.1); e 40 anos nas mãos dos filisteus (Juizes 13.1).

Então temos:

8 anos nas mãos de Cusã, rei da Mesopotâmia (Juízes 3.8)
+ 18 anos nas mãos de Eglom, rei dos moabitas (Juízes 3.14)
+ 20 anos nas mãos de Jabim, rei de Canaã (Juizes 4.3)
+ 7 anos nas mãos dos midianitas (Juízes 6.1)
+ 40 anos nas mãos dos filisteus (Juízes 13.1) =

93 anos!

O quê?!!! Exatamente 93 anos?

Sim. Exatamente a diferença entre os anos citados em 1 Reis 6 e os de Atos 13. Isso nos leva à seguinte conclusão:

NA HISTÓRIA DE ISRAEL (entre o Êxodo e a construção do Templo) DEUS SUBTRAIU 93 ANOS POR CAUSA DOS PECADOS DO SEU POVO!

Atos 13 mostra os anos na perspectiva de Israel. 1 Rs 6 mostra a perspectiva de Deus. Israel pensava que tinha 573 anos, mas é como se Deus dissesse: “NADA DISSO! VOCÊS COMETERAM ABOMINAÇÕES E POR ISSO DESCONTEI 93 ANOS DA HISTÓRIA DE VOCÊS.”

Uma observação: Em Juízes 10.6-8, os filhos de Israel tornam a pecar contra Deus e são entregues nas mãos dos amonitas durante 18 anos. Isso não atrapalha os nossos cálculos? Na verdade, não, pelas seguintes razões:

a) Juízes 10.8, diz que os amonitas oprimiram apenas o povo israelita que estava “DALÉM do Jordão”, isto é, Jefté foi o juiz apenas de uma parte do povo hebreu (os que estavam do outro lado do Jordão).

b) Esses 18 anos de opressão amonita e filistia estão dentro do “pacote” completo da opressão filistia que durou 40 anos (Juízes 13.1). A diferença entre 18 e 40 é 22 e Sansão julgou o povo de Israel durante 20 anos (Juízes 16.31).

Meus amigos, Israel ficou 93 anos nas mãos dos seus inimigos por causa de sua rebelião e idolatria. Deus considerou esses anos como negativos, perdidos, e os retirou da história de Israel. A lição que podemos aprender dessa “matemática divina” é que Deus só conta os dias que vivemos para Ele. Os outros são como se não existissem ou não valessem nada.

Em Gênesis capítulos 4 e 5, temos duas listas que revelam algo surpreendente: na linhagem do piedoso SETE (o 3º filho homem de Adão e Eva), é revelada a idade de todos os patriarcas citados (inclusive a idade que tinham quando geraram alguns de seus filhos – provavelmente, os primogênitos). Porém, na genealogia do ímpio CAIM não foi revelada a idade de NINGUÉM! Para Deus é como se aquela geração nem tivesse existido.

Da mesma forma, existem certos anos na história de Israel que Deus não contabilizou em seu sistema celestial (por exemplo, existem evidências de que os 70 anos que Israel passou no cativeiro babilônico foi descontado da cronologia da história judaica – os detalhes você encontra em outros estudos do Arquivo7).

No final de um ano e inicio de um novo é sempre importante a gente refletir nesta questão: Quantos anos nós pensamos que temos no computador de Deus? Quantos anos nós temos vivido para Deus? Quantos anos nós temos vivido apenas para nós mesmos e para as nossas vaidades?

Creio que, de todas as orações que costumamos fazer nessa época, a mais importante seria a que Moisés escreveu no Salmo 90:

Ensina-nos a contar os nossos dias de tal maneira que alcancemos corações sábios.” (Salmo 90.12).

Moacir Junior – morganne777@hotmail.com

sexta-feira, 21 de dezembro de 2018

DEUS, O PRINCÍPIO E A MATEMÁTICA


Você pensa que já leu o texto abaixo, mas não leu. É a parte 2 de outro publicado anteriormente. Repito os dois primeiros parágrafos do texto anterior apenas para facilitar o entendimento dos fatos citados depois.

Olhe bem para a imagem desta postagem. Contém 2701 bolinhas. O triângulo central contém 703 bolinhas. Isso é uma representação gráfica de um número chamado de TRIANGULAR pelos matemáticos. Nós estamos mais acostumados com os números QUADRADOS, mas os antigos gregos davam muito importância aos números TRIANGULARES.

Bem, essa figura é perfeitamente compreendida em qualquer cultura, pois representa um número FIGURADO (isto é, usa bolinhas ou pedrinhas para representar um número e não sinais como os algarismos, que só foram inventados muitos anos mais tarde na linha do tempo da Humanidade).

Alguns fatos bíblicos surpreendentes com base nessa imagem:

Fato 1 - A 7ª palavra da Bíblia (TERRA) vale 296 (8 x 37);

Fato 2 - O Nome JESUS (como usado no grego do Novo Testamento), vale 888, ou (8+8+8) x 37;

Fato 3 - Dentro da palavra JESUS (888) temos 3 x TERRA (296+296+296 = 888). "Ó terra, terra, terra! Ouve a palavra do SENHOR." (Jeremias 22.29)

Fato 4 - A conexão do Filho de Deus com a Terra é tão grande que os nomes JESUS e TERRA estão matematicamente conectados (mesmo que em línguas diferentes, porém ambas relacionadas por meio de um livro único);

Fato 5 - A parte VERDE do triângulo vale 703, justamente a soma total das 6ª e 7ª palavras da Bíblia, traduzidas como "E A TERRA";

Fato 6 - Juntando os dois valores (407 e 296, que formam o CENTRO 703), temos 407296, que é perfeitamente divisível exato do valor 2368 (JESUS CRISTO, em grego). Ou seja: 2 x 86 x 2368 = 407296;

Fato 7 - Vejam bem! 2 x 86 x 2368! 86 é justamente o valor da TERCEIRA palavra da Bíblia, o valor do nome ELOHIM (DEUS). Portanto, DEUS em DOBRO (2 x 86) x JESUS CRISTO (2368) é igual a 407296 (E A TERRA).

Uma perfeita tradução matemática de 2 Coríntios 5.19:

"Isto é, Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo, não lhes imputando os seus pecados; e pós em nós a palavra da reconciliação."

E isso, meus amigos, continua sendo apenas a ponta do iceberg.

Mais detalhes, veja na Enciclopédia Arquivo7.

Moacir Junior – morganne777@hotmail.com