Enciclopédia Arquivo7 no MEGA

terça-feira, 31 de agosto de 2010

A LEI DOS SETES E AS PROFECIAS - PARTE 2



Exemplo 2 – AS 7 PROFETISAS

A história da Igreja Cristã na terra é dividida em 7 períodos em muitas passagens da Bíblia. O exemplo mais conhecido é o das 7 Igrejas do Apocalipse. Também existe uma relação com as 7 parábolas do capítulo 13 de Mateus (Existem vários textos publicados no site do Arquivo7 sobre este tema). Bem, existem outras coleções de setes na Bíblia que apontam para as mesmas profecias. Ao todo, dentro das Sagradas Escrituras, exatamente 7 mulheres são chamadas de profetisas. Suas histórias contém características que lembram as características das 7 igrejas apocalípticas.

01 – MIRIAM – Ex 15.20 – É digno de nota que, em sua história, ela começou bem sua carreira de fé, mas depois esfriou – tal como a 1.ª Igreja do Apocalipse – Éfeso;

02 – DÉBORA – Jz 4.4 – Viveu em época de guerra – Esmirna padeceu sob as perseguições romanas;

03 – HULDA – 2 Rs 22.14 – Em seu tempo, Israel passava por uma grande frieza espiritual, até que houve um poderoso despertamento – na Igreja de Pérgamo a situação estava do mesmo jeito;

04 – NOADIAS – Neemias 6.14 – Foi uma profetisa inimiga, que tentou impedir a reconstrução de Jerusalém, no tempo de Neemias – Coincidentemente na igreja de Tiatira havia uma mulher (Jezabel) que tentava atrapalhar a obra de Deus;

05 – ESPOSA DE ISAIAS – Is 8.3 – É significativo que ela não seja mencionada pelo nome e que Isaías foi o profeta que mais falou do REMANESCENTE, isto é, um grupo de fiéis, que não se deixou corromper em meio a apostasia de Israel. Na Igreja em Sardes, Jesus fala dos poucos fiéis, o remanescente que não se deixou corromper – essa época profética da Igreja coincide exatamente com o período da Idade Média, que culminou com a Reforma Protestante, conforme explicado no estudo sobre as 7 parábolas proféticas.

06 – ANA – Lc 2.36 – Representa a Igreja avivada, que espera a manifestação de Jesus – e realmente Ana contemplou Jesus na Sua 1.ª Vinda – Um paralelo impressionante com a 6.ª Igreja do Apocalipse, Filadélfia, que recebeu a promessa de Jesus de ser guardada da ira vindoura;

07 – JEZABEL – Ap 2.20 – Impressionantemente a 7.ª mulher chamada de profetisa na Bíblia é uma mulher mundana, que se diz cristã – a mesma característica da 7.ª Igreja, Laodicéia. Tudo isso seriam apenas coincidências?

Exemplo 3 – SETE ANIMAIS EM CONFLITO NO FIM DOS DIAS

No livro do profeta Daniel se fala de muitos animais, mas todos eles se resumem em quatro impérios mundiais. Ao todo, nas profecias só existem 7 animais de destaque que entrarão em conflito no fim dos dias.

01 – um leão com asas – o império babilônico – Daniel 7; Não por acaso, o Iraque (descendente do reino babilônico) voltou a ser assunto freqüente nos noticiários do dia a dia, e em 1991 lançou 40 mísseis contra Israel (40, um número profético, que na Bíblia significa PROVAÇÃO);

02 – um urso (Daniel 7) – o império medo-persa, atualmente conhecido como IRÃ, outro país que tem sido noticia freqüente nos jornais e seu atual presidente, o maluco Mahmoud Ahmadinejad vive vociferando na mídia ameaçando apagar Israel do mapa;

03 – um leopardo com 4 cabeças (Daniel 7) – o império grego; A Grécia é um país sem expressão em nossos dias, mas assim como o Iraque e o Irã voltaram a dar sinais de vida (especialmente contra Israel), devemos esperar o mesmo da Grécia.

04 – um animal terrível de 7 cabeças e 10 chifres (Daniel 7; Apocalipse 13) – o império romano (e também o Anticristo); isso mesmo. Esse 4.º animal representa ao mesmo tempo um império e seu diabólico imperador. As profecias indicam a restauração do antigo império romano, e em nossos dias, os mesmos países que formavam um país único na época da 1.ª Vinda de Cristo, voltaram a se unir, formando a União Européia. Coincidência?

05 – um monstro que saiu da terra (Apocalipse 13.11) – um enganador líder religioso chamado de Falso Profeta, que se levantará nos últimos dias, como o sacerdote do Anticristo.

06 – um dragão vermelho com 7 cabeças (Apocalipse 12) – Este é o próprio Satanás, o verdadeiro chefe por trás de todos os 5 animais anteriores; mas depois dele vem alguém muito mais poderoso, o 7.º animal do Apocalipse!

07 – O Cordeiro! Em todo o livro do Apocalipse é citado um Cordeiro que irá vencer e destruir todos os animais citados anteriormente. Esse Cordeiro é o Próprio Rei dos reis e Senhor dos senhores, JESUS CRISTO (Apocalipse 5.5). A história avança para seu clímax.

Exemplo 4 – SETE MULHERES ESTÉREIS

Em Isaias 54.1, o profeta compara o povo de Deus com uma mulher estéril, que não podia ter filhos, mas agora está pulando de alegria porque tem muitos filhos. Seria por acaso que em toda a Bíblia são mencionadas 7 mulheres que sofriam por causa de sua esterilidade e que foram curadas pelo SENHOR? Se o povo de Deus é comparado a uma mulher estéril, seria imaginação demais ver nessas 7 mulheres outra profecia das 7 igrejas do Apocalipse? Vejamos.

01 – SARA (Gn 11.30) – Começou bem sua carreira de fé, mas depois esfriou. Olha a principal característica de Éfeso novamente.

02 – REBECA (Gn 25.21) – Em seu ventre havia duas nações em conflito – joio e trigo. Aqui lembramos da 2.ª parábola profética que fala de dois tipos de pessoas dentro do reino de Deus. E na Igreja de Esmirna falsos judeus estavam tentando sabotar a obra de Deus.

03 – RAQUEL (Gn 29.31) – “Ora, tendo Labão ido tosquiar as suas ovelhas, Raquel furtou os ídolos que pertenciam a seu pai” (Gn 31.19). Na história de Sara e Rebeca não se fala de ídolos, mas na de Raquel sim. Nas cartas às igrejas de Éfeso e Esmirna não se toca no tema idolatria, mas em Pérgamo...

Carta à Igreja de Pérgamo – “...entretanto, algumas coisas tenho contra ti; porque tens aí os que seguem a doutrina de Balaão, o qual ensinava Balaque a lançar tropeços diante dos filhos de Israel, introduzindo-os a comerem das coisas sacrificadas a ídolos e a se prostituírem” (Apocalipse 2.14).

“Então disse Jacó à sua família, e a todos os que com ele estavam: Lançai fora os deuses estranhos que há no meio de vós, e purificai-vos e mudai as vossas vestes. (...) Entregaram, pois, a Jacó todos os deuses estranhos, que tinham nas mãos, e as arrecadas que pendiam das suas orelhas; e Jacó os escondeu debaixo do carvalho que está junto a Siquém.” (Gênesis 35.2-4).

04 – A MÃE DE SANSÃO – Jz 13.2-3 - Seu filho foi derrotado, iludido por uma prostituta. Exatamente na 4.ª Igreja, Tiatira, se fala de uma sedutora mulher, Jezabel, que estava perturbando o povo de Deus com sua prostituição e havia derrubado muitos fiéis. Dalila representa a sedutora meretriz de Apocalipse 17, uma igreja falsa, anticristã e sedutora, que derrubará muitos cristãos nos tempos finais.

05 – ANA – I Sm 1.2 – A mãe de Samuel viveu numa época de crise espiritual em Israel, onde está escrito que a palavra de Deus era escassa naqueles dias (I Samuel 3). Ana era uma remanescente – Tal qual os sobreviventes na Igreja de Sardes.

06 – A SUNAMITA – 2 Rs 4.14 – Se estas 7 mulheres têm alguma coisa a ver com as 7 igrejas, a 6.ª tem que ter algo relacionado à 6.ª igreja (Filadélfia, a Igreja que tem a promessa do Arrebatamento). E realmente os paralelos são impressionantes.

O filho dessa mulher morreu e ressuscitou, e na sua época três ressurreições aconteceram. Em seu tempo viveram os profetas Elias e Eliseu. E o mais interessante: Em seus dias aconteceu o Arrebatamento de Elias. Que indicação profética poderia ser mais clara?

07 – ISABEL – Lc 1.7 – A mãe de João Batista. Em sua época, Jesus veio, havia poucos fiéis (Ana, Simeão, etc.), e um desses (João Batista) foi decapitado.

Nos últimos dias serão poucos os cristãos fiéis, sofrerão perseguições terríveis e muitos serão até decapitados (Ap 20.4). Tudo se encaixa perfeitamente.

Exemplo 5 – SETE PESSOAS CHAMADAS POR DEUS COM A REPETIÇÃO DOS SEUS NOMES

Em toda a Bíblia existem somente 7 exemplos de pessoas que foram chamadas por Deus com a repetição dos seus nomes. Por que 7?

SÃO 4 NO ANTIGO TESTAMENTO

01 - Abraão (Gn 22.11);
02 - Jacó (Gn 46.2);
03 - Moisés (Ex 3.4);
04 - Samuel (I Sm 3.10).

E 3 NO NOVO TESTAMENTO (a divisão de 7 em 3 e 4).

05 - Marta (Lc 10.41);
06 - Simão Pedro (Lc 22.31);
07 - e Saulo de Tarso (At 9.4).

Essa divisão já chama a atenção, pois os quatro do Antigo Testamento refletem muito bem a história passada de Israel, assim como os 3 do Novo Testamento refletem a história atual e futura. Vejamos.

NO ANTIGO TESTAMENTO

01 - Abraão (Gn 22.11) – O inicio da caminhada de Israel com Deus;
02 - Jacó (Gn 46.2) – Os altos e baixos da vida espiritual de Israel;
03 - Moisés (Ex 3.4) – A relação de Israel com a Lei, chamado para ser um exemplo para as nações;
04 - Samuel (I Sm 3.10) – Israel avivado diante de Deus.

E o que aconteceu com Israel no Novo Testamento? Rejeitou Jesus, foi expulso de sua terra e futuramente terá um encontro dramático com Jesus. Será que podemos ver isso nos três últimos personagens que foram chamados com a repetição dos seus nomes? (Detalhe: No Novo Testamento os três foram chamados por JESUS).

NO NOVO TESTAMENTO

05 - Marta (Lc 10.41) – Aqui aparecem duas mulheres: uma (Maria) está sedenta pelos ensinamentos de Jesus, a outra (Marta) faz pouco caso. Exatamente o que aconteceu na história profética real. Israel rejeitou a mensagem de Jesus, e os Gentios a aceitaram. Em outras palavras: Israel (Marta) fez pouco caso da Palavra de Deus, enquanto que a Igreja (Maria) estava sedenta de conhecer mais. Quem pode negar esse paralelismo profético?

06 - Simão Pedro (Lc 22.31) – Negou Jesus três vezes, e depois, arrependido voltou para o Mestre. Exatamente a situação atual de Israel. Depois de ter rejeitado Jesus e passado por várias aflições, tornará para Deus, num futuro muito breve.

Existe um outro detalhe profético nessa história.

“Nesse instante o galo cantou pela segunda vez. E Pedro lembrou-se da palavra que lhe dissera Jesus: Antes que o galo cante duas vezes, três vezes me negarás. E caindo em si, começou a chorar.” (Marcos 14.72)

Os judeus dividiam a noite em quatro vigílias (6, 9, meia-noite, 3 e 6 da manhã). A 3.ª vigília era chamada de cantar do galo.

“Vigiai, pois; porque não sabeis quando virá o senhor da casa; se à tarde, se à meia-noite, se ao cantar do galo, se pela manhã;” (Marcos 13.35)

Existe uma palavra de Jesus sobre Sua Segunda Vinda relacionada com as vigílias da noite, em Lucas 12.36,38:

“... e sede semelhantes a homens que esperam o seu senhor, quando houver de voltar das bodas, para que, quando vier e bater, logo possam abrir-lhe. (...) Quer venha na segunda vigília, quer na terceira, bem-aventurados serão eles, se assim os achar.”

Quando Ele virá? Na segunda ou na terceira vigília. A harmonia das profecias é impressionante.

Entre a segunda e a terceira vigília fica a meia-noite. Ele virá à meia-noite (Mateus 25.6), exatamente entre a segunda e terceira vigília (claro que isso é uma linguagem simbólica, não significando que Ele virá literalmente à meia-noite, embora isso também seja possível).

Mais uma revelação. De acordo com o Salmo 90.4, mil anos aos olhos de Deus é equivalente a uma vigília da noite.
Recapitulando:

- Um cantar do galo = uma vigília.
- Uma vigília = 1000 anos

Logicamente, dois cantar do galo = duas vigílias = 2.000 anos. Não inventamos isso, simplesmente seguimos os significados que a própria Bíblia dá às coisas.

Qual a conclusão final? Aquilo que já mostramos anteriormente, ou seja, de acordo com o profeta Oséias (cap. 6.1-3), a restauração de Israel acontecerá DEPOIS DE DOIS DIAS. Uma coisa é incontestável: atualmente, após quase 2000 anos Israel está de volta à sua terra, o que, de acordo com Ezequiel 36 é o primeiro passo para sua restauração espiritual.

07 - e Saulo (At 9.4) – Este teve que cair por terra para poder reconhecer que Jesus é o verdadeiro Messias. Simboliza claramente a conversão de Israel quando Jesus voltar, em grande poder e glória (Zacarias 12).

Exemplo 6 – JOSÉ E AS 7 VACAS DO EGITO

No livro do profeta Isaias Deus declara que conhece o fim desde o principio (Isaias 46.9-10; 48.3). Todas as histórias reais do livro de Gênesis se parecem exatamente com certos acontecimentos que ocorreram na História milhares de anos depois, relacionados ao Plano de Deus. Vejamos um exemplo na história de José, que é ao mesmo uma fantástica profecia para o futuro.

• Tal como Jesus, José foi odiado pelos próprios irmãos – Gênesis 37.4; João 7.5; 15.24.
• José foi vendido por 20 moedas; Jesus foi vendido por 30 – Gênesis 37.28; Mateus 26.
• Rúben procurou impedir que José fosse morto; a mulher de Pilatos fez o mesmo com Jesus – Gênesis 37.21; Mateus 27.19.
• Judá propôs a venda de José; o mesmo fez Judas com Jesus (ambos os nomes (=Judá e Judas) tem o mesmo significado, e José e Jesus vem da mesma raiz hebraica)– Gênesis 37.28; Mateus 26.15.
• José foi vendido para Potifar, um oficial egípcio, o qual no inicio o tratou bem, depois o abandonou na prisão; Jesus foi entregue a Pilatos, o qual no inicio queria soltá-lo, depois O abandonou para ser crucificado – Gênesis 39; Lucas 23.
• Ambos (José e Jesus) foram tentados, e venceram – Gênesis 39; Mateus 4.
• Na prisão, José tinha dois colegas: um foi solto, o outro foi enforcado; Na cruz, Jesus estava entre dois ladrões: um foi salvo, o outro se perdeu – Gênesis 40; Lucas 23.
• Com 30 anos, José se tornou governador do Egito; com 30 anos, Jesus começou a pregar – Gênesis 41.46; Lucas 3.23.
• José, rejeitado pelos irmãos, foi aceito pelos egípcios; Jesus, rejeitado pelos irmãos judeus, foi mais tarde aceito pelos Gentios (=nações não israelitas).
• Rejeitado pelos irmãos, José ganha uma noiva no Egito; rejeitado pelos judeus Jesus ganha uma noiva (a Igreja, formada por judeus, mas principalmente gentios).

OS ACONTECIMENTOS FUTUROS

Da mesma forma, o futuro (= A 2.ª Vinda de Jesus Cristo) foi profetizado na história de José.

a) Depois que os irmãos haviam rejeitado a José, sofreram muito. Sendo provados, se aproximaram de José, porém não o reconheceram (Gênesis 42.8). Os judeus que rejeitaram a Jesus sofreram terrivelmente (Lucas 21.24 – a História fala das terríveis perseguições, especialmente as promovidas pela Inquisição da Igreja de Roma e o Holocausto promovido pelos nazistas). A maioria dos judeus já retornou para a sua terra, mas ainda não reconheceram a Jesus (Romanos 11.25).

b) Quando José se fez conhecer aos seus irmãos, eles então se reconciliaram com ele (Gênesis 45.4,15; 50.17-18). Quando Jesus, após a Grande Tribulação, voltar em grande poder e glória, os judeus O reconhecerão como o seu Messias, o qual eles mesmos crucificaram (Zacarias 12.10). Eles então se arrependerão com grande choro e serão salvos num só dia (Isaias 65.18,19; 66.8; Romanos 11.26).

Realmente, Deus conhece o “fim desde o princípio”.

E as 7 vacas? No capítulo 41 de Gênesis mostra que José se tornou o governador do Egito após decifrar o misterioso sonho do Faraó. O poderoso soberano egípcio havia sonhado com 7 espigas mirradas comendo 7 espigas cheias e logo depois (outro sonho), aparecem 7 vacas gordas sendo comidas por 7 vacas magras. Esquisito, não? O homem de Deus explicou que haveria de vir sobre o Egito 7 anos de fartura (as 7 vacas gordas e as 7 espigas cheias). Mas em seguida haveria 7 anos de fome e seca (as 7 vacas magras e as 7 espigas mirradas). Ele mostrou ao Faraó a melhor maneira de vencer as dificuldades e o soberano achou a idéia tão brilhante que o nomeou governador do Egito.

Qual a importância desses 7 anos na profecia? É que os profetas ensinam que Israel irá se reconciliar com Deus após 7 anos de tribulação (miséria, guerra e fome), e os irmãos de José se reconciliaram com ele justamente no período dos 7 anos de fome.

Portanto, novamente uma história dando ênfase ao número 7 e ao mesmo tempo apontando para o futuro. Conhecendo esses fatos é impossível não pensar seriamente na possibilidade de realmente existir um Deus e que a Bíblia é a Sua revelação à Humanidade.

Exemplo 7 – AS 7 PALAVRAS DA CRUZ

É mundialmente conhecido que, enquanto estava crucificado Jesus falou 7 vezes. Será possível que exista uma ligação com as profecias? Particularmente, estudando a Bíblia nesses últimos 18 anos, tenho aprendido que não existe nela nada por acaso, ou seja: nada que esteja ali simplesmente para ocupar espaço.

O número 7 é profético e sempre aparece em situações especiais na Bíblia. Jesus falou exatamente 7 vezes quando estava crucificado e suas palavras se encaixam, na ordem certa, com os eventos do calendário profético de Deus. Jesus falou 3 vezes antes das trevas cobrirem a terra e 4 vezes durante as trevas. Suas primeiras 3 frases tem a ver com o tempo da Igreja na terra, o tempo da Graça de Deus. As 4 últimas frases estão ligadas ao futuro.

01 – QUANDO SUAS MÃOS TOCARAM O MADEIRO, DISSE:

PAI, PERDOA-LHES, PORQUE NÃO SABEM O QUE FAZEM” – Lucas 23.34
Quando mãos humanas tocaram a árvore do Paraíso, começou a tragédia humana, mas Jesus veio para remover essa maldição.

02 – “HOJE, ESTARÁS COMIGO NO PARAISO” – A porta aberta – Lucas 23.43 – É a oportunidade hoje para quem quiser se reconciliar com Deus.

03 – “MULHER, EIS AI TEU FILHO... EIS TUA MÃE...” – João 19.26-27 – Embora essas palavras tenham sido mal interpretadas durante séculos, não há nenhuma prova bíblica de que Jesus estivesse nomeando sua mãe como mãe da Humanidade. Ele estava simplesmente deixando ela aos cuidados do apóstolo João (seu melhor amigo), já que seus irmãos (nessa época) eram (ainda) incrédulos (João 7). Mas essas palavras também possuem um claro significado profético. Assim como João teria agora uma nova família (cuidaria de Maria como se fosse sua mãe), com a morte de Cristo, Deus criou na terra uma nova família chamada Igreja (formada de Judeus + Qualquer um dentre as nações). É O TEMPO ATUAL, quando pessoas de todas as nacionalidades e raças estão se convertendo a Cristo e fazendo parte de uma nova família, que irá morar no Céu.

Cabe observar ainda que, se Jesus estava aqui consagrando Maria como a mãe da Humanidade, como insistem vários teólogos católicos, certamente Ele teria dito: “EIS AÍ A VOSSA MÃE”, já que, ao redor da cruz, estavam não somente João, mas muitas mulheres.

Logo após Jesus deixar sua mãe aos cuidados de João, as trevas caíram sobre a terra. Profeticamente, depois de formada a nova família (quando a Igreja estiver completa), as trevas cairão sobre a terra (será o tempo do reinado do Anticristo de acordo com as claras profecias da Bíblia).

04 – “DEUS MEU! DEUS MEU! POR QUE ME DESAMPARASTE?” – Mateus 27.46-47 – Depois da saída da Igreja da terra, o mundo experimentará o sabor da ira de Deus, o Espírito Santo se afastará da Humanidade e começará o tempo mais angustiante da terra (2 Tess 2; Apocalipse 12.12).

05 – “TENHO SEDE!” – João 19.28 - Por ter rejeitado Jesus, a humanidade terá sede! – Amós 8.11-13. Em Apocalipse 16, o calor do sol aumenta fortemente (7 vezes mais como disse o profeta Isaías, no capítulo 30 do seu livro), e as águas dos rios tornam-se em sangue.

06 – “ESTÁ CONSUMADO!” – João 19.30 – Representa o Final da tribulação, que coincide com o derramar da 7.ª taça do Apocalipse, quando uma voz do céu gritará: “ESTÁ FEITO!” – Apocalipse 16.17.

07 – “PAI, EM TUAS MÃOS ENTREGO O MEU ESPÍRITO” – Lucas 23.46 - Quando todas as coisas estiverem sujeitas Ao Senhor Jesus, Ele entregará Ao Pai todas as coisas restauradas.

“Então virá o fim, quando tiver entregado o reino a Deus, ao Pai, e quando houver aniquilado todo o império, e toda a potestade e força. Porque convém que Ele reine até que haja posto a todos os inimigos debaixo de seus pés. Ora, o último inimigo que há de ser aniquilado é a morte.”
I Corintios 15.24-26.

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

A LEI DOS SETES E AS PROFECIAS – UMA RELAÇÃO IMPOSSÍVEL DE SER NEGADA - Parte 1


Uma coisa que tenho observado no estudo da Bíblia é que, geralmente um acontecimento ou uma série de coisas relacionadas com alguma coleção de setes tem sempre uma ligação com as profecias. Vejamos a seguir 7 exemplos que provam essa afirmação.

Exemplo 1 – OS 7 ALGARISMOS ROMANOS E A RELAÇÃO COM AS PROFECIAS BÍBLICAS – O quê? Você deve estar brincando!

Ao olhar para os famosos algarismos romanos, a pergunta básica é inevitável: Por que 7?

O tema dos capítulos 13 e 17 de Apocalipse é o Império Anticristão Político-Religioso que se levantará contra Deus e o Seu povo nos últimos dias da história da Humanidade. Sabemos que o Império Romano terá um papel muito claro nos acontecimentos finais. O nome Roma não é citado no Apocalipse, mas a sombra dessa cidade aparece em muitos capítulos, especialmente no 17. De forma bastante clara – apesar de ser um enigma profético – Roma é apresentada nas seguintes palavras do anjo:

“Aqui está a mente que tem sabedoria. As sete cabeças são sete montes, sobre os quais a mulher está assentada;... E a mulher que viste é a grande cidade que reina sobre os reis da terra.” (Apocalipse 17.9,18). Só existe uma cidade mundialmente conhecida pelos seus famosos 7 montes, Roma. E era a única cidade capital do mundo na época em que o Apocalipse foi escrito. As palavras “A GRANDE CIDADE QUE REINA SOBRE OS REIS DA TERRA” são claras demais até para quem não tem nenhum conhecimento da linguagem apocalíptica.

Os nomes dos 7 montes são: AVENTINO, CAMPIDOGLIO, CELIO, ESQUILINO, PALATINO, QUIRINALE E VIMINALE.

Portanto, Roma é uma cidade profética, tal qual Jerusalém, embora sejam cidades antagônicas desde os tempos antigos. São dois pólos opostos. Na verdade, nos tempos finais Roma combaterá Jerusalém. Mas Jerusalém vencerá (Zacarias capítulos 12 e 14).

Existem, pelo menos, três coisas relacionadas a Roma (e envolvendo o número 7) que possuem uma forte implicação profética:

a) OS 7 MONTES

Que segundo Apocalipse 17.10 também representam 7 reis. “SÃO TAMBÉM SETE REIS: CINCO JÁ CAÍRAM; UM EXISTE; E O OUTRO AINDA NÃO É VINDO; E QUANDO VIER, DEVE PERMANECER POUCO TEMPO.” Esses 7 reinos se encaixam perfeitamente com os 7 impérios mundiais que oprimiram Israel durante os séculos (sendo que um ainda é futuro). Nos capítulos anteriores falamos sobre isso.

“SÃO TAMBÉM SETE REIS (= reinos): CINCO JÁ CAÍRAM (= Egito, Assíria, Babilônia, Pérsia e Grécia); UM EXISTE (= Roma, na época em que foi escrito o Apocalipse); E O OUTRO AINDA NÃO É VINDO (= o último império, o reino da Besta, que está sendo formado em nossos dias); E QUANDO VIER, DEVE PERMANECER POUCO TEMPO (= esse último império, de acordo com os profetas, durará somente 7 anos).”

Ainda em Apocalipse lemos (cap. 17.11): “A BESTA QUE ERA E JÁ NÃO É, É TAMBÉM O OITAVO REI, E É DOS SETE, E VAI-SE PARA A PERDIÇÃO.”

Por que a Besta é o OITAVO e também o SÉTIMO rei? O sétimo reino está sendo formado (= a partir da União Européia), e o sétimo rei será o Anticristo na primeira fase. Então ele é dado como morto, recebe todo o poder de Satanás e retorna como o oitavo rei. Mas há outra interpretação: a Besta é o 7.º rei e Satanás (= o Dragão) é o 8.º. A relação entre a Besta e o Dragão é tão profunda que parece que os dois são a mesma pessoa. É uma imitação satânica da relação entre Deus-Pai e Deus-Filho (JESUS), pois embora ELES sejam DUAS PESSOAS DISTINTAS são, ao mesmo tempo, UM ÚNICO DEUS.

Portanto, desde a Antiguidade Roma é conhecida como a CIDADE DAS 7 COLINAS, e isso possui fortes implicações proféticas. Não é a toa que essa cidade seja uma das mais citadas nos livros de História, e não é por acaso que é citada (mesmo que de forma enigmática) nos livros proféticos de Daniel e Apocalipse. Roma testemunhou a Primeira Vinda de Jesus (em humildade e fragilidade humana). Agora irá testemunhar a Segunda Vinda de Jesus, e desta vez ELE VIRÁ EM GRANDE PODER E GLÓRIA. Há 2000 anos O Filho de Deus se ajoelhou diante de Roma. Agora Roma se ajoelhará diante DELE.

b) OS 7 REIS DA ANTIGA ROMA – Antes de Roma se tornar um Império Mundial foi governada por 7 reis (conhecidos mundialmente):

• Rômulo (753 - 716 a.C)
• Numa Pompílio (716 - 673 a.C)
• Túlio Hostílio (673 - 641 a.C)
• Anco Márcio (641 - 616 a.C)
• Tarquínio Prisco (616 - 578 a.C)
• Sérvio Túlio (Mastarna em etrusco) (578 - 534 a.C)
• Tarquínio, o Soberbo (534 - 509 a.C)


Embora esses 7 reis não tenham nada a ver com os citados em Apocalipse 17, devem, entretanto, possuir alguma ligação profética.

c) OS 7 ALGARISMOS ROMANOS

Aqui chegamos ao tema central deste tópico. São 7 os algarismos romanos (exatamente 7 e foram criados muito antes de existir o próprio Império). Será que existe algum significado profético neles? As coincidências são muitas. Leia o que vem a seguir e tire suas próprias conclusões.

Os 7 algarismos romanos continuam sendo utilizados em nossos dias, em relógios especiais, códigos e leis, nomes de Papas, etc. Com eles se pode escrever qualquer número, mesmo que seja um caminho mais complicado. Mas o mais interessante é que, oculto nos 7 algarismos romanos, há uma profecia ou uma lição que se enquadra perfeitamente com as profecias da Bíblia sobre o final dos tempos. 7 é o número de Deus ou da aliança entre Deus e o homem (6 + 1), porém 6 é o número do homem, o homem não regenerado, afastado de Deus, rebelde. Os 6 primeiros algarismos romanos formam um valor numérico espantoso. Observem:

I – Vale 1 V – Vale 5 X – Vale 10 L – Vale 50 C – Vale 100 D – Vale 500

Juntando somente estes 6 algarismos (1 + 5 + 10 + 50 + 100 + 500) teremos 666, o famoso número da Besta do Apocalipse, a tríplice rebelião do homem contra Deus na consumação dos séculos. Coincidência?

De acordo com os profetas, o reinado da Besta terá a duração de apenas 7 anos e terminará de maneira catastrófica, com a intervenção de Jesus na Sua Segunda Vinda. O reino que Cristo estabelecerá na terra, antes do julgamento final, terá a duração de 1000 anos, e por isso é chamado pelos estudiosos de MILÊNIO ou REINO MILENIAL. Esse número referente à duração do Reino de Cristo aparece 6 vezes no Apocalipse.

É bom esclarecer que o Reino de Cristo é eterno. Os 1000 anos serão apenas uma espécie de última prova para a humanidade, enquanto Satanás está aprisionado no abismo. Após a última rebelião e o último julgamento (que já estudamos antes), a terra será renovada com fogo, e Jesus Cristo reinará pelos séculos dos séculos.

Citamos 6 dos algarismos romanos, mas ainda falta um. Qual? O 7.º, isto é, a letra M, que vale exatamente 1000. Temos aqui uma profecia impressionante. Após o tempo da Besta (666, DCLXVI), virá o tempo de Cristo (M, 1000, MILÊNIO). Coincidência?

Atualmente, de acordo com nossas pesquisas, o tempo do homem na terra está se esgotando (Já se passaram 6000 anos de dramas, desde Adão), e começamos a pisar no 7.º Milênio. Serão apenas coincidências que o último império mundial esteja sendo formado em nossos dias? O tempo da letra M está chegando!

Mais um mistério:

Os 6 primeiros algarismos formam 666, que é um múltiplo de 6. (111 x 6).

Mas se acrescentarmos o 7.º algarismo (isto é, a letra M) teremos MDCLXVI, ou seja, 1666, que é exatamente um múltiplo de 7, por incrível que pareça. (238 x 7), e 238 também é múltiplo de 7 (34 x 7), e 34 dá 7.

É claro que os algarismos romanos foram criados pelos homens (e não segundo uma revelação divina até onde sabemos). Mas de acordo com Apocalipse 17.17, os homens (querendo ou não) tornam-se instrumentos do cumprimento das profecias. Veja o texto.

“Porque Deus lhes pôs nos corações o executarem o intento dele, chegarem a um acordo, e entregarem à besta o seu reino, até que se cumpram as palavras de Deus.”

Apocalipse 17.17 diz que DEUS FAZ COM QUE OS HOMENS EXECUTEM O INTENTO DELE, ATÉ QUE AS PALAVRAS DELE (isto é, de Deus) SEJAM CUMPRIDAS. Todos os planos de dominação mundial (inclusive os de Satanás) coincidem (e deverão coincidir sempre) com o Plano de Deus expresso nas profecias. No final de tudo SÓ O CORDEIRO DE DEUS TRIUNFARÁ.

terça-feira, 10 de agosto de 2010

UM DETETIVE INVESTIGA A BÍBLIA (MANUAL DO DETETIVE BÍBLICO)


Caros amigos, a partir de hoje publicarei uma série de artigos retirados (e adaptados) dos estudos em slides. Alguns amigos já reclamaram que preferem os estudos em textos simples, enquanto outros amam os slides. Bem, continuarei a postar os estudos em slides (tenho vários projetos prestes a sair da gaveta), e ao mesmo tempo, procurarei publicar os textos também. O importante é que alguém seja edificado por meio desses estudos.

O MANUAL DO DETETIVE BÍBLICO – Parte 1 - AS 7 VERDADES SOBRE A VERDADE

- UM ESTUDIOSO DA BÍBLIA É COMO UM DETETIVE NA INVESTIGAÇÃO DE UM MISTÉRIO
- O DETETIVE BÍBLICO DEVE SER AMIGO ÍNTIMO DA VERDADE, POIS SEU ÚNICO COMPROMISSO É COM A VERDADE
- A MELHOR MANEIRA DE IDENTIFICAR UMA MENTIRA É CONHECENDO BEM A VERDADE – POR ISSO VEREMOS AGORA 7 VERDADES SOBRE A VERDADE
- CONHECENDO MELHOR O CARÁTER E A PERSONALIDADE DE JESUS SABEREMOS COM CERTEZA COMO É A VERDADE

“... antes seja Deus verdadeiro, e todo homem mentiroso;” (Romanos 3.4); “... se somos infiéis, ele permanece fiel; porque não pode negar-se a si mesmo.” (2 Timóteo 2.13); “... nenhuma mentira vem da verdade.” (1 João 2.21)

1 – A verdade não se contradiz. Se X é verdadeiro, então tudo que se opõe a X é falso.

2 - A verdade é descoberta, e não inventada. Ela existe independentemente do conhecimento que uma pessoa tenha dela (a lei da gravidade existia antes de Newton).

3 - A verdade é transcultural. Se alguma coisa é verdadeira, então ela é verdadeira para todas as pessoas, em todos os lugares, em todas as épocas (2 + 2 = 4 para todo o mundo, em todo lugar, o tempo todo).

4 - A verdade é imutável, embora as nossas crenças sobre a verdade possam mudar (quando começamos a acreditar que a Terra era redonda, em vez de plana, a verdade sobre a Terra não mudou; o que mudou foi nossa crença sobre a forma da Terra).

5 - As crenças não podem mudar um fato, não importa com que seriedade elas sejam esposadas (alguém pode sinceramente acreditar que o mundo é plano, mas isso faz apenas a pessoa estar sinceramente errada).

6 - A verdade não é afetada pela atitude de quem a professa (uma pessoa arrogante não torna falsa a verdade que ela professa. Uma pessoa humilde não faz o erro que ela professa transformar-se em verdade).

7 – A Verdade é absoluta.

(Adaptado de um capítulo do livro "NÃO TENHO FÉ SUFICIENTE PARA SER ATEU", de Norman Geisler e Frank Turek, Editora Vida Acadêmica).

O MANUAL DO DETETIVE BÍBLICO – Parte 2 - PROVANDO A EXISTÊNCIA DA VERDADE PELO PRINCIPIO DA NÃO-CONTRADIÇÃO

“... nenhuma mentira vem da verdade.” (1 João 2.21)

01 – IDÉIAS OPOSTAS NÃO PODEM SER IGUALMENTE VERDADEIRAS

02 – DUAS ÚNICAS ALTERNATIVAS PARA A EXISTÊNCIA DA VERDADE – OU A VERDADE EXISTE OU NÃO EXISTE
a) NÃO EXISTE VERDADE – SE ISTO É VERDADE, É UMA CONTRADIÇÃO – E SE É CONTRADIÇÃO, NÃO PODE SER VERDADE

b) EXISTE VERDADE – JÁ QUE É IMPOSSIVEL AFIRMAR QUE A VERDADE NÃO EXISTE

03 – TRÊS ALTERNATIVAS SOBRE OS ATRIBUTOS DA VERDADE
a) TODA VERDADE É RELATIVA – Se isto é verdade, como confiar nesta afirmação?

b) NÃO EXISTE VERDADE ABSOLUTA – Se for verdade, isto já é uma verdade absoluta

c) Portanto, como é impossível negar que a verdade exista (isso já seria uma verdade), então EXISTE VERDADE ABSOLUTA


04 – SERÁ QUE ALGUÉM PODE CONHECER A VERDADE?
a) NINGUÉM CONHECE A VERDADE ou: NINGUÉM PODE CONHECER A VERDADE – Se isto é verdade, como você tem tanta certeza?

b) A VERDADE PODE SER CONHECIDA – Já que é impossível provar que ela não pode ser conhecida

“SE NÃO EXISTE VERDADE, NADA É VERDADEIRO, INCLUSIVE ESTA FRASE”
O MANUAL DO DETETIVE BÍBLICO – Parte 3 - AS 7 JUÍZAS DA VERDADE

- O DETETIVE BÍBLICO DEVE SER AMIGO ÍNTIMO DAS 7 JUÍZAS DA VERDADE
- SÃO 7 PERGUNTAS CLÁSSICAS USADAS PELOS INVESTIGADORES PARA SE APURAR UMA VERDADE

01 – O QUE ACONTECEU?
UM HOMEM CHAMADO JESUS DE NAZARÉ SURGIU NA TERRA TRAZENDO A SALVAÇÃO AOS HOMENS

02 – QUANDO ACONTECEU?
“No décimo quinto ano do reinado de Tibério César, sendo Pôncio Pilatos governador da Judéia, Herodes tetrarca da Galiléia, seu irmão Filipe tetrarca da região da Ituréia e de Traconites, e Lisânias tetrarca de Abilene.”
(Lucas 3.1)

03 – ONDE ACONTECEU?
“Então veio Jesus da Galiléia ter com João, junto do Jordão, para ser batizado por ele.”
(Mateus 3.13)

04 – COMO ACONTECEU?
“Ora, o nascimento de Jesus Cristo foi assim: Estando Maria, sua mãe, desposada com José, antes de se ajuntarem, ela se achou ter concebido do Espírito Santo.” (Mateus 1.18)

05 - QUEM VIU?
“Porque não seguimos fábulas engenhosas quando vos fizemos conhecer o poder e a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo, pois nós fôramos testemunhas oculares da sua majestade.”
(2 Pedro 1.16)

“Porque primeiramente vos entreguei o que também recebi: que Cristo morreu por nossos pecados, segundo as Escrituras;
que foi sepultado; que foi ressuscitado ao terceiro dia, segundo as Escrituras;
que apareceu a Cefas, e depois aos doze;
depois apareceu a mais de quinhentos irmãos duma vez, dos quais vive ainda a maior parte, mas alguns já dormiram;
depois apareceu a Tiago, então a todos os apóstolos;
e por derradeiro de todos apareceu também a mim, como a um abortivo.”
(1 Coríntios 15.3-8)

6 – POR QUE ACONTECEU?
“Fiel é esta palavra e digna de toda a aceitação; que Cristo Jesus veio ao mundo para salvar os pecadores, dos quais sou eu o principal;” (1Timóteo 1.15)

7 – COMO VOCÊ SABE QUE ISSO É VERDADE?
- TUDO QUE SABEMOS SOBRE JESUS É DEVIDO – PRINCIPALMENTE – AOS ESCRITOS DO NOVO TESTAMENTO – MAS COMO PROVAR QUE ELES CONTAM A VERDADE?

O MANUAL DO DETETIVE BÍBLICO – Parte 4 - 7 TESTES DE COMPROVAÇÃO HISTÓRICA DE UM DOCUMENTO
- SÃO TESTES GERALMENTE USADOS PELOS HISTORIADORES PARA COMPROVAR A AUTENTICIDADE DE UM DOCUMENTO ANTIGO – SERÁ QUE OS ESCRITORES DO NOVO TESTAMENTO – ESPECIALMENTE OS EVANGELISTAS – PASSARIAM POR ESTES TESTES?

01 - TEMOS UM TESTEMUNHO ANTIGO?
a - De modo geral, quanto mais antigas as fontes, mais preciso é o seu testemunho.

b - Quanto menor o lapso de tempo entre um acontecimento e o momento de seu registro, tanto menor a possibilidade de esse registro ser corrompido por lendas ou lembranças incorretas.

c - LENDAS SÃO MUITO COMUNS EM BIOGRAFIAS ESCRITAS TEMPO DEMAIS DEPOIS DA MORTE DA CELEBRIDADE, ESPECIALMENTE QUANDO NÃO EXISTE MAIS NENHUMA TESTEMUNHA OCULAR VIVA PARA CONTESTAR A HISTÓRIA

d - As duas biografias mais antigas de Alexandre, o Grande, foram escritas por Ariano e Plutarco depois de mais de 400 anos da morte de Alexandre, ocorrida em 323 a.C, e mesmo assim os historiadores as consideram muito confiáveis.

e - É claro que surgiu um material lendário com o decorrer do tempo, mas isso só aconteceu nos séculos posteriores aos dois autores. Por outras palavras, nos primeiros 500 anos, a história de Alexandre ficou quase intacta. O material lendário começou a aparecer nos 500 anos seguintes.

f - É POSSÍVEL SABER QUANTO TEMPO HOUVE ENTRE A ÉPOCA DE JESUS E A ESCRITA DOS LIVROS DO NOVO TESTAMENTO – ESPECIALMENTE DOS EVANGELHOS?

g - UM EXEMPLO HISTÓRICO RECENTE SERVE PARA PROVAR QUE OS LIVROS DO NOVO TESTAMENTO FORAM ESCRITOS – PELO MENOS – 40 ANOS APÓS A MORTE E RESSURREIÇÃO DE CRISTO

h - É EVIDENTE PARA QUALQUER PESSOA QUE, QUALQUER LIVRO HISTÓRICO SOBRE OS ESTADOS UNIDOS, QUE MENCIONEM AS TORRES GÊMEAS AINDA DE PÉ, FORAM, SEM DÚVIDA NENHUMA, ESCRITOS ANTES DE 11 DE SETEMBRO DE 2001

i - O EVENTO MAIS MARCANTE DA HISTÓRIA JUDAICA NOS PRIMEIROS SÉCULOS DA ERA CRISTÃ (AINDA MAIS IMPACTANTE QUE A QUEDA DAS TORRES GÊMEAS) FOI A DESTRUIÇÃO DE JERUSALÉM PELOS ROMANOS NO ANO 70 d.C.

j - É MAIS DO QUE EVIDENTE QUE, COMO NENHUM LIVRO DO NOVO TESTAMENTO FALA DA DESTRUIÇÃO DE JERUSALÉM E DO TEMPLO (PELO CONTRÁRIO, SEMPRE QUE SÃO CITADOS, AINDA ESTÃO DE PÉ), LOGICAMENTE TAIS LIVROS FORAM ESCRITOS ANTES DO ANO 70 d.C.

k - ISSO SIGNIFICA QUE, QUANDO OS LIVROS DO NOVO TESTAMENTO FORAM ESCRITOS, AINDA HAVIAM MUITAS TESTEMUNHAS VIVAS QUE PODERIAM CONTESTAR AS HISTÓRIAS CONTADAS – MAS NÃO EXISTE NENHUM ESCRITO ANTIGO REPUTANDO OS ESCRITOS DO NOVO TESTAMENTO COMO MENTIROSOS

l - SE OS HISTORIADORES MODERNOS NÃO QUESTIONAM AS BIOGRAFIAS DE ALEXANDRE MAGNO (escritas 400 anos depois) POR QUE CONTESTAR AS DE JESUS (escritas 30 ou 40 anos depois)?


02 - TEMOS O DEPOIMENTO DE TESTEMUNHAS OCULARES?

a - O depoimento das testemunhas oculares normalmente é o melhor meio de estabelecer o que realmente aconteceu.

b - UMA DAS FORMAS DE SABERMOS SE O AUTOR REALMENTE TESTEMUNHOU O ACONTECIMENTO SOBRE O QUAL DESCREVEU (OU SE VIVEU NA MESMA ÉPOCA) É OBSERVARMOS SE OS NOMES HISTÓRICOS, LUGARES, COSTUMES E OUTROS DETALHES SE ENCAIXAM COM OS PERSONAGENS, LUGARES E COSTUMES DA ÉPOCA.

c - Por exemplo, Lucas mostra um incrível agrupamento de conhecimento de locais, nomes, condições ambientais, costumes e circunstâncias condizentes com o depoimento de uma testemunha ocular contemporânea da época e dos acontecimentos.

d - Colin Hemer, estudioso clássico e historiador, faz uma crônica versículo por versículo da precisão de Lucas no livro de Atos. Com esmerado detalhamento, Hemer identifica 84 fatos nos últimos 16 capítulos de Atos que foram confirmados por pesquisa histórica e arqueológica.

(Mais detalhes, veja no livro de Norman Geisler, citado anteriormente, de onde foi adaptada boa parte deste texto).

Mas não somente Lucas, todos os outros escritores do Novo Testamento mostram centenas de detalhes históricos, geográficos, lingüísticos e costumes confirmados pela História e Arqueologia

03 - TEMOS O DEPOIMENTO DE TESTEMUNHAS OCULARES MÚLTIPLAS E INDEPENDENTES?
a) Testemunhas oculares múltiplas e independentes confirmam que os fatos realmente aconteceram (eles não são ficção) e dão detalhes adicionais que uma única fonte poderia perder (fontes verdadeiramente independentes normalmente contam a mesma história básica, mas com detalhes diferentes. Os historiadores às vezes chamam isso de "coerência com dissimilaridade") .

b) OS QUATRO EVANGELHOS FALAM DA MESMA PESSOA (JESUS), DE UM PONTO DE VISTA DIFERENTE, DE TAL FORMA QUE MUITAS VEZES, PARECEM SE CONTRADIZER.

c) Simon Greenleaf, da Faculdade de Direito de Harvard, uma das personagens mais importantes da história do direito e autor de um tratado muito influente sobre a prova. Depois de estudar o nível de harmonia dos quatro evangelistas, ele deu seu parecer:

“Existe um volume significativo de discrepância, o que aponta para o fato de os autores não poderem ter estabelecido nenhum tipo de acordo entre si; por outro lado, há também uma harmonia de tal magnitude que demonstra sua condição de narradores independentes de uma transação de grande importância.” Simon Greenleaf, The testimony of the evangelists, Grand Rapids, Baker, 1984, p. VII.


04 - AS TESTEMUNHAS OCULARES SÃO DIGNAS DE CONFIANÇA? DEVEMOS ACREDITAR NELAS?

- O caráter é muito importante. Existem pelo menos dez boas razões para acreditar que os escritores do Novo Testamento foram homens honestos que, de maneira meticulosa e fiel, registraram aquilo que viram.

OS AUTORES DO NOVO TESTAMENTO:

01 - Incluem diversos detalhes embaraçosos sobre si mesmos;
02 - Incluem diversos detalhes embaraçosos e dizeres difíceis de Jesus;
03 - Incluem as exigências de Jesus;
04 - Fazem uma clara distinção entre as palavras de Jesus e as deles;
05 - Incluem acontecimentos relacionados à ressurreição de Jesus que eles não poderiam ter inventado;
06 - Incluem pelo menos 30 pessoas historicamente confirmadas;
07 - Incluem detalhes divergentes;
08 - Desafiam seus leitores a conferir os fatos verificáveis, até mesmo fatos sobre milagres;
09 - Descrevem milagres da mesma forma que descrevem outros fatos históricos: por meio de um relato simples e sem retoques;
10 - Abandonaram suas crenças e práticas sagradas de longa data, adotaram novas crenças e práticas e não negaram seu testemunho sob perseguição ou ameaça de morte.

05 - TESTE DAS TESTEMUNHAS E EVIDÊNCIAS CORROBORATIVAS - temos evidências corroborantes da Arqueologia ou de outros autores?

- Quando os evangelhos falam de pessoas, lugares e acontecimentos, é possível confirmar as informações dos evangelistas por meio de fontes independentes?

- A PROVA CORROBORATIVA – São evidências que confirmam as evidências já existentes. Existem escritos fora dos evangelhos que afirmam ou respaldam algumas das informações fundamentais sobre Jesus ou o cristianismo primitivo? Para citar alguns:

a) Flávio Josefo (c. 37-100 d.C.) tornou-se o maior historiador judeu de sua época. Começou a escrever documentos históricos em Roma, enquanto trabalhava como historiador do imperador romano Domiciano.

b) TÁCITO, O HISTORIADOR ROMANO MAIS IMPORTANTE DO SÉCULO I DA ERA CRISTÃ

c) Plinio, o jovem, escritor e político romano, I século da Era Cristã

d) Talo, historiador romano, escreveu (em 52 d.C.) uma história do mundo mediterrâneo desde a Guerra de Tróia, e cita um eclipse que teria ocorrido NA ÉPOCA DA CRUCIFICAÇÃO DE CRISTO.

06 - TEMOS O TESTEMUNHO DE ALGUM OPONENTE?

a) Se os oponentes das testemunhas oculares admitem certos fatos que as testemunhas afirmam ser verdadeiros, então tais fatos provavelmente são verdadeiros.

b) Celso, Tácito e o Talmud judaico — poderiam ser consideradas como fontes anticristãs. Embora essas obras não tenham uma testemunha ocular sequer que contradiga os fatos descritos nos documentos do NT, foram escritas por autores claramente anticristãos.

c) O Talmud é uma importante obra do judaísmo concluída em torno de 500 d.C.

Poucas passagens do Talmud falam de Jesus. Ele é considerado um falso messias que praticava artes mágicas e foi justamente condenado à morte. Repetem também os rumores de que Jesus era filho de um soldado romano e de Maria, insinuando com isso que havia algo de incomum em seu nascimento.

07 - O TESTEMUNHO CONTÉM FATOS OU DETALHES QUE SÃO EMBARAÇOSOS PARA OS AUTORES?

- Uma vez que a maioria das pessoas não gosta de registrar informação negativa sobre si mesmas, qualquer testemunho que faça o autor parecer ruim é provavelmente verdadeiro.

- Uma das maneiras por meio das quais os historiadores podem dizer se um autor está dizendo a verdade é testar o que diz pelo “Princípio do embaraço”. Esse princípio parte da premissa de que qualquer detalhe embaraçoso do autor é provavelmente verdadeiro. Por quê? Porque a tendência da maioria dos autores é deixar de fora qualquer coisa que prejudique sua aparência.

- O AUTO RETRATO DOS PRINCIPAIS PERSONAGENS (E ESCRITORES) DO NOVO TESTAMENTO REVELA PESSOAS MEDROSAS, COVARDES, TOLAS, APÁTICAS E MUITAS VEZES INCRÉDULAS

a) Eles são tolos — por diversas vezes, não entenderam o que Jesus estava dizendo
(Mc 9.32; Lc 18.34; Jo 12.16).

b) Eles são apáticos — caíram no sono duas vezes quando Jesus lhes pediu que orassem (Mc 14.32-41). Além disso, não fazem nenhum esforço para dar a seu amigo um sepultamento adequado, mas registram que Jesus foi sepultado por José de Arimatéia, um membro do Sinédrio — a própria corte que havia sentenciado Jesus à morte.

c) Eles foram advertidos — Pedro é chamado de "Satanás" por Jesus (Mc 8.33), e Paulo repreende Pedro por estar errado numa questão teológica. Paulo escreve: "Quando, porém, Pedro veio a Antioquia, enfrentei-o face a face, por sua atitude condenável" (GI2.11); tenha em mente que Pedro é um dos pilares da igreja primitiva, e, aqui, Paulo está incluindo nas Escrituras que ele estava errado!

d) Eles são covardes — todos os discípulos, com exceção de um, escondem-se quando Jesus vai para a cruz. Pedro até mesmo o nega três vezes depois de prometer explicitamente " ... eu nunca te abandonarei!" (Mt 26.33-35). Nesse meio tempo, enquanto os outros homens estavam escondendo-se com medo dos judeus, mulheres corajosas levantam-se a favor de Jesus e são as primeiras a descobrir o túmulo vazio.

e) Eles duvidam — apesar de terem sido informados diversas vezes de que Jesus ressuscitaria dos mortos ao terceiro dia 2.18-22; 3.14-18; Mt 12.39-41; 17.9, 22,23), os discípulos têm dúvidas quando ouvem sobre sua ressurreição. Alguns duvidam até mesmo depois de tê-lo visto já ressuscitado (Mt 28.17)!

f) Eles registraram momentos de grande constrangimentos, como quando Paulo e Barnabé tiveram uma desavença tão forte que foram obrigados a se separar (Atos 15.39), ou quando 12 homens (amigos íntimos de Jesus) não foram capazes de expulsar um demônio de um pobre rapaz (Mateus 17.14-20).

O MANUAL DO DETETIVE BÍBLICO – Parte 5 - 7 PASSOS PARA A APURAÇÃO DA VERDADE

O DETETIVE DIANTE DO MISTÉRIO

01 - ANALISANDO A CENA DO CRIME - ENCARANDO O PROBLEMA – TEXTO E CONTEXTO

02 - COLETANDO TODOS OS DADOS E INDICIOS RELACIONADOS AO MISTÉRIO - BUSCANDO TODOS OS VERSÍCULOS E TEXTOS RELACIONADOS AO TEMA

03 - ORGANIZANDO OS DADOS - ORDENANDO – DE FORMA LÓGICA – OS TEXTOS ENCONTRADOS SOBRE O TEMA

04 - ANALISANDO OS DADOS - UMA ANÁLISE HERMENÊUTICA DE TODOS OS VERSÍCULOS COLETADOS

05 - DEDUÇÕES BASEADAS NOS DADOS - REFLEXÕES, DEDUÇÕES E CONCLUSÕES SOBRE OS DADOS

06 - LIDANDO COM AS EVIDÊNCIAS CONTRADITÓRIAS – SE HOUVER
- SE 9 DE 10 EVIDÊNCIAS CONCORDAREM E UMA NÃO, ESSA “UMA” TEM QUE SER INVESTIGADA MAIS PROFUNDAMENTE
07 - CONCLUSÕES FINAIS - HARMONIZANDO TODAS AS EVIDÊNCIAS ENCONTRADAS


- SE AS HISTÓRIAS E DOUTRINAS DA BÍBLIA FOREM INVESTIGADAS USANDO-SE OS MESMOS CRITÉRIOS E PRINCIPIOS QUE SÃO USADOS NUMA INVESTIGAÇÃO POLICIAL E INTERPRETADAS PELAS MESMAS REGRAS USADAS PELOS INTÉRPRETES EM UM LIVRO QUALQUER, SERÁ INEVITAVELMENTE PROVADO QUE TUDO QUE A ESCRITURA SAGRADA AFIRMA É, SEM SOMBRAS DE DÚVIDAS, A VERDADE

- A BÍBLIA NÃO DIZ AQUILO QUE QUEREMOS QUE DIGA, MAS O QUE DEUS QUER QUE SAIBAMOS

- PODEMOS ATÉ INTERPRETAR A BÍBLIA DE QUALQUER JEITO OU DO JEITO QUE QUISERMOS – MAS, INEVITAVELMENTE, SERÁ UMA INTERPRETAÇÃO FALSA

- O MELHOR ANTÍDOTO CONTRA A INTERPRETAÇÃO FALSA É OBEDECERMOS AS REGRAS E PRINCIPIOS UNIVERSAIS DE INTERPRETAÇÃO E INVESTIGAÇÃO

O MANUAL DO DETETIVE BÍBLICO – Parte 6 - 7 PRINCIPIOS PARA A INTERPRETAÇÃO CORRETA DA BÍBLIA

- SÃO PRINCIPIOS E REGRAS CLÁSSICAS, UNIVERSAIS E SEMPRE ATUAIS

01 - A BÍBLIA INTERPRETA A SI MESMA - QUALQUER SÍMBOLO OU FIGURA DEVE SIGNIFICAR AQUILO QUE A BÍBLIA DIZ QUE SIGNIFICA

“... sabendo primeiramente isto: que nenhuma profecia da Escritura é de particular interpretação. Porque a profecia nunca foi produzida por vontade dos homens, mas os homens da parte de Deus falaram movidos pelo Espírito Santo.” (2 Pedro 1.20-21)

“Cheguei-me a um dos [anjos] que estavam perto, e perguntei-lhe a verdadeira significação de tudo isso. Ele me respondeu e me fez saber a interpretação das coisas.” (Daniel 7.16)

“Mas o Ajudador, o Espírito Santo a quem o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar de tudo quanto eu vos tenho dito.”
(João 16.26)

02 - LITERAL – O QUE A BÍBLIA DIZ É EXATAMENTE O QUE QUER DIZER – A NÃO SER QUE ALGO NO TEXTO OU NO CONTEXTO SEJA ABSURDO, FANTÁSTICO E FUJA DO BOM SENSO.

- PRIMEIRO, A INTERPRETAÇÃO DEVE SER LITERAL; SOMENTE SE NÃO FIZER SENTIDO, APELAR PARA A LINGUAGEM FIGURADA

- DE MANEIRA GERAL A MAIORIA DOS AUTORES QUER QUE SEUS LEITORES ENTENDAM O QUE ESCREVEU; E QUER QUE ELES INTERPRETEM O QUE ESTÃO LENDO NO SENTIDO EM QUE ESTÁ ESCRITO, NO SIGNIFICADO POPULAR DAS PALAVRAS, SEM BUSCAR SIGNIFICADOS OCULTOS OU SIMBÓLICOS

“Então o Senhor me respondeu , e disse: Escreve a visão e torna-a bem legível sobre tábuas, para que a possa ler até quem passa correndo.” (Habacuque 2.2)

“Quando, pois, virdes estar no lugar santo a abominação de desolação, predita pelo profeta Daniel (quem lê, entenda),...” (Mateus 24.15)

“Bem-aventurado aquele que lê...” (Apocalipse 1.3a)

“... aplica-te à leitura, à exortação, e ao ensino...” (1 Timóteo 4.13)

“... Assim leram no livro, na lei de Deus, distintamente; e deram o sentido, de modo que se entendesse a leitura....” (Neemias 8.8)

- COMO DIFERENCIAR O LITERAL DO SIMBÓLICO OU FIGURADO?

“SE O SIGNIFICADO DE ALGUMA PALAVRA OU EXPRESSÃO FAZ SENTIDO EM SUAS ASSOCIAÇÕES, É LITERAL; MAS, SE O SIGNIFICADO LITERAL NÃO FAZ SENTIDO, É FIGURADO.” (Clinton Lockhart)

“Quando o sentido normal da Escritura faz sentido, não busque qualquer outro sentido; portanto, tome cada palavra em seu sentido primário, comum, usual e literal, a não ser que os fatos do contexto imediato, estudados à luz de passagens relacionadas e de verdades axiomáticas e fundamentais, indiquem claramente o contrário.” (David L. Cooper)

03 - A LEI DO CONTEXTO - O CONTEXTO DEVE SER CONSIDERADO - SEMPRE

04 - SIMETRIA – SE TODAS AS PASSAGENS RELACIONADAS CONCORDAM ENTRE SI E UMA NÃO, ESTA ÚLTIMA DEVE SER INVESTIGADA E SUA INTERPRETAÇÃO POPULAR RECONSIDERADA

“Toda palavra de Deus é pura; ele é um escudo para os que nele confiam.” (Provérbios 30.5)

05 - PRINCIPIO GRAMATICAL - QUANDO AS DEMAIS REGRAS NÃO LEVAREM A UMA CONCLUSÃO LÓGICA OU SATISFATÓRIA, OS TEXTOS DEVERÃO SER EXAMINADOS EM SUA LINGUA ORIGINAL, CONSIDERANDO-SE AS REGRAS GRAMATICAIS DA LINGUA ESTUDADA.

06 - ANTIGUIDADES BÍBLICAS - CONHECIMENTO DOS COSTUMES, LEIS E TRADIÇÕES DA ÉPOCA

07 - VISÃO GERAL DA BÍBLIA - ANTES DE TENTAR INTERPRETAR UMA PARTÍCULA DA BÍBLIA, LEIA ELA TODA, POIS DIFICILMENTE UMA VERDADE ESTÁ TODA EXPLICADA NUMA PASSAGEM SÓ

“Porque é mandamento sobre mandamento, mandamento sobre mandamento, regra sobre regra, regra sobre regra, um pouco aqui, um pouco ali.” (Isaias 28.10)

- CONHECIMENTO DA BÍBLIA TODA NÃO SIGNIFICA SABER A BÍBLIA TODA (o que é impossível), MAS TER LIDO TODOS OS LIVROS DA BÍBLIA

- Pois a explicação de algo obscuro no Gênesis pode estar em Mateus, Apocalipse ou noutro livro qualquer

- Se Gênesis afirma que X é igual a 7 e Mateus afirma que X é igual a 3, temos somente duas alternativas:
a)Gênesis fala a verdade e Mateus mente – ou no mínimo, está equivocado.

b) Mateus está falando a verdade e Gênesis não.

- Mas se tanto Gênesis quanto Mateus alegam ser a Palavra de Deus – e DEUS NÃO SE CONTRADIZ – temos que ir em busca da alternativa c.
c) A alternativa “c” é a peça do quebra-cabeça que irá harmonizar a alternativa “a” com a alternativa “b”.

Obs.: No estudo em slides há vários exemplos de APARENTES CONTRADIÇÕES BÍBLICAS.

- NENHUM ESTUDO BÍBLICO SOBRE DETERMINADO TEMA BASEIA-SE EM APENAS UM LIVRO DA BÍBLIA

- PORQUE TODOS OS 66 LIVROS DA BÍBLIA CONTAM A MESMA HISTÓRIA, FALAM DAS MESMAS VERDADES E DOS MESMOS PRINCIPIOS – APESAR DE TEREM SIDO ESCRITOS DURANTE 1600 ANOS, POR 40 AUTORES DIFERENTES, EM LINGUAS DIFERENTES, NACIONALIDADES DIFERENTES E CONDIÇÕES SOCIAIS DIFERENTES

MAS, SE A BÍBLIA FOI INSPIRADA POR DEUS E DEUS NÃO SE CONTRADIZ, ENTÃO...
a) POR QUE TANTAS INTERPRETAÇÕES DIFERENTES?

b) POR QUE OS RELATOS DOS 4 EVANGELISTAS SÃO DIFERENTES?

c) POR QUE EXISTEM MUITAS PASSAGENS QUE PARECEM SE CONTRADIZER?

- É AQUI QUE ENTRA O DETETIVE BÍBLICO

SE A BÍBLIA É MESMO A PERFEITA, INERRANTE E INFALÍVEL PALAVRA DE DEUS, UMA INVESTIGAÇÃO SÉRIA, APOIADA NAS REGRAS E PRINCIPIOS DE INTERPRETAÇÃO UNIVERSAIS, COMPROVARÁ ISSO E TODAS AS APARENTES CONTRADIÇÕES E DISCREPÂNCIAS SERÃO SOLUCIONADAS

O MANUAL DO DETETIVE BÍBLICO – Parte 7 - 14 PRINCIPIOS PARA O DETETIVE BÍBLICO

01 – INVESTIGAR ANTES DE ACREDITAR.

02 – A MENTIRA SEMPRE SERÁ DESMASCARADA.

03 – MUITAS COINCIDÊNCIAS PODEM SER COINCIDÊNCIAS DEMAIS PARA SEREM SOMENTE COINCIDÊNCIAS.

04 - UMA ÚNICA MENTIRA TORNA TODA A HISTÓRIA SUSPEITA, NÃO IMPORTANDO A QUANTIDADE DE VERDADES QUE A HISTÓRIA CONTENHA.

05 - QUEM NUNCA INVESTIGOU AS PRÓPRIAS CRENÇAS NÃO MERECE CONFIANÇA.

06 - A VERDADE NUNCA ENTRARÁ EM CONTRADIÇÃO, MAS A MENTIRA SEMPRE.

07 – CONTRA OS FATOS NÃO EXISTEM ARGUMENTOS – MAS OS FATOS PODEM SER MANIPULADOS.

08 – SE É MESMO VERDADE SÓ TEMOS QUE ACEITÁ-LA, POIS NADA PODEMOS CONTRA A VERDADE.

09 – TODOS OS BOATOS SÃO MENTIROSOS ATÉ SER PROVADO O CONTRÁRIO.

10 – A VERDADE É SINGULAR; A MENTIRA É PLURAL.

11– DUAS AFIRMAÇÕES CONTRADITÓRIAS NÃO PODEM SER VERDADE AO MESMO TEMPO, A NÃO SER QUE APAREÇA UMA TERCEIRA UNINDO (OU HARMONIZANDO) AS DUAS.

12 – A SUPERSTIÇÃO E A IGNORÂNCIA ESCRAVIZAM; SÓ A VERDADE LIBERTA.

13 – AS EVIDÊNCIAS NATURAIS (NÃO FORJADAS) JAMAIS AUTENTICARÃO OU APOIARÃO UMA MENTIRA.

14 – ENQUANTO HOUVER UMA EVIDÊNCIA DO CONTRA, O VEREDICTO NÃO PODERÁ SER DADO.

* Mais detalhes sobre tema você encontrará no estudo em slides (disponibilizado no site www.arquivosete.webs.com).