Enciclopédia Arquivo7 no MEGA

terça-feira, 28 de outubro de 2014

COLEÇÃO ARQUIVO7 – CALCULANDO A VERDADE

Índice de todos os capítulos já publicados

Em resumo, o Arquivo7 é uma série de estudos conectando a Bíblia a várias áreas do conhecimento humano (Matemática, Física, Química, Astronomia, Geografia, História, Filosofia, Arqueologia, Sociologia, Psicologia, etc.). Ou seja, os estudos do Arquivo7 podem até não te transformar num gênio, mas, com certeza, jamais farão de você um idiota.

* Se você ainda não conhece nenhum destes estudos, que tal começar? Você pode iniciar por qualquer capítulo, contanto que seja da parte 1 (caso se trate de uma série com 2 ou mais capítulos). Se quiser saber algo relacionado a algum evento atual, procure nos estudos mais recentes (ou seja, entre os números 120 e 140).

00 – APRESENTANDO O ARQUIVO 7 – Definição e exemplos
01 – ARQUIVO 7 – A ORIGEM – Mostrando como tudo começou
02 – A MATEMÁTICA DA VIDA ETERNA – Entenda como um simples número está super relacionado com o maior desejo de Deus
03 – A LEI DOS SETES – PARTE 1 – A marca da Perfeição Divina
04 – A LEI DOS SETES – PARTE 2 – A misteriosa estrutura héptica da Bíblia
05 – PROFECIA ESQUISITA – VOCÊ NÃO VAI ACREDITAR – Como as profecias bíblicas se cumprem nas coisas mais absurdas e imprevisíveis
06 – A EVIDÊNCIA QUE PERTURBA OS CÉTICOS – Um debate sobre a inspiração divina da Bíblia
07 – ISRAEL – O RELÓGIO DE DEUS – PARTE 1 – Israel, uma prova da existência de Deus
08 - ISRAEL – O RELÓGIO DE DEUS – PARTE 2 – Israel, a maior evidência do fim dos tempos
09 - ISRAEL – O RELÓGIO DE DEUS – PARTE 3 – Israel, um povo impossível de matar
10 – ANTISSEMITISMO – UMA EVIDÊNCIA DA VERACIDADE BÍBICA – O inexplicável ódio mundial contra os judeus
11 – O MISTERIOSO INTERVALO ENTRE 6 E 7 – Por que numa coleção de 7 coisas na Bíblia, geralmente há um intervalo entre a 6.ª e a 7.ª?
12 – UM ANTISSEMITA EM APUROS – Influência judaica, escape, se for capaz!
13 – A INFLUÊNCIA DOS JUDEUS NA HISTÓRIA MUNDIAL – PARTE 1 – Mais evidências sobre a veracidade das afirmações bíblicas
14 – A INFLUÊNCIA DOS JUDEUS NA HISTÓRIA MUNDIAL – PARTE 2 – Deus colocou Sua marca nos judeus – é impossível eles se livrarem dela
15 – A INFLUÊNCIA DOS JUDEUS NA HISTÓRIA MUNDIAL – PARTE 3 – As fascinantes mulheres judias
16 – A INFLUÊNCIA DOS JUDEUS NA HISTÓRIA MUNDIAL – PARTE 4 – As proezas de Israel
17 – OS SEGREDOS DA AGENDA DE DEUS – PARTE 1 – A história da Humanidade não é um acaso num Universo sem sentido, mas o plano de Deus em execução

terça-feira, 21 de outubro de 2014

CERTEZA DA “GOTA SERENA”

Um novo capítulo do nosso “livrão” virtual

Quando eu era criança sempre ouvia alguém, durante um debate (ou teima, com se diz por aqui), usar a seguinte expressão: “Quero cegar da gota serena se isso não for verdade”.

Talvez eu não deixe transparecer muito isso no site/blog do Arquivo7, mas aprecio bastante o humor nordestino. Aliás, tenho um outro blog, que é uma espécie de coletâneas de crônicas, recheada de muito humor no estilo nordestino.

Nele (BLOG DO ZÉGUA – www.agentezegua.blogspot.com) mostro os bastidores do dia a dia de quem trabalha no Bolsa Família (exclusivamente nos departamentos espalhados nas pequenas prefeituras do Brasil). Como as histórias reais e depoimentos, são engraçadas por natureza, não preciso me esforçar para que os textos sejam cômicos.

Além do mais, aproveito para fazer uso de um certo talento (que vem dos meus tempos de adolescência), a arte do desenho, e uso isso para transmitir melhor as histórias contadas no blog. No caso, no referido blog, eu também sou cartunista (favor não confundir com chargista).

Por que estou contando tudo isso? Simplesmente para justificar o título deste novo estudo em slides. O povo nordestino (do qual faço parte e não me envergonho disso) é um povo sofrido, mas que tem um excelente senso de humor (na verdade, quase todo mundo sabe que os melhores humoristas do Brasil vieram do Nordeste).

O nordestino aprendeu a sorrir das próprias desgraças – e isso é muito parecido com a odisseia do povo judeu, pois é um fato que boa parte dos grandes humoristas da História (revelados por Hollywood) tem origem judaica (veja, por exemplo, nossa série de estudos intitulada “A INFLUÊNCIA DOS JUDEUS NA HISTÓRIA MUNDIAL”). Os judeus têm um ditado que diz: “SORRIA SEMPRE DOS SEUS PROBLEMAS E NUNCA FALTARÃO MOTIVOS PARA VOCÊ SORRIR”.

“Gota serena” é uma expressão popular nordestina, usada para casos extremos: “Estou com uma raiva da gota serena”, “Estou irritado da gota serena”, etc. Na verdade, essa expressão alude a um tipo de doença muito forte sobre a cegueira. Por isso que, para enfatizar algo que está defendendo, o nordestino apela: “Quero cegar da gota serena se isso que estou dizendo não for verdade!”.

É equivalente a “Quero morrer se estiver mentindo”, “Quero que um raio me parta se estiver mentindo”, etc.

Neste novo estudo, enfatizo a necessidade do Cristão ter certeza daquilo em que acredita e alerto para a necessidade de investigarmos a fundo qualquer história, aparentemente sobrenatural, para que a nossa crença não seja fundamentada em mentiras ou boatos. Na verdade, este é um estudo sobre LENDAS URBANAS EVANGÉLICAS, ou seja: aquelas historinhas que aparecem de vez em quando, recheadas de “milagres espantosos”, que provocam muitas emoções (e quem sabe, até conversões), mas são tão falsas quanto uma nota de 3 reais.

Para conhecer esse novo estudo, acesse este link (http://sdrv.ms/ZHobAh) e você será direcionado a uma página contendo todos os estudos em slides já publicados (cerca de 17.000 páginas). Daí é só escolher o estudo e fazer o download para o seu computador.

Também disponível no formato PDF: 
http://sdrv.ms/1a28Cw8

O número (e o título) deste novo estudo é 140 – CERTEZA DA “GOTA SERENA”.

Qualquer sugestão, crítica ou questionamento, escreva-me.


Moacir R. S. Junior – morganne777@hotmail.com

terça-feira, 14 de outubro de 2014

O CÓDIGO DA TORAH

Um novo capítulo do nosso “livrão” virtual

Quando se fala em “CÓDIGOS NA TORAH”, imediatamente a maioria das pessoas se lembra do best-seller de Michael Drosnin, “O CÓDIGO DA BÍBLIA”, publicado no final dos anos 90, e que provocou muitos debates e polêmicas.

Apesar de lidar com muitos códigos e enigmas, os estudos do Arquivo7 nunca deram importância ao tipo de código citado na obra de Drosnin. E por quê?

Drosnin usou uma descoberta feita na primeira metade do século XX por um rabino, Michael Weissmandel, nascido na Hungria. As teorias de Drosnin fazem uma salada com os temas proféticos da Bíblia e, embora seu trabalho tenha algum valor pelos preciosos dados históricos que cita (em minha opinião), as conclusões apresentadas por ele não fazem sentido com a simetria profética bíblica.

Muitos estudiosos (entre os quais, matemáticos e cientistas) contestaram as conclusões de Drosnin, inclusive o reverenciado matemático israelense Eliahu Rips. Aliás, Drosnin diz se inspirar também nos trabalhos de Rips, e afirma que entrou em contato com o fenômeno dos códigos na Torah por meio desse matemático israelense.

Mas, em muitas entrevistas, Eliahu Rips deixa claro que, embora acredite na existência dos códigos da Torah, as conclusões (e alegações) de Drosnin são falsas.

Bem, mas o que existe de verdade nisso tudo? Neste novo estudo, mostro simplesmente o que deu origem à famosa descoberta do rabino Weissmandel. No final cabe a você decidir se faz sentido ou não.

Para conhecer esse novo estudo, acesse este link (http://sdrv.ms/ZHobAh) e você será direcionado a uma página contendo todos os estudos em slides já publicados (cerca de 17.000 páginas). Daí é só escolher o estudo e fazer o download para o seu computador.

Também disponível no formato PDF: 
http://sdrv.ms/1a28Cw8

O número (e o título) deste novo estudo é 139 – O CÓDIGO DA TORAH.

Qualquer sugestão, crítica ou questionamento, escreva-me.


Moacir R. S. Junior – morganne777@hotmail.com

terça-feira, 7 de outubro de 2014

PARALAXE COGNITIVA – SERRANDO O PRÓPRIO GALHO

Um novo capítulo do nosso “livrão” virtual

O fato de nossa cultura (chamada por muitos de pós-moderna) desprezar a verdade absoluta e idolatrar a tal verdade relativa tem provocado o surgimento de uma geração contraditória (em ações e pensamentos).

O que desperta mais atenção é que essa mesma “mentalidade contraditória” pode também ser encontrada nas obras de grandes pensadores e filósofos (assim considerados) e que são louvados por esta geração relativista.

Um filósofo brasileiro, Olavo de Carvalho, resolveu dar um nome a essa contradição de pensamentos e ações: PARALAXE COGNITIVA.

Antes que você tire quaisquer conclusões, aconselho-o a dar uma olhada em nosso novo estudo.

Para conhecer esse estudo, acesse este link (http://sdrv.ms/ZHobAh) e você será direcionado a uma página contendo todos os estudos em slides já publicados (cerca de 17.000 páginas). Daí é só escolher o estudo e fazer o download para o seu computador.

Também disponível no formato PDF: 
http://sdrv.ms/1a28Cw8

O número (e o título) deste novo estudo é 137 – PARALAXE COGNITIVA – SERRANDO O PRÓPRIO GALHO.

Qualquer sugestão, crítica ou questionamento, escreva-me.


Moacir R. S. Junior – morganne777@hotmail.com