Enciclopédia Arquivo7 no MEGA

segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

QUANDO O INIMIGO, SEM QUERER, FAZ O QUE DEUS QUER – Parte 1

Um novo capítulo do nosso “livrão” virtual

O homem é livre para escolher o seu destino, ou sua história já está traçada desde a Eternidade passada? Como eu já disse em outros textos, este é um debate que só acabará na Eternidade. Mas acredito que podemos ter a resposta certa ainda nesta vida. E isso dependerá da compreensão correta dos textos bíblicos (e, talvez, até do caráter do intérprete – como assim?).

Uma das coisas que você vai encontrar com a maior facilidade, nos círculos acadêmicos (especialmente no setor da Teologia), é o chamado ORGULHO INTELECTUAL ou ARROGÂNCIA INTELECTUAL.

Em resumo, esses termos se relacionam àqueles indivíduos que não admitem, de forma nenhuma, que suas teses estejam erradas. Uma das características deles é zombar, ridicularizar, menosprezar, humilhar aqueles que possuem um pensamento contrário ou diferente.

Seu argumento pode ser melhor do que o meu. Você pode estar certo e eu errado. Mas zombar do meu erro não é o melhor caminho. Ridicularizar meu nível intelectual (você pode ter doutorado e eu não) não é defender a verdade. A verdade não depende do nível intelectual de ninguém (ARGUMENTO DA AUTORIDADE).

Existem doutores no Cristianismo, no Islamismo, no Budismo, no Hinduísmo, em praticamente todas as religiões mundiais. Como todas essas religiões possuem doutrinas excludentes (isto é, doutrinas contraditórias), é claro que NEM TODAS SÃO VERDADEIRAS.

A VERDADE NÃO DEPENDE DO NÍVEL INTELECTUAL DE NINGUÉM. Por isso, no Arquivo7, quando lidamos com temas polêmicos, analisamos todas as evidências possíveis, até encontrarmos a verdade (onde quer que ela esteja).

         Por que estou falando essas coisas?

         Porque em quase todos os debates sobre PREDESTINAÇÃO E LIVRE-ARBÍTRIO é comum encontrarmos esse clima de “ares de superioridade intelectual (e espiritual)”. É comum encontrarmos debatedores apelando para golpes baixos, isto é, ridicularizando o nível intelectual (e até espiritual) dos adversários. Tem até quem não considera cristão quem pensa diferente dele (nessa área).

         Diante de tudo que o foi dito, peço a você que dê uma olhada em nosso novo estudo, com a mente aberta, sem preconceitos. Estou convencido de que estou no caminho certo (teologicamente falando). Mas, caso eu encontre evidências para me provar o contrário, estou disposto a renunciar ao meu modo de pensar. Já fiz isso outras vezes. E não acredito que minha espiritualidade tenha apagado ou diminuído por pensar assim.

Mais detalhes, acesse este link (http://sdrv.ms/ZHobAh) e você será direcionado a uma página contendo todos os estudos em slides já publicados (23.000 páginas). Daí é só escolher o estudo e fazer o download para o seu computador.

Também disponível no formato PDF: 
http://sdrv.ms/1a28Cw8

O número (e o título) deste novo estudo é 196 – QUANDO O INIMIGO, SEM QUERER, FAZ O QUE DEUS QUER – Parte 1.

Qualquer sugestão, crítica ou questionamento, escreva-me.


Moacir R. S. Junior – morganne777@hotmail.com

segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

OPERAÇÃO QUIASMA – O FUTURO ESTÁ NO PASSADO – Parte 2

Vai acontecer porque foi profetizado ou foi profetizado porque vai acontecer?

Um novo capítulo do nosso “livrão” virtual

Um dos debates filosófico-teológicos que só vai acabar na Eternidade é a questão envolvendo os termos SOBERANIA DIVINA, PREDESTINAÇÃO, LIVRE-ARBÍTRIO e coisas semelhantes. Temos defensores inteligentes (e, muitas vezes, radicais) dos dois lados.

Esse tema está mais conectado às profecias do que imaginamos e, por essa razão, volto a abordá-lo. Antes de prosseguir neste novo estudo, recomendo que você veja, primeiramente, os dois citados abaixo:

135 – OPERAÇÃO QUIASMA – O FUTURO ESTÁ NO PASSADO – Parte 1

179 – O LIVRO QUE DEUS ESCREVEU ANTES DA HUMANIDADE EXISTIR

Agora na “OPERAÇÃO QUIASMA – parte 2” vamos analisar a PRESCIÊNCIA DIVINA; O ponto de vista de Deus sobre o tempo; As dimensões do tempo; Viagens no tempo; Quando uma profecia é condicional e quando é incondicional.

Para despertar a curiosidade, cito o trecho de uma interessante teoria divulgada por um rabino:

O grande tradutor de antigos textos hebraicos, Rabino Adin Steinsaltz, declarou certa vez que, “na Bíblia o tempo está às avessas”, e explicou que “o futuro é sempre escrito no pretérito perfeito, e o passado é sempre escrito no futuro do presente.” Outra declaração dele causou mais polêmica: “Talvez estejamos nos movendo contra a corrente do tempo”. Ele quis dizer que as leis da física são “simétricas no tempo”, ou seja, na linha temporal elas correm tanto para trás quanto para a frente. Bem, quanto a essas coisas, só um físico pra explicar.

Isso parece muito doido, não?

Mais detalhes, acesse este link (http://sdrv.ms/ZHobAh) e você será direcionado a uma página contendo todos os estudos em slides já publicados (23.000 páginas). Daí é só escolher o estudo e fazer o download para o seu computador.

Também disponível no formato PDF: 
http://sdrv.ms/1a28Cw8

O número (e o título) deste novo estudo é 195 – OPERAÇÃO QUIASMA – O FUTURO ESTÁ NO PASSADO – Parte 2.

Qualquer sugestão, crítica ou questionamento, escreva-me.


Moacir R. S. Junior – morganne777@hotmail.com

segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

O CÓDIGO GÊNESIS – Parte 26

A Fronteira entre a Coincidência Significativa e a Não-Significativa - Um novo capítulo do nosso “livrão” virtual

As palavras “coincidência” e “acaso” são muito usadas na boca de um cético, sempre que este se depara com algum fenômeno aparentemente sobrenatural ou que pertença às fronteiras do inexplicável.

As coincidências são muito estudadas, por especialistas de várias áreas. Muitos as classificam em dois grupos: as Significativas e as Não-Significativas. O famoso psicólogo (e psicanalista suíço), Carl Gustave Jung criou até um termo, SINCRONICIDADE, para descrever as chamadas “coincidências significativas”.

Os cientistas trabalham com coincidências. Ou seja, eles observam a natureza e, quando notam alguma coincidência (uma repetição de fenômenos), logo procuram uma explicação racional. Se os fenômenos se repetirem numa determinada escala, deixam de ser meras coincidências e passam a ser algo significativo.

Na investigação da Bíblia encontramos muitas coincidências. Toneladas de coincidências. O desafio é descobrir (e provar) se essas coincidências são significativas ou não. Testes feitos em laboratórios de ciências envolvendo as profecias bíblicas trazem resultados muitos intrigantes (a respeito, veja o estudo 143 – A DIGITAL DO POLEGAR ESQUERDO DE DEUS).

Dentro da chamada “Matemática Bíblica” podemos encontrar um peso muito grande de coincidências. A questão é: são significativas ou não? Se não forem significativas quer dizer que são meros acasos, que não querem dizer nada.

Porém, se forem significativas, nossa investigação precisa se aprofundar em busca dos “porquês”. E se forem provadas que são fenômenos além do limite do natural, a coisa fica ainda mais interessante.

Neste novo estudo voltamos a abordar o CÓDIGO GÊNESIS, com novas descobertas matemáticas. Como, durante essas investigações, encontramos muitas coincidências surpreendentes, podemos pensar que todas são significativas, quando poderia ser apenas acaso. E, podemos pensar que algo é apenas acaso, quando, na verdade, é significativo. Como saber? Como ter certeza?

Por isso, um dos temas abordados neste estudo é: TRÊS TIPOS DE COINCIDÊNCIAS:

1 – A COINCIDÊNCIA FORÇADA;

2 – A COINCIDÊNCIA QUE PARECE SIGNIFICATIVA, MAS É APENAS UMA COINCIDÊNCIA;

3 – A COINCIDÊNCIA QUE É SIGNIFICATIVA.

Mais detalhes, acesse este link (http://sdrv.ms/ZHobAh) e você será direcionado a uma página contendo todos os estudos em slides já publicados (23.000 páginas). Daí é só escolher o estudo e fazer o download para o seu computador.

Também disponível no formato PDF: 
http://sdrv.ms/1a28Cw8

O número (e o título) deste novo estudo é 194 – O CÓDIGO GÊNESIS – Parte 26 – A Fronteira entre a Coincidência Significativa e a Não-Significativa.

Qualquer sugestão, crítica ou questionamento, escreva-me.


Moacir R. S. Junior – morganne777@hotmail.com

segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

A EXATIDÃO MATEMÁTICA DA BÍBLIA – Parte 10

Datas Proféticas, UM significado, MUITAS aplicações - Um novo capítulo do nosso “livrão” virtual

Nunca imaginei que esta série teria tantos capítulos. Porém, quanto mais cavamos na Palavra de Deus, mais encontramos pérolas proféticas e matemáticas. Algumas evidências poderiam facilmente ser consideradas apenas obras do acaso. Mas a quantidade dessas evidências descarta qualquer coincidência.

Muitas coincidências são coincidências demais para serem apenas coincidências. Neste novo estudo analiso sete números relacionados a datas proféticas. Ou seja, aqueles números que marcam a data de alguma profecia. Alguém afirmar (e acertar) algo sobre o futuro já é impressionante – e quando estabelece uma data certeira, é ainda mais incrível.

Nos 9 capítulos anteriores desta série já apresentei fatos suficientes para se evidenciar a sobrenaturalidade e fidelidade das profecias bíblicas. Mas, à medida em que nos aprofundamos, as novidades não cessam.

Quando apresentamos algum estudo bíblico envolvendo números, datas e profecias, é comum encontrarmos muita gente que fecha a cara, torce o nariz e pensa besteiras sobre esses assuntos. Por isso, um dos tópicos deste novo estudo é: OS 3 PRINCIPAIS ERROS QUE MUITOS CRISTÃOS COMETEM QUANDO LIDAM COM NÚMEROS E PROFECIAS:

1 – Tentar descobrir a data exata do Retorno do Senhor;

2 – Usar números proféticos diretamente conectados a Israel e tentar encaixá-los na história da Igreja Cristã;

3 – Fechar a mente para todo tipo de estudo bíblico que lida com números e profecias.

Depois mostro também: TRÊS PRINCIPAIS ERROS DOS INTÉRPRETES AO ANALISAREM OS NÚMEROS QUE REVELAM DATAS EXATAS NAS PROFECIAS:

1 – Achar que toda quantidade de dias nas profecias tem que ser interpretada pelo princípio DIA = ANO;

2 – Aplicar os números-datas na história da Igreja;

3 – Confundir SIGNIFICADO (que é ÚNICO) com APLICAÇÕES (que podem ser MUITAS).

Por fim, apresento 7 EXEMPLOS DE APLICAÇÕES PROFÉTICAS ENVOLVENDO DATAS NA HISTÓRIA RECENTE DE ISRAEL. Como disse anteriormente, muitas coincidências são coincidências demais para serem apenas coincidências. Este novo estuda prova isso mais uma vez.

Para conhecer os detalhes, acesse este link (http://sdrv.ms/ZHobAh) e você será direcionado a uma página contendo todos os estudos em slides já publicados (cerca de 23.000 páginas). Daí é só escolher o estudo e fazer o download para o seu computador.

Também disponível no formato PDF: 
http://sdrv.ms/1a28Cw8

O número (e o título) deste novo estudo é 193 – A EXATIDÃO MATEMÁTICA DA BÍBLIA – Parte 10.

Qualquer sugestão, crítica ou questionamento, escreva-me.


Moacir R. S. Junior – morganne777@hotmail.com