Enciclopédia Arquivo7 no MEGA

segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

O CÓDIGO GÊNESIS – Parte 26

A Fronteira entre a Coincidência Significativa e a Não-Significativa - Um novo capítulo do nosso “livrão” virtual

As palavras “coincidência” e “acaso” são muito usadas na boca de um cético, sempre que este se depara com algum fenômeno aparentemente sobrenatural ou que pertença às fronteiras do inexplicável.

As coincidências são muito estudadas, por especialistas de várias áreas. Muitos as classificam em dois grupos: as Significativas e as Não-Significativas. O famoso psicólogo (e psicanalista suíço), Carl Gustave Jung criou até um termo, SINCRONICIDADE, para descrever as chamadas “coincidências significativas”.

Os cientistas trabalham com coincidências. Ou seja, eles observam a natureza e, quando notam alguma coincidência (uma repetição de fenômenos), logo procuram uma explicação racional. Se os fenômenos se repetirem numa determinada escala, deixam de ser meras coincidências e passam a ser algo significativo.

Na investigação da Bíblia encontramos muitas coincidências. Toneladas de coincidências. O desafio é descobrir (e provar) se essas coincidências são significativas ou não. Testes feitos em laboratórios de ciências envolvendo as profecias bíblicas trazem resultados muitos intrigantes (a respeito, veja o estudo 143 – A DIGITAL DO POLEGAR ESQUERDO DE DEUS).

Dentro da chamada “Matemática Bíblica” podemos encontrar um peso muito grande de coincidências. A questão é: são significativas ou não? Se não forem significativas quer dizer que são meros acasos, que não querem dizer nada.

Porém, se forem significativas, nossa investigação precisa se aprofundar em busca dos “porquês”. E se forem provadas que são fenômenos além do limite do natural, a coisa fica ainda mais interessante.

Neste novo estudo voltamos a abordar o CÓDIGO GÊNESIS, com novas descobertas matemáticas. Como, durante essas investigações, encontramos muitas coincidências surpreendentes, podemos pensar que todas são significativas, quando poderia ser apenas acaso. E, podemos pensar que algo é apenas acaso, quando, na verdade, é significativo. Como saber? Como ter certeza?

Por isso, um dos temas abordados neste estudo é: TRÊS TIPOS DE COINCIDÊNCIAS:

1 – A COINCIDÊNCIA FORÇADA;

2 – A COINCIDÊNCIA QUE PARECE SIGNIFICATIVA, MAS É APENAS UMA COINCIDÊNCIA;

3 – A COINCIDÊNCIA QUE É SIGNIFICATIVA.

Mais detalhes, acesse este link (http://sdrv.ms/ZHobAh) e você será direcionado a uma página contendo todos os estudos em slides já publicados (23.000 páginas). Daí é só escolher o estudo e fazer o download para o seu computador.

Também disponível no formato PDF: 
http://sdrv.ms/1a28Cw8

O número (e o título) deste novo estudo é 194 – O CÓDIGO GÊNESIS – Parte 26 – A Fronteira entre a Coincidência Significativa e a Não-Significativa.

Qualquer sugestão, crítica ou questionamento, escreva-me.


Moacir R. S. Junior – morganne777@hotmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário