Enciclopédia Arquivo7 no MEGA

sexta-feira, 14 de abril de 2017

ARQUIVO 7 – A ORIGEM, parte 6

A Bíblia no Jogo da Espionagem - Um novo capítulo da nossa Enciclopédia virtual

Jy Anderson estava bastante preocupado naquela manhã. Tinha recebido uma ligação de Stanville, que disse somente o seguinte:

 - Há um traidor no Grupo 7. Ele quer aprender todos os códigos para divulgar e ridicularizar o grupo.

E desligou.

Um traidor no grupo? Era só o que faltava. Se Stanville sabia que havia um Judas na área por que não disse logo quem era? Mas fazia parte do caráter de Stanville: complicar as coisas.

Na tarde do mesmo dia, Paulo Sérgio, um dos “SETE”, da nova geração trouxe uma caneta vermelha para Anderson. Uma caneta simples, marca BIC.

 Um garoto me pediu para devolvê-la. Deve ser um aluno seu.

“Caneta vermelha – mensagem mais do que urgente e sigilosa” pensou Anderson.

Ele pediu que Paulo Sérgio aguardasse um pouco, enquanto ia apanhar umas apostilas do Arquivo 7.

Uns 4 minutos depois, Jy retornou, entregou as apostilas para Paulo Sérgio e perguntou:

- Como era esse garoto?

- Um meninote de uns 10 ou 12 anos, acho. Por que?

- Ah, deve ser o Mauro. Obrigado, Paulo.

O jovem saiu e Anderson ficou sorrindo. “Stanville é muito esperto e muito discreto” pensou “mas o caso está resolvido”.

Quando Jy recebeu a caneta foi rapidamente ao quarto – era um código que somente quatro pessoas do Grupo 7 conheciam. Na caneta haviam vários riscos feitos de propósito, divididos em três partes. Na 1.ª havia 4 riscos de um lado e 4 do outro (representava o número 44); na 2.ª havia 1 risco e do outro lado, 3 riscos (representando o número 13); por fim, haviam 7 riscos e só (representando o número 7).

Portanto, havia na caneta, de maneira bem camuflada, os números 44, 13 e 7. O que queria dizer?

Jy apanhou uma Bíblia e procurou o 44.º livro, que é Atos dos Apóstolos. No capítulo 13 e versículo 7 estava escrito:

“... que estava com o procônsul Sérgio Paulo, homem sensato. Este chamou a Barnabé e Saulo e mostrou desejo de ouvir a palavra de Deus.”

Sim, Paulo Sérgio era o traidor, e recebeu umas apostilas com códigos falsos a fim de ser confundido, enquanto os “SETES” preparavam uma armadilha especial para ele.

(*Trecho transcrito de uma das inúmeras histórias do ROMANCE ARQUIVO 7 – e inspirada em casos reais)

Apesar da Bíblia ter sido escrita para outros fins, já foi (e, muito provavelmente, continua sendo) muito usada nos jogos de espionagem mais do que qualquer outro livro na História. Existem incontáveis romances, filmes, e contos, envolvendo mistérios, espionagem e a Bíblia. E por que essa conexão?

Uma das explicações é que a Bíblia é um livro universal e que pode se encontrado em quase todos os lugares do mundo. Então, se alguém deseja transmitir uma mensagem secreta de um país para outro, só precisa selecionar certas passagens bíblicas que tenham relação com o que se deseja transmitir.

Neste novo estudo, apresentamos vários exemplos de mensagens codificadas inspiradas na Bíblia. O lendário Grupo 7 sempre gostou de enigmas e como a Bíblia é um livro de enigmas, a conexão é perfeita.

Abrirei a minha boca numa parábola; proporei enigmas da antigüidade,...”
(Salmos 78.2)

Para saber mais detalhes sobre nosso novo estudo, acesse este link (ENCICLOPÉDIA ARQUIVO 7) e você será direcionado a uma página contendo todos os estudos em slides já publicados (cerca de 33.000 páginas). Daí é só escolher o estudo e fazer o download para o seu computador.

Também disponível no formato PDF: 
http://sdrv.ms/1a28Cw8

O número (e o título) deste novo estudo é: “258 – ARQUIVO 7 – A ORIGEM, parte 6”

Qualquer sugestão, crítica ou questionamento, escreva-me.

Moacir R. S. Junior – morganne777@hotmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário