Enciclopédia Arquivo7 no MEGA

domingo, 28 de dezembro de 2014

APOCALIPSE, A BELA E A FERA


Um novo capítulo do nosso “livrão” virtual

A “BELA E A FERA” é uma história conhecida universalmente. Mas a expressão tem sido usada, muitas vezes, para descrever algum relacionamento sujeito a alto risco, uma espécie de atração fatal. Por exemplo: a relação entre uma moça (de uma família bem conceituada) e um bandido.

A Bíblia tem sido fonte de inspiração para muitos gêneros de histórias. Até mesmo o famoso “O MÉDICO E O MONSTRO” possui paralelos com fatos bíblicos. Na Teologia Bíblica, por exemplo, se fala muito do VELHO HOMEM que é a natureza pecaminosa, que existe dentro de todos nós. A natureza caída que só pensa em fazer o mal. Essa natureza velha precisa ser substituída por uma NATUREZA NOVA, o NOVO HOMEM ou NOVA CRIATURA (que nasceu de novo, num processo sobrenatural efetuado pelo Espírito Santo).

Portanto, cada um de nós tem dentro de si um monstro que precisa ser domado ou – para usar uma expressão bíblica – “crucificado com Cristo” (Romanos 6.6). Até o famoso personagem das Histórias em Quadrinhos, o Incrível Hulk, foi inspirado nessa Teologia Bíblica. Na verdade, dentro de cada um de nós existe um Hulk, e só por meio da conversão ao Evangelho de Cristo é que essa criatura poderá ser domada.

Bem, em Apocalipse 17 existe uma horrenda visão mostrando uma bela mulher montada sobre uma terrível fera. Como nas profecias a Igreja de Cristo é comparada a uma mulher, uma virgem, preparada para um só esposo, é fácil deduzir que existe o inverso, ou seja, uma igreja infiel, acertadamente simbolizada por uma prostituta.

É nesse sentido que elaborei este novo estudo, tendo como subtítulo “A VERDADEIRA ATRAÇÃO FATAL”, pois demonstro, por meio de muitos exemplos da atualidade, que, quando a Igreja se deixa seduzir por doutrinas falsas (que contrariam frontalmente as doutrinas fundamentais do Cristianismo) ela atravessa a fronteira, tornando-se uma noiva infiel, cujo amante é a Besta.

Enfim, para conhecer melhor esse novo estudo, acesse este link (http://sdrv.ms/ZHobAh) e você será direcionado a uma página contendo todos os estudos em slides já publicados (18.000 páginas). Daí é só escolher o estudo e fazer o download para o seu computador.

Também disponível no formato PDF: 
http://sdrv.ms/1a28Cw8

O número (e o título) deste novo estudo é 148 – APOCALIPSE, A BELA E A FERA.

Qualquer sugestão, crítica ou questionamento, escreva-me.


Moacir R. S. Junior – morganne777@hotmail.com

domingo, 21 de dezembro de 2014

A MEDIDA PERFEITA – Parte 7

Um novo capítulo do nosso “livrão” virtual

O subtema deste novo estudo diz: “A FÉ, A DÚVIDA E A CERTEZA”.

Acredito que todo cristão já esteve numa encruzilhada de dúvidas e incertezas envolvendo sua fé e outras coisas. Diariamente nos confrontamos com muitas coisas, muitos desafios à fé, num mundo cada vez mais materialista e anticristão.

Mas existem, em minha opinião, três níveis de dúvidas que podem pressionar (e até destruir) um cristão:

Nível de dúvida 1 – Baixo (normal)
Nível de dúvida 2 – Médio (um pouco mais grave)
Nível de dúvida 3 – Superior (muito grave)

Permitam-me uma breve explicação de cada um deles:

Nível de dúvida 1 – Baixo (normal) – O cristão não duvida da existência de Deus ou de Jesus, acredita na Bíblia, mas está com dúvidas sobre alguma doutrina secundária. Exemplo: Será que o Arrebatamento da Igreja será mesmo antes da Grande Tribulação, no meio ou no final dela?

Esse tipo de dúvida não ameaça a salvação do cristão, mas pode se tornar um tormento intelectual, trazendo inquietações desnecessárias.

Um bom remédio contra as dúvidas é uma investigação séria, imparcial, sem preconceitos a respeito do tema que está inquietando você. O que for verdadeiro, continuará verdadeiro para sempre. O que for falso será provado como falso.

Nível de dúvida 2 – Médio (um pouco mais grave) – Quando o cristão, mesmo sem perder a fé em Deus e na Bíblia, começa a descrer de certas doutrinas fundamentais do Cristianismo (Jesus como Deus e Homem, a Bíblia como Palavra inspirada na sua totalidade, a doutrina da Trindade, a salvação pela graça, etc.).

Diferente do nível anterior, esse tipo de dúvida pode afastar o cristão da fé bíblica ortodoxa, deixando-o aberto a qualquer alternativa. Podendo até mesmo leva-lo para o esoterismo, ocultismo, etc (dependendo da gravidade da coisa).

Nível de dúvida 3 – Superior (muito grave) – Quando o cristão abandona o Cristianismo por completo e pode até se tornar ateu.

Bem, mas você pode estar se perguntando o que esse tipo de conversa tem a ver com um estudo sobre a RAZÃO ÁUREA, ou seja, MATEMÁTICA BÍBLICA? Para saber detalhes, você terá que conhecer o estudo.

Para conhecer esse novo estudo, acesse este link (http://sdrv.ms/ZHobAh) e você será direcionado a uma página contendo todos os estudos em slides já publicados (18.000 páginas). Daí é só escolher o estudo e fazer o download para o seu computador.

Também disponível no formato PDF: 
http://sdrv.ms/1a28Cw8

O número (e o título) deste novo estudo é 147 – A MEDIDA PERFEITA – Parte 7.

Qualquer sugestão, crítica ou questionamento, escreva-me.


Moacir R. S. Junior – morganne777@hotmail.com

domingo, 14 de dezembro de 2014

O EVANGELISTA QUE CALCULAVA – Parte 3


Um novo capítulo do nosso “livrão” virtual

Evangelizando com a Matemática?

Primeiro, para muita gente, a Matemática não é exatamente uma “senhora” simpática. É fácil encontrar alguém que quase desistiu de viver (ou quase se tornou um assassino) porque teve uma amarga experiência na sala de aula, durante uma aula de... Matemática.

Após anos de estudo, observações e reflexões, cheguei à conclusão de que todas as acusações contra a Matemática são injustas e falsas. Mas achei um culpado, o verdadeiro culpado: o professor de Matemática!

Eu poderia dizer muitas coisas a respeito disso, mas este espaço é apenas para fazer propaganda do novo estudo em slides do Arquivo7, e, por isso, direi apenas o seguinte:

O ensino de Matemática sofreria uma revolução positiva...

Se todo professor de Matemática agisse como um mágico e não como um inquisidor;

Como um artista e não como um juiz ou promotor;

Enfim, como um MATEMÁGICO.

E isso não é algo impossível ou utópico, pois já tivemos professores assim. E um deles (para mim, o principal deles) chamava-se JULIO CÉSAR DE MELO E SOUSA, o nosso Malba Tahan.

Se os nossos professores de Matemática quiserem um modelo para se inspirar, um referencial a quem possam se espelhar, não conheço nada melhor do que a vida e a obra de Malba Tahan.

Bem, mas o tema do nosso novo estudo ainda é o “Evangelista Sete”, e nele apresentaremos um exemplo desse nosso amigo em ação, usando conceitos simples da Matemática para apresentar o Evangelho de Jesus Cristo.

Para conhecer esse novo estudo, acesse este link (http://sdrv.ms/ZHobAh) e você será direcionado a uma página contendo todos os estudos em slides já publicados (cerca de 18.000 páginas). Daí é só escolher o estudo e fazer o download para o seu computador.

Também disponível no formato PDF: 
http://sdrv.ms/1a28Cw8

O número (e o título) deste novo estudo é 146 – O EVANGELISTA QUE CALCULAVA – Parte 3.

Qualquer sugestão, crítica ou questionamento, escreva-me.


Moacir R. S. Junior – morganne777@hotmail.com

domingo, 7 de dezembro de 2014

O EVANGELISTA QUE CALCULAVA – Parte 2



Um novo capítulo do nosso “livrão” virtual

Você sabe o que é um MATEMÁGICO?

Como a palavra sugere, é uma espécie de matemático misturado com mágico. Como a Matemática é uma ciência que fascina, surpreende e encanta, não é incomum ser comparada com a arte mágica.

Mas atenção! Quando falo “mágica” não estou me referindo a bruxaria, feitiçaria ou coisas do tipo (que são supostas interferências na natureza por meio de poderes sobrenaturais).

A palavra “mágica” possui vários significados, dependendo do contexto. Mas é comumente relacionada a coisas que encantam e surpreendem. Coisas aparentemente impossíveis.

O fato é que todos esses adjetivos (surpreendente, encantador, fascinante, incrível, extraordinário, fantástico, esplêndido, etc.) se aplicam à Matemática e aos números.

Quem lida com esses “seres” (números) se surpreende a cada descoberta ou revelação. Existem algumas pessoas que usam os números e a Matemática da mesma forma que um artista no palco (um ilusionista) faz uso de truques mágicos. Esse tipo de “mago dos números” é popularmente conhecido como MATEMÁGICO.

O nosso amigo “Evangelista Sete” ou “Evangelista que calculava” pertence também à categoria dos Matemágicos. E, na verdade, antes de conhecer o Evangelho de Cristo, nosso amigo já gostava de chamar atenção e divertir o público, brincando com os números e a Matemática.

Daí que, quando se tornou Cristão e se deparou com as simetrias matemáticas reveladas na Bíblia, encontrou o verdadeiro sentido da vida e passou a usar seus talentos de Matemágico para algo realmente importante e proveitoso. Para a verdadeira razão de todos estarmos aqui: CONHECER A CRISTO E TORNÁ-LO CONHECIDO!

Mas como os números e a Matemática podem ser usados a favor do Reino de Deus?

Para conhecer esse novo estudo, acesse este link (http://sdrv.ms/ZHobAh) e você será direcionado a uma página contendo todos os estudos em slides já publicados (cerca de 17.000 páginas). Daí é só escolher o estudo e fazer o download para o seu computador.

Também disponível no formato PDF: 
http://sdrv.ms/1a28Cw8

O número (e o título) deste novo estudo é 145 – O EVANGELISTA QUE CALCULAVA – Parte 2.

Qualquer sugestão, crítica ou questionamento, escreva-me.


Moacir R. S. Junior – morganne777@hotmail.com