Enciclopédia Arquivo7 no MEGA

quinta-feira, 28 de maio de 2015

A LEI DOS SETES – Parte 3

Sob as ordens da Lei dos Três - Um novo capítulo do nosso “livrão” virtual

Você já viu o estudo “A LEI DOS SETES”, partes 1 e 2? Eles foram publicados há um bom tempo (na verdade, estão classificados nos números 3 e 4 da nossa série de estudos em slides).

Mas, afinal, o que é mesmo essa tal Lei dos Setes?

Qualquer análise da Bíblia, por mais superficial que seja, é capaz de notar que, do Gênesis ao Apocalipse, centenas de palavras, acontecimentos e ensinamentos possuem uma relação estranha com o número 7. Os tempos são contados segundo o padrão de setes, palavras e frases relacionadas a algum acontecimento especial geralmente são apresentadas em grupos de 7 ou múltiplos de 7. Por que?

Um estudioso judeu, do século XIX, Oscar Goldberg, chamou esse fenômeno de “LEI DOS SETES”. Como ela funciona?

EM UM TEXTO QUE FORMA UM TODO, O NOME DE UM PERSONAGEM PRINCIPAL OU DE UM TEMA PRINCIPAL DA PASSAGEM BÍBLICA É CITADO 7 VEZES OU EM MÚLTIPLOS EXATOS DE 7.

Quando era necessário citar o personagem ou palavra central mais de uma vez no texto, às vezes o escritor mudava de estilo, ou colocava a palavra em múltiplo de 7, ou seja, 14, 21, etc.

Por exemplo, no trecho sobre a criação do mundo (Gn 1 a 2.1-4), o nome de DEUS é citado 35 vezes (5 x 7); No trecho sobre o Dilúvio (Gn 6 – 8), a palavra ARCA aparece 14 vezes; Ao todo, o Sagrado Nome Divino (YHWH, ou JAVEH) é citado 1.820 vezes nos cinco livros da Lei. 1820 é 260 x 7.

A expressão “O SENHOR FALOU A MOISÉS” aparece 42 vezes no livro de Êxodo (6 x 7), dividida em duas partes: 21 vezes do capítulo 1ao 12 (antes da libertação de Israel) e 21 vezes do restante do capítulo 12 até o final do livro.

O nome de MOISÉS é citado 847 vezes na Bíblia toda, ou seja, 121 x 7. Em Apocalipse, aparece somente UMA VEZ. Mas sem essa citação, não teríamos 847, ou sendo uma citação a mais, passaria de 847. Ao que tudo indica UMA MENTE ÚNICA inspirou os escritores da Bíblia.

Ainda Moisés: Seu nome aparece 7 vezes nos Salmos (Salmos 77, 99, 103, 105 e 106). Observe que a soma dos números desses Salmos é exatamente 490, ou seja, 70 x 7.

Os exemplos são incalculáveis. Qualquer livro de estudos sobre a Bíblia sempre terá uma novidade sobre uma coleção de 7 coisas que a gente ainda não tinha percebido.

Neste novo estudo demonstramos que até mesmo a citação da palavra SETE (ou derivadas, tais como SÉTIMO, SETENTA, etc., além de expressões prontas como SETE VEZES), também obedecem a essa Lei dos Setes, em toda a Bíblia. E isso reforça ainda mais a tese de que a Bíblia, mesmo tendo sido escrita por cerca de 40 autores, foi inspirada pela mesma MENTE, isto é, por Deus.

Para conhecer esse novo estudo, acesse este link (http://sdrv.ms/ZHobAh) e você será direcionado a uma página contendo todos os estudos em slides já publicados (cerca de 20.000 páginas). Daí é só escolher o estudo e fazer o download para o seu computador.

Também disponível no formato PDF: http://sdrv.ms/1a28Cw8

O número (e o título) deste novo estudo é 168 – A LEI DOS SETES – Parte 3 – Sob as ordens da Lei dos Três.

Qualquer sugestão, crítica ou questionamento, escreva-me.


Moacir R. S. Junior – morganne777@hotmail.com

quinta-feira, 21 de maio de 2015

A MEDIDA PERFEITA – Parte 12

Nem sempre o Centro está no Meio - Um novo capítulo do nosso “livrão” virtual

Para a maioria dos mortais, o lugar perfeito entre dois pontos é exatamente o centro. Matematicamente não é assim. E se você já sabe o básico sobre a Razão Áurea, entende o que estou querendo dizer.

Uma das palavras mais importantes para a Fé Cristã é a palavra “VERDADE”. Na verdade, a grande diferença do Cristianismo para todas as outras religiões é esta:

Para as demais religiões, a VERDADE é um conceito, uma idéia, um pensamento, um dogma. Para os cristãos, a VERDADE é UMA PESSOA.

Todos os outros grandes lideres da História (e fundadores de religiões, tais como Maomé, Buda, Alan Kardec, etc.) se esforçaram para provar para seus seguidores que encontraram a VERDADE, que eles POSSUEM a VERDADE, que eles ESTÃO com a VERDADE.

Mas Jesus de Nazaré disse algo que ninguém mais ousou dizer até agora:

“EU SOU A VERDADE” (João 14.6).

Em muitas partes da Bíblia, Jesus é apresentado como O PRINCÍPIO, O MEIO E O FIM da História. Não há lugar para nenhum outro. A grande surpresa é que, a palavra hebraica para VERDADE expressa exatamente o caráter e personalidade de Jesus.

Em hebraico, ÉMET (VERDADE) é escrita com apenas três letras. O interessante é que as três letras são a primeira, a do meio e a última. E o mais interessante ainda é que a do meio não fica exatamente no meio, mas... na RAZÃO ÁUREA!

Este é o assunto que iremos analisar neste novo estudo (além de outras coisas).

Para conhecer esse novo estudo, acesse este link (http://sdrv.ms/ZHobAh) e você será direcionado a uma página contendo todos os estudos em slides já publicados (cerca de 20.000 páginas). Daí é só escolher o estudo e fazer o download para o seu computador.

Também disponível no formato PDF: http://sdrv.ms/1a28Cw8

O número (e o título) deste novo estudo é 167 – A MEDIDA PERFEITA – Parte 12 – Nem sempre o Centro está no Meio.

Qualquer sugestão, crítica ou questionamento, escreva-me.

Moacir R. S. Junior – morganne777@hotmail.com


quinta-feira, 14 de maio de 2015

A MEDIDA PERFEITA – Parte 11

A Bíblia, o Jornal e a Calculadora - Um novo capítulo do nosso “livrão” virtual

No estudo anterior citei alguns dados autobiográficos, algumas das minhas experiências pessoais com o estudo das profecias e números da Bíblia. Neste novo estudo, além de mostrar novas descobertas sobre a Razão Áurea na Bíblia, revelo mais experiências pessoais envolvendo minha obsessão em estudar (e divulgar) a Profecia e Matemática Bíblica.

No primeiro capítulo dos Estudos Arquivo7 em slides (intitulado ARQUIVO7 – A ORIGEM), revelei como fui atraído para o fantástico mundo da incrível Numerologia Bíblica, além de mencionar também como me interessei pelas profecias bíblicas.

Mas, apesar de já ter falado disso em meus blogs (e até nos romances), ainda não tinha tocado neste assunto nestes estudos em slides. De que assunto estou falando? Os ataques terroristas ao World Trade Center e a conexão com as Festas Judaicas foram os eventos que me motivaram ainda mais a estudar as profecias. Mas o que me levou mesmo a olhar para as profecias foi um acontecimento mais atrás, uns 18 anos antes do 11 de setembro de 2001: A CRISE NO GOLFO PÉRSICO, que levou à impressionante GUERRA DO GOLFO, em 1991.

Um pregador do Evangelho de Cristo usar o jornal do dia em suas mensagens é algo até comum atualmente – embora haja muitos exageros e muitos extrapolam ou fazem mau uso disso.

Mas o que dizer de um propagador do Evangelho de Cristo que, além da Bíblia e do jornal do dia, ainda costuma usar um acessório inusitado em suas pregações, uma calculadora?

O que dizer de um evangelista que usa a Bíblia e a calculadora?

Na série de estudos “O EVANGELISTA QUE CALCULAVA”, eu já dei muitos detalhes sobre isso. Mas, neste novo estudo, muito autobiográfico, provo que a Matemática e a Profecia estão mais conectadas do que a gente está acostumado a imaginar.

Bem, para conhecer esse novo estudo, acesse este link (http://sdrv.ms/ZHobAh) e você será direcionado a uma página contendo todos os estudos em slides já publicados (cerca de 20.000 páginas). Daí é só escolher o estudo e fazer o download para o seu computador.

Também disponível no formato PDF: http://sdrv.ms/1a28Cw8

O número (e o título) deste novo estudo é 166 – A MEDIDA PERFEITA – Parte 11 – O Jornal, a Bíblia e a Calculadora.

Qualquer sugestão, crítica ou questionamento, escreva-me.


Moacir R. S. Junior – morganne777@hotmail.com

quinta-feira, 7 de maio de 2015

A MEDIDA PERFEITA – Parte 10

Reflexões sobre a Data da Segunda Vinda de Cristo - Um novo capítulo do nosso “livrão” virtual

Falar do Retorno de Cristo e mencionar datas leva qualquer cristão desconfiado a lembrar das palavras de Jesus em Mateus 24.36:

“Daquele dia e hora, porém, ninguém sabe, nem os anjos do céu, nem o Filho, senão só o Pai.”

E, apesar de alguns espertinhos acharem que Jesus estava se referindo apenas à hora e dia, e não ao ano, eu penso o contrário: que ele estava se referindo a uma data exata (dia, mês e ano). Até porque nas profecias, muitas vezes, DIA é o mesmo que ANO.

De qualquer forma, neste novo estudo eu deixo bem claro três coisas que eu acredito sobre a data da Segunda Vinda. Três coisas sobre as quais eu tenho plena certeza:

1 – Essa data está na Bíblia;

2 – Ela está bem camuflada, oculta, criptografada;

3 – Só saberemos depois que acontecer.

Talvez isso seja muito frustrante para algumas pessoas, mas não vejo como interpretar diferente. De qualquer forma, apesar de acreditar que a Bíblia não revela a data exata da Segunda Vinda, por outro lado, creio que podemos ter uma idéia sobre A ÉPOCA desse maravilhoso evento.

Saber a época é diferente de saber uma data exata. Uma época pode abranger algumas décadas, alguns anos, mas é um parâmetro. Por exemplo: acreditar que Jesus pode voltar nos próximos 100 anos já é uma grande coisa, pois tem quase 2000 anos que Ele prometeu retornar.

Mas o que esse tema tem a ver com o assunto deste novo estudo, ou seja, sobre a Razão Áurea? Eu acredito que, de alguma forma, a data da Segunda Vinda terá conexões com a Razão Áurea. E nesse novo estudo revelo as razões para acreditar assim.

Bem, para conhecer esse novo estudo, acesse este link (http://sdrv.ms/ZHobAh) e você será direcionado a uma página contendo todos os estudos em slides já publicados (cerca de 20.000 páginas). Daí é só escolher o estudo e fazer o download para o seu computador.

Também disponível no formato PDF: http://sdrv.ms/1a28Cw8

O número (e o título) deste novo estudo é 165 – A MEDIDA PERFEITA – Parte 10 – Reflexões sobre a Data da Segunda Vinda de Cristo.

Qualquer sugestão, crítica ou questionamento, escreva-me.


Moacir R. S. Junior – morganne777@hotmail.com