Enciclopédia Arquivo7 no MEGA

segunda-feira, 7 de janeiro de 2019

UMA COINCIDÊNCIA SURPREENDENTE COM AS “2.300 TARDES E MANHÃS” DA PROFECIA BÍBLICA


"Depois ouvi um santo que falava; e disse outro santo àquele que falava: Até quando durará a visão do sacrifício contínuo, e da transgressão assoladora, para que sejam entregues o santuário e o exército, a fim de serem pisados? E ele me disse: Até duas mil e trezentas tardes e manhãs; e o santuário será purificado." (Daniel 8.13,14).

Os estudiosos têm muito a dizer sobre esse texto bíblico. Porém, seja lá o que cada um pense, os seguintes fatos não podem ser contestados por ninguém:

Fato 1 - Um dos principais temas da visão de Daniel no capítulo 8 é a guerra entre a Grécia (também chamada de bode) e a Pérsia (também chamada de carneiro). No próprio texto aparecem esses nomes, portanto, não é dedução ou invenção de teólogos;

Fato 2 - Essa guerra aconteceu nos anos 334 a 333 antes de Cristo (e não é uma data controversa. Todos os historiadores que consultei concordam com ela);

Fato 3 - O texto de Daniel também fala das DESOLAÇÕES DE JERUSALÉM e do SANTUÁRIO;

Fato 4 - Em Gênesis 1.5, lemos claramente: "E foi a tarde e a manhã, o dia primeiro". Portanto, "tarde e manhã" é sinônimo de dia; nesse caso, “2.300 tardes e manhãs" pode ser entendido, sem problemas, como "2.300 dias";

Fato 5 - Nos livros proféticos, especialmente em Daniel, muitas vezes "dias" simbolizam "anos" (as 70 semanas de Daniel 9, por exemplo); portanto, não é nenhum "malabarismo (ou truque) teológico" interpretar "2.300 tardes e manhãs" como "2.300 ANOS";

Fato 6 - Contando-se 2.300 anos desde o ano 333 a.C. (guerra entre os gregos e persas), chegaremos, sem sombras de dúvidas, ao ano de 1967;

Fato 7 - Lembrem-se: em 1967 (07 de junho), durante a famosa GUERRA DOS 6 DIAS, JERUSALÉM FOI LIBERTADA, e voltou para as mãos de Israel após 2.500 anos em mãos estrangeiras.

Alguém pode alegar que não tem nada a ver? Pode! Mas terá antes que contestar os 7 fatos acima. Quem se habilita?

* Só uma explicaçãozinha básica: Eu acredito que a profecia bíblica tem um alvo final, mas que, antes disso, realiza pequenos cumprimentos ou "amostras grátis", até chegar ao ponto culminante. Para mim, a conexão de Jerusalém em 1967 com a profecia das "2.300 tardes e manhãs" de forma nenhuma esgota o cumprimento da profecia, mas foi uma espécie de "amostra grátis" ou uma prova para os céticos de plantão da exatidão da Bíblia. E repito: Quem pode contestar, pelo menos, algum dos 7 fatos acima?

*Mais detalhes e outros eventos no mesmo estilo você encontra na Enciclopédia Arquivo7.

Moacir Junior – morganne777@hotmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário