Enciclopédia Arquivo7 no MEGA

quinta-feira, 21 de julho de 2016

PROJETO JUDAS 22 – Detonando as Dúvidas – parte 4


FALÁCIAS – Detonando os Argumentos FAJUTOS - Um novo capítulo do nosso “livrão” virtual

Enquanto escrevo este texto (09 de abril de 2016), a situação política do Brasil está cada vez mais tensa. Aumenta o número de delatores, e com isso, vêm à tona novas revelações sobre o mar de corrupção em que boa parte dos políticos brasileiros está mergulhada. Em Brasília, as sessões na Câmara dos Deputados entram até na madrugada, tentando acelerar o processo de impeachment da presidente Dilma.

Bem, um dos lados bons desse atual embate (ou combate) político brasileiro é que, vendo, lendo e ouvindo os argumentos dos grupos envolvidos, a gente tem ótimas aulas de como NÃO ARGUMENTAR.

Dá até nos nervos testemunhar as toneladas de falácias, argumentos fajutos e idiotices divulgadas diariamente, principalmente nas redes sociais. Uma das táticas mais adotadas é a do DESVIO DO FOCO, FUGA DO ASSUNTO PRINCIPAL, DESVIO DO TEMA CENTRAL, etc.

Em vez de enfrentar (e atacar) a tese do autor, o lado contrário prefere atacar o autor da tese. E pior: Todo tipo de boato é divulgado como se fosse fato, mesmo que contradigam frontalmente as leis elementares da Lógica (Lei da Identidade, Lei da Não-Contradição e Lei do 3º Excluído).

Tudo isso só evidencia a miséria intelectual que domina o Brasil, fruto de uma cultura que valoriza mais o rebolar do que o pensar.

Há muito tempo que eu sentia a necessidade de elaborar algum estudo a respeito das FALÁCIAS, ou seja, aqueles argumentos falsos (ou trapaças argumentativas) que, vez por outra, vemos em debates (em qualquer área: política, religiosa, etc).

Num conceito mais acadêmico, “na lógica e na retórica, uma falácia é um argumento logicamente inconsistente, sem fundamento, inválido ou falho na capacidade de provar eficazmente o que alega. Argumentos que se destinam à persuasão podem parecer convincentes para grande parte do público apesar de conterem falácias, mas não deixam de ser falsos por causa disso.” (https://pt.wikipedia.org/wiki/Falacia).

A Lógica está sempre do lado da verdade. Quando aparenta não estar é porque foi manipulada, gerando uma falácia.

Infelizmente, a maioria dos cristãos (no Brasil) não está preparada para debater com os chamados incrédulos (pessoas não cristãs, ateus, céticos e agnósticos). A tática cristã mais comum é usar argumentos bíblicos para tentar convencer pessoas que nem acreditam na Bíblia.

Não me entendam mal. Como boa parte dos brasileiros diz ser cristã, e pressupondo que eles acreditam na Bíblia como a Palavra de Deus, eu posso tranqüilamente usar versículos bíblicos para provar (para eles) alguma tese. Porém, isto não funciona para quem duvida da Bíblia. Neste caso, eu terei dois trabalhos: 1º Demonstrar, com as evidências disponíveis, que a Bíblia é a Palavra de Deus; e 2º Apresentar o Plano de Deus (para essas pessoas) revelado na Bíblia.

De qualquer forma eu terei que fazer uso de argumentação lógica para provar minhas teses. E aí eu preciso estar preparado a fim de evitar as armadilhas dos falsos argumentos, que chamamos de falácias.

Mas por que um cristão deveria estudar Lógica? Por que a Lógica é importante na defesa da fé cristã?

Como disse certa vez o grande apologista cristão Norman Geisler:

“O meu professor de filosofia na faculdade bíblica na década de 1950 costumava dizer: ‘A próxima melhor coisa além de santidade é a lógica’. E a minha sugestão a eles [estudantes cristãos] é: estude lógica, aprenda como analisar argumentos, aprenda como analisar falácias. E, quando você aprender a fazer isto, você não temerá ateus e agnósticos porque há sempre alguma falha no argumento, e quanto melhor e mais astuto você for na lógica, mais rapidamente você conseguirá ver isto.”

Motivado pelo uso excessivo de falácias por aqueles que protestam contra o atual governo e muito mais pelos que o defendem; e encorajado ainda pelas palavras dos apologistas cristãos mais ativos da atualidade (Norman Geisler, William Lane Craig e Ravi Zacharias), resolvi elaborar um guia básico das falácias mais usadas em debates, e, ao mesmo tempo, mostrando como combatê-las.

Para conhecer os detalhes deste novo estudo, acesse este link ENCICLOPÉDIA ARQUIVO 7 - CALCULANDO A VERDADE e você será direcionado a uma página contendo todos os estudos em slides já publicados (cerca de 27.000 páginas). Daí é só escolher o estudo e fazer o download para o seu computador.

Também disponível no formato PDF: 
http://sdrv.ms/1a28Cw8

O número (e o título) deste novo estudo é: “223 – PROJETO JUDAS 22 – Detonando as Dúvidas – Parte 4”.

Qualquer sugestão, crítica ou questionamento, escreva-me.
Moacir R. S. Junior – morganne777@hotmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário