Enciclopédia Arquivo7 no MEGA

quinta-feira, 28 de julho de 2016

PROJETO JUDAS 22 – Detonando as Dúvidas – parte 5

Pequeno Curso sobre FALÁCIAS, com o professor Dr. Disgrota - Um novo capítulo do nosso “livrão” virtual
Dando prosseguimento ao assunto iniciado no capítulo anterior, este novo estudo, na verdade, é uma síntese bem humorada das falácias mais conhecidas. Dentre os muitos exemplos apresentados existem vários inspirados no momento atual (situação política do Brasil), pois é evidente que, em meio a tantos debates e discussões, as FALÁCIAS têm aparecido aqui e ali com uma freqüência incomum.

Exemplo 1 - A FALÁCIA DO ESPANTALHO

Descrição: Eu defendo a posição X; meu adversário não consegue contestar X; então transforma X em Z, um argumento que não tem nada a ver. Por fim, ataca o argumento Z, como se fosse o X.

Exemplo: Como é você tem coragem de defender o IMPEACHMENT (argumento X)? Não podemos abrir mão da DEMOCRACIA (argumento Z), pois isto custou muito caro aos brasileiros. Sem a DEMOCRACIA, voltaremos a ser uma ditadura.

A fraude intelectual: Observe que o contestador não apresenta argumentos para refutar o IMPEACHMENT defendido por mim. Ele me trata como alguém que é contrário à DEMOCRACIA. Assim, é logicamente mais fácil defender a importância da democracia do que apresentar razões que invalidem a tese do impeachment. Em resumo: Ao invés do autor do argumento refutar a posição defendida por uma pessoa, ele atribui uma OUTRA POSIÇÃO àquela pessoa (mais fácil de ser refutada) e então apresenta argumentos contrários a ela.

Exemplo 2 - A FALÁCIA DA MISERICÓDIA (AD MISERICORDIAM)

Descrição: Também conhecida como FALÁCIA DA PIEDADE. Acontece quando alguém apela para as virtudes ou estado emocional a fim de tentar provar um argumento.
Exemplos:
1 - “A Polícia Federal e a oposição deveriam deixar o ex-presidente Lula em paz. Nenhum presidente fez o que ele fez. Nenhum ajudou tanto os pobres.”
2 - Sarney tem história suficiente para que não seja tratado como uma pessoa comum”, disse Lula (em 2009), diante de uma série de denúncias envolvendo o (então) presidente do Senado José Sarney.
A fraude intelectual: Nenhuma boa ação pode apagar um crime. Se alguém comete algum crime tem que pagar por ele, não importando a quantidade de boas ações que praticou na vida. Será que Sarney tem “história suficiente” que lhe dê o direito de cometer crimes quando quiser? É claro que não!

Exemplo 3 - A FALÁCIA DA VERDADE OMITIDA

Descrição: O argumentador apresenta uma verdade, mas omite outra (que está relacionada à primeira). A omissão de parte da história pode levar a uma compreensão errada da história.
Exemplos: – Dilma lutou contra a DITADURA. Portanto, ela lutou em favor da DEMOCRACIA.
Contra-argumento: o argumentador apresenta uma dualidade clara (DITADURA versus DEMOCRACIA), mas omite dados importantes. Primeiro, mal intencionado, ele não específica o tipo de ditadura (pois existem várias: religiosas, militar, etc.).
E ISSO IMPORTA? O importante não é que ela lutou CONTRA a DITADURA? Não, tolinho. O “saliente” do argumentador omitiu um dado ainda mais importante, aliás, extremamente importante: DILMA LUTOU PELA IMPLANTAÇÃO DO REGIME COMUNISTA NO BRASIL. Assim, ela simplesmente queria substituir uma ditadura pela outra.
Portanto, ela NÃO lutou contra a ditadura, a favor da democracia. É verdade que ela lutou contra a DITADURA MILITAR. Porém, se ela e seus companheiros tivessem tido êxito, hoje, provavelmente, o Brasil seria COMUNISTA.
A fraude intelectual: Muitas vezes em seus discursos, o ex-presidente Lula declarou diante da multidão: “Enquanto vocês ainda não eram nem nascidos, essa brava mulher lutava pela nossa liberdade”.
 Para conhecer mais exemplos, veja nosso novo estudo. Acesse este link ENCICLOPÉDIA ARQUIVO 7 - CALCULANDO A VERDADE e você será direcionado a uma página contendo todos os estudos em slides já publicados (cerca de 27.000 páginas). Daí é só escolher o estudo e fazer o download para o seu computador.

Também disponível no formato PDF: 
http://sdrv.ms/1a28Cw8

O número (e o título) deste novo estudo é: “224 – PROJETO JUDAS 22 – Detonando as Dúvidas – Parte 5”.

Qualquer sugestão, crítica ou questionamento, escreva-me.

Moacir R. S. Junior – morganne777@hotmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário