Enciclopédia Arquivo7 no MEGA

segunda-feira, 21 de novembro de 2016

A LÓGICA, A SIMETRIA E A PROFECIA – Parte 3

A Igreja de Cristo verá o rosto do Anticristo? - Um novo capítulo da nossa Enciclopédia virtual

Existe hoje um grande preconceito contra os cristãos que creem num Arrebatamento Pré-Tribulacional (alguns são até chamados de heréticos). Com certeza, esses acusadores nem fazem ideia do que seja realmente uma heresia. Heresia é não acreditar que Jesus voltará literalmente a este planeta.

Agora crer como se dará essa Segunda Vinda (se em apenas uma fase ou duas – e até mesmo em três) não se constitui heresia, mas discordância em temas teológicos secundários. Mas cada um é livre para pensar como quiser, entretanto, o que é verdadeiro continuará sendo verdadeiro e o que é falso, permanecerá como falso.

Na parte 1 desta série apresentei 7 evidências que apontam o Arrebatamento para ANTES da Grande Tribulação. Fique à vontade para (tentar) contestar os argumentos apresentados.

Na parte 2 apresentei as principais defesas Pós-Tribulacionistas e mostrei possíveis contestações. Apesar de ser pré-tribulacionista não descarto totalmente a posição pós.

De todas as principais defesas Pós-Tribulacionistas apresentadas, somente uma considero como a mais forte e que precisa ser examinada mais profunda e detalhadamente: 2 Tessalonicenses, capítulo 2!

Das poucas pessoas que entraram em contato comigo para discutir a respeito do assunto, a única contestação que apresentaram foi justamente a que é baseada em 2 Tessalonicenses 2.

Quem contesta a tese Pós-Tribulacionista (com suposta base em 2 Tess 2), geralmente entende que as expressões  “... quanto à vinda de nosso Senhor Jesus Cristo e à nossa reunião com ele, ...” (versículo 1) significam:

1 – “Vinda de nosso Senhor” – 2ª Vinda de Cristo, em poder e glória;

2- “Nossa reunião com ele” – o Arrebatamento.

“... quanto à vinda [2ª Vinda] de nosso Senhor Jesus Cristo e à nossa reunião [Arrebatamento] com ele, ...”

Bem, acredito que essa interpretação é possível, mesmo que a ordem apresentada seja inversa.


Mas, reconheço, que também é possível que as duas expressões estejam se referindo a um evento único. Já a expressão usada mais adiante “dia do Senhor” (versículo 2) é geralmente usada em referência ao período de juízos da Grande Tribulação ou ao Retorno em Glória do Senhor para julgar e reinar na Terra.

“... como se o dia do Senhor estivesse já perto. ... porque isto não sucederá sem que venha primeiro a apostasia e seja revelado o homem do pecado, ...” (2 Tess 2.1-4).

Gramaticalmente falando, parece claro que “isto” está se referindo ao “dia do Senhor” citado anteriormente. Nesse caso, parece claro que os eventos propagados (Apostasia e surgimento do Anticristo) terão que aparecer antes do tal “dia do Senhor”. Isso não aponta para um Arrebatamento Pós-Tribulacional.  A não ser que:

E se o “dia do Senhor” for a mesma coisa que “a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo e à nossa reunião com ele”?

Algumas versões trazem “dia de Cristo” e alguns estudiosos tentam fazer uma distinção entre tal dia e o Dia do Senhor, a fim de apoiar a ideia do Arrebatamento Pré.

Vejamos uma explicação clássica sobre o termo.

“A expressão ‘dia de Cristo’ ocorre nos seguintes trechos: 1Co 1.8; 5.5; 2Coríntios 1.14; Filipenses 1.6,10; 2.16. Algumas versões apresentam ‘dia de Cristo’, 2Tessalonicenses 2.2, incorretamente, para ‘dia do Senhor’ (Is 2.12; Ap 19.11-21). O ‘dia de Cristo’ está totalmente relacionado à recompensa e à bênção dos santos na Sua vinda, enquanto o ‘dia do Senhor’ está ligado ao julgamento. (SCOFIELD, op. cit., p. 1212)” - Citado por J. D. Pentecost em sua obra “MANUAL DE ESCATOLOGIA”

A FALÁCIA DA GENERALIZAÇÃO

Um erro comum e frequente é alguém achar que, se eu concordo com uma ideia de alguém, obrigatoriamente tenho que concordar com TODAS as ideias dele. Ou seja, se sou um Pré-Tribulacionista, tenho que concordar com todas as intepretações dos Pré-Tribulacionistas.

Tenho, em minha biblioteca, centenas de livros, de autores diversos e até contraditórios, cristãos e não cristãos. Concordo com as ideias de alguns, discordo de outros, mas uma coisa é muito clara:

NÃO EXISTE UM SÓ LIVRO (EXCETO A BÍBLIA) EM QUE EU CONCORDE 100% COM O AUTOR.

Existem autores que eu admiro muito, são referenciais para mim, possuo vários livros seus. Entretanto, todos possuem certas ideias, teses e interpretações que eu não aceito de forma nenhuma.

E essa discordância não faz com que eu me decepcione com o autor (ou autores). Simplesmente acredito que SÓ DEUS É INFALÍVEL e que todo mundo está sujeito a cometer erros de lógica e interpretação.

Existem pessoas que idolatram escritores. Aí quando se deparam com alguma ideia contraditória (e até chocante) da parte dos tais autores, tomam atitudes radicais, ou seja: jogam fora todos os seus livros e prometem não ler mais nada deles.

Quem acompanha os estudos do Arquivo7 desde o inicio sabe perfeitamente que já defendi certas teses que hoje considero erradas ou equivocadas.

Especialmente em relação às profecias já expliquei muitas vezes que a gente compreenderá melhor os acontecimentos à medida em que nos aproximarmos deles.

A próxima geração de cristãos estudiosos das profecias (se o Senhor não voltar antes) saberá muito mais sobre profecias do que a de hoje, porque estará cada vez mais próxima do cumprimento delas.

Por isso, mesmo sendo um Pré-Tribulacionista, discordo de algumas ideias defendidas pelos Pré-Tribulacionistas. Neste novo estudo, queremos saber: A IGREJA DE CRISTO VERÁ O ROSTO DO ANTICRISTO?

Mais detalhes, clique aqui: ENCICLOPÉDIA ARQUIVO 7 - CALCULANDO A VERDADE e você será direcionado a uma página contendo todos os estudos em slides já publicados (cerca de 30.000 páginas). Daí é só escolher o estudo e fazer o download para o seu computador.

Também disponível no formato PDF: 
http://sdrv.ms/1a28Cw8

O número (e o título) deste novo estudo é: 239 – A LÓGICA, A SIMETRIA E A PROFECIA – Parte 3.

Qualquer sugestão, crítica ou questionamento, escreva-me.


Moacir R. S. Junior – morganne777@hotmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário