O BÁSICO PARA VOCÊ ENTENDER O ARQUIVO 7

O BÁSICO PARA VOCÊ ENTENDER O ARQUIVO 7
Tudo que você precisa saber para entender a principal linha de investigação do Arquivo7 - O BÁSICO SOBRE MATEMÁTICA BÍBLICA, SEGUNDO A TESE ARQUIVO 7.

quinta-feira, 28 de maio de 2020

A MARAVILHOSA MATEMÁTICA BÍBLICA DO CRISTAL DE NEVE



Uma das minúsculas maravilhas da natureza que sempre intrigou os estudiosos é o CRISTAL DE NEVE (também conhecido como FLOCO DE NEVE). Um americano dedicou parte de sua vida a fotografar essas minúsculas obras de Deus, porque ficou chocado com as primeiras fotos.

Uma biografia resumida dele diz:

Wilson Alwyn Bentley (9 de fevereiro, 1865 – 23 de dezembro, 1931), nascido em Jericho, Vermont, Estados Unidos, foi um dos mais conhecidos fotógrafos de flocos de neve. Ele desenvolveu um processo de capturar as partículas em um veludo negro de forma que conseguisse fotografá-las antes delas derreterem.

Durante sua vida fotografou mais de 5.000 cristais de neve e fez duas descobertas intrigantes:

1 – Quase 100% dos cristais de neve possuem a forma geométrica HEXAGONAL;

2 – Não existem dois iguais (tal como nossas impressões digitais).

Ou seja, se você apanhar um punhado de neve, terá em sua mão milhares de coisinhas de formato hexagonal e totalmente diferentes uma das outras. Não é fascinante?

          Antes de nos aprofundarmos na Matemática Bíblica do Cristal de Neve, queremos ainda destacar outras informações interessantes sobre Bentley:

“Ele ficou interessado em cristais de neve quando adolescente na fazenda da família. ‘Sempre, desde o começo, foram os flocos de neve que mais me fascinaram’, disse ele. ‘As pessoas da fazenda neste país temem o inverno, mas eu fiquei extremamente feliz.’ Ele tentou desenhar o que viu através de um velho microscópio dado a ele pela mãe aos quinze anos. Os flocos de neve eram muito complexos para serem gravados antes de derreterem, então ele conectou uma câmera de fole a um microscópio composto e, após muita experimentação, fotografou seu primeiro floco de neve em 15 de janeiro de 1885. Ele capturou mais de 5.000 imagens de cristais em sua vida. Cada cristal foi capturado em um quadro negro e transferido rapidamente para uma lâmina de microscópio. Mesmo em temperaturas abaixo de zero , os flocos de neve são efêmeros porque sublimam.”

“Bentley descreveu flocos de neve como ‘pequenos milagres de beleza’ e cristais de neve como ‘flores de gelo’. Apesar dessas descrições poéticas, Bentley trouxe um método empírico ao seu trabalho. Em colaboração com George Henry Perkins, professor de história natural da Universidade de Vermont, Bentley publicou um artigo no qual argumentava que não havia dois cristais de neve iguais. Esse conceito chamou a atenção do público e ele publicou outros artigos em revistas, incluindo National Geographic, Nature, Popular Science e Scientific American. Suas fotografias foram solicitadas por instituições acadêmicas em todo o mundo.”

          Todas as fontes, comprovando cada uma dessas informações, podem ser acessadas a partir deste endereço: https://en.wikipedia.org/wiki/Wilson_Bentley
  
A primeira vez em que tomei conhecimento dessas características incríveis dos flocos de neve, foi em um texto citado pelo famoso teólogo americano Myer Pealman, em uma de suas obras teológicas mais populares: “CONHECENDO AS DOUTRINAS DA BÍBLIA”.

“O Sr. A. J. Pace, desenhista do periódico evangélico ‘Sunday School Times’, fala de sua entrevista com o finado Wilson J. Bentley, perito em microfotografia (fotografar o que se vê através do microscópio). Por mais de um terço de século esse senhor fotografou cristais de neve. Depois de haver fotografado milhares desses cristais ele observou três fatos principais: primeiro, que não havia dois flocos iguais; segundo: todos eram de um padrão formoso; terceiro: todos eram invariavelmente de forma sextavada.

Quando lhe perguntaram como se explicava essa simetria sextavada, ele respondeu: ‘Decerto, ninguém sabe senão Deus, mas a minha teoria é a seguinte: Como todos sabem, os cristais de neve são formados de vapor de água a temperaturas abaixo de zero, e a água se compõe de três moléculas, duas de hidrogênio que se combinam com uma de oxigênio. Cada molécula tem uma carga de eletricidade positiva e negativa, a qual tem a tendência de polarizar-se nos lados opostos. O algarismo três, portanto, figura no assunto desde o começo.’

‘Como podemos explicar estes pontinhos tão interessantes, as voltas e as curvas graciosas, e estas quinas chanfradas tão delicadamente cinzeladas, todas elas dispostas com perfeita simetria ao redor do ponto central?’ perguntou o Sr. Pace.

Encolheu os ombros e disse: ‘Somente o Artista que os desenhou e os modelou conhece o processo.’

Sua declaração acerca do ‘algarismo três que figura no assunto’ me pôs a pensar. não seria então que o triúno Deus, que modela toda a formosura da criação, rubrica a própria trindade nestas frágeis estrelas de cristal de gelo como quem assina seu nome em sua obra-prima? Ao examinar os flocos de neve ao microscópio, vê-se instantaneamente que o princípio básico da estrutura do floco de neve é o hexágono ou a figura de seis lados, o único exemplo disso em todo o reino da geometria a este respeito. O raio do circulo circunscrevente é exatamente igual ao comprimento de cada um dos seis lados do hexágono. Portanto, resultam seis triângulos eqüiláteros reunidos ao núcleo central, sendo todos os ângulos de sessenta graus, a terça parte de toda a área num lado duma linha reta. Que símbolo sugestivo do triúno Deus é o triângulo! Aqui temos unidade: um triângulo, formado de três linhas, cada parte indispensável à integridade do conjunto.

A curiosidade agora me impeliu a examinar as referências bíblicas sobre a palavra ‘neve’, e descobri, com grande prazer, este mesmo ‘triângulo’ inerente na Bíblia. Por exemplo, há 21 (3 x 7) referências contendo o substantivo ‘neve’ no Antigo Testamento, e 3 no Novo Testamento, 24 ao todo. Então achei referencias, que falam da ‘lepra tão branca como a neve’. Três vezes a purificação do pecado é comparada à neve. Achei mais três que falam de roupas ‘tão brancas como a neve’. Três vezes a aparência do Filho de Deus compara-se à neve. Mas a maior surpresa foi ao descobrir que a palavra hebraica, ‘neve’, é composta inteiramente de algarismos ‘três’! É fato, embora não seja geralmente conhecido que, não tendo algarismos, tanto os hebreus como os gregos usavam as letras do seu alfabeto como algarismos. Bastava um olhar casual de um hebreu à palavra SHELEG (palavra hebraica que quer dizer ‘neve’) para ver que ela significa o algarismo 333, bem como significa ‘neve’. No hebraico a primeira letra, que corresponde à nossa ‘SH’, vale 300; a segunda consoante ‘L’ vale 30; e a consoante final, o nosso ‘G’, vale 3. Somando-as, temos 333, três algarismos de três. Curioso, não é verdade? Mas por que não esperar exatidão matemática dum livro plenamente inspirado, tão maravilhoso quanto o mundo que Deus criou?

Acerca de Deus disse Jó: ‘Faz grandes coisas que não podemos compreender. Pois diz à neve: Cai sobre a terra’ (Jo 37:5,6). Eu já gastei dois dias inteiros para copiar com pena e tinta o desenho de Deus de seis cristais de neve e fiquei muito fatigado. E como é fácil para ele fazê-lo! ‘Ele diz à neve’ — e com uma palavra está feito.

Imaginem quantos milhões de bilhões de cristais de neve caem sobre um hectare de terra durante uma hora, e imaginem, se puderem, o fato surpreendente de que cada cristal tem sua individualidade própria, um desenho e modelo sem duplicata nesta ou em qualquer outra tempestade. ‘Tal conhecimento é maravilhoso demais para mim; elevado é, não o posso atingir’ (Sal.139:6). Como pode uma pessoa ajuizada, diante de tal evidência de desígnios, multiplicados por um sem-número de variedades, duvidar da existência e da obra do Desenhista, cuja capacidade é imensurável?! Um Deus capaz de fazer tantas belezas é capaz de tudo, até mesmo de moldar as nossas vidas dando-lhes beleza e simetria.”

(Myer Pealman, CONHECENDO AS DOUTRINAS DA BÍBLIA, págs. 34-36, Editora Vida, edição de 2001).

Nota 1: Ele cita “Wilson J. Bentley”, mas deve ter sido um equívoco, porque o nome completo desse grande fotógrafo geralmente aparece como Wilson Alwyn Bentley nos muitos textos que vi sobre ele na internet. Mas é um detalhe que não interfere em nosso estudo.

Nota 2: Há um problema com o parágrafo: “Por exemplo, há 21 (3 x 7) referências contendo o substantivo ‘neve’ no Antigo Testamento, e 3 no Novo Testamento, 24 ao todo.” É verdade que no Novo Testamento, a palavra “neve” aparece somente 3 vezes (inclusive no original grego, como pude constatar). Já no Antigo Testamento, encontramos “neve” 22 vezes. Qual a razão do equívoco do autor? Tenho duas hipóteses:

a) Ele não considerou um texto paralelo. A cena de 2 Samuel 23.20 repete-se em 1 Crônicas 11.22. Se este for o caso, ficaria melhor se fosse dito mais ou menos o seguinte: “No Antigo Testamento, a NEVE aparece em 21 ocasiões diferentes”;

b) Como a Bíblia usada pelo autor foi a inglesa, compare os dois textos (paralelos) na versão da KJV (King James Version), observe especialmente a palavra “neve”, isto é, SNOW:

2 Sm 23:20: “And Benaiah the son of Jehoiada, the son of a valiant man, of Kabzeel, who had done many acts, he slew two lionlike men of Moab: he went down also and slew a lion in the midst of a pit in time of snow:”

1 Cr 11:22:  “Benaiah the son of Jehoiada, the son of a valiant man of Kabzeel, who had done many acts; he slew two lionlike men of Moab: also he went down and slew a lion in a pit in a snowy day.”

No texto de 1 Crônicas, temos SNOWY, que, em inglês, significa NEVADA, não exatamente NEVE. Não entendi o porque dessa palavra ter sido escrita assim, já que no texto paralelo de 2 Samuel temos claramente a palavra SNOW (neve). Por essa razão, o autor pode ter desconsiderado de sua contagem. No original está como הַשָּֽׁלֶג׃ e em 2 Samuel como הַשָּֽׁלֶג׃, ou seja, exatamente igual. Fonte: https://biblehub.com/hebrew/hashshaleg_7950.htm (aliás, este é o melhor site para consultas à todas as versões da Bíblia, antigas e recentes). Muitas vezes a palavra גלֶשָּֽׁ (neve) aparece sozinha e outras acompanhadas de uma ou duas letras hebraicas, por capricho (ou estilo) da gramática hebraica, que, às vezes, junta o artigo com o substantivo, etc.

Estou enfatizando esses detalhes pra que ninguém me acuse de manipular dados e palavras a fim de encaixar nas simetrias que serão apresentadas. Em todas as versões consultadas, a palavra “neve” aparece em 25 versículos (3 no Novo Testamento).

Nota 3: O texto de Pealman não está negritado no original.

O QUE A NEVE SIMBOLIZA NA BÍBLIA?

Não precisamos pesquisar muito pra percebemos que, como símbolo, a neve aponta para, pelo menos, duas coisas:


1 - HÁ UMA CONEXÃO ENTRE JESUS E A NEVE

E a sua cabeça e cabelos eram brancos como lã branca, como a neve; e os seus olhos como chama de fogo” (Apocalipse 1.14)

2 - HÁ UMA CONEXÃO ENTRE A NEVE E A PALAVRA DE DEUS

“Porque, assim como a chuva e a neve descem dos céus e para lá não tornam, mas regam a terra, (...) assim será a palavra que sair da minha boca: ela não voltará para mim vazia, antes fará o que me apraz, e prosperará naquilo para que a enviei.” (Isaias 55.10-11)

          Como existe uma profunda conexão entre Jesus e a Palavra de Deus (Ele é a Palavra Viva), o simbolismo da neve é bem evidente.

          A NEVE E A CONEXÃO COM O HEXÁGONO – MAIS SURPREENDENTE DO QUE SE IMAGINAVA

          O relato descrito mais acima, sobre a descoberta do fotógrafo americano, a respeito da aparência hexagonal dos cristais de neve e as revelações envolvendo a palavra SHELEG (neve, em hebraico) e suas relações com o número 3, com certeza, foram surpreendentes. Já seriam suficientes para causar espanto. Contudo, há muito mais coisas, que escaparam ao autor do texto transcrito (e aos outros envolvidos na pesquisa), e que temos revelado na Enciclopédia Arquivo7, ao longo dos anos, como por exemplo:

          Fato 1 – Dentro da imagem da grande maioria dos cristais de neve podemos perceber claramente, uma ESTRELA HEXAGONAL;

          Fato 2 – Na matemática existe uma categoria de números chamada NÚMEROS FIGURADOS – e dentro dessa categoria existe o grupo dos NÚMEROS ESTRELARES HEXAGONAIS (Os primeiros são: 1, 13, 37, 73, 121,...). Se você quiser formar uma ESTRELA HEXAGONAL (usando pedrinhas, por exemplo), não conseguirá com 12 pedras, 14, ou outro número diferente de 13, 37, 73, etc... abaixo de 1000, existem somente 13 números ESTRELARES HEXAGONAIS – pra provar que não são números muitos comuns, abaixo de 1 MILHÃO, existem SOMENTE 408 números ESTRELARES HEXAGONAIS!

          Fato 3 – Se a neve tem conexão com os hexagonais e estrelares hexagonais, é ainda mais incrível o  fato de que, a palavra neve, em hebraico, tem um valor que múltiplo exato de um número estrelar hexagonal: 333 é 3 x 3 x 37!

          Fato 4A palavra neve em grego, tal como aparece 3 vezes no Novo Testamento, tem o valor numérico de 1460, que é múltiplo exato de outro número estrelar hexagonal: 20 x 73!

          Fato 5 – É algo realmente intrigante: duas palavras, em línguas diferentes, estão conectadas por dois números estrelares hexagonais – e não quaisquer números, mas exatamente os dois que estão intimamente relacionados com a Matemática Bíblica: 37 e 73!

Fato 6 – E esses dois números estão conectados entre si, especialmente de duas formas:

1 – Um é o reverso do outro;

2 – O fator estrelar hexagonal de NEVE, em hebraico, está eternamente no coração do estrelar hexagonal de NEVE, em grego, pois dentro de uma estrela hexagonal de 73 pontos, podemos claramente visualizar um hexágono com 37 pontos.

          Fato 7 – Os dois fatores estrelares hexagonais das palavras neve (em hebraico e em grego), isto é, 37 e 73, aparecem, ao mesmo tempo, no valor numérico da frase mais importante sobre a origem do Universo, isto é, Gênesis 1.1 e dentro do valor numérico da palavra “SABEDORIA”, em hebraico (A Bíblia diz que Deus fez o Universo “COM SUA SABEDORIA”, Jeremias 10.12 e Provérbios 3.19).

          São muitas conexões para serem mera coincidências, e muito complexas para serem simplesmente invenções da mente humana.

          Porém, tem muito mais coisas pela frente.

          CAVANDO AINDA MAIS FUNDO...

          Pra que não reste uma só sombra de dúvidas, e para facilitar a investigação dos interessados, permitam-me detalhar todos os elementos que serão usados nas próximas experiências.

          1 – QUAIS OS 25 VERSÍCULOS ONDE APARECE A PALAVRA NEVE NA BÍBLIA?

Êxodo_4:6  E disse-lhe mais o SENHOR: Põe agora a tua mão no teu seio. E, tirando-a, eis que a sua mão estava leprosa, branca como a neve.          

Números_12:10  E a nuvem se retirou de sobre a tenda; e eis que Miriã ficou leprosa como a neve; e olhou Arão para Miriã, e eis que estava leprosa.          

2 Samuel_23:20  Também Benaia, filho de Joiada, filho de um homem valoroso de Cabzeel, grande em obras, este feriu dois fortes heróis de Moabe; e desceu ele, e feriu um leão no meio duma cova, no tempo da neve.      

2 Reis_5:27  Portanto a lepra de Naamã se pegará a ti e à tua descendência para sempre. Então saiu de diante dele leproso, branco como a neve.         

1 Crônicas_11:22  Também Benaia, filho de Joiada, filho de um homem poderoso de Cabzeel, grande em obras; ele feriu a dois heróis de Moabe; e também desceu, e feriu um leão dentro de uma cova, no tempo da neve.

Jó _6:16  Que estão encobertos com a geada, e neles se esconde a neve,         

Jó _9:30  Ainda que me lave com água de neve, e purifique as minhas mãos com sabão,          

Jó _24:19  A secura e o calor desfazem as águas da neve; assim desfará a sepultura aos que pecaram.       

Jó _37:6  Porque à neve diz: Cai sobre a terra; como também à garoa e à sua forte chuva.          

Jó _38:22  Ou entraste tu até aos tesouros da neve, e viste os tesouros da saraiva,

Salmos_51:7  Purifica-me com hissope, e ficarei puro; lava-me, e ficarei mais branco do que a neve.   

Salmos_68:14  Quando o Onipotente ali espalhou os reis, foi como a neve em Salmon.          
Salmos_147:16  O que dá a neve como lã; esparge a geada como cinza;         

Salmos_148:8  Fogo e saraiva, neve e vapores, e vento tempestuoso que executa a sua palavra;     

Provérbios_25:13  Como o frio da neve no tempo da sega, assim é o mensageiro fiel para com os que o enviam; porque refresca a alma dos seus senhores.   

Provérbios_26:1  Como a neve no verão, e como a chuva na sega, assim não fica bem para o tolo a honra.     

Provérbios_31:21  Não teme a neve na sua casa, porque toda a sua família está vestida de escarlata.     

Isaías_1:18  Vinde então, e argüi-me, diz o SENHOR: ainda que os vossos pecados sejam como a escarlata, eles se tornarão brancos como a neve; ainda que sejam vermelhos como o carmesim, se tornarão como a branca lã.   

Isaías_55:10  Porque, assim como desce a chuva e a neve dos céus, e para lá não tornam, mas regam a terra, e a fazem produzir, e brotar, e dar semente ao semeador, e pão ao que come,        

Jeremias_18:14  Porventura a neve do Líbano deixará a rocha do campo ou esgotar-se-ão as águas frias que correm de terras estranhas?

Lamentações_4:7  Os seus nobres eram mais puros do que a neve, mais brancos do que o leite, mais vermelhos de corpo do que os rubis, e mais polidos do que a safira.

Daniel_7:9  Eu continuei olhando, até que foram postos uns tronos, e um ancião de dias se assentou; a sua veste era branca como a neve, e o cabelo da sua cabeça como a pura lã; e seu trono era de chamas de fogo, e as suas rodas de fogo ardente.        

Mateus_28:3  E o seu aspecto era como um relâmpago, e as suas vestes brancas como neve.    

Marcos_9:3  E as suas vestes tornaram-se resplandecentes, extremamente brancas como a neve, tais como nenhum lavadeiro sobre a terra os poderia branquear.     

Apocalipse_1:14  E a sua cabeça e cabelos eram brancos como lã branca, como a neve, e os seus olhos como chama de fogo;

          2 – NA RELAÇÃO GERAL DOS 1.189 CAPÍTULOS BÍBLICOS, OS 25 CAPÍTULOS ACIMA OCUPAM QUE ORDEM?

Ordem
Capítulo
Ref. completa
0054
EX4
Êxo_4:6
0129
NM12
Núm_12:10
0290
2SM23
2Sm_23:20
0318
2RS5
2Rs_5:27
0349
1CR11
1Cr_11:22
0442
JO6
Jó _6:16
0445
JO9
Jó _9:30
0460
JO24
Jó _24:19
0473
JO37
Jó _37:6
0474
JO38
Jó _38:22
0529
SL51
Slm_51:7
0546
SL68
Slm_68:14
0625
SL147
Slm_147:16
0626
SL148
Slm_148:8
0653
PV25
Prv_25:13
0654
PV26
Prv_26:1
0659
PV31
Prv_31:21
0680
IS1
Isa_1:18
0734
IS55
Isa_55:10
0763
JR18
Jer_18:14
0801
LM4
Lam_4:7
0857
DN7
Dan_7:9
0957
MT28
Mat_28:3
0966
MC9
Mar_9:3
1168
AP1
Apo_1:14

          3 – OS DETALHES DOS VALORES DA PALAVRA “NEVE”, EM HEBRAICO E GREGO

1 – NEVE, em hebraico, SHELEG, é formada pelas letras:
SHIN (300) + LAMED (30) + GIMMEL (3), totalizando 333 (3 x 3 x 37)

2 – NEVE, em grego, CHION, é formada pelas letras:
CHI (600) + IOTA (10) + ÔMEGA (800) + NU (50), totalizando: 1460 (20 x 73)

(veja os detalhes na imagem que encabeça este artigo)

Juntando todos os valores das letras, começando pela palavra hebraica, teremos:

300,030,003,600,010,800,050 (7 valores) ou: 300030003600010800050

4 – OS 66 LIVROS BÍBLICOS, REPRESENTADOS POR SUAS RESPECTIVAS QUANTIDADES DE CAPÍTULOS:

050.040.027.036.034.024.021.004.031.024.022.025.029.036.010.013.010.042.
150.031.012.008.066.052.005.048.012.014.003.009.001.004.007.003.003.003.
002.014.004.028.016.024.021.028.016.016.013.006.006.004.004.005.003.006.
004.003.001.013.005.005.003.005.001.001.001.022

O QUE FAZER AGORA?

É importante enfatizar que os 4 grupos de dados informados acima são incontestáveis, refletem pura e integralmente a realidade, sem manipulação alguma. E é com eles que iremos trabalhar agora.

Passo 1 – Vamos dividir o numerozão (formado pelos 66 livros bíblicos) pelo NÚMERO DE ORDEM dos 25 capítulos onde a palavra NEVE aparece. Como não é uma divisão exata, teremos um resto:

48775095616671977749337485752452145037113711384297001476455680874978780464197514052421303096311902

Passo 2 – Pegue esse resto e divida pelo número formado pelos 7 valores da palavra NEVE em hebraico e grego, isto é: 300030003600010800050. Como não é uma divisão exata, teremos outro resto:
73465268302140120552

Passo 3 – Pegue esse resto e divida pelo total de capítulos bíblicos. Como não é uma divisão exata, teremos outro resto: 716.

Eis a surpresa! Se contarmos o número representando os 66 livros, dentro de uma roleta com a quantidade de números igual ao número formado por todos os números de ordem dos 25 capítulos que contém a palavra NEVE, chegaremos a um certo número; se contarmos esse número numa roleta formada por todos os números dos 7 valores que compõe a palavra NEVE em hebraico e grego, iremos parar em outro número; por fim, se contarmos este número na roleta dos 1.189 capítulos bíblicos, chegaremos, inevitavelmente, ao capítulo 37 de Isaias!!!

Traduzindo: Um alinhamento de todos os livros da Bíblia em conexão com os valores da palavra NEVE terminará num dos raros 7 capítulos 37 da Bíblia, justamente um dos fatores-chave da palavra NEVE e um número ESTRELAR HEXAGONAL!

          Juntando este fato aos inúmeros já divulgados no Arquivo7, temos claramente uma coincidência altamente significativa.

          Mas como costumamos dizer, SE UMA COINCIDÊNCIA SIGNIFICATIVA NOS DEIXA INTRIGADO, UMA DUPLA COINCIDÊNCIA SIGNIFICATIVA NOS DEIXA SEM FÔLEGO!

          Vamos usar a mesma fórmula e os mesmos passos da experiência anterior, mudando só uma coisa: AO INVÉS DOS NÚMEROS DE ORDEM DOS CAPÍTULOS-CHAVE, USAREMOS OS NÚMEROS DESSES CAPÍTULOS!

004012023005011006009024037038051068147148025026031001055018004007028009001

Passo 1 – Vamos dividir o numerozão (formado pelos 66 livros bíblicos) pelo NÚMERO FORMADO POR TODOS OS 25 CAPÍTULOS onde a palavra NEVE aparece. Como não é uma divisão exata, teremos um resto:

1647831170202808292110992737071669075556694246112070066800348507832952632

Passo 2 – Pegue esse resto e divida pelo número formado pelos 7 valores da palavra NEVE em hebraico e grego, isto é: 300030003600010800050. Como não é uma divisão exata, teremos outro resto:
76501254073172042882

Passo 3 – Pegue esse resto e divida pelo total de capítulos bíblicos. Como não é uma divisão exata, teremos outro resto: 87.

Eis a surpresa! Se contarmos o número representando os 66 livros, dentro de uma roleta com a quantidade de números igual ao número formado por todos os 25 capítulos que contém a palavra NEVE, chegaremos a um certo número; se contarmos esse número numa roleta formada por todos os números dos 7 valores que compõe a palavra NEVE em hebraico e grego, iremos parar em outro número; por fim, se contarmos este número na roleta dos 1.189 capítulos bíblicos, chegaremos, inevitavelmente, ao capítulo 37 de Êxodo!!! O capítulo mais especial dentre os 7 de número 37! Que está conectado diretamente com o CANDELABRO, representando A PALAVRA DE DEUS!!!

O incrível disso tudo é que usamos a mesma fórmula, alterando somente um número (que também está conectado diretamente ao tema em estudo). Essa dupla coincidência matemática reforça ainda mais a tese que temos defendido durante anos, sobre a inspiração da Palavra de Deus. E prova, inclusive, que a própria palavra NEVE nas duas línguas deve ter sido divinamente inspirada, isto é, divinamente planejada. Aliás, com essas experiências estamos sugerindo fortemente que:

1 – A invenção do alfabeto não foi simplesmente obra da genialidade humana, mas, com certeza, envolveu inspiração divina;

2 – A conversão dos alfabetos hebraico e grego em valores numéricos também pode ter sido divinamente inspirada, porque iria servir, mais tarde, a um propósito maior e mais nobre, isto é, AUTENTICAR DIVINAMENTE A BÍBLIA!

3 – Por fim, os homens que dividiram a Bíblia em capítulos e versículos também o fizeram divinamente inspirados, pois de outra forma, seria impossível essa “tonelada” de simetrias matemáticas baseada na divisão dos capítulos.

Claro que essas afirmações são ousadas e eu não teria coragem de proclamá-las anos atrás. Entretanto, diante do colossal pacote de evidências que tenho coletado nos últimos anos, não consigo pensar diferente.

UM BÕNUS, para concluir este artigo.

A palavra CRISTO, em grego, tem o valor de 1480, um múltiplo exato de 37, ou seja: 40 x 37.
Ela é formada pelas letras gregas cujos respectivos valores são: 600,100,010,200,300,070,200.

Agora pegue o numerozão formado por todos os NÚMEROS DE ORDEM dos 25 capítulos onde aparece a palavra NEVE e divida por 600100010200300070200. Como não é uma divisão exata, haverá uma sobra. Divida esse resto pelo total de capítulos bíblicos, isto é, 1.189 e, como também não é uma divisão exata, haverá uma sobra de 782!

Sim, o 782º capítulo da Bíblia é Jeremias 37!!!

Em outras palavras: Um número muito grande relacionado à NEVE, um fenômeno da natureza intimamente conectado com o número ESTRELAR HEXAGONAL 37, em uma operação matemática relacionada aos valores que formam a palavra CRISTO, uma palavra também intimamente relacionada ao ESTRELAR HEXAGONAL 37, nos leva diretamente, sem qualquer equívoco, a um dos raros capítulos 37 da Bíblia!!!

"Ou entraste tu até aos tesouros da neve, e viste os tesouros da saraiva?"
Jó  38:22

"Porque, assim como desce a chuva e a neve dos céus, e para lá não tornam, mas regam a terra, e a fazem produzir, e brotar, e dar semente ao semeador, e pão ao que come,
Assim será a minha palavra, que sair da minha boca; ela não voltará para mim vazia, antes fará o que me apraz, e prosperará naquilo para que a enviei."
(Isaías 55.10,11)
         
Moacir R. S. Junior – morganne777@hotmail.com

3 comentários:

  1. Caro amigo coloque https no seu blogue para se tornar seguro. Eu tenho uma ligação do número 07. Meu nome , os três tem 07 letras, formando assim 777.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo aviso, meu caro. Já o coloquei em prática. Quando puder, envia uma mensagem pra meu email pra gente conversar melhor.

      Excluir
  2. Eu coloquei o https em todos os meus blogues, inclusive nesse que está listado esse blogue sobre o ARQUIVO 7.E hoje uma amigo da internet postou brincando sobre a peste do coronavírus, dizendo ser a primeira. e faz a pergunta: Suportaremos todas as 07. Foi quando me lembrei do seu blog.
    Meu blog sobre diversos assuntos:
    https://painel-mundus777.blogspot.com/

    ResponderExcluir