O BÁSICO PARA VOCÊ ENTENDER O ARQUIVO 7

O BÁSICO PARA VOCÊ ENTENDER O ARQUIVO 7
Tudo que você precisa saber para entender a principal linha de investigação do Arquivo7 - O BÁSICO SOBRE MATEMÁTICA BÍBLICA, SEGUNDO A TESE ARQUIVO 7.

domingo, 28 de fevereiro de 2021

O ABC DAS EVIDÊNCIAS BÍBLICAS

 

As pesquisas do Arquivo7 estão voltadas para o estudo das evidências que PROVAM a inspiração sobrenatural da Bíblia. Essas evidências, apresentadas em cerca de 52.000 páginas, envolvem Matemática, Física, Química, Astronomia, Geografia, História, Filosofia, Arqueologia, Antropologia, Sociologia, Psicologia, Linguística, além de muitas outras áreas do conhecimento humano. Portanto, não foi um ignorante, inculto, analfabeto ou fanático religioso que elaborou este trabalho. 

Será que a Bíblia possui um peso significativo de EVIDÊNCIAS? 

Quando alguém se recusa a examinar as evidências é porque, intimamente, teme que as evidências possam provar como verdadeiro aquilo que ele não deseja que seja verdade. A questão é: se a Bíblia não é verdadeira, por que existem tantas evidências que provam o contrário? 

O que devemos fazer com essas evidências? O peso delas é muito grande para ser ignorado. Os fatos são os seguintes: 

A – A “LEI DOS SETES” 

O número 7 é sagrado para quase todas as religiões, é uma “celebridade” em várias áreas do conhecimento humano, e aparece na Bíblia mais do que em qualquer outro livro. 

A quantidade de setes espalhada por toda a Bíblia pode ser apenas uma obsessão dos seus escritores, mas como a Humanidade, de alguma forma, também parece possuir essa obsessão, este fato merece atenção. 

A quantidade de vezes em que muitas palavras ou frases se repetem na Bíblia, geralmente em número de 7 ou algum múltiplo (14, 21, 28, etc.), está além da mera coincidência. Alguns estudiosos deram a esse fenômeno o nome de “lei dos setes”. A constatação de que a Bíblia toda contém inúmeros exemplos dessa lei, é algo além da imaginação. 

Além disso, o fato de 40 escritores, de profissões diversas, lugares diversos e épocas diversas, escreverem sobre coisas diversas, e ainda assim, todas as histórias possuírem um elo em comum, envolvendo, inclusive, números, é algo que merece ser investigado.  Sim, a realidade da “Lei dos setes” envolver a Bíblia toda é significativo demais para ser ignorado. Se não quer dizer nada, por que existe? 

B – OS NÚMEROS 3 E 7 COMO “ALMAS GÊMEAS” NA MATEMÁTICA, NA HISTÓRIA E NA BÍBLIA 

          No rastro do número 7, nossa investigação esbarrou em outro número que também parecia ser onipresente nos muitos eventos da Humanidade: o número 3. E não somente isto: parecia ter uma conexão profunda (e eterna) com o número 7, mais do que com qualquer outro número. Os fatos descobertos até agora são impressionantes e incontestáveis. 

C - A VERACIDADE HISTÓRICA DOCUMENTAL DA BÍBLIA - QUEM? QUANDO? ONDE? 

Pegue algum livro de histórias antigas e provavelmente irá notar, em suas histórias, a ausência dos fatores QUEM, QUANDO e ONDE. Quando uma narrativa deixa de apresentar esses 3 fatores tudo indica que os eventos citados são lendas ou mera ficção. 

Os escritores bíblicos tiveram o máximo cuidado em indicar o QUEM, o QUANDO e o ONDE de suas histórias, fazendo o que estavam ao seu alcance para provarem que estavam escrevendo algo que realmente acontecera. 

Ao contrário de outros livros considerados históricos, a Bíblia apresenta centenas de dados geográficos, cronológicos e arqueológicos. E tem passado em todos os testes de exatidão histórica documental. 

A maioria das histórias bíblicas cita dados geográficos e cronológicos, exatamente os elementos que não existem em lendas ou histórias forjadas. Apesar disso, muita gente condena a Bíblia sem hesitação. Isso não seria simplesmente preconceito? 

Mas este nosso mundo é muito engraçado. Muitos céticos se recusam a acreditar numa série de 27 documentos sobre Jesus, bem escritos, cuja autenticidade tem sido provada pela História e pela Arqueologia (Novo Testamento). Mas creem na maior velocidade em qualquer documento (de autenticidade duvidosa) que alguém encontrar por aí, ensinando coisas sobre Jesus que os documentos oficiais não ensinam. 

D – PROFECIA – A BÍBLIA MAIS ATUAL DO QUE O JORNAL DE AMANHà

É impossível a um estudioso das profecias bíblicas abrir um jornal hoje em dia e não lembrar das palavras dos profetas, da mesma forma que é impossível ao mesmo estudioso ler a Bíblia e não pensar no noticiário do dia. 

Mesmo o mais ignorante e distraído mortal sabe que, hoje em dia, o Oriente Médio é o foco do noticiário internacional. Talvez o que esse mortal não saiba é que todos esses eventos no Oriente Médio atualmente foram descritos na Bíblia há mais de 2000 anos. 

Fazer afirmações proféticas sobre indivíduos, focando em coisas pessoais e até banais (tipo “você vai casar com certa pessoa”, “você vai ganhar um emprego na empresa tal”) e esperar que se cumpram não é algo tão difícil assim, as probabilidades de acertos são altas. Agora ouse profetizar sobre o destino de NAÇÕES. 

A Bíblia mostra um plano tão ousado e infalível envolvendo a nação de Israel que, durante séculos, reis e tiranos tentaram destruir esse povo, mas ninguém obteve sucesso. Será que existe mesmo um Deus Soberano, que escolheu Israel como Seu Povo? Sim, e podemos chama-lo também de DEUS DA PROFECIA! 

E – ISRAEL 

O tema número 1 das profecias é a 1.ª e a 2.ª Vinda de Cristo. O tema número 2 é Israel. Estudar as profecias bíblicas sem considerar Israel, é como estudar Matemática sem considerar os números primos. 

O fato da trajetória do povo judeu pela História (dispersão, perseguição e retorno) obedecer, rigorosamente, às profecias bíblicas, é uma das maiores evidências da origem sobrenatural da Bíblia. Você pode até negar este fato, mas é impossível contestá-lo. 

F – O ANTISSEMITISMO 

Antissemitismo é ódio e preconceito contra o povo judeu. Infelizmente, esse pensamento maligno pode ser encontrado atualmente em qualquer parte da Terra. 

Como explicar, naturalmente, o fenômeno do Antissemitismo? Nenhum outro povo foi (e é) tão odiado na História. Mas isso é exatamente o que os profetas da Bíblia disseram que iria acontecer. Como explicar, por exemplo, a “Solução Final”? 

A “Solução Final do Problema Judeu” foi o projeto de Adolf Hitler para eliminar o povo de Israel deste planeta. Existem explicações lógicas, racionais ou filosóficas para esse ódio insano aos judeus? 

O que filósofos e historiadores tentam, há décadas, entender, pode ser facilmente explicado se considerarmos as profecias bíblicas sobre o povo de Israel. E isso, prova, sem sombras de dúvidas, de que existe algo de sobrenatural nessas profecias. 

G – A INFLUÊNCIA JUDAICA 

Apesar de serem apenas cerca de 0,5% da Humanidade, a influência judaica na História é desproporcional. É quase impossível encontrar alguma área do conhecimento universal sem a presença de um judeu. Por exemplo, cerca de 20% dos ganhadores do famoso Prêmio Nobel tem origem judaica. 

Dizer que a Bíblia (de origem judaica, humanamente falando) influenciou o mundo mais do que qualquer outro livro não é dogma de religioso fanático. É um fato. É algo que ninguém pode contestar. E a influência judaica sobre a Humanidade parece ter o mesmo tamanho e raio de alcance. 

H – A SIMETRIA DA PROFECIA 

Como é possível que um estudo sobre profecias bíblicas possa envolver vários livros, escritos por pessoas diferentes e em épocas diferentes, e ainda assim, apresentar uma perfeita simetria? 

Existe uma conexão que liga todas as profecias da Bíblia. É a “Lei dos Setes”, que já citamos anteriormente. Quando mede os tempos na Bíblia, Deus costuma usar o padrão 7 (7 dias, 7 semanas, 7 meses, 7 anos, etc.). E esse padrão envolve todas as profecias. 

I – PROFECIAS MATEMÁTICAS 

Profetizar algo sobre um futuro distante já é algo humanamente impossível. Agora imagine marcar as datas dos eventos, com até 2000 anos de antecedência. 

A Bíblia contém não somente um, mas vários exemplos de profecias datadas. Isto é, o profeta não somente ousou afirmar que certa coisa iria acontecer num futuro distante, mas ainda deu a data exata até em relação ao dia. O cético não pode simplesmente ignorar isso e esconder debaixo do tapete. 

Não somente uma, mas várias profecias bíblicas estão relacionadas a números grandes, e a coincidência com alguns acontecimentos históricos, facilmente comprovados, dá o que pensar. 

Alguém pode descartar um ou dois eventos como apenas coincidências, mas existe um pacote muito grande na Bíblia. Alegar coincidência nesse caso é procurar uma desculpa fácil e esfarrapada. 

J – A SIMETRIA PROFÉTICA DAS 7 IGREJAS DO APOCALIPSE 

A trajetória do Cristianismo em 2000 anos de História teve seus momentos altos e baixos. E, esses períodos críticos e revolucionários coincidem perfeitamente com a ordem e o caráter das 7 igrejas citadas no livro de Apocalipse. 

É claro que certas datas ou eventos considerados importantes ou revolucionários dentro da Era Cristã podem divergir conforme a opinião de cada historiador. Mas A ORDEM em que eles aconteceram e a conexão com as 7 igrejas apocalípticas são coincidentes demais para serem desprezadas. 

K – A SIMETRIA PROFÉTICA DAS 7 CABEÇAS DA BESTA 

Na profecia bíblica destacam-se 7 reinos que perseguiram, perseguem (e ainda perseguirão) o povo judeu. O fato de continuarem na mídia e serem uma contínua ameaça para Israel, prova que os profetas tinham razão. 

Qualquer alegação de que qualquer um pode interpretar a profecia bíblica do jeito que quiser só pode ser aceita por aqueles que não consideram as clássicas regras de interpretação de textos. Quando consideradas, a interpretação é evidente e irrefutável. 

L – A SIMETRIA NA SIMBOLOGIA – A BELEZA DA TIPOLOGIA 

Apesar da maioria dos textos bíblicos ser literal, existe muita simbologia envolvida nas histórias. A própria Bíblia dá a pista para a interpretação dos seus símbolos. A maravilha dessa simbologia é que existe uma perfeita simetria envolvendo a Bíblia toda. Algo difícil de imaginar caso a Bíblia fosse simplesmente fruto da imaginação de algumas mentes criativas. 

Tipologia, por exemplo, é uma das faces da simbologia mais fascinantes da Bíblia. É o estudo dos tipos, isto é, pessoas e acontecimentos do passado que prefiguram pessoas e eventos do futuro. Por exemplo, o sacrifício de Isaque como tipo do sacrifício de Cristo. 

Especialmente na história do Israel moderno certos acontecimentos parecem ser repetições das histórias do Antigo Testamento, trocando-se apenas os personagens. Se fosse o contrário (isto é, um livro escrito nos dias atuais cujas histórias refletissem acontecimentos do passado) não seria nada de estranho, mas estaria clara a fonte de inspiração do escritor. Porém, com a Bíblia acontece o inverso, ou seja: parece que certos atores ensaiaram, há 2000 ou 3000 anos, os dramáticos acontecimentos que estão se desenrolando hoje, bem diante dos nossos olhos. 

M – AS FESTAS JUDAICAS 

Eventos-chave da História Bíblica geralmente ocorreram em épocas de festas judaicas. Nos tempos atuais algumas coincidências parecem ser mais do que meras coincidências. 

Alguns eventos modernos em Israel (que possuem claras conexões com as profecias) ocorreram em épocas de festas judaicas. A natureza do evento e a natureza da festa da época são coincidentes demais para serem apenas coincidências. No Arquivo7 temos alguns exemplos de previsões modernas que se concretizaram de forma impressionante, dentro do esquema das 7 Festas do SENHOR, reveladas em Levítico 23. 

N – A PROFECIA E A LEI DAS PROBABILIDADES 

Qualquer pessoa pode tentar adivinhar o resultado de alguma coisa futura. Isso é fácil. O difícil é acertar a adivinhação. A Lei das Probabilidades estima as chances que alguém tem de acertar ou errar uma previsão. Muitas vezes isso pode ser usado para se provar se algo foi planejado ou aconteceu por acaso. O fato é que, se as profecias bíblicas forem julgadas pela Lei das Probabilidades, o resultado é estarrecedor. E alguém já fez isso. 

Um estudioso disse certa vez que, se apenas uma profecia for provada como sendo verdadeira (isto é, um caso realmente evidente de previsão do futuro, sem mera adivinhações), então o sobrenatural existe. Bem, o fato é que CENTENAS de profecias bíblicas passam nesse teste. ELAS MERECEM SER CONSIDERADAS. 

O – OPERAÇÃO BABILÔNIA 

A famosa e soberba cidade, localizada na antiga Mesopotâmia, ocupa tantas páginas da Bíblia, que nenhum estudioso pode se dar ao luxo de ignorá-la. Desde o Gênesis até o Apocalipse, a terra da antiga Mesopotâmia, atualmente conhecida como Iraque, é presença constante nas páginas da Bíblia. 

Existem tantas coincidências entre os relatos bíblicos sobre a Babilônia e as descobertas arqueológicas, que qualquer estudioso que as desprezar, será facilmente acusado de estar entupido de preconceitos contra o Cristianismo. 

Ao mesmo tempo muitas profecias mostram detalhes de uma guerra que envolveria as nações dos confins do mundo e as traria numa invasão ao Iraque (Babilônia, Caldéia, Sinear). Isso nunca tinha acontecido na História ... até 1991, quando assistimos, pela televisão, uma coalizão de muitas nações atacando o Iraque. Afirmar que as conexões bíblicas desse conflito foram apenas coincidências é ter fé demais no deus acaso. 

P – O POVO ÁRABE E O ISLAMISMO 

Como o povo árabe pode ser um fato em favor da inspiração sobrenatural da Bíblia? Simples: A origem do povo árabe está na Bíblia. E o futuro também. 

Mesmo constituídos de várias nações e tribos, os povos árabes podem ser identificados na Bíblia, como filhos de Abraão. Os árabes aparecem nas profecias finais envolvendo uma guerra mundial e Israel. Mas também são mencionados no futuro Reino de Cristo na Terra.  

Há 20 anos, o Islamismo era apenas uma religião dos povos do Oriente Médio. Atualmente, corremos o risco de termos um mundo praticamente islamizado dentro de 20 anos ou menos. 

Q – A SIMETRIA CRONOLÓGICA DA BÍBLIA 

Apesar de escrita durante 1500 anos por cerca de 40 autores vivendo em épocas e lugares diferentes, as histórias da Bíblia se harmonizam cronologicamente. 

Um autor sozinho, ou ajudado por cooperadores, pode escrever dezenas de romances, ligando todas as histórias e personagens por meio de algum elo comum. Pode até elaborar uma cronologia que encaixe todos os eventos do livro. Agora, autores diferentes, em lugares e épocas diferentes, escreverem histórias independentes que, no final se encaixam perfeitamente, formando um elo único, é algo que desafia a Lei das Probabilidades. Mas é isso que você encontra na Bíblia. 

R – A SIMETRIA GEOGRÁFICA DA BÍBLIA 

          Existem inúmeras histórias de ateus e céticos que, ao duvidarem inicialmente das afirmações geográficas da Bíblia, viajaram ao Oriente Médio para tentar contestá-las, mas que foram surpreendidos pelos fatos que provaram o contrário – e muitos voltaram para casa convertidos ao Evangelho de Cristo. 

          O capítulo 10 de Gênesis, por exemplo, a famosa TABELA DAS NAÇÕES, tem estarrecido os estudiosos ao longo dos séculos, por sua tremenda exatidão histórica, arqueológica e geográfica. 

S – O FATOR CIÊNCIA 

A Bíblia não é um livro cientifico. Mas, quando toca em temas científicos, mesmo numa linguagem simples, dá para se perceber claramente que entre os dois (Bíblia e Ciência) não existem conflitos verdadeiros. 

Por exemplo, o fato de que certos ciclos astronômicos foram deduzidos a partir de dados bíblicos não pode ser descartado como obra do acaso. A harmonia matemática existente nos ciclos, e o perfeito funcionamento destes, sugere fortemente a existência de um Ser semelhante Aquele descrito na Bíblia. 

É surpreendente a lista de grandes cientistas que fizeram importantes descobertas para a Ciência ao mesmo tempo em que eram Cristãos e acreditavam na Bíblia como a Palavra de Deus. A geração atual de novos ateus (que pensa ser mais inteligente do que os grandes cientistas do passado) não sabe da missa o terço. 

T – O FATOR LÓGICA E FILOSOFIA 

Se existe algo que ninguém pode deixar de usar e ninguém pode contestar sua existência é a LÓGICA. É importante saber que a mensagem bíblica e o caráter de Deus estão em perfeita sintonia com as principais leis da Lógica. 

O pensamento pluralista predominante no mundo moderno é totalmente ilógico e absurdo. O porquê de tanta gente insistir em acreditar no Pluralismo Religioso é um dos grandes mistérios do Universo (mas que pode ser perfeitamente compreendido quando aceitamos o que a Bíblia diz sobre a coisa: que existe um ser do mal, cegando o entendimento dos incrédulos, para que a luz de Deus não resplandeça sobre eles). 

Jesus de Nazaré não foi somente um grande filósofo, mas o maior de todos os filósofos. Seus esmagadores argumentos, e lógica perfeita, continuam a ser usados na defesa da verdade. E ninguém é capaz de contestá-los. 

A tão propalada conversa de que a crença cristã é apenas uma questão de fé, não passa de um mito ou um gigante de pés de barro, capaz de ser derrubado por qualquer brisa. O Evangelho de Cristo não é Filosofia, mas a Filosofia pode (e deve) ser usada a favor dele. 

U – REVELANDO O MAU CARATISMO DOS HOMENS 

Uma filosofia cada vez mais seguida pela humanidade é que o ser humano não é mau, é apenas fruto do meio em que vive. Ou seja, os lugares e circunstâncias em que alguém vive, determinará suas ações para o bem ou para o mal. Mas a Bíblia contesta esse pensamento. 

A Bíblia mostra, dezenas de vezes, que apesar de ser frequentemente abençoado por Deus, o homem tende a fazer o que é mau, persiste em seguir o lado errado das coisas, sente aversão as coisas divinas e atração mórbida pelas coisas das trevas. A realidade atual prova que a Bíblia está certa. Enquanto a grande maioria das biografias históricas tende a enfatizar o suposto lado bom do homem, exaltando líderes com adjetivos tão soberbos, transformando-os em seres iluminados, até divinos; a Bíblia vai na direção contrária, revelando os podres da natureza humana. Sim, a Bíblia é a BIOGRAFIA NÃO AUTORIZADA DOS HOMENS. 

V – AS PROFECIAS SOBRE A ERA NUCLEAR 

As profecias bíblicas falam de certas destruições estarrecedoras no Final dos Tempos, provocadas por armamentos tão terríveis, que, antes da metade do século XX, quase ninguém acreditava que isso um dia seria possível. Na verdade, as descrições dos tais armamentos fizeram cientistas ridicularizar os textos bíblicos e teólogos apelarem para a interpretação metafórica. 

Entretanto, hoje ninguém mais zomba dessas profecias. 

Uma das descobertas mais impactantes da Humanidade foi a energia nuclear. Os detalhes dessa descoberta possuem certas conexões bíblicas que causam arrepio. 

Que energia tão destrutiva se esconde num átomo? Como isso é possível? A Bíblia fala de “espíritos” “presos nos abismos” que um dia serão soltos para provocarem uma destruição quase global. Será que alguns deles estariam presos nos átomos? Antes de zombar dessa suposição, você precisa conhecer o que alguns físicos nucleares têm a dizer. Mais detalhes, veja na Enciclopédia Arquivo7. 

W - AS TRÊS RODAS DA BÍBLIA 

66 livros escritos em diferentes épocas, em lugares diferentes, por cerca de 40 autores, e organizados numa simetria surpreendente. 

A evidente simetria das Rodas Bíblicas é um fenômeno real, que desafia qualquer explicação superficial ou simplista. O fato é que: a elaboração dos livros aconteceu em diferentes épocas; a inclusão e organização desses livros num único volume, ocorreu em outra época; e a divisão em capítulos e versículos muito mais tarde, na linha do tempo; Porém, no final, os 3 eventos se encaixam como uma mão numa luva. Como isso foi possível? 

X – O CÓDIGO GÊNESIS 

Uma das principais teses defendidas no Arquivo7: A primeira frase da Bíblia é singular, inimitável, com uma estrutura matemática impossível de ser reproduzida em qualquer outra frase, sem paralelos na literatura mundial. A primeira frase bíblica não pode ter sido mera criação humana. Com base em que fazemos uma alegação tão ousada? 

Como as línguas originais da Bíblia (hebraico e grego) são línguas alfanuméricas, toda palavra tem um valor numérico. O padrão matemático que existe nas primeiras palavras da Bíblia é extraordinário. 

Na Enciclopédia Arquivo7 existe uma série, intitulada O CÓDIGO GÊNESIS (somente para tratar deste fascinante tema), com 37 capítulos, e cerca de 4.300 páginas. Além disso, existem muitos outros capítulos com mais detalhes e descobertas sobre o mesmo assunto. 

É muita coisa para ser ignorada. É muita evidência para ser desprezada. São muitos detalhes para serem considerados apenas obras do acaso. São coincidências demais para serem apenas coincidências 

Y – A RAZÃO ÁUREA 

A Razão Áurea, ou Divina Proporção, ou Medida Perfeita, é tão poderosa e fascinante que muitos céticos evitam tocar no assunto. Principalmente porque ela se relaciona com alguns conceitos, objetos e eventos bíblicos. 

Sim. Esse famoso conceito matemático, muito associado aos padrões de beleza e harmonia, está envolvido em muitas áreas do conhecimento humano e, principalmente, na Bíblia. 

O fato de que uma sequência numérica (Fibonacci) se relaciona com uma constante matemática (número PHI); que ambos aparecem frequentemente na Natureza; e que ainda se conectam com a Bíblia, não pode ser ignorado facilmente. 

Os 21 capítulos (com cerca de 2.500 páginas) sobre este tema são razões suficientes que merecem alguma consideração por parte dos céticos. As muitas coleções de exemplos de Razão Áurea na Bíblia estão muito além das meras coincidências. 

Z – A SIMETRIA MATEMÁTICA DA ESTRUTURA DOS LIVROS E CAPÍTULOS BÍBLICOS 

Apesar do Arquivo7 ter 30 anos, somente nos últimos dois anos o foco das investigações bíblico-matemáticas voltou-se (na verdade, descobriu) para uma riqueza incalculável de padrões matemáticos entranhados na estrutura da Bíblia. Isto é, na sua quantidade (e posição) de livros e capítulos. E O PRATO DAS EVIDÊNCIAS A FAVOR DA INSPIRAÇÃO SOBRENATURAL DA BÍBLIA PASSOU A PESAR MUITAS TONELADAS A MAIS. 

Bem, acabei de apresentar (resumidamente, é claro!) 26 fatos (ou temas), contendo diferentes tipos de evidências, que apontam para a inspiração sobrenatural da Bíblia. Para localizar cada um desses temas dentro da Enciclopédia Arquivo7, acesse o capítulo 243, intitulado “O PESO DAS EVIDÊNCIAS - Parte 6”. 

Cada evidência possui o seu peso; cada uma merece alguma consideração por parte dos céticos. Porém, sem dúvida nenhuma, as evidências mais pesadas são aquelas que contêm os DOIS MAIORES SELOS DE AUTENTICAÇÃO DE DEUS NA BÍBLIA: A PROFECIA E A MATEMÁTICA! 

Portanto, meus amigos, se a Bíblia não é verdadeira, o que devemos fazer com as evidências que provam o contrário? 

"Que coisas Deus tem feito!" (Números 23.23) 

Moacir Junior – morganne777@hotmail.com


Nenhum comentário:

Postar um comentário