Enciclopédia Arquivo7 no MEGA

sexta-feira, 1 de junho de 2012

PROFECIA BÍBLICA – UM DESAFIO PARA OS INCRÉDULOS


O que é Profecia Bíblica para você?

Certamente você já ouviu por aí certos pregadores eufóricos afirmando que o fim do mundo está próximo e Jesus está voltando, pois estão acontecendo muitas guerras, terremotos, doenças, fome e destruição. Às vezes o pregador passa mais tempo citando estatísticas assombrosas do que explicando a Bíblia.

Por isso, pra muita gente, profecia bíblica é um caldeirão de coisas ruins e estarrecedoras, e isso explica porque ela não tem sido um assunto agradável e nem popular entre os cristãos. Mas será que profecia bíblica é isso mesmo? Será que todos nós estamos indo de encontro a uma série de catástrofes, Jesus levará o Seu povo para o Céu e os incrédulos ficarão na terra aguardando a destruição total do mundo?

Bem, não podemos negar que existem algumas coisas desagradáveis na profecia bíblica, mas isso é apenas uma parte dela. A outra parte mostra o Plano de Deus de forma perfeita sendo cumprido com assombrosa exatidão na História. Se você tem visto alguns dos estudos (e slides) do Arquivo7 pode confirmar o que estamos afirmando aqui.

Atualmente o movimento ateísta tem avançado em todos os continentes. Estamos vivendo uma séria crise política, econômica, moral, social, espiritual, e em todos os outros setores da vida humana. A palavra “crise” tem aparecido com muita freqüência nos setores educacionais, políticos e religiosos. O interessante disso tudo é que se encaixa exatamente com o cenário que os profetas bíblicos desenharam para o chamado final dos tempos.

Se existe um livro que explica exatamente a situação do nosso mundo hoje (em todas as áreas) é a Bíblia. E só isto já seria razão suficiente para prestarmos um pouco de atenção ao que ela diz. Mas um outro fenômeno tem se multiplicado em nossos dias: os ataques contra a Bíblia. Ela incomoda tanto que tem recebido mais críticas negativas do que qualquer outro livro no mundo.

Mas enquanto os críticos lançam seus dados venenosos, a situação política mundial está se alinhando exatamente como a Bíblia disse há milhares de anos. Neste curto artigo queremos citar alguns poucos exemplos (apesar de existirem milhares deles).

De todos os países do planeta Terra, o que mais tira o sono das grandes potências é Israel. Uma pesquisa básica no site da ONU mostra o quanto Israel ocupa o centro dos debates e discussões políticas. E por quê?

Por que é que um país menor do que Sergipe (o menor Estado do Brasil) mexe tanto com a política mundial? Por mais estranho que possa parecer, esse cenário é exatamente o que foi “pintado” pelos profetas bíblicos para o final dos tempos.

Uma lida básica em alguns profetas tais como Zacarias, Jeremias, Daniel e Ezequiel é suficiente para provar a impressionante atualidade das afirmações bíblicas. Como explicar isso?

Se os ateus querem tanto provar que Deus não existe, por que não dão um jeito na situação do Oriente Médio, para tirar a atenção do mundo de lá e afastar o perigo de se cumprir o que está escrito nas profecias bíblicas?

Pois as palavras dos profetas são muito claras. Alguns exemplos:

“Eis que eu farei de Jerusalém um copo de atordoamento para todos os povos em redor, e também para Judá, durante o cerco contra Jerusalém. Naquele dia farei de Jerusalém uma pedra pesada para todos os povos; todos os que a erguerem, serão gravemente feridos. E ajuntar-se-ão contra ela todas as nações da terra.” (Zacarias 12.2,3)

Quando Zacarias escreveu isso, Jerusalém era um montão de ruínas, pois fora destruída há algum tempo pelo Império Babilônico. Mas, vagando entre as ruínas, o velho profeta recebeu uma profecia sobre o futuro, quando todas as nações da terra iriam guerrear por Jerusalém. Como uma cidade tão sem atrativos naturais poderia ser tão importante?

Mas hoje acontece exatamente o que Zacarias predisse há 2.500 anos: O mundo já está (politicamente) guerreando por Jerusalém. Muçulmanos a querem como capital do Islamismo, os cristãos a querem como capital do Cristianismo, a ONU e o Vaticano a querem como capital internacional, etc.

A revista Superinteressante (publicada pela editora Abril), cheia de interessantes artigos abordando vários assuntos populares (principalmente científicos), tem se destacado também por, de vez em quando, publicar uma reportagem (de capa) sobre a Bíblia, com pesadas críticas, questionando a existência de muitos personagens bíblicos e lançando dúvidas sobre seus textos.

Mas em fevereiro de 2008 publicou uma reportagem de capa com a seguinte manchete: “JERUSALÉM, A CIDADE MAIS IMPORTANTE DA HISTÓRIA”. O mais interessante é que abaixo da manchete vinha a frase: “Conheça a saga do lugar que moldou o passado e definirá o futuro do planeta”.

DEFINIRÁ O FUTURO DO PLANETA”? Querendo ou não, os céticos que escreveram o artigo disseram aquilo que os profetas da Bíblia afirmaram há 2000 anos.

Um outro exemplo: Se alguém perguntar qual o país mais perigoso atualmente, a maioria vai concordar que é o IRÃ, na sua ânsia para construir uma bomba atômica. E por que é que muitos países podem fazer isso e os iranianos não?

O problema é que o Irã, por meio de seu megalômano presidente Mahmoud Ahmadinejad, tem repetidas vezes, ameaçado destruir o Estado de Israel. Como confiar em alguém que não esconde seu espírito belicista? O fato é que o Irã tem causado grandes preocupações às potências ocidentais e a Israel.

Agora, veja só este texto bíblico, escrito pelo profeta Ezequiel, uns 2.400 anos atrás.

“Então subirás, virás como uma tempestade, far-te-ás como uma nuvem para cobrir a terra, tu e todas as tuas tropas, e muitos povos contigo. (...)

E subirás contra o meu povo Israel, como uma nuvem, para cobrir a terra. Nos últimos dias hei de trazer-te contra a minha terra,...

Certamente naquele dia haverá um grande tremor na terra de Israel; de tal sorte que tremerão diante da minha face os peixes do mar, as aves do céu, os animais do campo, e todos os répteis que se arrastam sobre a terra, bem como todos os homens que estão sobre a face da terra; e os montes serão deitados abaixo, e os precipícios se desfarão, e todos os muros desabarão por terra.

(...) Nos montes de Israel cairás, tu e todas as tuas tropas, e os povos que estão contigo; e às aves de rapina de toda espécie e aos animais do campo te darei, para que te devorem. Sobre a face do campo cairás; porque eu falei, diz o Senhor Deus.”
(Ezequiel 38.9, 16, 19, 20; 39.4,5).

Aqui o profeta Ezequiel descreve claramente uma futura guerra contra Israel, a mesma que foi repetidas vezes preditas pelos outros profetas. Ezequiel cita vários países pelo nome (usando seus nomes históricos pelos quais foram conhecidos no passado). Agora, adivinhe qual o primeiro nome da lista?

Aparece em Ezequiel 38.5: “PÉRSIA”. E quem é a Pérsia hoje? Vejamos o que diz a Wikipédia:

“Pelo menos desde 600 a.C., o termo Persis era usado pelos gregos para referirem-se à Pérsia/Irã. Persis provém do persa Pars ouParsa – o nome do clã principal de Ciro e que também deu o nome da região onde habitavam os persas (correspondente, hoje, à moderna província iraniana de Fars). O latim emprestou o termo do grego, transformando-o em Persia, forma adotada pelas diversas línguas européias. O povo iraniano, para se referir ao próprio país, usava desde o período Sassânida, o termo "Iran", que significa “terra dos arianos”, derivado de Aryanam, forma encontrada em textos persas antigos. No período aquemênida, os persas usavam o termoParsa.

Em 1935, o Xá Reza Pahlavi solicitou formalmente que a comunidade internacional passasse a empregar o nome nativo do país, Iran(Irã ou Irão, em português). Em 1959, o Xá Mohammad Reza Pahlavi anunciou que tanto Pérsia como Irã eram formas corretas de referir-se ao seu país.”

Pois é. As futuras ações do Irã contra Israel já foram descritas na Bíblia há muitos séculos - e o resultado também.

Neste exato momento, a comunidade internacional continua sem saber como resolver a crise na Síria, onde milhares de civis já foram assassinados. Muitos se perguntam: Por que não fazem logo uma intervenção militar como aquela no ano passado contra a Líbia, que ajudou a derrubar o ditador Muamar Kadafi?

Meu amigo, a coisa não é tão simples. Qualquer guerra contra a Síria atrairia o Irã para o centro do conflito e o primeiro que iria “pagar o pato” seria Israel. Ou seja, uma intervenção militar na Síria poderia arrastar o mundo para dentro das guerras preditas pelos profetas Ezequiel, Zacarias e outros. Mas o mundo não pode ficar inativo e deixar que a Síria acabe com o seu próprio povo. Você tem alguma solução brilhante?

Concluindo, volto a repetir: A atual situação no Oriente Médio é exatamente aquela descrita pelos profetas da Bíblia há milhares de anos, e se os ateus querem provar ao mundo que a Bíblia é um livro mentiroso, é só acabar com essa crise ou transportá-la para outra região.

Mas a Bíblia garante que o Único que irá trazer paz de verdade ao mundo, e especialmente aos árabes e judeus é JESUS DE NAZARÉ. Barack Obama e outros podem até tentar, podem até passar um curativo sobre as feridas, mas só Jesus trará a cura definitiva.

“Naquele dia haverá estrada do Egito até a Assíria, e os assírios virão ao Egito, e os egípcios irão à Assíria; e os egípcios adorarão com os assírios.

Naquele dia Israel será o terceiro com os egípcios e os assírios, uma benção no meio da terra;

Porquanto o Senhor dos exércitos os tem abençoado, dizendo: Bem-aventurado seja o Egito, meu povo, e a Assíria, obra de minhas mãos, e Israel, minha herança.” (Isaias 19.23-25)

Shalom, Salaam!

Paz em hebraico e árabe, respectivamente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário