Enciclopédia Arquivo7 no MEGA

terça-feira, 28 de junho de 2016

O CÓDIGO GÊNESIS – Parte 36

Mais surpresas no Castelo dos Triangulares - Um novo capítulo do nosso “livrão” virtual

Em relação ao Código Gênesis tenho pesquisado, exaustivamente, na Internet, duas coisas: 1 – Mais fatos sobre esse Código; 2 – Possíveis refutações.

Na língua portuguesa não encontrei nenhum site/blog a respeito - portanto, até prova em contrário, o Arquivo7 é a única página da Internet em língua portuguesa que investiga e divulga a conexão entre Teologia e Matemática.

Por outro lado, na língua inglesa, uma das melhores páginas sobre o assunto é intitulada “THE OTHER BIBLE CODE”, elaborada por um matemático cristão, Vernon Jenkins – um dos endereços é este: THE OTHER BIBLE CODE

Em relação às minhas buscas constantes, tenho tido mais sorte sobre o item 1 (mais fatos) do que sobre o item 2 (refutações). Em relação a este segundo ponto, temos algumas possibilidades:

1 – Ou o assunto abordado no Código Gênesis é desconhecido para a maioria dos céticos e ateus espalhados por este planeta;

2 – Ou eles consideram este tema tão inútil que não se dão ao trabalho de tentar refutá-lo;

3 – Ou eles não sabem como refutá-lo.

Analisando essas possibilidades:

1 – O assunto abordado no Código Gênesis é desconhecido para a maioria dos céticos e ateus espalhados por este planeta - A minha página pode não ser muito conhecida por aí (a média é de 100 acessos diários – muitos insignificantes quando comparada a blogs de notícias ou fofocas, com milhares de acessos por dia); mas existem outros blogs/sites (internacionais) sobre o tema. A página do professor Jenkins é muito rica em informações – não sei a quantidade de acessos diários, mas presumo que não deve ser pequena.

Ainda assim, pesquisando em páginas ateístas internacionais, pouquíssimas vezes encontrei alguma menção ao trabalho de Jenkins – e as tentativas de refutação são infantis (com isso não estou tentando atacar a refutação deles usando o argumento fajuto de xingar ou menosprezar a idéia, mas estou simplesmente dizendo que as poucas tentativas de refutação que já encontrei por aí são muito fracas e só fortalecem a idéia contrária).

Por exemplo: nos tempos do saudoso Orkut, uma pessoa que se dignou a tentar refutar o Código Gênesis (divulgado por mim) simplesmente usou o seguinte argumento: “A Bíblia condena a numerologia”. Detalhe: e o cara se dizia ateu.

A Bíblia não condena a Numerologia (o estudo dos números), ela condena o ocultismo em suas variadas formas – e o estudo dos números não tem nada com ocultismo. Sim, sei que muitos ocultistas usam os números de forma mística, mas os números não têm culpa disso, da mesma forma que os astros não podem ser menosprezados porque os astrólogos fazem mau uso deles. E chega a ser engraçado – além de muito irônico – o fato de um ateu usar a Bíblia para defender um pensamento seu.


 2 – Ou eles consideram este tema tão inútil que não se dão ao trabalho de tentar refutá-lo;

Bem, isso também é possível. Mas quando Michael Drosnin lançou seu polêmico best seller “O CÓDIGO DA BÍBLIA” (que, diga-se de passagem, não tem nada a ver com o CÓDIGO GÊNESIS), recebeu uma tempestade de críticas (tanto de cristãos quanto de não cristãos). Drosnin afirmava que o tipo de código divulgado por ele só podia ser encontrado na Bíblia. Mas um matemático, usando as mesmas técnicas de Drosnin, demonstrou que em outros livros (como por exemplo, o clássico romance Moby Dick), era possível se encontrar coisas parecidas.

Parte das teses bíblico-numéricas de Ivan Panin, matemático russo, também foram refutadas no decorrer dos anos (falei sobre ele no estudo 209 – O CÓDIGO GÊNESIS – Parte 32 – Muito Além de Ivan Panin).
E existem muitas outras teses (envolvendo números e a Bíblia) espalhadas por aí – algumas são tão sem fundamentos (e até ridículas) que só servem para atrapalhar o estudo sério dos fenômenos numéricos na Bíblia.

3 – Ou eles não sabem como refutá-lo.

O desafio da tese Código Gênesis é simples: afirmamos que é impossível que o texto do Gênesis seja uma elaboração somente humana. A melhor forma de refutar tal afirmação é alguém (um humano) criar uma frase com os mesmos padrões matemáticos de Gênesis 1.1 e nas mesmas condições em que o tal texto foi escrito (isto é, sem apelar para a tecnologia).

Surgindo um texto com tais características, a tese Código Gênesis será derrubada imediatamente. Mas estou certo de que isso nunca acontecerá.

E, quanto mais aprofundamos a investigação, mais aumenta o peso das evidências.

Para conhecer os detalhes do novo estudo sobre o Código Gênesis, acesse este link ENCICLOPÉDIA ARQUIVO 7 - CALCULANDO A VERDADE e você será direcionado a uma página contendo todos os estudos em slides já publicados (cerca de 27.000 páginas). Daí é só escolher o estudo e fazer o download para o seu computador.

Também disponível no formato PDF: 
http://sdrv.ms/1a28Cw8

O número (e o título) deste novo estudo é: “220 – O CÓDIGO GÊNESIS – Parte 36 – Mais surpresas no Castelo dos Triangulares”.

Qualquer sugestão, crítica ou questionamento, escreva-me.

Moacir R. S. Junior – morganne777@hotmail.com

Um comentário: