Enciclopédia Arquivo7 no MEGA

sábado, 28 de maio de 2016

NO PRINCÍPIO ERA A MATEMÁTICA – Parte 10


A Misteriosa Rota Cruciforme dos Números Primos - Um novo capítulo do nosso “livrão” virtual

A maior obsessão dos matemáticos atualmente (e desde muito tempo) é descobrir uma fórmula capaz de revelar um padrão nos números primos.

Os números primos (números que só podem ser divididos por eles e por 1) são considerados os átomos da matemática e são objeto de centenas de estudos – estudos que vão das tentativas de se compreender o funcionamento do Universo até as técnicas usadas na criptografia moderna, da qual depende o equilíbrio das transações financeiras mundiais.

O problema, aliás, o grande problema dos primos, é que é impossível se prever quando surgirá o próximo deles – a lista é caótica, aleatória, não nos fornece qualquer pista para determinarmos o próximo. Veja todos os primos abaixo de 1000.

2, 3, 5, 7, 11, 13, 17, 19, 23, 29, 31, 37, 41, 43, 47, 53, 59, 61, 67, 71, 73, 79, 83, 89, 97, 101, 103, 107, 109, 113, 127, 131, 137, 139, 149, 151, 157, 163, 167, 173, 179, 181, 191, 193, 197, 199, 211, 223, 227, 229, 233, 239, 241, 251, 257, 263, 269, 271, 277, 281, 283, 293, 307, 311, 313, 317, 331, 337, 347, 349, 353, 359, 367, 373, 379, 383, 389, 397, 401, 409, 419, 421, 431, 433, 439, 443, 449, 457, 461, 463, 467, 479, 487, 491, 499, 503, 509, 521, 523, 541, 547, 557, 563, 569, 571, 577, 587, 593, 599, 601, 607, 613, 617, 619, 631, 641, 643, 647, 653, 659, 661, 673, 677, 683, 691, 701, 709, 719, 727, 733, 739, 743, 751, 757, 761, 769, 773, 787, 797, 809, 811, 821, 823, 827, 829, 839, 853, 857, 859, 863, 877, 881, 883, 887, 907, 911, 919, 929, 937, 941, 947, 953, 967, 971, 977, 983, 991, 997,...

Abaixo de 1000 existem somente 168 números primos. Observe os intervalos entre eles. Parece que é tudo aleatório. Entre 2 e 3 não existe intervalo; entre 13 e 17 já existem 3 intervalos; entre 23 e 29, 5 intervalos; entre 71 e 73, 1 intervalo, etc.

Agora observe que uns poucos possuem intervalos muito grandes. Entre 113 e 127, temos 14 intervalos, entre 523 e 541, 18 intervalos. O maior intervalo (abaixo de 1000) fica entre os primos 887 e 907: 20 números compostos entre eles.

Entre 1 e 100 existem 25 primos. Agora, tente imaginar quantos primos existem entre 9.999.900 e 10.000.000.

Por incrível que pareça, embora a diferença entre eles seja de 100, apenas 9 são primos:

9.999.901, 9.999.907, 9.999.929, 9.999.931, 9.999.937, 9.999.943, 9.999.971, 9.999.973, 9.999.991.

Repito: entre os 100 números anteriores a 10.000.000, somente 9 são primos. E, mais incrível ainda: entre os 100 números posteriores a 10.000.000, temos somente dois:

10.000.019 e 10.000.079.

Por isso que os matemáticos piram. Os números primos parecem aleatórios, mas existem muitos exemplos que provam o contrário. A cruz dos números primos é um deles. E (novamente) o alvo do nosso estudo.

Para conhecer os detalhes do novo estudo, acesse este link ENCICLOPÉDIA ARQUIVO 7 - CALCULANDO A VERDADE e você será direcionado a uma página contendo todos os estudos em slides já publicados (cerca de 26.000 páginas). Daí é só escolher o estudo e fazer o download para o seu computador.

Também disponível no formato PDF: 
http://sdrv.ms/1a28Cw8

O número (e o título) deste novo estudo é: “216 - NO PRINCÍPIO ERA A MATEMÁTICA – Parte 10 - A Misteriosa Rota Cruciforme dos Números Primos” 

Qualquer sugestão, crítica ou questionamento, escreva-me.


Moacir R. S. Junior – morganne777@hotmail.com

sábado, 21 de maio de 2016

O PESO DAS EVIDÊNCIAS – Parte 5

Os nomes dos patriarcas bíblicos foram matematicamente planejados? - Um novo capítulo do nosso “livrão” virtual

Pare por um momento e imagine as seguintes 3 situações: Você foi à feira e comprou 16 laranjas...

Exemplo 1 - O valor do seu nome é 26. Você tem o exótico costume de sempre contar as sementes de toda fruta que come. Ao fazer isso, enquanto comia as laranjas, notou que uma delas tinha 52 sementes, ou seja, 2 x 26. Você consideraria isso uma coincidência significativa?

Exemplo 2 - Dentre as 16 laranjas, você descobre que três tem quantidades de sementes múltiplas de 26. Você consideraria isso uma coincidência significativa?

Exemplo 3 - Das 16 laranjas, você escolhe três por serem as mais bonitas e as separa das demais, colocando-as numa posição de destaque. Seu plano é degustá-las por último.

Nas 13 laranjas “comuns”, nenhuma delas tem a quantidade de semente múltipla de 26, o valor do seu nome.

Mas você quase cai da cadeira ao descobrir que as 3 restantes, as “celebridades”, têm algo mais em comum: todas elas possuem a quantidade de sementes múltiplas de 26. E não é só isso. A diferença do número de sementes de uma pra outra é sempre de 26.

Você consideraria isso uma coincidência significativa?

Os exemplos 1 e 2 fazem parte daquilo que consideramos como mera coincidência. Num encontro social, você descobre duas ou três pessoas que nasceram no mesmo dia e mês em que você aniversaria. Nada demais. Quanto maior o número de pessoas, maiores as chances de acontecer coisas do tipo.

Porém, o exemplo 3 não revela uma “coincidenciazinha” qualquer. Se você apanha uma laranja qualquer e descobre que tem uma quantidade de sementes igual ao número do seu nome ou múltiplo do valor dele não é coisa de acontecer todo dia, mas acontece. Entretanto, das 16 laranjas, você escolhe três ao acaso e justamente essas três possuem o mesmo fator numérico em comum (que é igual ao valor do seu nome).

Se entre as restantes houver mais algumas cuja quantidade de sementes está conectada ao fator do seu nome, não há razão nenhuma para se admirar tanto da coincidência – mas acontece que nas demais, nas 13 restantes, não existe nenhuma com o fator 26 – somente nas três que você escolheu ao acaso. Isso já é uma coincidência que merece atenção.

Em nosso novo estudo apresentamos uma coincidência parecida com os exemplos acima – mas que, considerando vários fatores e o contexto em que elas aparecem, torna a coisa muito impressionante e merecedora de uma séria investigação.

Para conhecer os detalhes do novo estudo, acesse este link ENCICLOPÉDIA ARQUIVO 7 - CALCULANDO A VERDADE e você será direcionado a uma página contendo todos os estudos em slides já publicados (cerca de 26.000 páginas). Daí é só escolher o estudo e fazer o download para o seu computador.

Também disponível no formato PDF: 
http://sdrv.ms/1a28Cw8

O número (e o título) deste novo estudo é: “215 - O PESO DAS EVIDÊNCIAS – Parte 5 - Os nomes dos patriarcas bíblicos foram matematicamente planejados?”

Qualquer sugestão, crítica ou questionamento, escreva-me.


Moacir R. S. Junior – morganne777@hotmail.com

sábado, 14 de maio de 2016

IMPEACHMENT DE DILMA, ISRAEL E PROFECIAS BÍBLICAS - EXISTE ALGUMA RELAÇÃO?


Uma das teses do Arquivo7 é que parte da origem da crise brasileira atual tem a ver com as atitudes anti-israelenses do governo petista (e especialmente do governo Dilma). Vamos aos fatos (boa parte deles documentada no estudo "161 - BRASÍLIA, FLERTANDO COM A MALDIÇÃO" - veja neste link: http://www.arquivo7.com.br/2015/04/brasilia-flertando-com-maldicao.html):

1 - Nas negociações internacionais, nas reuniões da ONU, sempre que teve oportunidade, o governo petista (dilmista) votou CONTRA (ou fez declarações CONTRÁRIAS a) Israel;

2 - Nos frequentes conflitos entre Israel e os terroristas do Hamas, o governo petista-dilmista nunca perdeu a oportunidade de manifestar apoio ao Hamas, de forma tão desavergonhadamente escancarada que, numa dessas, até o Hamas enviou uma mensagem ao Brasil, agradecendo;

3 - No segundo semestre de 2015, para fazer média com os muçulmanos, o governo Dilma rejeitou a indicação de um embaixador israelense para o Brasil, piorando ainda mais as relações entre Brasil e Israel;

4 – Exatamente no mesmo período, como se estivesse fazendo uma provocação barata, o governo Dilma aceitou, alegremente, a instalação de uma Embaixada Palestina;

5 – E, ainda no mesmo período, reafirmou ser favorável à "DIVISÃO DA TERRA DE ISRAEL", ou seja, que Israel voltasse às suas fronteiras de 1967 - com isso, o governo Dilma continuou se enquadrando no perfil dos inimigos de Israel, alvos do julgamento de Deus, segundo Joel 3.1,2;

6 - Aí o tal governo continuou se arrastando, moribundo, agonizante, até culminar com o processo de Impeachment de hoje, 12 de maio de 2016;

7 – Os fatos acima são tristes, sombrios, mas incontestáveis. E, como uma prova final de que parte da crise brasileira atual tem realmente relação com Israel, hoje, justamente hoje (12 de maio de 2016), exatamente hoje, quando o processo de Impeachment chegou a uma fase crítica e Dilma foi afastada, AO MESMO TEMPO, ESTÃO ACONTECENDO FESTAS EM ISRAEL E EM TODAS AS COMUNIDADES JUDAICAS ESPALHADAS PELO PLANETA. E não por causa da queda de Dilma, mas porque hoje, no calendário judaico, é O DIA DA INDEPENDÊNCIA DE ISRAEL!

No sábado, 14 de maio, teremos a data que, em 1948, coincidiu com a data de hoje no calendário judaico. Na verdade, a comunidade judaica estará celebrando essa data nacional durante os dias 11 a 15 de maio, conforme alguns sites de notícias judaicas, como o ruajudaica.com (http://www.ruajudaica.com/).

"Naquele dia farei de Jerusalém uma pedra pesada para todos os povos; todos os que a erguerem, serão gravemente feridos. (...) E naquele dia, tratarei de destruir todas as nações que vierem contra Jerusalém." Zacarias 12.3,9

“Porquanto semearam ventos, colherão tempestades” (Oséias 8.7).

“Abençoarei aos que te abençoarem, e amaldiçoarei àquele que te amaldiçoar; ” (Gênesis 12.3)

“...sejam malditos os que te amaldiçoarem, e benditos sejam os que te abençoarem.” (Gênesis 27.29)

“É Deus que os vem tirando do Egito; as suas forças são como as do boi selvagem; ele devorará as nações, seus adversários, lhes quebrará os ossos, e com as suas setas os atravessará. Agachou-se, deitou-se como leão, e como leoa; quem o despertará? Benditos os que te abençoarem, e malditos os que te amaldiçoarem.” (Números 24.8,9)


Os tolinhos dirão que é tudo coincidência; os sábios dirão: “Muitas coincidências são coincidências demais para serem somente coincidências”.

Um quadro das principais profecias sobre a RESTAURAÇÃO DE ISRAEL pode ser encontrado aqui: http://www.arquivo7.com.br/2013/04/israel-uma-pedra-no-sapato-dos.html

Qualquer sugestão, crítica ou questionamento, escreva-me.
Moacir R. S. Junior – morganne777@hotmail.com

O CASAMENTO DO CORDEIRO


A Noiva e os Convidados - Um novo capítulo do nosso “livrão” virtual

São tantas as campanhas (principalmente nos meios de comunicação) CONTRA o casamento que é até impossível negar que isto seja fruto de uma conspiração satânica. O casamento foi a primeira instituição criada por Deus – antes mesmo da Igreja. Não é de admirar os crescentes ataques de Satanás contra a mais antiga Instituição Divina. A profecia afirma claramente que nos tempos finais, os homens darão ouvidos à espíritos enganadores e a doutrinas de demônios “QUE PROIBEM O CASAMENTO” (I Tm 4.1-3).

O fato é que do primeiro ao último livro, a Bíblia fala de casamento. E, tanto no Antigo como no Novo Testamento, Deus compara o Seu relacionamento com o Seu povo com a relação matrimonial (monogâmica e heterossexual).

Um dos eventos futuros é chamado na Bíblia de “BODAS DO CORDEIRO” (Apocalipse 19), quando Cristo se “casará” com a Sua Igreja. É comum ouvirmos os pregadores em seus “sermões pentecostais” de fim de semana fazerem as seguintes afirmações:

- Cristo vai arrebatar a Sua Noiva e teremos 7 anos de festa no Céu!

- As 10 virgens representam a Igreja que está aguardando o Noivo!

- Levante a mão quem quer ser convidado para participar dessa grandiosa festa!

Bem, numa pregação “acelerada” você pode dizer o que quiser, o povão, em delírio, vai gritar “ALELUIA” e “GLÓRIA A DEUS” sem refletir muito no que ouviu e (muitas vezes) sem ter a mínima idéia do significado da coisa. Mas, e se alguém questionar com a pergunta “matadora de conversa fiada”: COMO VOCÊ SABE QUE ISSO É VERDADE?

Ou seja, me mostre na Bíblia onde diz que teremos 7 anos de festa no Céu? Me prove que as dez virgens simbolizam a Igreja? Na maioria das vezes o “duvidador” poderá até receber uma repreensão: “IRMÃO, DUVIDAR É PECADO”. Ou: “CUIDADO, IRMÃO! VOCÊ NÃO PODE QUESTIONAR O UNGIDO DE DEUS”.

E coisas do tipo.

Mas, como eu costumo dizer por aqui, se você não pode provar uma tese, não a divulgue! E se divulgar, esteja preparado para os questionamentos. A palavra de Deus não falha ou comete erros, mas as nossas interpretações, sim.

Nunca diga: “Essa passagem da Bíblia não faz sentido”, mas sim: “essa interpretação não faz sentido”. O que a Bíblia diz é inquestionável; como nós a interpretamos, não.

Bem, nesse novo estudo, como já deu para perceber, iremos analisar algumas das questões envolvendo o tema “NOIVA DE CRISTO” na Bíblia. E uma das teses defendidas (que certamente irá levar algumas pedradas) é que, existirão, pelo menos, DUAS categorias de salvos: os que fazem parte da Noiva de Cristo e os convidados. Uns participarão das Bodas, os outros apenas da festa das Bodas. Que história é essa?

Para conhecer os detalhes do novo estudo, acesse este link (http://sdrv.ms/ZHobAh) e você será direcionado a uma página contendo todos os estudos em slides já publicados (cerca de 26.000 páginas). Daí é só escolher o estudo e fazer o download para o seu computador.

Também disponível no formato PDF: 
http://sdrv.ms/1a28Cw8

O número (e o título) deste novo estudo é 214 – O CASAMENTO DO CORDEIRO – A Noiva e os Convidados.

Qualquer sugestão, crítica ou questionamento, escreva-me.
Moacir R. S. Junior – morganne777@hotmail.com

sábado, 7 de maio de 2016

O CÓDIGO GÊNESIS – Parte 34

A maravilhosa afinidade entre as línguas hebraicas e gregas nos tempos bíblicos - Um novo capítulo do nosso “livrão” virtual
Alguns críticos do Código Gênesis às vezes questionam o porque de misturarmos, nos cálculos, valores de palavras hebraicas e gregas. Ou seja, se o Gênesis foi escrito em hebraico, por que o Nome e alguns títulos de Jesus aparecem codificados lá em seus valores gregos e não hebraicos? Alguns acham que isso invalida os cálculos. Mas eles desconhecem a profunda afinidade entre as duas principais línguas bíblicas e, que o Novo Testamento (mesmo tendo alguns livros originalmente escritos em hebraico), foi transmitido para o mundo da época, em grego, que era a língua internacional, o “inglês” do seu tempo.

O Nome que se propagou pelo mundo foi JESUS (IESUS) e não YESHUA.

Isso é inaceitável para alguns cristãos (especialmente os que seguem as tradições judaicas). Mas existem muitos documentos do I século do Cristianismo falando sobre JESUS como IESUS e não YESHUA, simplesmente porque o grego era a língua conhecida por quase todo mundo e o hebraico era uma exclusividade judaica. Logicamente, Deus sempre quis que o Evangelho alcançasse o mundo todo. Atualmente, mesmo em países de línguas exóticas, tem alguém que entende um pouco de inglês e assim, os missionários chegam por lá pregando a JESUS (pronuncia-se DÍZAS, em inglês), o Filho de Deus, o mesmo Yeshua dos judeus.

O grego também era uma língua alfa-numérica. E isso era mais um elo de conexão com o hebraico. Mas, mesmo usando as duas línguas em nossos cálculos, existe uma clara simetria. Por exemplo, Gênesis 1.1 (escrito em hebraico) só é matematicamente simétrico em hebraico (em grego não existe nenhuma matemática interessante nele); porém, o primeiro versículo do Evangelho de João (escrito em grego) só faz sentido simétrico-matemático em grego (em hebraico não apresenta simetrias interessantes).

Mas os primeiros 5 versículos do Gênesis possuem uma relação temática com os primeiros 5 do Evangelho de João, e, matematicamente, unindo as duas línguas, existe uma linda conexão simétrica entre Gênesis e João.

A interpretação dos fatos pode até ser questionada, porém os fatos, não. De todos os escritores do Novo Testamento, somente um é conhecido, desde os tempos antigos, como “discípulo amado”, “apóstolo do amor”, e coisas do tipo. Somente ele fez as maiores declarações envolvendo Deus e o amor. E, de todos os livros do NT, somente o livro principal desse “discípulo amado” (O Evangelho segundo João), tem a frase inicial cujo valor numérico é múltiplo tanto do valor da palavra AMOR, em hebraico, quanto de AMOR, em grego. Isso merece alguma reflexão da nossa parte, você não acha?

Para conhecer os detalhes do novo estudo, acesse este link (ARQUIVOS EM POWER POINT) e você será direcionado a uma página contendo todos os estudos em slides já publicados (cerca de 26.000 páginas). Daí é só escolher o estudo e fazer o download para o seu computador.

Também disponível no formato PDF: 
http://sdrv.ms/1a28Cw8

O número (e o título) deste novo estudo é 213 – O CÓDIGO GÊNESIS – Parte 34 – A maravilhosa afinidade entre as línguas hebraicas e gregas nos tempos bíblicos.

Qualquer sugestão, crítica ou questionamento, escreva-me.

Moacir R. S. Junior – morganne777@hotmail.com

segunda-feira, 2 de maio de 2016

ATENÇÃO!!! NOVO LINK PARA OS ESTUDOS EM POWER POINT

Meus caros, ainda não sei o que aconteceu para que o link da pasta dos arquivos em Power Point se tornasse inválido. Fui alertado para isso somente hoje, quando um amigo não conseguiu acessar os arquivos. Então, consegui um novo link que parece resolver o problema. O endereço dos arquivos em PDF está normal (até o presente momento). Quem tiver qualquer problema ao tentar baixar os arquivos, por favor, me notifique: morganne777@hotmail.com ou deixe uma mensagem no mural do blog.