O BÁSICO PARA VOCÊ ENTENDER O ARQUIVO 7

O BÁSICO PARA VOCÊ ENTENDER O ARQUIVO 7
Tudo que você precisa saber para entender a principal linha de investigação do Arquivo7 - O BÁSICO SOBRE MATEMÁTICA BÍBLICA, SEGUNDO A TESE ARQUIVO 7.

CALCULANDO A VERDADE - A INSPIRAÇÃO DIVINA DA BÍBLIA PROVADA PELA MATEMÁTICA

 

Uma introdução à Matemática Bíblica defendida no Arquivo7, numa exposição bem didática, ideal para quem está entrando em contato com essa tese pela primeira vez ou deseja apresentá-la a algum amigo. 

O "cânon" bíblico está fechado, com 66 livros e 1.189 capítulos, e, neste livro, apresentamos a evidência matemática como prova. 

"Investigue tudo, acredite apenas no que for provado verdadeiro" (paráfrase de 1 Tessalonicenses 5.21)

Adquira esta obra por meio das seguintes opções:

1 - LIVRO DIGITAL - Leia através do aplicativo Kindle em seu celular, tablet, Kindle e computador. Clique neste link: 

https://amzn.to/3gwP0sA

2 - LIVRO FÍSICO (isto é, impresso) - Adquira a partir deste link:

https://loja.uiclap.com/titulo/ua9006/

sábado, 21 de agosto de 2021

MAIS DE 777 CARTAS NA MANGA...

 

Origem e significado da expressão “CARTAS NA MANGA 

Estar precavido, ter uma alternativa a ser utilizada diante de uma necessidade.”

https://www.soportugues.com.br/secoes/expid/expressao_ver.php?idE=71 

“Expressão usada para se referir a um truque ou uma informação escondida que pode dar uma vantagem inesperada para aquele que a tem. [exemplo] O advogado tinha uma carta na manga e conseguiu inocentar o réu.”

https://www.dicionarioinformal.com.br/significado/carta%20na%20manga/35293/ 

“A origem do termo vem dos jogos de Poker. Dado em vista que é um jogo suscetível para trapaças e estratégias, uma comum alternativa era a de ‘esconder uma carta em uma das mangas’, pois assim, no momento de maior necessidade, a estratégia poderia ser executada.” 

“A carta mais comum nesta estratégia era o Ás, que é a carta de grande valor dentro do Poker, podendo deixar seu adversário em situações onde é difícil vencer. Por isso, uma tradução equivalente em inglês do termo ‘Carta na Manga’ pode ser: An Ace up his sleeve, Um Ás em sua manga (em tradução literal e livre)”. 

“Como o truque é visto como sinal de esperteza e sagacidade, o termo é entendido como ‘uma estratégia ainda não usada, mas que será vantajoso futuramente, se usado’. Um exemplo: Meu oponente ainda não apareceu para atacar… Mas ele já eliminou vários de meus parceiros! Ele deve ter alguma carta na manga… Neste caso é dado como uma estratégia desconhecida, mas que está sendo/será efetiva.” https://pt.quora.com/O-que-significa-a-express%C3%A3o-carta-na-manga. 

“Quando se tem um truque ou uma sacada final para algum evento. Exemplo: Quando todos já achavam que o réu ia ser preso, seu advogado tirou uma carta da manga e mostrou uma evidencia que virou o jogo e deixou seu cliente em liberdade.”

https://qualeagiria.com.br/giria/carta-na-manga/ 

“Ter cartas na manga. FIG: apresentar solução para uma situação de apuros quando todas as opções foram esgotadas.”

https://michaelis.uol.com.br/moderno-portugues/busca/portugues-brasileiro/carta 

Sublinhei algumas palavras ou expressões para enfatizar o significado. 

QUAL O SIGNIFICADO USADO AQUI, NO ARQUIVO7? 

Estratégias ou munições extras, guardadas para serem usadas conforme a necessidade. Ou, para usar uma expressão bíblica, “TER AZEITE DE RESERVA” (Mateus 25.1-10, parábola das 10 virgens). 

"No Arquivo7 sempre temos munições a mais (ou de sobra)" (ditado popular no Arquivo7) 

NA GUERRA E COM POUCAS MUNIÇÕES... 

Na minha infância de fé evangélica, testemunhei e eu mesmo vivi a seguinte situação: 

Estudando a Bíblia, ao encontrar uma evidência sensacional, corria para apresentar a algum amigo cético, para tentar convencê-lo da verdade. Se, porém, o tal tivesse algum argumento para refutar a minha evidência, o debate tinha vida curta, porque eu não tinha nenhuma munição extra, nenhuma evidência a mais, nenhuma carta na manga. 

NA GUERRA E COM MUNIÇÕES ESTRAGADAS... 

Pior ainda era quando eu tomava conhecimento de alguma evidência exótica divulgada em algum livro ou pregação. Na maioria das vezes não tinha como provar a veracidade da evidência apresentada. A única alternativa era confiar plenamente (ou cegamente) nas afirmações dos pregadores. Aí, alguns anos depois, fui descobrir que muitas dessas supostas evidências, eram na verdade, FAKE NEWS GOSPEL, ou LENDAS URBANAS EVANGÉLICAS. 

Sim, 30 anos atrás era muito fácil cairmos em tais golpes porque não tínhamos recursos para investigarmos a origem das coisas, tal como temos hoje. ÉRAMOS OBRIGADOS A ACREDITAR EM QUALQUER COISA SEM TER COMO INVESTIGAR A VERACIDADE DELAS. 

NA GUERRA, ARMADOS, MAS DISPARANDO PELA CULATRA... 

Era comum também a gente acreditar nas muitas revelações chocantes de pessoas que, supostamente, tinham visitado o mundo espiritual, ou o outro lado, fazendo incríveis turnês no Céu e no Inferno. 

Aí a gente, numa ingenuidade de dar pena, espalhava essas revelações e tentava convencer os céticos de que isso provava a veracidade da Bíblia. 

Somente mais tarde fomos compreender, pela maravilhosa graça e bondade de Deus, que aquelas “crenças exóticas e aparentemente sobrenaturais” traziam mais descrédito para a Bíblia do que crédito. 

A gente não somente tinha pouca munição em nossa Apologética, como a maioria delas ainda era “estragada”, sem poder nenhum. Aliás, o único poder que essas “evidências” possuíam era o de estragar a fé genuína. 

Assim, diante do confronto, era um milagre a gente voltar pra casa ainda “vivo”, pois boa parte de nossas munições tinha um efeito contrário: REVIGORAVAM AS FORÇAS DO INIMIGO! Não é de admirar que muitos daqueles “apologetas” ou perderam a fé ou passaram a viver com uma fé tímida e sensível. 

UMA GRANDE IRONIA OCULTA NUMA CRENÇA POPULAR 

Na época, era comum muitos cristãos acreditarem que “quanto mais se estuda, mais a pessoa corre o risco de virar ateu” e com essa conversa (fiada) muitos jovem eram desestimulados a se aprofundarem no conhecimento da Bíblia. O que descobri mais tarde foi exatamente o contrário da crença popular, que posso sintetizar numa frase de um grande homem da ciência (e de Deus): 

Um pouco de ciência nos afasta de Deus. Muito, nos aproxima.” Louis Pasteur (cientista francês e cristão) 

E isso eu pude comprovar quando resolvi me aprofundar no conhecimento da Bíblia. Mais tarde adaptei (ou parafraseei) o pensamento de Pasteur: 

Conhecimento SUPERFICIAL sobre a Bíblia nos induz a acreditar que ela é de origem humana; conhecimento PROFUNDO nos convence que ela é de origem divina.” 

AS EVIDÊNCIAS BÍBLICAS ESTÃO NUM POÇO SEM FUNDO... 

Isto é, quanto mais mergulhamos, mais tesouros encontramos. E que nunca se esgotam. Para colecionar parte desse tesouro inesgotável, foi criada a Enciclopédia Arquivo7, que, com sua quantidade de páginas (cerca de 52.000), prova facilmente a veracidade de um provérbio que costumamos usar no Arquivo7: 

“NO ARQUIVO7 NÃO TEMOS UMA CARTA NA MANGA... TEMOS MAIS DE 777”. 

Vamos aos fatos! 

A Enciclopédia Arquivo7 possui, atualmente, 333 capítulos e 63 apêndices. Desses quase 400 estudos, MAIS DA METADE trata, exclusivamente, sobre Matemática Bíblica e o restante lida com Profecias Bíblicas e outros itens da Apologética Cristã, tais como Arqueologia e Lógica. 

Portanto, numa estimativa por alto, considerando apenas 3 evidências por estudo, temos mais de mil evidências sobre a inspiração divina da Bíblia. Entretanto, muitos dos estudos apresentam um número muito maior de evidências, é claro. Geralmente, acima de 7. 

Logo, no Arquivo7 temos (falando metaforicamente) mais de 777 cartas só na manga direita... depois outras 777 na manga esquerda, nos bolsos da camisa, da calça, nas meias, etc. 

O DESAFIO INSUPERÁVEL DE GÊNESIS 1.1 

E tem mais: costumamos afirmar, na Enciclopédia Arquivo7, que mais de 300 padrões matemáticos podem ser encontrados somente em Gênesis 1.1, numa frase de apenas 7 palavras e 28 letras. Não é blefe, isso também é fácil de provar, pois: 

1 – Na Enciclopédia Arquivo7 podemos elencar mais de 1000 itens da Matemática Bíblica (e a maioria envolvendo Gênesis 1.1); 

2 – As pesquisas de Vernon Jenkins, o saudoso mestre da Matemática Bíblica (um cristão britânico, falecido em 2020), contêm outras centenas de evidências que não são citadas na Enciclopédia Arquivo7; 

3 – Vários pesquisadores modernos (John Elias, Leo Tavares, Peter Bluer e outros) têm contribuído com outras coleções de evidências matemáticas na Bíblia. 

Portanto, podemos afirmar, com certeza, que o pacote de evidências matemáticas é incalculável. 

Podemos classificar a Enciclopédia Arquivo7 em três ciclos: 

1º CICLO - Capítulos 1 ao 111 (anos 2011 a 2014) 

Análise desse ciclo 

Nesse período, a ênfase dos estudos bíblicos era principalmente nas profecias e na matemática de Gênesis 1.1. Mas podemos destacar também os estudos sobre a influência judaica na história da Humanidade, e vários capítulos sobre Apologética. Entretanto, a principal tese do Arquivo7 defendida hoje, ainda não estava desenvolvida (no 3º Ciclo, darei mais detalhes). 

2º CICLO - Capítulos 112 ao 222 (anos 2014 a 2016) 

Neste período, as ênfases dos estudos continuaram praticamente as mesmas do Ciclo 1, porém, ainda sem qualquer menção a principal tese do Arquivo7. 

3º CICLO - Capítulos 222 ao 333 (2016 a 2018) 

Neste período, os estudos continuaram se alternando entre profecias, matemática e Apologética. Contudo, a partir do capítulo 309, acontece um grande divisor de águas no Arquivo7, quando, ainda de forma tímida, é apresentada a tese principal, desenvolvida a partir de março de 2018. 

Afinal, que tese é essa? 

QUE A QUANTIDADE E CLASSIFICAÇÃO DE LIVROS E CAPÍTULOS DA BÍBLIA TAMBÉM FORAM DIVINAMENTE PROJETADOS E AUTENTICADOS COM O MESMO PADRÃO MATEMÁTICO DE GÊNESIS 1.1. COMO UMA FORMA DE DEUS PROVAR QUE O "CÂNON" DA BÍBLIA ESTÁ COMPLETO COM 66 LIVROS E 1.189 CAPÍTULOS. 

UMA TESE OUSADA, MAS RECHEADA DE EVIDÊNCIAS 

Dos últimos 24 capítulos da Enciclopédia Arquivo7 (do 309 ao 333), somente dois lidaram especificamente com profecias bíblicas. Os outros 22 foram dedicados, exclusivamente, a registrar as evidências da matemática oculta na estrutura dos livros e capítulos bíblicos. 

ALÉM DA ENCICLOPÉDIA ARQUIVO7 

Aprofundando ainda mais a investigação nessa nova tese, a quantidade absurda de evidências que foram surgindo me levou a elaborar os Apêndices (já que eu havia decidido "fechar" a Enciclopédia nos 333 capítulos). 

A partir de maio de 2019, fui publicando um Apêndice atrás do outro, quase que, exclusivamente, sobre a principal tese do Arquivo7. E atualmente (maio de 2021), exatamente dois anos depois, temos 63 Apêndices, com cerca de 5.500 páginas, sendo, portanto, uma média de 88 por capítulo. 

Numa comparação tosca, mas verdadeira, se a dúvida fosse uma pessoa: 

Com as evidências do Ciclo 1, ela seria derrubada; 

Com as evidências do Ciclo 2, ela seria nocauteada; 

Com as evidências do Ciclo 3, ela seria morta. 

E com as evidências dos Apêndices, ela seria cremada, e as cinzas sopradas para longe, para não deixar vestígios. 

Depois de apresentar, para um amigo cético, 7 padrões matemáticos encontrados na Bíblia... 

- Para mim são apenas coincidências.

- E se eu te apresentar mais algumas?

- Ora, pode apresentar mais 7, se quiser... aliás, você ainda tem 7 cartas na manga?

- Sete não. Tenho mais de 777 cartas. E isso só na manga direita. 

“Eis que essas coisas são apenas as orlas dos seus caminhos; e quão pequeno é o sussurro que dele, ouvimos! Mas o trovão do seu poder, quem o poderá entender?” (Jó 26.14) 

Moacir Junior – moacir37junior@gmail.comwww.arquivo7.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário